Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘De Gea’

Hoje, o Atlético de Madrid joga, em Anfield Road, um possível acesso à final da Liga Europa e, neste momento, os madrilenos são a única equipa espanhola que ainda pode ganhar alguma competição europeia, após a eliminação do Barça pelo Inter. Além disso, os “colchoneros” também estão na final da Taça do Rei, o que poderia dar a ideia de estarem a fazer uma grande época. No entanto, isso não é verdade. A participação na Liga dos Campeões foi um desastre (3 empates e 3 derrotas) e, no campeonato, estão num pobre décimo lugar a… 43 pontos do líder Barcelona.

Assim sendo, e apesar do crescimento notório que o Atlético teve após a entrada de Quique Flores, penso que a equipa, pelo seu plantel, poderia estar melhor classificada. Como tal, vou explanar aquele que seria, para mim, o melhor onze dos madrilenos.

Na baliza optaria pelo internacional sub-21 espanhol, David De Gea. Aos 19 anos, revela excelente maturidade, é muito bom pelo ar e tem enorme margem de progressão no clube da capital espanhola.

Depois, optaria por uma defesa de quatro elementos. No centro, optaria pelo experiente, internacional checo, Ujfalusi, acompanhado pelo jovem Dominguez, outro internacional sub-21 espanhol, insuperável no jogo aéreo. Por outro lado, nas alas, optaria, à esquerda, por António López, um lateral rápido que sabe se integrar na manobra ofensiva, mas também é seguro a defender e, à direita, por Valera, que tem as mesmas características do lateral esquerdo, mas, mais alto, pode ajudar no centro, em momentos de chuveirinho para a área.

No miolo, optaria por um duplo pivot, composto por Paulo Assunção e Tiago. O luso-brasileiro seria um médio centro mais defensivo, que teria como principal missão o equilíbrio táctico e a destruição do jogo ofensivo do adversário, enquanto o internacional português funcionaria como um box to box, com capacidade para integrar diversas vezes o jogo ofensivo dos madrilenos.

Jogaria, depois, com dois extremos: Reyes e Simão. Ambos jogariam sobre a linha e procurariam situações de um contra um, ainda que ambos, pelas suas características, pudessem flectir para o meio e procurarem o remate, trocando, também, muitas vezes de posição, para confundirem as marcações adversárias.

Por fim, no ataque, jogava com um avançado centro (Agüero) e um ponta de lança (Fórlan). O argentino teria mais liberdade e seria um jogador muito mais móvel na frente, indo buscar jogo atrás, disfarçando a inexistência de um 10 puro. Por outro lado, o uruguaio seria o matador da equipa, mais fixo e letal, sempre pronto para finalizar.

Com jogadores válidos no banco como Jurado e Salvio, seria uma equipa para, certamente, ficar nos cinco primeiros lugares da La Liga.

Anúncios

Read Full Post »

O golo de Ben Arfa, mesmo no final do encontro: Benfica-Marselha e que deu a igualdade (1-1) aos franceses destruiu a possibilidade do futebol português ter tido uma jornada europeia quase perfeita. Ainda assim, este resultado aliado ao excelente empate que o Sporting conseguiu no Vicente Calderon, a zero, com o Atlético de Madrid, permite aos portugueses continuarem a sonhar com duas equipas lusas nos quartos de final da Liga Europa.

Benfica 1-1 Marselha

Foi um Benfica diferente do habitual aquele que vimos ontem no Estádio da Luz. Pouco imaginativos e a cairem várias vezes na teia táctica montada por Deschamps, os encarnados até podem agradecer alguns falhanços do Marselha para chegarem ao intervalo com uma igualdade.

Todavia, na segunda parte, principalmente após a saída do apagadíssimo Aimar, o Benfica melhorou e acabou por chegar à vantagem, de forma feliz, por Maxi Pereira. Faltavam quinze minutos e parecia que a vitória não iria fugir até porque, dez minutos depois, Ramires acertou na trave, dando a falsa ideia das águias estarem mais perto do segundo golo.

Infelizmente, ao cair do pano, Bonnart ganhou a linha e cruzou para o empate de Ben Arfa. Agora é preciso ganhar ou empatar por mais de um golo no Vélodrome. Difícil, mas não impossível.

Atlético de Madrid 0-0 Sporting

No Vicente Calderon, diante de um adversário com excelentes individualidades, mas com um colectivo fraco, o Sporting arrancou um bom resultado (0-0) que se torna excelente quando se joga 60 minutos com menos uma unidade.

Os leões entraram bem no jogo e, até à expulsão de Grimi, davam a ideia de até poderem vencer o desafio. Nessa fase, destaque para um remate em jeito de Liedson que bateu na trave da baliza de De Gea e que, pela excelência do gesto técnico, merecia golo.

No entanto, após a expulsão do argentino, o Sporting teve de recuar e ser uma equipa solidária para garantir um resultado positivo. Aí, há que destacar abnegação de todos os atletas e, especialmente, de Anderson Polga, Abel e Pedro Mendes que fizeram, todos eles, exibições a roçarem a perfeição. Tonel ainda foi expulso, de forma exagerada, pelo árbitro, mas já faltavam poucos minutos e o Sporting facilmente segurou a igualdade até ao apito final.

Agora, em Alvalade, basta vencer os madrilenos. Esperemos, sinceramente, que os verde e brancos não falhem e garantam a qualificação para os quartos de final da Liga Europa.

A segunda mão, joga-se na próxima quinta feira, sendo que o Benfica actua às 18hoo no Vélodrome e o Sporting recebe o Atl. Madrid, em casa, às 20h05.

 

Read Full Post »