Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Fórlan’

Campeão do Mundo em 1930 e 1950, o Uruguai deixou, à muito, de ser uma potência do futebol mundial. A partir de 1970, a equipa azul celeste apenas participou em quatro mundiais, ficando pela primeira fase em três deles (1974, 86 e 02) e chegando aos oitavos de final na outra ocasião (1990). Esta qualificação para o campeonato do Mundo é um bom exemplo da quebra do futebol azul celeste pois, os uruguaios ficaram em quinto lugar na Zona sul-americana e precisaram de um playoff, sofrido, diante da Costa-Rica (1-0 e 1-1), para garantirem o apuramento para a África do Sul. Ainda assim, a selecção de Óscar Tabarez tem bons valores como Fórlan, Lugano ou Luís Suárez e deverá ter uma palavra a dizer no grupo A. Veremos se os uruguaios aproveitam a oportunidade para voltarem aos tempos de glória ou, ao invés, para prolongarem a depressão dos seus fiéis adeptos.

A Qualificação

Como todas as selecções sul-americanas, o Uruguai teve de disputar a Zona sul-americana de apuramento para o Mundial. Sabendo de antemão que apenas os quatro primeiros se apuravam para a África do Sul e que o quinto teria de disputar um playoff com o quarto classificado da CONCACAF, os uruguaios prepararam-se para um percurso longo e duro.

Ao longo de 18 jornadas, o Uruguai conseguiu alguns resultados interessantes como a vitória na Colômbia (1-0) ou na recepção ao Paraguai (2-0), mas também teve resultados depressivos como ter sido incapaz de vencer a Venezuela (dois empates 1-1 e 2-2) e ter perdido no campo do último Peru (0-1).

Ainda assim, a selecção celeste conseguiu terminar na quinta posição e, assim, apurar-se para o playoff diante do quarto classificado da CONCACAF, a Costa Rica.

Nesse playoff, depois de terem vencido 1-0 na Costa-Rica, acabaram por sofrer bastante em Montvideu, pois, após se terem colocado em vantagem com um golo de “Loco” Abreu, acabaram por sofrer a igualdade e terminaram o jogo em grande sofrimento para segurar a igualdade a uma bola. Ainda assim, a selecção azul celeste conseguiu, de forma sofrida, o apuramento para o Mundial 2010.

Zona sul-americana – Classificação

  1. Brasil 34 pts
  2. Chile 33 pts
  3. Paraguai 33 pts
  4. Argentina 28 pts
  5. Uruguai 24 pts
  6. Equador 23 pts
  7. Colômbia 23 pts
  8. Venezuela 22 pts
  9. Bolívia 15 pts
  10. Peru 13 pts

Playoff

Costa Rica 0-1 Uruguai / Uruguai 1-1 Costa Rica

O que vale a selecção uruguaia?

A equipa azul-celeste tem uma das melhores duplas de ataque do campeonato do mundo: Fórlan (Atl. Madrid) e Luís Suárez (Ajax) e o resto da equipa é competente, com destaque para os alas Maxi Pereira (Benfica) e Álvaro Pereira (FC Porto).

No entanto, o principal problema do Uruguai encontra-se no miolo do terreno, pois, se em termos de meio campo defensivo, Diego Pérez (Mónaco)  e Gargano (Nápoles) cumprem, o médio ofensivo Eguren (AIK) não passa de um trinco adaptado e não consegue criar os desiquilibrios necessários na construção ofensiva.

Assim sendo, a equipa deverá optar, no Mundial, por um esquema em 3-5-2, priveligiando a segurança defensiva e o jogo pelas alas. Para além disso, deverá apostar na mobilidade de Luis Suarez, que terá, muitas vezes, de recuar no terreno e disfarçar a ausência de um verdadeiro número 10.

Num grupo forte com duas selecções fortes (França e México) e a selecção anfitriã (África do Sul), os uruguaios não terão a vida facilitada.

O Onze Base

A equipa uruguai deverá jogar com Muslera (Lázio) na baliza e um trio de centrais composto por Cáceres (Juventus), Lugano (Fenerbahçe) e Godín (Villarreal); Depois, no meio campo, deverão jogar dois trincos: Gargano (Nápoles) e Diego Pérez (Mónaco), dois alas: Álvaro Pereira (FC Porto) e Maxi Pereira (Benfica) e um box to box: Eguren (AIK); Por fim, no ataque será entregue à dupla temível: Diego Fórlan (Atl. Madrid) e Luís Suárez (Ajax).

