Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Rescaldo Europeu 2009/10’ Category

Costuma-se dizer que sempre que os treinadores portugueses inventam numa deslocação ao estrangeiro dão-se mal. Ontem, Jesus quis fazer alterações ao esquema defensivo das águias e a sorte voltou a não sorrir a uma equipa lusa.

Jesus optou por um esquema defensivo com David Luiz sobre a esquerda, Amorim sobre a direita, deixando o centro a Luisão e Sidnei. Júlio César foi a habitual escolha (em jogos europeus) para a baliza.

Curiosamente, tendo em conta o resultado final, o Benfica até entrou muito bem. Trocando a bola no meio campo inglês e, até, parecendo que o Liverpool estava totalmente manietado pelos encarnados. Puro engano.

Aos 27 minutos, num lance em que Júlio César demonstrou inexperiência extrema, Kuyt, na sequência de um canto, fez, de cabeça, o primeiro golo para os “reds”.

A partir daqui o Liverpool ficou em vantagem na eliminatória e passou, também, a controlar o jogo. Assim sendo, sete minutos depois, num lance rápido de contra-ataque, Lucas apareceu isolado perante o guarda-redes encarnado, contornou-o e fez, sem dificuldades, o 2-0.

O intervalo chegou e pensou-se que podia fazer bem ao Benfica, todavia, o início da segunda metade não trouxe grandes melhorias. As águias continuavam pouco objectivas e percebia-se que o Liverpool tinha o jogo totalmente controlado. Depois, aos 59 minutos, para piorar o panorama do jogo, Torres concluiu uma bonita jogada de contra-ataque e fez o 3-0, um resultado que deixava o jogo muito complicado para o Benfica.

Ainda assim, os encarnados reagiram e, dez minutos depois, Cardozo, num livre directo reduziu para 3-1, deixando a qualificação dos encarnados dependente de um segundo golo. Esse tento até podia ter surgido, novamente por Cardozo e novamente na transformação de um livre directo, todavia, a bola passou ligeiramente ao lado da baliza de Reina.

Foi, porém, o canto do cisne dos encarnados. Torres fez, aos 82 minutos, o quarto golo dos “reds” e acabou com o jogo, que se arrastou (de forma penosa para os benfiquistas) até final.

No cômputo geral, tratou-se de uma vitória justa do Liverpool, que foi extremamente eficaz, diante de um Benfica que esteve vários furos abaixo do que sabe fazer. Boa arbitragem.

Anúncios

Read Full Post »

Cardozo festeja um dos seus golos

O Benfica recebeu, na passada quinta-feira, o Liverpool num jogo referente aos quartos de final da Liga Europa. Tratava-se de um encontro que os encarnados pretendiam vencer, de preferência sem sofrer golos, para puderem encarar a segunda mão com alguma tranquilidade.

Tirando a lesão de um dos jogadores mais influentes das águias (Saviola), tudo parecia correr de feição ao Benfica. Estádio cheio, bela série de vitórias (algumas em jogos muito difíceis como com o Marselha, FC Porto e Sp. Braga) e um plantel quase na máxima força. Todavia, do outro lado estava o Liverpool, um dos maiores clubes do mundo e treinado por uma raposa: Rafa Benitez.

O encontro iniciou-se com um Liverpool surpreendentemente ofensivo e, quanto a mim, isso surpreendeu o Benfica e o próprio Jorge Jesus. Nesse seguimento, os “reds” aproveitaram um erro primário da defesa encarnada para, na sequência de um livre, fazerem o 0-1 por Agger.

A partir daqui e até ao intervalo, a equipa de Fernando Torres passou a jogar, naturalmente, na expectativa, situação que ainda se tornou mais notória após a expulsão de Babel à passagem da meia hora. Nesse período do jogo, Cardozo teve excelentes oportunidades para marcar, todavia, desinspirado, falhou todas para desespero dos benfiquistas.

Após o intervalo, o Benfica teve o condão de ser paciente e nunca se lançar deliberadamente na ofensiva, o que lhe podia custar um ou outro golo do Liverpool em contra-ataque. Assim sendo, e já depois de Cardozo ter falhado mais um golo certo na pequena área, o Benfica iria chegar ao tento, na sequência de uma grande penalidade transformada pelo paraguaio.

Contudo, com o passar dos minutos, os encarnados foram perdendo gás e Torres até podia ter feito o 1-2, porém, isolado diante de Julio César, falhou o que raramente falha e o perigo passou para os encarnados.

Ainda assim, o Benfica ainda iria conseguir fazer o segundo golo, na sequência de mais um penalti claro e transformado novamente pelo “Tacuara” que se redimiu, assim, de bola parada, dos golos que falhou em jogo corrido.

Uma dezena de minutos depois, terminava a partida com vitória escassa, mas justa do Benfica que, na próxima quinta-feira, terá de ser muito competente e fazer um grande jogo para passar este difícil obstáculo e chegar às meias finais da Liga Europa.

