Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Onde Está’ Category

Etock esteve dois anos no Sporting

Etock esteve dois anos no Sporting

Oriundo de “La Masia”, a renomada academia do poderoso Barcelona, o camaronês Gaël Etock chegou a Alvalade sob um espectro de elevadas expectativas, sendo esperado que pudesse vir a assumir-se como uma mais-valia para o plantel principal do Sporting num futuro próximo. A verdade, contudo, é que a realidade é muitas vezes cruel e aquilo que por vezes aparenta ser um sonho exequível acaba por traduzir-se num claro defraudar das esperanças de um clube e dos sonhos de um futebolista.

Produto do Barcelona

Gaël Junior Etock nasceu a 5 de Julho de 1993 em Douala, Camarões, mas cedo rumou à Catalunha e ao Barcelona, clube que representou entre 2006 e 2011, isto entre os escalões de iniciados e juniores.

Em 2011, contudo, mudou-se de armas e bagagens para o Sporting, tendo primeiro representado os juniores, em 2011/12, e depois a equipa B, em 2012/13, quando somou 29 jogos (10 como titular) e seis golos na Segunda Liga.

Sempre a descer depois do leão

A verdade, contudo, é que o camaronês não conseguiu cumprir com as expectativas nele depositadas pelos verde-e-brancos, tendo acabado por rumar ao Cercle Brugge, em 2013/14, sendo que essa passagem pela Bélgica também não correu bem, cifrando-se em apenas dois golos apontados em 18 jogos (cinco como titular).

Perante esse estado de coisas, nova mudança radical de ares no último Verão, desta feita para Israel, onde voltou novamente a fracassar no Hapoel Telavive (zero jogos) e Hapoel Petah-Tikva (três jogos).

É certo que, aos 22 anos, Etock ainda vai muito a tempo de dar a volta por cima e de cumprir com as elevadas expectativas que em tempos caíram sobre ele. Ainda assim, pelos sinais que se acumulam, parece que o camaronês terá mais condições de ser outro exemplo de como não saem apenas craques da “Fábrica”.

Read Full Post »

Benítez participou na goleada sofrida pelo FC Porto diante do Arsenal (0-4)

Benítez participou na goleada sofrida pelo FC Porto diante do Arsenal (0-4)

Encontrar um bom lateral-esquerdo é muitas vezes uma missão (quase) impossível, em virtude de escassearem os alvos de qualidade para essa posição no espectro do futebol mundial, sendo muito caros aqueles que naturalmente ainda existem no mercado. Perante este estado de coisas, torna-se então quase natural que os principais clubes portugueses tantas vezes se tenham “reforçado” com elementos que apenas se traduziram em prejuízos desportivos e financeiros, sendo um claro exemplo o argentino Nélson Benítez, futebolista que poucas saudades deixou no Dragão.

Sucesso no Lanús

Nelson Fabián Benítez nasceu a 24 de Maio de 1984 em Córdoba, Argentina, e iniciou a sua carreira profissional no Lanús, em 2002, tendo permanecido nesse clube até 2008, isto com uma interrupção de duas temporadas, quando esteve no Talleres de Córdoba (2004/05) e Gimnasia Jujuy (2005/06).

Ao todo, somou 67 jogos e três golos pelo Lanús, em números que pareciam curtos para o longo período em que esteve no emblema argentino, mas que foram suficientes para convencer o FC Porto, que avançou para a sua contratação no Verão de 2008.

Insucesso em Portugal

As expectativas sobre Nélson Benítez, aquando da sua chegada a Portugal, estavam longe de ser muito elevadas, e o argentino fez questão de não as defraudar, somando apenas 13 jogos oficiais pelos azuis-e-brancos e sem nunca convencer adeptos e crítica.

Sem qualquer surpresa, abandonou o FC Porto no Verão seguinte, acabando emprestado ao Leixões, ainda que a permanência em Matosinhos tenha sido bastante curta, uma vez que, em Outubro, acabou por rumar ao San Lorenzo, do seu país natal, também por empréstimo dos azuis-e-brancos.