Classificação – Previsão “A Outra Visão”

Num grupo em que a França é a grande candidata ao primeiro lugar e a selecção sul-africana a grande candidata ao último posto, os uruguaios deverão disputar com o México o segundo lugar e consequente apuramento para os oitavos de final. Apesar de se prever um duelo equilibrado, a selecção azteca é ligeiramente favorita.

Calendário – Grupo A (Mundial 2010)

  • 11 de Junho: Uruguai vs França
  • 16 de Junho: Uruguai vs África do Sul
  • 22 de Junho: Uruguai vs México

 

Anúncios

Read Full Post »

Campeão do mundo por duas ocasiões (30 e 50), o Uruguai não tem conhecido, nos últimos tempos, o sucesso de outrora. Desde 1990, a equipa sul-americana apenas esteve presente no Mundial 2002 e, aí, não passou da primeira fase. Ainda assim, com dificuldade (venceu a Costa-Rica no playoff), a selecção uruguaia apurou-se para o Mundial 2010 e tem bons jogadores como Fórlan, Cristian Rodríguez e Suarez, podendo fazer um bom campeonato do mundo. Assim sendo, irei expor aquele que, para mim, será o melhor onze a ser utilizado pelos uruguaios na África do Sul.

Na baliza não teria qualquer tipo de dúvidas e iria entregá-la ao guarda-redes da Lazio, Muslera. Apesar de ter apenas 23 anos, é um atleta muito experiente, com excelentes reflexos e imperial no jogo aéreo.

Depois, nas laterais defensivas, iria jogar com dois jogadores do FC Porto, Álvaro Pereira (à esquerda) e Fucile (à direita). Tratam-se de dois jogadores que defendem bem, mas que também são bastante perigosos no processo ofensivo, pois sobem bem no terreno, ganham bem a linha e cruzam com qualidade. Por outro lado, no centro, jogariam Diego Lugano (Fenerbahçe) e Godín (Villarreal). Dois centrais habituados ao futebol europeu, muito fortes tanto pelo ar como junto à relva e, principalmente no caso de Lugano, muito perigosos em lances de bola parada.

No meio campo, o Uruguai tem um problema grave que é a ausência de um 10 de excelência e, como tal, optaria por utilizar Diego Pérez (Mónaco) e Eguren (AIK). Na sua génese, são dois trincos, todavia, Eguren, na Suécia, joga como nº 10 ou mesmo segundo avançado e, assim, poderia funcionar como um “Box to Box”, disfarçando a ausência de um verdadeiro médio ofensivo e baralhando, posicionalmente, o adversário. Por outro lado, nas alas, optaria pelo portista Rodríguez e pelo benfiquista Maxi Pereira. O “Cebola”, à esquerda, funcionaria como um extremo ofensivo, procurando tanto a linha, como a diagonal para dentro e, à direita, Maxi seria um médio interior mais conservador, que teria de compensar tanto as subidas de Eguren, no miolo, como de Fucile pelo flanco direito.

Por fim, no ataque, jogaria uma dupla que dispensa apresentações: Luis Suarez (Ajax) e Diego Fórlan (Atl. Madrid). Dois goleadores que se completam, pois Fórlan é um ponta de lança mais puro e posicional que, quando tem oportunidade de finalizar, raramente perdoa e Suarez é um avançado centro mais móvel, que sabe ir buscar jogo atrás e que até pode funcionar como falso nº 10, o que, no caso da selecção uruguaia, é muito importante, devido à ausência de um jogador nessa posição.

Uma equipa conservadora, mas  que dificilmente seria eliminada na 1ª fase (defronta França, México e África do Sul) com este onze base.

 

Read Full Post »

Hoje, o Atlético de Madrid joga, em Anfield Road, um possível acesso à final da Liga Europa e, neste momento, os madrilenos são a única equipa espanhola que ainda pode ganhar alguma competição europeia, após a eliminação do Barça pelo Inter. Além disso, os “colchoneros” também estão na final da Taça do Rei, o que poderia dar a ideia de estarem a fazer uma grande época. No entanto, isso não é verdade. A participação na Liga dos Campeões foi um desastre (3 empates e 3 derrotas) e, no campeonato, estão num pobre décimo lugar a… 43 pontos do líder Barcelona.

