Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Rescaldo Nacional 2009/10’ Category

O Benfica recebe a Taça de campeão nacional

O Sport Lisboa e Benfica conquistou o trigésimo segundo campeonato da sua história, após vencer o Rio Ave, no Estádio da Luz, por duas bolas a uma. Numa noite feliz para os encarnados, Cardozo fez os dois golos dos encarnados e ultrapassou Falcao, sagrando-se o melhor marcador da Liga Sagres com 26 golos. Tratou-se de um título que assenta bem à equipa mais regular durante a época e bastante valorizado pela excelente campanha do segundo classificado: Sp. Braga; Assim sendo, sem golpe de teatro na questão do título, a surpresa veio do Estádio Afonso Henriques, onde o Vitória foi batido pelo Marítimo (1-2), perdendo o acesso à Liga Europa para os maritimistas… 

 

Benfica 2-1 Rio Ave 

Podia-se esperar que o Benfica entrasse com algum nervoso miudinho neste desafio, mas tudo se facilitou nos primeiros dez minutos. Nesse período, Cardozo aproveitou uma fífia de Gaspar para fazer o 1-0 e Wires acabou expulso por entrada dura sobre Ramires. A partir desse momento, pensou-se que o Benfica iria ganhar com facilidade e que a única questão que se manteria era se Cardozo conseguia ser o melhor marcador. 

Contudo, o Benfica mostrou que, em termos físicos, está muitos furos abaixo de outras alturas da época e não foi capaz de criar grande volume ofensivo perante um bem organizado Rio Ave. Ainda assim, os benfiquistas, que apenas precisavam de um empate, mantiveram-se tranquilos até aos 72 minutos, quando Ricardo Chaves, na sequência de um livre directo, fez o 1-1 e colocou os encarnados à beira de um balde de água fria. 

Com o Nacional-Braga empatado, os benfiquistas temeram a possibilidade de um final trágico que passaria pelo segundo golo de bracarenses e vilacondenses, todavia, nada disso aconteceu, pois apenas seis minutos depois do golo do Rio Ave, Cardozo aproveitou um ressalto e fez o 2-1. Um tento que além de garantir o título das águias, garantia o título de melhor marcador ao atacante paraguaio. 

Já com as bancadas em festa, o jogo terminou pouco depois, permitindo aos adeptos do Sport Lisboa e Benfica festejarem um título que lhes fugia desde 2005. Um título, que foi o fruto do trabalho de um excelente plantel e de alguém que potenciou como ninguém a equipa encarnada: Jorge Jesus. 

Nacional 1-1 Braga 

No Estádio da Madeira, a tarefa do Sp. Braga era hercúlea. A equipa bracarense tinha de vencer o Nacional e esperar por um desaire encarnado, na Luz, diante do Rio Ave. Além disso, pareceu que o Sp. Braga sentiu bastante a pressão do momento e notou-se uma anormal intranquilidade no seio arsenalista, situação que explica as várias oportunidades que desperdiçou no primeiro tempo. 

Se a situação já parecia, por si só, difícil, tornou-se ainda pior com o golo de Edgar Silva, aos 50 minutos. Ainda assim, o Braga não baixou os braços e, sete minutos depois, Rentería aproveitou um passe de Hugo Viana para empatar a partida e dar alguma esperança aos bracarenses. 

Contudo, após o segundo golo do Benfica, os arsenalistas perceberam que o título seria tarefa impossível, baixaram ligeiramente os braços e, assim, o resultado não sofreu mais alterações. Este 1-1  por ser azedo também para o Nacional, que, se tivesse vencido, teria-se qualificado para a Liga Europa 2010/11. 

U. Leiria 1-4 FC Porto 

Este jogo conteve duas histórias distintas. A primeira durou uma hora em que o Leiria marcou um golo por Cássio (23′) e controlou totalmente o desafio; A segunda durou trinta minutos, em que os dragões puxaram dos galões e dominaram totalmente o encontro, acabando por vencer por 4-1, graças a dois golos de Falcao, um de Guarín e um de Rodríguez. Este resultado permitiu aos portistas despedirem-se de forma algo feliz de uma época triste e os dois golos de Falcao permitiram-lhe ter esperança em ser o melhor marcador do campeonato. Infelizmente para o colombiano, no dia seguinte, Cardozo destruiu-lhe esse sonho. 