Em 2011, porém, a sua ligação contratual ao FC Porto haveria de terminar, com Nélson Benítez a rumar ao Estudiantes de La Plata, que representou sem sucesso por dois anos, isto antes de rumar novamente ao Talleres de Córdoba e posteriormente ao Olímpia de Assunção. Neste momento, depois de curta e pouco marcante pelo clube paraguaio, Nélson Benítez encontra-se novamente no Talleres, clube que disputa, imagine-se, a terceira divisão argentina.

Read Full Post »

Possebon chegou a actuar na Premier League

Possebon chegou a actuar na Premier League

Rodrigo Possebon chegou ao Sporting de Braga em 2009/10 e com algum estatuto, uma vez que vinha cedido pelo poderoso Manchester United, clube pelo qual até se tinha estreado na Premier League. A verdade, contudo, é que o médio-centro que era visto como um reforço de peso para os “guerreiros” acabou por traduzir-se num gigantesco flop, limitando-se a fazer 34 minutos num duelo europeu de má memória diante dos suecos do Elfsborg (0-2).

Formado no Internacional

Rodrigo Pereira Possebon nasceu a 13 de Fevereiro de 1989 em Sapucaia, Brasil, e cresceu nas camadas jovens do Internacional de Porto Alegre, isto antes de ser monitorizado pelo Manchester United, que o recrutou no Verão de 2008.

Nos “red devils”, o jovem brasileiro conseguiu mesmo somar alguns jogos na equipa principal, acumulando três partidas na Premier League e outras cinco nas taças domésticas, isto sempre como suplente utilizado.

Insucesso absoluto em Braga

Ainda assim, aos 20 anos, entendeu-se em Old Trafford que o melhor para Rodrigo Possebon seria rodar num clube de menor exigência, surgindo assim a sua cedência ao Sporting de Braga em 2009/10.

Esse empréstimo, todavia, acabou por redundar num gigantesco fracasso, uma vez que o brasileiro apenas actuou num jogo, mais concretamente numa derrota dos arsenalistas na Suécia, diante do Elfsborg (0-2), num encontro em que entrou de início e saiu logo aos 34 minutos…

Continua sem se impor

Aliás, o (mau) impacto do brasileiro no Sporting de Braga foi tal, que o empréstimo de uma temporada até foi encurtado, tendo o médio-centro regressado ao Manchester United logo em Janeiro.

No Verão de 2010, contudo, Rodrigo Possebon haveria mesmo de abandonar os ingleses em definitivo, iniciando aí um périplo por inúmeros clubes como o Santos, Vicenza, Criciúma, Mirassol e Náutico, sempre sem se conseguir impor em nenhum e fazendo duvidar das capacidades do olheiro do Manchester United que, um dia, aprovou a sua contratação.

Ainda assim, há quem ainda pareça acreditar no jovem que também tem passaporte italiano e que até chegou a ser internacional sub-20 pelos transalpinos. Falamos do Al-Riffa, do Bahrein, que apostou recentemente na sua contratação.

Read Full Post »

Keirrison foi um flop no Benfica

Keirrison foi um flop no Benfica

O futebol mundial é pródigo em apresentar jovens talentos que prometem assumir-se como futuros craques internacionais, mas, na verdade, acabam por nunca passar da mediania, ainda que existam exemplos especialmente supreendentes como é o caso do ponta de lança Keirisson. Afinal, este brasileiro que chegou a estar vários anos vinculado ao Barcelona e ainda passou pelo Benfica e Fiorentina foi quase como que um meteorito no futebol mundial, acabando por desaparecer assim que a poeira do seu impacto inicial assentou.

