Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Estádio da Luz’

Paulo Bento levou Portugal ao Euro 2012

Após uma campanha sinuosa que começou pelo escândalo do empate caseiro com Chipre (4-4) e uma derrota pela margem mínima na Noruega (0-1), Portugal conseguiu finalmente o apuramento para o Euro 2012, após golear a Bósnia (6-2) no Estádio da Luz, no decisivo duelo do playoff. Tratou-se de uma vitória inequívoca, perante uma selecção que está em franca evolução, mas que, valha a verdade, ainda não está no nível da equipa portuguesa, que apesar de não ter um conjunto ao mesmo nível do passado recente, conta com alguns jogadores de classe mundial como Pepe, Fábio Coentrão e Nani, e um verdadeiro fora de série como é Cristiano Ronaldo. Ainda assim, após a ligeira euforia do quinto apuramento consecutivo para o campeonato da Europa, importa analisar os possíveis adversários portugueses no certame.

Subida ao Pote 3 poderá não ter trazido vantagens

Com a vitória diante da Bósnia, Portugal subiu do Pote 4 ao pote 3, o que, curiosamente, pode não ter trazido quaisquer vantagens à equipa das quinas. No Pote 3, Portugal fica automaticamente impedido de defrontar as  selecções da Suécia, Grécia e Croácia, mas passa a poder defrontar as equipas do Pote 4, onde existem três selecções equivalentes às anteriores: Dinamarca, República da Irlanda e República Checa e uma quarta, que, valha a verdade, os lusos quererão por todos os meios evitar: França.

Honestamente, deste último pote, Portugal deverá preferir os irlandeses ou os checos, pois são claramente as equipas mais frágeis, enquanto a Dinamarca, apesar da recente vitória em Copenhaga, também não poderá assustar a equipa das quinas. Por outro lado, a França, apesar da má forma recente, é uma equipa que tradicionalmente não vacila diante de Portugal e a sua colocação no mesmo grupo que o lusitano, criaria, quase de certeza, um grupo da morte no Euro 2012.

Parecem cabeças de série mas é apenas o Pote 2

O segundo pote poderia ser, claramente, um pote de cabeças de série. De facto, neste Pote 2 estão as selecções da Alemanha, Itália e Inglaterra, que perfazem oito títulos mundiais e uma Rússia, que, não sendo uma equipa frágil, será claramente a que todas as outras doze selecções vão desejar defrontar deste pote.

Tradicionalmente, Portugal dá-se melhor com a Inglaterra do que com Itália e Alemanha e, sendo assim, a equipa portuguesa deverá desejar os ingleses logo a seguir aos russos (de longe o fruto apetecido). Entre italianos e alemães, apesar do nome fortíssimo de ambos, temos que realçar que actualmente os germânicos estão bem mais fortes que os transalpinos e, a ter de escolher, seria mais “benéfico” a Portugal que lhe saísse a “squadra azzurra” que a “mannschaft”…

Pote 1: o pote dos desequilíbrios 

Apesar de tudo, o pote mais desequilibrado deste campeonato da Europa é claramente  o Pote 1, que tem as duas equipas mais fortes presentes na competição: Espanha e Holanda e, também, duas das mais frágeis: Ucrânia e Polónia.

Ainda assim, tirando a óbvia divisão “dois-dois”, há que realçar que entre espanhóis e holandeses, a preferência tem de ir para a selecção laranja, com quem nos damos tradicionalmente bem, enquanto entre ucranianos e polacos, a preferência acaba por ser indiferente, pois são ambos países organizadores e têm uma selecção de qualidade equivalente.

Haverá algum grupo de sonho ou de pesadelo?