Leixões 1-2 Sporting 

Em Matosinhos defrontaram-se duas equipas que tiveram uma época para esquecer e o jogo foi a imagem da época de ambas. Num duelo desinteressante e mal jogado, acabou por vencer a equipa leonina, que beneficiou dos golos de Miguel Veloso (16′) e Pedro Silva (55′), diante de um Leixões que apenas fez um golo por João Paulo (82′). Um desafio que apenas serviu para leixonenses e leões colocarem um ponto final numa época para esquecer. 

V. Guimarães 1-2 Marítimo 

O Vitória entrou para este jogo a saber que lhe bastava empatar para se qualificar para a Liga Europa da próxima temporada e tudo pareceu ainda mais fácil quando Valdomiro, na sequência de um livre de Teles, fez, aos 15 minutos, o 1-0 para o Guimarães. No entanto, os vimarenenses falharam o golo da tranquilidade e, em cima do intervalo, Kléber fez o 1-1 que abalou a confiança da equipa local. 

Apercebendo-se desse factor, os pupilos de Van der Gaag foram jogando com o nervosismo vimarenense e, aos 80 minutos, num lance rápido, Kléber bisou e colocou os maritimistas em vantagem. 

Com o empate no Nacional-Sp. Braga, bastava aos madeirenses segurarem a vantagem, situação que foi alcançada, mesmo terminando com Paulo Jorge na baliza devido à expulsão de Peçanha. Uma vitória que colocou o Marítimo no quinto lugar e lhes garantiu a qualificação para a Liga Europa 2010/11. 

 

Os restantes três jogos apenas serviram para definir algumas posições na tabela e tinham pouco interesse. Em Setúbal, o Belenenses venceu a equipa local (2-1) e subiu ao penúltimo lugar; Na Figueira da Foz, a Académica venceu a Naval (1-0) e garantiu o 11º posto; Por fim, Paços de Ferreira e Olhanense despediram-se da Liga Sagres com um empate a duas bolas num bom jogo de futebol. 

  

Read Full Post »

Belluschi festeja o seu grande golo

Afinal ainda não foi desta que houve campeão na Liga Sagres. O Benfica, que apenas precisava de um ponto no Estádio do Dragão, acabou por sair derrotado por três bolas a uma, num encontro em que não foi capaz de aproveitar a superioridade numérica de que dispôs durante grande parte do desafio. Assim sendo, o Sp. Braga, que venceu o Paços de Ferreira (1-0), garantiu o acesso à Liga dos Campeões e, também, a possibilidade de lutar pelo título até à última jornada.

 

FC Porto 3-1 Benfica

A equipa encarnada sabia que um empate era suficiente para se sagrar campeão nacional, mas até entrou ao ataque no desafio. As águias até tiveram algumas oportunidades como um remate de Di Maria, à trave, todavia, não souberam concretizar, acabando punidas, em cima do intervalo, por um excelente golo de cabeça de Bruno Alves.

Na segunda metade, o FC Porto entrou melhor, mas pensou-se que o jogo pudesse pender para os encarnados após a expulsão de Fucile (51′), por pretensa simulação de penalti. De facto, as águias empatariam pouco depois, num lance de insistência de Luisão e pensou-se que, contra dez, o título já não lhes fugiria.

Puro engano, os azuis e brancos encheram-se de brio e, até final do desafio, não deram hipóteses aos encarnados. Farías (59′) e Belluschi (83′), marcaram dois tentos e colocaram o resultado final em três a um para os portistas. Um resultado, que, ainda assim, não deixou os portistas totalmente satisfeitos, pois a vitória bracarense significou o adeus definitivo à “Champions”.

Por outro lado, os benfiquistas precisam de um empate, na última jornada, em casa, diante do Rio Ave, para se sagrarem campeões nacionais.

Sp. Braga 1-0 P. Ferreira

Sentiram a pressão os bracarenses e fizeram, provavelmente, um dos jogos mais fracos da época. A equipa apresentou-se muito nervosa e encontrou no Paços, um adversário que lhes complicou bastante a vida. Ainda assim, os bracarenses foram sempre mais perigosos e acabaram por chegar à vitória, por Meyong (54′), após um deslize de Coelho, que não conseguiu agarrar uma bola muito fácil. Este resultado garantiu ao Sp. Braga, a festa do primeiro acesso à Liga dos Campeões e a possibilidade de lutar pelo título até à última jornada.

