Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Nacional’ Category

Anderson Esiti poderá reforçar o Sporting

Anderson Esiti poderá reforçar o Sporting

A lesão de William Carvalho veio complicar de sobremaneira as contas de Jorge Jesus para a posição “seis” do Sporting, sendo que os verde-e-brancos, mesmo antes do infortúnio do internacional português, já haviam tentado a aquisição de Danilo Pereira para funcionar como o seu backup.

Nesse seguimento, e mesmo que existam algumas soluções no plantel, a verdade é que parece agora claro que os leões irão garantidamente ao mercado para a contratação de um médio-defensivo, voltando a falar-se do nigeriano Anderson Esiti, um alvo antigo do Sporting e que milita agora no Estoril-Praia.

Cresceu no Leixões

Anderson Esiti nasceu a 24 de Maio de 1994 em Warri, Nigéria, mas cedo viajou para Portugal, isto para evoluir na equipa de juniores do Leixões, emblema pelo qual se estreou no futebol sénior em 2013/14, e logo com grande impacto, ou não tivesse somado 47 jogos oficiais e merecido inclusivamente a cobiça do Sporting.

A verdade, contudo, é que os leões não conseguiram assegurar a contratação do “seis”, que acabaria por rumar ao Estoril-Praia, emblema pelo qual terminou a temporada transacta com um pecúlio de 26 jogos oficiais, isto mesmo que tenha merecido mais a confiança de José Couceiro do que de Fabiano Soares.

Enorme qualidade no processo defensivo

É inegável que este futebolista nigeriano tem um enorme talento e potencial, beneficiando de uma dimensão física (1,89 metros e 82 quilos) que lhe garante grande eficácia nos duelos aéreos e nos confrontos corpo a corpo, mas também apresentando uma grande maturidade ao nível do posicionamento e eficácia no desarme, antecipação e contenção.

Defensivamente, aliás, Anderson Esiti parece talhado para um dos aspectos que Jorge Jesus muito gosta nos seus “seis” e que passa pela capacidade de recuar para junto dos centrais, isto por forma a poder projectar ofensivamente os laterais, que, no Sporting (Jefferson e João Pereira), estão destinados a oferecer muita verticalidade.

Tem de assumir mais o risco

Onde lhe falta alguma evolução, valha a verdade, é no processo ofensivo, sendo que para jogar num clube com a dimensão do Sporting parece-me que o jovem de 21 anos terá de assumir mais o jogo e projectar-se mais para o ataque.

Ainda assim, tendo Anderson Esiti até alguma qualidade técnica, e sabendo-se da qualidade de Jorge Jesus para “inventar” médios-defensivos de grande qualidade, poderá prever-se um crescimento claro neste aspecto específico, em algo que projectaria imediatamente o nigeriano para um patamar de clara excelência.

Read Full Post »

William mostra-se cansado

William mostra-se cansado

No rescaldo do Inglaterra-Portugal (0-1), a contar para a primeira jornada do Campeonato da Europa de sub-21, choveram elogios nas redes sociais à exibição de William Carvalho, sendo que a maior parte das mesmas foram oriundas precisamente das Ilhas Britânicas.

Frases como: “Porque é que ainda ninguém pagou todo o dinheiro pelo William Carvalho”; “William Carvalho esteve acima de qualquer outro médio no relvado”; “William é uma besta”; “William é um monstro” ou “Espero que alguém do Manchester United tenha visto o jogo com um cheque na mão e preparado para pagar o que for preciso para comprar William Carvalho” foram elucidativas da forma entusiástica como foi recebida a exibição do jogador do Sporting, mas o curioso é que este esteve longe daquele que é o seu melhor nível.

Aliás, em Portugal, onde muito melhor se conhecerá as qualidades de William Carvalho, até se assistiu ao fenómeno inverso, com os principais jornais desportivos a classificarem a exibição do “seis” com notas bastante fracas, na minha opinião também de forma exagerada, uma vez que o desempenho do internacional português não mereceu a histeria inglesa, mas também dispensava o desdém luso.

É notório que William Carvalho, depois de uma época em que fez 42 jogos pelo Sporting e mais uns quantos pelas selecções portuguesas se encontra fatigado e isso, num jogador que já não é propriamente rápido ou intenso, acaba por notar-se ainda mais, prejudicando o aparecimento daquilo que são as principais valências do médio-defensivo.