Numa fase final de um campeonato da Europa nunca se pode falar em grupos de sonho, todavia, existem agrupamentos bem mais fáceis que outros e o melhor grupo para Portugal seria claramente algo parecido com isto:

Ucrânia/Polónia
Rússia
Portugal
República da Irlanda/República Checa/Dinamarca

Por outro lado, o oposto também existe, e existem combinações que poderão criar imensas dificuldades a que Portugal supere esta primeira fase do Euro 2012. Num caso de extrema falta de sorte, Portugal poderá encontrar algo semelhante a isto:

Espanha/Holanda
Alemanha/Itália/Inglaterra
Portugal
França

Taça Latina dentro do campeonato da Europa?

Curiosa a possibilidade da existência de uma mini Taça Latina na fase de grupos do campeonato da Europa, com Espanha, Itália, Portugal e França no mesmo agrupamento. Uma ideia interessante, mas que dificultaria e bastante a primeira missão portuguesa para este certame: apuramento para os quartos de final.

Apesar de tudo o que foi dito, só poderemos avançar com uma melhor análise aquela que vai ser a participação portuguesa após os resultados do sorteio da fase de grupos e, para isso, teremos de aguardar pelo dia 2 de Dezembro, onde tudo será decidido. Esperemos que, nesse dia, os deuses da fortuna estejam connosco e nos afastem dos maiores tubarões do futebol europeu.

Anúncios

Read Full Post »

Miccoli faz o segundo no Liverpool-Benfica (05/06)

Amanhã, pelas 20h05 (adoro o facto de o jogo não começar às 20h), voltam as grandes noites europeias ao Estádio da Luz. Desde a época 2005-2006 que não sentia o nervosismo, a ansiedade, a motivação e o desejo de ver o Benfica num grande jogo Europeu.

Nessa época, com uma equipa de qualidade bastante inferior à actual, que realizou uma época decepcionante a nível interno, tivemos o prazer de ver o SLB a derrotar o Manchester United, o Liverpool e a dar luta ao todo poderoso Barcelona de Ronaldinho, Deco, Eto’o, Xavi e companhia, que viria a sagrar-se campeão europeu numa final frente ao Arsenal.

Ajudámos a eliminar o Manchester United na fase de grupos da Champions. A equipa inglesa não estava muito forte, mas tinha Ronaldo, Giggs, Scholes, entre outros. O sorteio dos oitavos de final determinou nova viagem à terra dos bifes, agora à cidade dos Beatles, para defrontar o Liverpool. O confronto com esta equipa foi um “verdadeiro” duelo europeu. Duas grandes noites de futebol.

No estádio da Luz, o Benfica teve um jogo bastante difícil e previa-se um empate a zero. Contudo, nos últimos minutos na marcação de um livre à entrada na área, descaído para a direita, Petit, o “Pitbull”, mete a bola na cabeça de Luisão, o “ET”, e este coloca o Benfica à frente na eliminatória. Apesar da vitória, o Liverpool continuava a ser dado como favorito.

Na segunda-mão, em Anfield Road, o Benfica saiu do estádio aplaudido de pé por todos os adeptos do Liverpool. Num jogo muito difícil, com grande pressão do Liverpool, o Benfica soube gerir bem o jogo e utilizar o contra-ataque. Na primeira parte, Simão Sabrosa marcou um golão, num disparo de fora de área: Um míssil que só parou no fundo das redes de Reina. Na segunda-parte, “Rato” Miccoli num pontapé acrobático fez o 2-0. Benfica vencia num estádio mítico, e tinha como próxima adversário o grande favorito à vitória final, o Barcelona de Ronaldinho.

Na eliminatória com o Barcelona, o Benfica começou por empatar a zero em casa. Na segunda-mão todos pensavam que o Barcelona ia golear este Benfica. O Barcelona ganhou por 2-0, mas nunca me vou esquecer daquele lance em que o Simão, na segunda-parte, com o jogo em 1-0, falha um golo quase feito. Era o empate que nos dava a qualificação para as meias-finais. Apesar de sermos muito mais fracos, faltou-nos apenas um bocadinho assim.