Sporting 0-1 Naval

Já vimos este filme diversas vezes. Quando pensamos que o Sporting está impossibilitado de descer mais baixo, logo os leões se apressam a surpreender-nos. Em Alvalade, perante um estádio quase vazio e perante um adversário tranquilo, os leões fizeram mais um jogo fraco e sem alma, acabando por conseguirem a proeza de perderem o desafio perante uma Naval que, apesar de bem, só defendeu. O golo acabou por surgir na segunda parte, por Fábio Júnior (63′), numa bonita jogada de contra-ataque.

Apesar de tudo, os verde e brancos garantiram o quarto lugar, pois o seu concorrente directo (V. Guimarães) não passou do empate em Vila do Conde (0-0).

Rio Ave 0-0 V. Guimarães

O V. Guimarães apresentou-se em Vila do Conde com vontade de garantir, de uma vez por todas, o acesso à Liga Europa. Todavia, teve muitas dificuldades, pois encontrou um Rio Ave muito organizado no seu sector defensivo e que tentava sair para o contra-ataque sempre que possível. Ainda assim, foi um jogo com poucas oportunidades de golo e que acabaria com uma igualdade a zero bolas. Um resultado, que acabou com o sonho vimarenense de chegar ao quarto lugar e os obriga a empatar, na última jornada, em casa, diante do Marítimo, para garantirem o quinto.

Olhanense 1-0 Leixões

Em Olhão, só a vitória interessava ao Leixões para continuar a sonhar com a manutenção. Perante um adversário a quem bastava o empate, a equipa de Matosinhos procurou mais o golo e a vitória, mas acabou punida, perto do fim do desafio, por um golo de Djalmir (87′). Este resultado significou o regresso do Leixões à Liga Vitalis.

 

Nos outros desafios, as equipas madeirenses tiveram sortes diferentes, pois o Marítimo venceu o V. Setúbal (2-0) e o Nacional empatou em Coimbra, diante da Académica (3-3). Apesar de tudo, ambos podem chegar à Liga Europa. O Nacional precisa de vencer o Sp. Braga e rezar por uma vitória maritimista em Guimarães, enquanto ao Marítimo resta vencer o Vitória e torcer para que o Nacional não vença os bracarenses; Por fim, no Restelo, o condenado Belenenses despediu-se dos associados de forma digna, esmagando o Leiria (5-2).

Read Full Post »

Depois da vitória do Benfica diante do Olhanense por cinco bolas a zero, os encarnados esperavam um deslize dos bracarenses para se sagrarem campeões a duas jornadas do fim. Todavia, o Sp. Braga continua a fazer um campeonato excepcional e, na Figueira da Foz, apoiado por cerca de 7000 adeptos arsenalistas, goleou a Naval por quatro bolas a zero, mantendo, assim, o sonho do título por, pelo menos, mais uma jornada.

  

Benfica 5-0 Olhanense

Teve pouca história o duelo entre águias e algarvios. Aos 18 minutos, com o Benfica a ganhar 2-0 (golos de Cardozo e Di Maria) e Delson expulso na Olhanense, percebia-se que a dúvida sobre o vencedor havia terminado. Assim sendo, restava saber qual seria dimensão da vitória encarnada, até porque este Benfica de Jorge Jesus não costuma tirar o pé do acelerador.

Marcariam mais três tentos as águias (dois golos de Cardozo e um de Pablo Aimar), encerrando o resultado num 5-0 final. Uma vitória justa e incontestável, diante de um adversário, que, em inferioridade numérica desde muito cedo, pouco pode fazer para contrariar a superioridade encarnada.

Com esta vitória, as águias estão a apenas um ponto do título e podem ser campeãs em pleno Estádio do Dragão.

Naval 0-4 Sp. Braga

A épica história dos arsenalistas conheceu mais uma bonita página, este domingo, na Figueira da Foz. Diante da Naval, com cerca de 7000 adeptos bracarenses nas bancadas, o Sp. Braga fez uma magnifica exibição, dominando o jogo do princípio ao fim e colorindo o marcador com golos de Luís Aguiar (2), Matheus e Paulão. Com esta vitória por 4-0, os bracarenses mantêm o sonho do título, ainda que ténue (precisam de vencer os dois últimos jogos e o Benfica perder os seus…), mas estão a apenas dois pontos de assegurarem uma inédita presença na Liga dos Campeões.