Afinal, sendo inegável que “Sir William” poderia e deveria ganhar intensidade de jogo, é igualmente um facto que o jovem de 23 anos apresenta valências fantásticas para a sua posição, nomeadamente ao nível do superior posicionamento, excelente visão de jogo, boa técnica individual e inteligência na antecipação e no desarme.

Continuando a progressão e mantendo uma consistência exibicional ao nível de 2013/14 (ele caiu um pouco na transição de Leonardo Jardim para Marco Silva), penso que não há quaisquer dúvidas que William Carvalho será um jogador que justificará a tal proposta milionária desejada por Bruno de Carvalho e que será certamente superior a 35 milhões de euros.

Agora, há que dizê-lo com frontalidade: Este William, o do Europeu de sub-21, está longe de ser o melhor William. E se alguns clubes ingleses estão mesmo dispostos a aproximarem-se dos 45 milhões de euros da cláusula de rescisão pelo seu desempenho nessa prova, nem quero imaginar o que estariam dispostos a oferecer caso vissem o internacional português no auge das suas capacidades.

Read Full Post »

Djuricic é um

Djuricic é um “dez” de grande qualidade

Entre os vários futebolistas que passaram pelo Benfica na “Era Jesus”, existiram dois que foram essencialmente prejudicados pela posição no terreno onde desenvolvem o seu futebol e não tanto pela sua qualidade intrínseca, mais concretamente os médios-ofensivos: Filip Djuricic e Bernardo Silva.

Actuando o internacional sérvio e o internacional português numa posição que não encontrava eco nas ideias tácticas de Jorge Jesus, foi sem surpresa que não conseguiram encontrar o seu espaço no onze, sendo que o primeiro ainda foi testado pelo técnico português como ala-esquerdo em 2013/14, mas sem sucesso.

Entretanto, Bernardo Silva já encontrou um novo rumo para a sua carreira, tendo saído em definitivo para o Mónaco, onde, sob o comando de Leonardo Jardim, terminou a última temporada com 45 jogos oficiais e dez golos apontados. Quanto a Filip Djuricic, esse andou na última época entre empréstimos ao Mainz e Southampton, jamais se adaptando na plenitude a campeonatos que não parecem talhados para um futebol rendilhado que exige alguma liberdade táctica.

Certo, de qualquer maneira, é que a qualidade que o internacional sérvio apresentava na Eredivisie continua bem viva, como ainda ontem se pôde verificar no duelo entre a sua selecção de sub-21 e a congénere da Alemanha (1-1), em que Djuricic marcou um golo de antologia pela formação balcânica.

É necessário, contudo, colocá-lo na tal posição que o seu futebol exige, sendo que acredito que Djuricic poderia adaptar-se na plenitude ao nosso campeonato, que, como se sabe, sempre permitiu grande brilho a jogadores com as características do sérvio, ou seja, um “dez” puro para jogar nas costas de um ponta de lança.

Essa janela de oportunidade, aliás, até poderia agora abrir-se com a saída de Jorge Jesus para o Sporting, ainda para mais porque não acredito que Rui Vitória abdique de actuar com três jogadores no miolo do meio-campo, mesmo que isso possa apresentar um problema para Jonas, que rende mais com companhia no eixo do ataque, ao invés de num sistema 4x2x3x1 ou 4x3x3.

O “problema” é que, acreditando na imprensa turca, Filip Djuricic já se preparará para novo empréstimo, desta feita aos turcos do Trabzonspor, não merecendo sequer a oportunidade de fazer a pré-época e tentar convencer Rui Vitória a integrá-lo no plantel encarnado.

Ora, se a ideia do ex-treinador do Vitória de Guimarães passar pela manutenção de um esquema com dois pontas de lança e apenas dois elementos no miolo, ainda compreendo esta decisão da SAD do Benfica, mas, se a aposta passar pelo tal esquema 4x2x3x1/4x3x3, esta cedência promete ser uma má decisão de mercado. É que, na posição “dez”, os encarnados não têm ninguém nos seus quadros com a qualidade de Filip Djuricic.

Read Full Post »

Bernard estará na mira do Benfica

Bernard estará na mira do Benfica

Uma das revelações da edição 2014/15 do campeonato nacional foi claramente o médio-ofensivo ganês Bernard Mensah, figura preponderante no quinto lugar e consequente apuramento para a Liga Europa do Vitória de Guimarães.