Destacou-se no Coritiba

Keirrison de Souza Carneiro nasceu a 3 de Dezembro de 1988 em Dourados, Brasil, e começou a sua carreira profissional no Coritiba, clube onde se destacou como um verdadeiro “matador” ao marcar 21 golos em 2007 e 23 no ano seguinte

Em 2009, o ponta de lança brasileiro mudou-se para o Palmeiras, onde a sua veia goleadora continuou bem viva, ou não tivesse feito 23 golos em 35 jogos oficiais. Graças a esse desempenho, aliás, acabou por transferir-se em Julho do mesmo ano para o Barcelona, que pagou 14 milhões de euros pelo seu concurso.

Salto para a Europa foi um fracasso

Sem sequer vestir a camisola do Barcelona em jogos oficiais, Keirrison foi imediatamente emprestado ao Benfica, clube onde nunca conseguiu criar impacto, somando apenas sete jogos (zero golos) e saindo logo a meio da temporada de 2009/10, rumo à Fiorentina.

Em Florença, em plena Série A, mais um fracasso, com o atacante brasileiro a marcar apenas dois golos em 12 jogos e a não justificar a aposta da Fiorentina no seu empréstimo.

Regresso ao Brasil sem o retorno do sucesso

Continuando ligado contratualmente ao Barcelona, Keirisson regressou ao Brasil no Verão de 2010, e para representar o Santos, clube onde ainda conseguiu um desempenho aceitável, somando 10 golos em 31 jogos.

Seguiu-se o Cruzeiro (2011) e o Coritiba, que representa até aos dias de hoje, sendo que o atacante jamais conseguiu voltar a apresentar o desempenho que, em tempos, fez o gigante Barcelona apostar forte na sua contratação.

Aliás, em 2014, quando terminado o vínculo contratual de Keirisson com o Barça, foi com naturalidade que os catalães não fizeram qualquer questão numa possível renovação, convictos que estavam de que o brasileiro jamais poderia cumprir com as elevadas expectativas que criou na génese da carreira.


Read Full Post »

Torsiglieri não vingou em Alvalade

Torsiglieri não vingou em Alvalade

Diz-se que no defeso de Verão de 2010, enquanto equacionava a contratação de um defesa-central, o Sporting encontrava-se dividido entre dois futebolistas, sendo um deles a jovem promessa argentina: Marco Torsiglieri, que acabaria por ser contratado por 3,4 milhões de euros, e a outra um internacional marroquino que militava na segunda divisão francesa e que podia chegar a custo zero. Colocando-nos nesse momento específico, até conseguimos compreender a decisão da SAD leonina, mas, agora, em 2015, percebemos como o menor estatuto de actuar numa segunda divisão pode ser muito enganador, uma vez que o africano supra-citado chamava-se Mehdi Benatia e é agora jogador do poderoso Bayern de Munique…

Produto do Velez Sarsfield

Marco Natanel Torsiglieri nasceu a 12 de Janeiro de 1988 em Castelar, Argentina, sendo um produto das escolas do Velez Sarsfield, emblema onde, ao nível da equipa sénior, somou 34 jogos (um golo) entre 2006 e 2009, isto contabilizando ainda um empréstimo pelo meio, ao Talleres de Córdoba (2007/08).

Aos 22 anos, assumindo-se então como um dos mais promissores defesas-centrais argentinos, acaba por transferir-se para a Europa e para o Sporting, clube onde somou 23 jogos oficiais, mas nunca conseguiu confirmar as altas expectativas que lhe eram atribuídas e que terão levado os leões a escolherem-no em detrimento de Mehdi Benatia.

De Portugal para a Ucrânia

Se não conseguiu impor-se no Sporting, o mesmo cenário acabou por suceder na Ucrânia, paragem seguinte do argentino, que haveria de somar 56 jogos pelo Metalist entre 2011/12 e 2014/15.

Pelo meio, esteve ainda emprestado por uma temporada ao Almería (2013/14), embora aí se tenha assumido claramente como uma mais-valia, tendo somado 28 jogos (um golo) e sido peça importantíssima na manutenção na primeira divisão espanhola.

Neste momento, continuando sem grande espaço no Metalist, encontra-se cedido ao Boca Juniors, do seu país natal, somando 16 jogos desde o começo do ano.