V. Setúbal 2-5 FC Porto

A equipa portista atravessa o melhor momento da temporada e, desta feita, coube ao aflito Vitória de Setúbal pagar a factura. Os dragões entraram muito fortes e, ao intervalo, já venciam por 2-0 com golos de Falcao e Maicon.

Na segunda metade, os sadinos, a lutarem pela manutenção, ainda reduziram por Henrique, mas rapidamente Guarín e Belluschi colocaram o resultado num incontestável 1-4 para os dragões.

Até final, ainda assistiríamos a mais dois golos, um para cada lado. Primeiro bisou Henrique e depois bisou Falcao, terminando o jogo com uma vitória expressiva, mas justa dos portistas por cinco bolas a duas. Com este resultado o FC Porto continua a sonhar com o segundo lugar e os sadinos continuam sem assegurar a manutenção.

U. Leiria 1-1 Sporting

Os leões desperdiçaram ontem, no Magalhães Pessoa, golos que dariam para ganhar pelo menos dois jogos e acabaram por sair penalizados com um empate que pode adiar a conquista do quarto lugar por mais uma jornada.

O Sporting entrou muito forte e, na primeira parte, dominou totalmente o jogo, marcando um golo por Liedson e falhando um mão cheia de oportunidades. Depois, na segunda metade, os verde e brancos voltaram a sofrer um golo de bola parada, por Cássio, e viram Djuricic, com um punhado de excelentes intervenções, evitar o segundo golo leonino.

Assim sendo, os leões acabaram por empatar a uma bola. Este resultado, caso o V. Guimarães vença hoje o Belenenses, obriga o Sporting a fazer mais um ponto nas duas últimas jornadas para garantir o quarto posto.

Restante jornada

Nos outros jogos, destaque para a vitória da Académica em Matosinhos (3-1), que garantiu a manutenção da briosa e praticamente condenou o Leixões à descida; Depois, na Choupana, o Nacional não foi além de um empate com o P. Ferreira (1-1). Este resultado compromete os sonhos europeus de madeirenses e pacenses; Por outro lado, em Vila do Conde, o Marítimo também se deve ter despedido da Europa, após empatar sem golos diante do Rio Ave; A jornada termina hoje com o V. Guimarães-Belenenses, um desafio que, se os azuis não vencerem, vai significar a sua descida à Liga Vitalis.

Read Full Post »

Sem brilhar mas com uma exibição personalizada, os encarnados venceram, em Coimbra, a Académica (3-2) e, a três jornadas do fim, colocaram o título à distância de quatro pontos. Por outro lado, apesar do título ser uma miragem, o Braga continua a fazer um excelente campeonato e, desta feita, recebeu e venceu o Leixões por três bolas a uma. Os arsenalistas, assim, mantêm o segundo lugar bem seguro, pois têm mais cinco pontos que o FC Porto (3º).

 

Académica 2-3 Benfica

As águias entraram praticamente a ganhar, pois, logo aos dois minutos, Weldon colocou os encarnados em vantagem. Com o golo madrugador, o Benfica parecia ter o jogo perfeitamente controlado, mas, em cima da meia hora, a Académica empatou a partida e colocou um ponto de interrogação no destino do desafio.

No entanto, o Benfica, esta época, tem sido uma equipa bastante personalizada e voltou a demonstrá-lo. Ainda antes do intervalo, os encarnados conseguiriam fazer o segundo golo, novamente por Weldon e chegaram ao descanso em vantagem.

Na segunda parte, o Benfica soube controlar o jogo e, aos 80 minutos, após excelente inciativa individual de Di Maria, ampliou a vantagem por Rúben Amorim. Se ainda restavam dúvidas sobre o vencedor, o 3-1 dissipou-as na totalidade e nem o golo de Tiero, que reduziu a diferença a dois minutos do final, conseguiu reanimar o desafio.

 A partida terminou logo a seguir com uma vitória justa dos encarnados que estão a apenas quatro pontos do título nacional.