Aliás, esse excelente desempenho do jovem de 20 anos até já o está a colocar na rota de uma grande transferência, sublinhando hoje o jornal “A Bola” que Bernard Mensah poderá vir a reforçar o Benfica, clube que é agora orientado pelo seu ex-treinador, Rui Vitória.

Crescimento no Minho

Bernard Mensah nasceu a 17 de Outubro de 1994, em Acra, Gana, tendo representado o Feyenoord Acra, do seu país natal, antes de rumar a Portugal e ao Vitória de Guimarães em 2012. Nos vimaranenses, começou por representar os juniores, saltando posteriormente para o futebol sénior, pela porta da equipa B, em 2013/14.

Essa, aliás, foi uma excelente temporada para Bernard Mensah, que somou 26 jogos e nove golos no Campeonato Nacional de Seniores, contribuindo de forma decisiva para a subida do Vitória de Guimarães B à Segunda Liga e para a sua própria promoção à equipa principal dos vimaranenses.

Impacto imediato na equipa principal

Um salto do Campeonato Nacional de Seniores para a Primeira Liga é sempre acentuado, mas a verdade é que o ganês não sentiu minimamente o impacto do escalão principal, tendo arrancado para uma temporada de 2014/15 em que foi mesmo uma das principais figuras do Vitória de Guimarães.

Ao todo, Bernard Mensah somou 34 jogos oficiais e cinco golos pelos vimaranenses, num percurso em que acumulou algumas exibições de gala e assumiu-se como o maestro do meio-campo ofensivo.

Diamante que ainda precisa de lapidação

Bernard Mensah é um médio-ofensivo central que se destaca pela sua velocidade, visão de jogo e qualidade técnica e de passe, características que o transformam, automaticamente, num verdadeiro desbloqueador e desequilibrador no último terço.

Apesar dessa tracção ofensiva, o jovem africano mostra igualmente generosidade dentro do terreno de jogo, jamais se furtando de ajudar nas missões defensivas, sendo usual vermos o criativo a pressionar e a somar desarmes ao longo das partidas.

Certo, de qualquer maneira, é que, aos 20 anos, Bernard Mensah ainda terá algumas arestas para limar, sendo necessário que atinja uma maior consistência nas suas exibições, uma vez que ainda tem alguma indesejável tendência para alternar grandes exibições com duelos menos conseguidos.

Read Full Post »

Rafael Ramos (à esq.) abraçado a Estrela

Rafael Ramos (à esq.) abraçado a Estrela

Uma das surpreendentes ausências na convocatória de Portugal para o último Campeonato do Mundo de sub-20 foi a de Rafael António Figueiredo Ramos, lateral-direito que vai actuando ao lado de Kaká no Orlando City, da Major League Soccer (MLS) norte-americana.

Trata-se de um futebolista nascido a nascido a 9 de Janeiro de 1995 em Seia e que cedo chegou às camadas jovens do Sporting, clube que representou entre 2006 e 2012, isto antes de rumar ao Real Massamá, que representou na época de 2012/13.

Benfica como trampolim para os EUA

Na temporada seguinte, contudo, o internacional sub-20 português haveria de voltar a um grande lisboeta, mas desta feita o Benfica, clube onde foi uma das figuras da equipa de juniores, tendo brilhado no campeonato nacional e na UEFA Youth League.

Apesar disso, e com alguma surpresa, acabou por rumar aos Estados Unidos da América no Verão de 2014, acompanhando o médio-defensivo Estrela numa transferência para o Orlando City, então na terceira divisão norte-americana

Rafael Ramos, porém, já sabia que o clube da Flórida iria passar a jogar na MLS a partir de 2015, sendo precisamente no principal escalão do futebol norte-americano, e ao lado da grande estrela Kaká, que o lateral-direito vai agora evoluindo, somando neste momento um total de 13 jogos oficiais.

Lateral muito promissor

Rafael Ramos é um lateral-direito que se destaca pela sua velocidade e pulmão, sendo capaz de passar um jogo inteiro num constante vai e vem entre a defesa e o ataque, sempre com competência e critério.

Em termos estritamente defensivos, é de realçar seu espírito de luta (que compensa a sua baixa estatura – 173 cm), capacidade de desarme e inteligência na forma como faz a contenção no seu flanco.