Read Full Post »

Valeri não se impôs no FC Porto

Valeri não se impôs no FC Porto

Valeri chegou ao FC Porto em 2009/10, então por empréstimo do Lanús, esperando-se que pudesse oferecer alguma qualidade extra ao miolo de uma equipa portista que procurava a conquista do pentacampeonato nacional, mas que acabaria relegada para a terceira posição, atrás de Benfica (1.º) e Sp. Braga (2.º). Quanto ao médio-centro argentino, esse jamais conseguiu convencer adeptos e especialistas, terminando esse empréstimo sem que a SAD do FC Porto sequer ponderasse accionar a cláusula de opção de compra.

Produto das escolas do Lanús

Diego Hernán Váleri nasceu a 1 de Maio de 1986 em Lanús, Argentina, tendo iniciado a sua carreira precisamente no clube da sua cidade natal, o Club Atlético Lanús, onde actuou ao nível sénior entre 2003 e 2013, somando um total de 188 jogos e 27 golos.

Pelo meio, contudo, esteve emprestado a alguns clubes como o FC Porto (2009/10) e o Almería (2010), sendo que a passagem pelo clube português acabou por ficar muito longe de corresponder às expectativas, uma vez que o argentino somou apenas nove jogos como titular (dois na Liga), sendo ainda de destacar mais 14 jogos como suplente utilizado.

Vai brilhando na MLS

Com pouco sucesso na Europa, onde também passou incógnito pelo Alméria, tem sido do outro lado do Atlântico que Valeri tem feito grande parte da sua carreira, ainda que, nos últimos dois anos, seja nos Estados Unidos da América que vai brilhando.

Afinal, ao serviço do Portland Timbers, da Major League Soccer, o internacional argentino soma 77 jogos e 25 golos, tendo inclusivamente ganho inúmeros prémios individuais, como o estreante do ano da MLS (2013) e jogador preferido dos adeptos do Portland Timbers (2014); sendo ainda de destacar a sua presença no encontro all-star da Liga norte-americana de 2014.

Read Full Post »

Felipe Menezes com Rui Costa na apresentação no Benfica

Felipe Menezes na apresentação no Benfica

Ao mesmo tempo em que chegava o treinador Jorge Jesus ao Benfica, na temporada 2009/10, foi igualmente contratado um médio-ofensivo brasileiro de quem se dizia ser muito talentoso e que era oriundo do Goiás. Recrutado para crescer na sombra do craque argentino Pablo Aimar, a verdade é que Felipe Menezes acabou por não confirmar as elevadas expectativas nele depositadas, abandonando então a Luz, dois anos depois, e sem deixar grandes saudades à família benfiquista.

Despontou no Goiás

Felipe Menezes Jácomo nasceu a 20 de Janeiro de 1988 em Goiânia, Brasil, tendo começado a sua carreira no Goiás, clube que representou profissionalmente entre 2007 e 2009, somando um total de 72 jogos e oito golos.

No rescaldo desse bom desempenho, acabou por dar o salto para o Benfica, clube português que representou entre as temporadas 2009/10 e 2010/11, num espectro de crescimento na sombra de Pablo Aimar.

Sem impacto na Luz

A verdade, contudo, é que Felipe Menezes não conseguiu confirmar na Luz o talento suficiente para merecer uma longa estadia nos encarnados, acabando por abandonar o Benfica no Verão de 2011, isto depois de somar 30 jogos (11 como titular) e dois golos.

Posteriormente, representou o Botafogo (entre 2011 e 2012); Sport Recife (entre 2012 e 2013); e Palmeiras (entre 2013 e 2014), sempre com utilização mais ao menos intermitente, tendo acabado por regressar este ano ao seu ponto de partida, mais concretamente o Goiás, onde, aliás, regressou ao seu mais alto nível, somando já 26 jogos e oito golos em 2015.

Read Full Post »

Older Posts »