Sp. Braga 3-1 Leixões

Os arsenalistas venceram sem dificuldade um Leixões que pouco fez por merecer algo mais que esta derrota. Desde cedo se percebeu que iria ser um jogo de sentido único e, na primeira parte, o jogo resumiu-se ao Braga a atacar, o Leixões a defender e dois golos de Alan. Como tal, os bracarenses chegaram ao intervalo a vencer, com toda a justiça, por 2-0.

Na segunda parte, o Leixões ainda reduziu, aos 56 minutos, por Pouga e pensou-se que se pudesse revelar uma equipa mais atrevida nesse período. Todavia, isso não aconteceu e continuou a ser o Sp. Braga a equipa mais perigosa sobre o terreno de jogo. Assim sendo, foi sem surpresa que, a cinco minutos do fim, Moisés fez o 3-1 final e garantiu definitivamente os três pontos para os arsenalistas.

Com esta vitória, o Braga mantém-se a seis pontos do líder Benfica e mantém o segundo lugar seguro, pois tem cinco pontos de vantagem sobre o FC Porto.

FC Porto 3-0 V. Guimarães

Não foi um grande jogo dos portistas, contudo, quando se ganha por três bolas a zero, pouco há a questionar em relação à justiça do vencedor. Os dragões entraram de forma lenta no desafio, mas chegaram ao golo, aos 27 minutos, quase sem querer, por Hulk. A partir daqui, a história do encontro limitou-se a mais dois golos (Guarín e Falcao) e a uma vitória relativamente fácil do FC Porto.

Matemáticamente afastados do título, os portistas, com este triunfo, mantêm o sonho da “Champions” vivo, apesar de os cinco pontos que os separam dos bracarenses, parecerem, a três jornadas do fim, um caminho demasiado grande para percorrer.

Sporting 2-1 V. Setúbal

O Sporting não terá, jogo após jogo, tarefa fácil na motivação dos seus atletas. A equipa tem um treinador a prazo e, como único objectivo, a manutenção do quarto lugar. Assim sendo, foi sem surpresa que os leões entraram algo amorfos no jogo com o aflito V. Setúbal, temendo-se mesmo o pior quando os sadinos abriram o activo por Collin (11′).

Os leões chegaram mesmo ao intervalo a perder, mas, na segunda parte, mesmo sem fazerem um grande jogo, aproveitaram o excessivo recuo no terreno dos pupilos de Manuel Fernandes para darem a volta ao marcador com golos de Moutinho e Postiga. Com o 2-1 no marcador, os verde e brancos seguraram a vantagem até final sem grandes sobressaltos e conquistaram um triunfo que lhes garante, praticamente, o quarto lugar, pois o Guimarães está, agora, a sete pontos.

 

Nos outros jogos, destaque para as vitórias de Nacional (2-0 ao Leiria na Choupana) e Marítimo (2-1, fora, diante do Olhanense). Com estas vitórias, aliadas ao desaire do V. Guimarães, as equipas madeirenses podem sonhar com o acesso à Liga Europa, pois os vimarenenses estão à curta distância de um ponto (no caso do Nacional) e três pontos (no caso do Marítimo); Por outro lado, no Restelo, o Belenenses empatou com o Rio Ave (0-0) e apenas falta a confirmação matemática para a mais que provável descida azul; Por fim, num jogo entre equipas tranquilas, a Naval foi a P. Ferreira ganhar por três bolas a uma. 

Read Full Post »

Duas vitórias e um empate é tudo o que falta ao Sport Lisboa e Benfica para se sagrar campeão (09/10) após a vitória de ontem diante do Sporting, seu rival de sempre, por duas bolas a zero. Cardozo e Aimar fizeram os golos que colocaram, assim, os encarnados a um pequeno passo do título. Por outro lado, o Sporting de Braga continua a fazer tudo o que está ao seu alcance para continuar a sonhar com a conquista da Liga Sagres e, desta vez, foi a Leiria vencer por 2-1, mantendo-se a seis pontos do Benfica.

 

Benfica 2-0 Sporting

Este desafio tem de ser contado em duas partes. Na primeira, o Sporting controlou o jogo e chegou mesmo a ter o Benfica à sua mercê, todavia, faltou-lhe um pouco de atrevimento para aproveitar o nervosismo encarnado. Nesse período, o Benfica não conseguiu contrariar a superioridade leonina a meio campo e, à saída para o intervalo, os adeptos encarnados estavam visivelmente preocupados.