Já no ataque, por outro lado, a explosividade e velocidade que apresenta permitem-lhe oferecer grande profundidade ao flanco direito, sendo o internacional sub-20 luso ainda muito efectivo no capítulo do passe e do cruzamento.

Read Full Post »

André Moreira é uma promessa lusa

André Moreira é uma promessa lusa

Portugal foi esta madrugada eliminado do Mundial de sub-20, isto depois de ter sido derrotado pelo Brasil (0-0 e 1-3 g.p.) nos quartos de final da prova, mas é inegável que inúmeros jogadores da “Equipa das Quinas” deixaram uma excelente imagem na Nova Zelândia, sendo André Moreira um desses exemplos.

Afinal, totalista nos cinco jogos da selecção nacional de sub-20 na competição, o jovem “keeper” provou com exibições de grande nível o porquê de já pertencer aos quadros do Atlético de Madrid.

Formado no Ribeirão

André Campos Moreira nasceu a 2 de Dezembro de 1995 em Ribeirão, tendo sido formado precisamente no clube com o mesmo nome, que representou entre 2005 e 2014.

A 29 de Dezembro de 2013, acabado de fazer 18 anos, estreou-se no futebol sénior, tendo mesmo efectuado 16 jogos pelo Ribeirão no Campeonato Nacional de Seniores 2013/14 e merecido, no final da época, a contratação por parte do Atlético de Madrid.

Ainda não jogou pelo “Atleti”

Apesar dessa surpreendente contratação, a verdade é que André Moreira ainda não se estreou oficialmente pelos “colchoneros”, tendo acabado cedido ao Moreirense na temporada transacta.

Nesse clube primodivisionário, contudo, o jovem “keeper” de 19 anos acabou por não conseguir encontrar igualmente o seu espaço, limitando-se a somar dois jogos na Taça da Liga.

Sóbrio e seguro

André Moreira é um guarda-redes que privilegia a eficácia à espectacularidade, não sendo propício a defesas muito vistosas, algo que, valha a verdade, apenas prejudicará o trabalho dos fotógrafos.

Apresentando um excelente posicionamento entre os postes, André Moreira destaca-se pela elasticidade e por ser um excelente shot stopper, sendo ainda de destacar o seu apreciável jogo de pés e eficácia na saída aos cruzamentos.

Depois, com apenas 19 anos, é de realçar igualmente a elevada maturidade que já apresenta, não havendo dúvidas que estamos perante um guarda-redes de gigantesco potencial.

Read Full Post »

O eterno Zé da Europa

O eterno Zé da Europa

Quando se recordam os melhores jogadores da história do futebol português, fala-se naturalmente dos célebres “cinco violinos” do Sporting, ainda que mais do goleador Fernando Peyroteo, deixando José Travassos numa posição menos cintilante. Certo, de qualquer maneira, é que este interior-direito lisboeta brilhou tanto quanto o angolano, tendo inclusivamente sido o primeiro jogador luso a ser convocado para uma selecção europeia, algo que lhe valeria uma alcunha para a eternidade: “Zé da Europa”.

Começou na CUF

José António Barreto Travassos nasceu a 22 de Fevereiro de 1926 em Lisboa e começou a sua carreira na CUF, ainda que rapidamente se tenha mudado para o Sporting, clube que representou entre 1946 e 1959.

Durante esse longo percurso, somou 457 jogos oficiais pelos verde-e-brancos, tendo apontado 172 golos, sendo de destacar os inúmeros títulos conquistados, nomeadamente oito campeonatos nacionais e duas taças de Portugal.

O “Zé da Europa”

Interior-direito de grandes recursos técnicos e excelente capacidade criadora e finalizadora, José Travassos mereceu, na sua época, o reconhecimento nacional e internacional, sendo que um jornalista inglês foi mesmo peremptório em afirmar que “Portugal não figura entre os seis primeiros países da Europa do futebol, mas possui um interior-direito que vale 50 mil libras”. Uma fortuna na época.

Perante esse reconhecimento internacional, o futebolista do Sporting foi mesmo o primeiro português a figurar numa selecção europeia, tendo participado num amigável em Belfast, a 13 de Agosto de 1955, onde a tal selecção do Velho Continente superou a Inglaterra por 4-1. Por isso, será para sempre o “Zé da Europa”.

Read Full Post »

Older Posts »