Read Full Post »

Um golo de Kardec, mesmo sobre o minuto 90, valeu ao Benfica uma merecedíssima passagem aos quartos de final da Liga Europa. A equipa encarnada venceu o Marselha por duas bolas a uma e o resultado até se pode considerar lisonjeiro para os franceses; Infelizmente, em Alvalade, os leões não foram além da igualdade a duas bolas e acabaram eliminados pelo facto de os “colchoneros” terem feito dois golos em Lisboa. Agüero, com dois golos, foi o “nemesis” da equipa verde e branca.

Marselha 1-2 Benfica

Os franceses pareceram surpreendidos pela intensidade com que os encarnados entraram no Vélodrome e, rapidamente, cederam as despesas do jogo ao Benfica, procurando fazer um golo em contra-ataque. Todavia, as águias estiveram muito seguras em termos defensivos e só o desacerto na finalização impediu que o Benfica chegasse ao intervalo a vencer.

Na segunda metade, o encontro manteve a mesma toada, contudo, Niang, aos 70 minutos e completamente contra a corrente do jogo, aproveitou um erro da defensiva encarnada e colocou os franceses em vantagem. Ainda assim, quando se pensava que o Benfica poderia acusar o golo, isso não aconteceu e Maxi Pereira num remate de longe (75′) e Alan Kardec (90′) fizeram os golos que carimbaram a justíssima passagem do Benfica à próxima fase da Liga Europa.

Sporting 2-2 Atl. Madrid

O Sporting entrou muito mal no jogo e, logo a abrir, Agüero aproveitou um bom cruzamento do flanco esquerdo para inaugurar o marcador. Os leões, depois, demoraram a reagir, mas Liedson haveria de empatar a partida ao minuto 19. Contudo, a equipa leonina acusava muito as ausências de Grimi e Carriço na defesa e Agüero haveria de voltar a colocar os “colchoneros” em vantagem após excelente jogada individual. Ainda assim, em cima do intervalo, Polga empatou na sequência de um livre e devolveu a esperança aos adeptos leoninos.

Na segunda parte, o Sporting tentou muito chegar à vantagem, mas faltaram soluções no ataque (Izmailov fez muita falta) e frescura física para se atingir outro resultado. Assim sendo, o encontro terminou mesmo empatado a dois, acabando o Sporting por ser eliminado na regra dos golos fora.

Na próxima ronda, o Benfica irá defrontar os ingleses do Liverpool. Um duelo emocionante entre dois ex-campeões da europa.

Read Full Post »

O golo de Ben Arfa, mesmo no final do encontro: Benfica-Marselha e que deu a igualdade (1-1) aos franceses destruiu a possibilidade do futebol português ter tido uma jornada europeia quase perfeita. Ainda assim, este resultado aliado ao excelente empate que o Sporting conseguiu no Vicente Calderon, a zero, com o Atlético de Madrid, permite aos portugueses continuarem a sonhar com duas equipas lusas nos quartos de final da Liga Europa.

Benfica 1-1 Marselha

Foi um Benfica diferente do habitual aquele que vimos ontem no Estádio da Luz. Pouco imaginativos e a cairem várias vezes na teia táctica montada por Deschamps, os encarnados até podem agradecer alguns falhanços do Marselha para chegarem ao intervalo com uma igualdade.

Todavia, na segunda parte, principalmente após a saída do apagadíssimo Aimar, o Benfica melhorou e acabou por chegar à vantagem, de forma feliz, por Maxi Pereira. Faltavam quinze minutos e parecia que a vitória não iria fugir até porque, dez minutos depois, Ramires acertou na trave, dando a falsa ideia das águias estarem mais perto do segundo golo.

Infelizmente, ao cair do pano, Bonnart ganhou a linha e cruzou para o empate de Ben Arfa. Agora é preciso ganhar ou empatar por mais de um golo no Vélodrome. Difícil, mas não impossível.

Atlético de Madrid 0-0 Sporting

No Vicente Calderon, diante de um adversário com excelentes individualidades, mas com um colectivo fraco, o Sporting arrancou um bom resultado (0-0) que se torna excelente quando se joga 60 minutos com menos uma unidade.

Os leões entraram bem no jogo e, até à expulsão de Grimi, davam a ideia de até poderem vencer o desafio. Nessa fase, destaque para um remate em jeito de Liedson que bateu na trave da baliza de De Gea e que, pela excelência do gesto técnico, merecia golo.

No entanto, após a expulsão do argentino, o Sporting teve de recuar e ser uma equipa solidária para garantir um resultado positivo. Aí, há que destacar abnegação de todos os atletas e, especialmente, de Anderson Polga, Abel e Pedro Mendes que fizeram, todos eles, exibições a roçarem a perfeição. Tonel ainda foi expulso, de forma exagerada, pelo árbitro, mas já faltavam poucos minutos e o Sporting facilmente segurou a igualdade até ao apito final.

Agora, em Alvalade, basta vencer os madrilenos. Esperemos, sinceramente, que os verde e brancos não falhem e garantam a qualificação para os quartos de final da Liga Europa.

A segunda mão, joga-se na próxima quinta feira, sendo que o Benfica actua às 18hoo no Vélodrome e o Sporting recebe o Atl. Madrid, em casa, às 20h05.

 

Read Full Post »