Contudo, na segunda parte, o Benfica beneficiou de dois factores. Primeiro, da substituição de Éder Luís (uma nulidade) por Aimar e, depois, do critério largo de João Ferreira, que perdoou a expulsão a Luisão após uma entrada duríssima sobre Liedson. No segundo tempo, com o passar dos minutos, o Benfica foi se superiorizando ao Sporting e, aos 68, Cardozo fez o 1-0 para os encarnados. Após esse golo, os leões desapareceram do jogo e foi com naturalidade que as águias fizeram o segundo golo, matando definitivamente o desafio.

Com este resultado, os encarnados têm agora o título à distância de sete pontos e podem encarar os jogos que lhes restam com relativa tranquilidade.

U. Leiria 1-2 Braga

Os bracarenses deslocaram-se a Leiria em força (quase 8000 adeptos arsenalistas estiveram no Municipal), dando uma força extra para que o Sp. Braga tudo fizesse para conquistar os três pontos. Ainda assim, o jogo até começou mal para os arsenalistas, pois, aos 12 minutos, Cássio colocou a União em vantagem. No entanto, os bracarenses mostraram um enorme coração e, no espaço de três minutos, Meyong (31′) e Rentería (34′) deram a volta ao resultado, chegando o Braga ao intervalo a vencer por duas bolas a uma.

Na segunda parte, os arsenalistas vestiram o fato-macaco e souberam, sem grande dificuldade, segurar a magra vantagem até ao apito final.

Com esta vitória, os bracarenses continuam a seis pontos do Benfica e mantiveram o acesso à “Champions” seguro por uma vantagem de cinco pontos sobre o FC Porto.

Rio Ave 0-1 FC Porto

Num jogo sem grandes motivos de interesse, o FC Porto foi a Vila do Conde vencer o Rio Ave por um golo daquele que sempre foi o seu suplente de luxo: “El Tecla” Farías. Os dragões não fizeram um jogo brilhante, mas fizeram o suficiente por saírem dos Arcos com um triunfo. Com esta vitória, os portistas continuam a perseguir o sonho da “Champions”, que continua a cinco pontos, todavia, com o passar das jornadas, essa quimera torna-se bem mais complicada.

V. Guimarães 1-1 Olhanense

A deslocação dos leões à Luz dava esperança ao Vitória, que, por certo, pensaria que uma vitória diante dos algarvios iria colocá-los a dois pontos do Sporting. De facto, o Sporting até perdeu diante do Benfica, todavia, os vimarenenses não fizeram a sua parte, pois não foram além de um empate (1-1) com o Olhanense. Ainda assim, o Guimarães só pode queixar-se de sí próprio, pois, apesar de ter feito um tento por Rui Miguel, falhou inúmeros golos durante o jogo e acabou castigado com um tento de Ukra em cima do final do desafio. Com este resultado, o Vitória de Guimarães ficou a quatro pontos do Sporting e o Olhanense ficou com quatro pontos  de avanço da… linha de água.

 

Nos outros jogos, destaque para a vitória do Leixões (15º) na recepção ao P. Ferreira, um resultado que dá alguma esperança à equipa de Matosinhos em manter-se na Liga Sagres; Num desafio referente à mesma luta, V. Setúbal (13º) e Académica (12º) empataram a uma bola e continuam bem acima da linha de despromoção; Por outro lado, na Madeira, Marítimo e Belenenses empataram 3-3, num jogo que praticamente acabou com o sonho dos verde-rubros em alcançar a Europa e dos azuis em manterem-se na Liga Sagres. Por fim, Naval e Nacional, num jogo entre equipas tranquilas, empataram a zero na Figueira da Foz.

Read Full Post »

Os primeiros doze minutos do jogo na Figueira da Foz foram um pesadelo para os encarnados que se viram a perder 0-2 e surpreendentemente manietados pela Naval. Todavia, o Benfica reagiu bem e venceu 4-2, mantendo a diferença de seis pontos para o Braga, que, num jogo bastante polémico, venceu o V. Guimarães, em casa, por três bolas a duas. Quem continua a demonstrar que está a crescer neste final de época é o FC Porto (3º), que venceu, em casa, o Marítimo por quatro bolas a uma e continua a apenas cinco pontos do Sp. Braga.