Os jogos europeus são os jogos dos sonhos, da ilusão, onde tudo é possível! Os jogos europeus são como uma mulher linda: ficas nervoso, ansioso, mas não voltas atrás, pois sabes que tudo é possível, que vais dar o máximo, que vais sonhar e que no final esperas ganhar.

O futebol é isto: paixão, sonho, e acreditar que é possível tocar o céu. Eu acredito, apesar da maldição de Béla Guttmann (ele falou de Taça dos Campeões, não da Liga Europa – Euroliga na língua de Jesus).

Força Benfica!

Nota:

Canto marcado à maneira curta, Carlos Martins centra para a área, Javi Garcia cabeceia, Luisão encolhe-se mas a bola vai contra ele, e no ressalto Luisão fuzila Eduardo. GOLO do Benfica!

O Benfica ganhou a primeira de 6 finais até ao final do campeonato. 6 finais para gerir 6 pontos de vantagem, o que parece fácil, mas poderá ser bastante difícil. Não podemos esquecer que duas das finais serão contra o Sporting e o Porto.

Read Full Post »

O golo de Ben Arfa, mesmo no final do encontro: Benfica-Marselha e que deu a igualdade (1-1) aos franceses destruiu a possibilidade do futebol português ter tido uma jornada europeia quase perfeita. Ainda assim, este resultado aliado ao excelente empate que o Sporting conseguiu no Vicente Calderon, a zero, com o Atlético de Madrid, permite aos portugueses continuarem a sonhar com duas equipas lusas nos quartos de final da Liga Europa.

Benfica 1-1 Marselha

Foi um Benfica diferente do habitual aquele que vimos ontem no Estádio da Luz. Pouco imaginativos e a cairem várias vezes na teia táctica montada por Deschamps, os encarnados até podem agradecer alguns falhanços do Marselha para chegarem ao intervalo com uma igualdade.

Todavia, na segunda parte, principalmente após a saída do apagadíssimo Aimar, o Benfica melhorou e acabou por chegar à vantagem, de forma feliz, por Maxi Pereira. Faltavam quinze minutos e parecia que a vitória não iria fugir até porque, dez minutos depois, Ramires acertou na trave, dando a falsa ideia das águias estarem mais perto do segundo golo.

Infelizmente, ao cair do pano, Bonnart ganhou a linha e cruzou para o empate de Ben Arfa. Agora é preciso ganhar ou empatar por mais de um golo no Vélodrome. Difícil, mas não impossível.

Atlético de Madrid 0-0 Sporting

No Vicente Calderon, diante de um adversário com excelentes individualidades, mas com um colectivo fraco, o Sporting arrancou um bom resultado (0-0) que se torna excelente quando se joga 60 minutos com menos uma unidade.

Os leões entraram bem no jogo e, até à expulsão de Grimi, davam a ideia de até poderem vencer o desafio. Nessa fase, destaque para um remate em jeito de Liedson que bateu na trave da baliza de De Gea e que, pela excelência do gesto técnico, merecia golo.

No entanto, após a expulsão do argentino, o Sporting teve de recuar e ser uma equipa solidária para garantir um resultado positivo. Aí, há que destacar abnegação de todos os atletas e, especialmente, de Anderson Polga, Abel e Pedro Mendes que fizeram, todos eles, exibições a roçarem a perfeição. Tonel ainda foi expulso, de forma exagerada, pelo árbitro, mas já faltavam poucos minutos e o Sporting facilmente segurou a igualdade até ao apito final.

Agora, em Alvalade, basta vencer os madrilenos. Esperemos, sinceramente, que os verde e brancos não falhem e garantam a qualificação para os quartos de final da Liga Europa.

A segunda mão, joga-se na próxima quinta feira, sendo que o Benfica actua às 18hoo no Vélodrome e o Sporting recebe o Atl. Madrid, em casa, às 20h05.

 

Read Full Post »