 

Naval 2-4 Benfica

O jogo começou como ninguém, por certo, esperava. A Naval entrou sem medo num 4-5-1 e, graças à velocidade e qualidade do seu avançado Fábio Júnior, foi colocando a defesa encarnada em sobressalto. Rapidamente, a equipa da Figueira da Foz chegava à baliza encarnada e, nos primeiros doze minutos, marcou duas vezes. Primeiro, por Fábio Junior (2´) e depois por Bolívia (12′).

A perder dois a zero, pensou-se que o Benfica iria ter muitas dificuldades em reagir até porque nunca havia recuperado de uma diferença de dois golos esta temporada, contudo, Weldon, no espaço de dois minutos (16′ e 18′) fez dois golos à ponta de lança e colocou o Benfica empatado a dois golos. A partir daqui, o cariz do jogo mudou completamente e passou o Benfica a dominar completamente o desafio. Assim sendo, foi sem surpresa que as águias, ao minuto 38, viram Di Maria fazer o 2-3, resultado com que se chegou ao intervalo.

Na segunda parte, o Benfica foi uma equipa concentrada e cedo ampliou a vantagem para 2-4, com um golo de Cardozo (55′). A partir desse momento, os encarnados perceberam que a vitória não lhes iria fugir e limitaram-se a controlar o encontro até final sem grandes sobressaltos.

O Benfica está, assim, mais perto do título, pois mantém os seis pontos de vantagem sobre o Braga, quando apenas faltam cinco encontros para disputar.

Braga 3-2 V. Guimarães

Jogo muito polémico em Braga entre o Sporting local e o V. Guimarães. Cedo se percebeu que o árbitro não estava bem, pois, logo no início do encontro viu um penalti de Moisés que não existiu e só a intervenção do fiscal de linha evitou o erro crasso. Ainda assim, no que a futebol diz respeito, o jogo foi intenso, com Rui Miguel a colocar os vimarenenses em vantagem e Alan, de penalti, e antes do intervalo a fazer o 1-1.

Na segunda parte, os bracarenses procuraram a vitória que lhes permitiria continuar a lutar pelo título e defender a segunda posição. Nesse seguimento, o Braga chegaria à vantagem na sequência de um penalti cuja falta parece ser feita fora da área. Ainda assim, alheio à polémica, Meyong não desperdiçou a hipótese e fez o 2-1, aos 79 minutos.

No entanto, as trapalhadas de Artur Soares Dias continuaram e, já nos descontos, o árbitro entendeu que uma carga normal de Moisés na área era caso para penalti e, Andrezinho, chamado à marcação fez o 2-2.

Pensava-se que já nada de mais podia acontecer, todavia, um minuto depois, Rentería simulou de forma escandalosa dentro da área e o árbitro voltou a marcar penalti. Gerou-se a confusão, mas, no meio de muitas expulsões de jogadores do Vitória, Meyong manteve a calma e fez o 3-2 final, que permite aos bracarenses continuarem a sonhar com o título.

FC Porto 4-1 Marítimo

Os portistas até nem entraram bem no desafio, pois, logo aos 15 segundos, Taka abriu o activo para os madeirenses. Todavia, em pouco tempo, Falcao (4′) e Raúl Meireles (8′) deram a volta ao resultado. Os dragões continuaram a dominar o jogo e, até ao final do mesmo, Falcao ainda bisou e Hulk fez o 4-1 final. Com este resultado, o FC Porto prova que está em claro crescimento e mantém-se na luta pelo segundo lugar, pois encontra-se a apenas cinco pontos do Sp. Braga.

Sporting 5-0 Rio Ave

O Sporting solidificou o quarto lugar com uma goleada diante do Rio Ave por cinco bolas a zero. A equipa leonina dominou totalmente o encontro e Yannick foi o jogador em destaque ao fazer um hat-trick. Liedson e João Moutinho também faturaram num desafio marcado por grandes golos, nomeadamente o quinto, que surgiu num pontapé acrobático de Yannick Djaló. Os leões aproveitaram, ainda, o desaire do V. Guimarães em Braga e têm, agora, cinco pontos de vantagem sobre os vimaranenses

 

Nos outros jogos destaque para o empate do Beleneneses em P. Ferreira (0-0) num resultado que afunda ainda mais os azuis e coloca o Paços longe da Europa; Destaque para a derrota do Leixões na Madeira, diante do Nacional (0-1), que aliado ao empate entre Vitória de Setúbal e Olhanense (2-2), coloca a equipa de Matosinhos em situação cada vez mais delicada; E, por fim, destaque para o empate do Leiria em Coimbra (0-0), que mantém os leirienses na luta pelo acesso à Liga Europa.

Read Full Post »

Um golo feliz de Luisão já nos descontos do primeiro tempo permitiu ao Benfica vencer o Braga e ficar com seis pontos de avanço em relação aos bracarenses. Ainda assim, os encarnados não conseguiram o seu segundo objectivo, a vantagem no confronto directo. A correr (muito) por fora, mas cheio de dignidade, o FC Porto foi ao Restelo vencer (3-0) e continua a onze pontos das águias.

 

Benfica 1-0 Sp. Braga

Encarnados e bracarenses sentiram a importância do encontro e notou-se que, no início do jogo, ninguém ia arriscar. Como tal, as equipas expunham-se pouco e, apesar do Benfica, ter mais posse de bola e algum domínio territorial, os ataques eram sempre pela certa. Assim sendo, a primeira parte resume-se a um falhanço de Saviola isolado perante Eduardo e a um golo de Luisão, pleno de felicidade, após um ressalto da grande área.

Na segunda parte, o teor do jogo não se alterou e o Benfica foi sempre mais perigoso. Nesse capítulo, destaque negativo para Cardozo que, desinspirado, falhou várias vezes o que raramente falha. Ainda assim, o Braga também teve uma excelente oportunidade quando Moisés, de cabeça, errou o alvo por centímetros.

No cômputo geral, a vitória do Benfica é justa perante um Sp. Braga que se bateu muito bem e provou que o segundo lugar não é obra do acaso. Excelente arbitragem de Pedro Proença.

Belenenses 0-3 FC Porto

No rescaldo da redução da pena de Hulk, o avançado brasileiro jogou de raiva e esteve nos três golos do FC Porto na deslocação ao Restelo. Aos 40 minutos, cruzou para a cabeça de Rolando, para o 1-0; Dez minutos mais tarde, em lance individual concluído com remate poderoso fez o segundo tento; E, aos 83 minutos, fez passe milimétrico para Falcao fechar a contagem (3-0). Vitória justíssima dos dragões que, neste momento, estão a apenas cinco pontos do Braga (2º). O Belenenses, esse, caminha a passos largos para a Liga Vitalis.

Marítimo 3-2 Sporting

Os leões, desfalcados e com um onze muito questionável de Carlos Carvalhal, foram à Madeira perder (2-3) com o Marítimo. A equipa leonina com João Pereira a meio campo e, até, em bom plano, chegou ao intervalo com uma igualdade a um tento com golo do ex-bracarense. Ainda assim, na segunda metade o Marítimo foi superior e venceu, com toda a justiça, por três bolas a duas. Destaque para o francês Sinama-Pongolle que se estreou a marcar…nas duas balizas.

V. Guimarães 1-0 Académica

Um golo de Rui Miguel, já perto do final do encontro, permitiu aos vimarenenses vencerem a Académica e continuarem a lutar pelo quarto lugar. Tratou-se de um jogo difícil para o V. Guimarães, mas os minhotos foram sempre mais perigosos e a sua vitória não merece contestação. Os vimaranenses estão, agora, a apenas dois pontos do Sporting (4º).

 

Nos outros jogos, destaque para a goleada que o Olhanense aplicou ao Rio Ave (5-1) em Vila do Conde. Um resultado que aproxima os algarvios da manutenção; Por outro lado, nessa mesma luta, o Leixões venceu a Naval (1-0) e o V. Setúbal venceu o Nacional (2-1). Assim sendo, os sadinos e algarvios têm uma vantagem de cinco pontos sobre a primeira equipa abaixo da linha de água, precisamente o Leixões.

Por fim, no outro jogo da ronda 24, o U. Leiria recebeu e venceu o Paços de Ferreira (2-1) e continua a acalentar o sonho europeu. 

Read Full Post »

Older Posts »