Assim sendo, e apesar do crescimento notório que o Atlético teve após a entrada de Quique Flores, penso que a equipa, pelo seu plantel, poderia estar melhor classificada. Como tal, vou explanar aquele que seria, para mim, o melhor onze dos madrilenos.

Na baliza optaria pelo internacional sub-21 espanhol, David De Gea. Aos 19 anos, revela excelente maturidade, é muito bom pelo ar e tem enorme margem de progressão no clube da capital espanhola.

Depois, optaria por uma defesa de quatro elementos. No centro, optaria pelo experiente, internacional checo, Ujfalusi, acompanhado pelo jovem Dominguez, outro internacional sub-21 espanhol, insuperável no jogo aéreo. Por outro lado, nas alas, optaria, à esquerda, por António López, um lateral rápido que sabe se integrar na manobra ofensiva, mas também é seguro a defender e, à direita, por Valera, que tem as mesmas características do lateral esquerdo, mas, mais alto, pode ajudar no centro, em momentos de chuveirinho para a área.

No miolo, optaria por um duplo pivot, composto por Paulo Assunção e Tiago. O luso-brasileiro seria um médio centro mais defensivo, que teria como principal missão o equilíbrio táctico e a destruição do jogo ofensivo do adversário, enquanto o internacional português funcionaria como um box to box, com capacidade para integrar diversas vezes o jogo ofensivo dos madrilenos.

Jogaria, depois, com dois extremos: Reyes e Simão. Ambos jogariam sobre a linha e procurariam situações de um contra um, ainda que ambos, pelas suas características, pudessem flectir para o meio e procurarem o remate, trocando, também, muitas vezes de posição, para confundirem as marcações adversárias.

Por fim, no ataque, jogava com um avançado centro (Agüero) e um ponta de lança (Fórlan). O argentino teria mais liberdade e seria um jogador muito mais móvel na frente, indo buscar jogo atrás, disfarçando a inexistência de um 10 puro. Por outro lado, o uruguaio seria o matador da equipa, mais fixo e letal, sempre pronto para finalizar.

Com jogadores válidos no banco como Jurado e Salvio, seria uma equipa para, certamente, ficar nos cinco primeiros lugares da La Liga.

Read Full Post »

A AS Roma venceu o Inter no Olímpico de Roma e colocou-se a apenas um ponto da equipa de Mourinho na Liga Italiana. A equipa interista continua, assim, a demonstrar não estar a passar um grande momento de forma; Em Espanha, Real Madrid e Barça continuam colados na liderança. Os madrilenos venceram, em casa, o Atl. Madrid por três bolas a duas, enquanto os catalães venceram, fora, o Maiorca (1-0); Na Premier League, o Manchester United goleou em Bolton (4-0) e continua com um ponto de vantagem sobre o Chelsea que esmagou, em casa, o Aston Villa (7-1).

Liga Italiana – AS Roma vence Inter e coloca Série A ao rubro

O Inter deslocou-se ao Olímpico de Roma com quatro pontos de vantagem sobre os romanos e esperava, pelo menos, manter a diferença. Infelizmente para a equipa de Mourinho o jogo não lhes correu da melhor forma e acabaram derrotados (1-2) num jogo repleto de brindes e em que Lúcio não esteve particularmente bem. De Rossi (16′) abriu o activo para a Roma; Milito (66′) ainda empatou, mas Luca Toni (73′) deu a vitória à equipa da capital. Por outro lado, o Milan podia ficar igualmente a um ponto do Inter caso vencesse a Lázio, em casa. Todavia, a equipa de Leonardo acabou por empatar (1-1) e ficou, assim, em terceiro a três pontos do Internazionale.

Liga Espanhola – Real Madrid e Barça não vacilam

O derbi de Madrid era muito mais importante para o Real que para o Atlético. Ainda assim, esperava-se que os comandados de Quique Flores proporcionassem uma noite difícil à equipa de Cristiano Ronaldo e assim foi. Aos 10 minutos, Reyes colocou mesmo o Atlético em vantagem e pensou-se que pudesse ser a primeira vitória da equipa de Simão sobre o Real em onze anos. Porém, o Real Madrid soube dar a volta e passou de 0-1 para 3-1 com golos de Xabi Alonso, Arbeloa e Higuaín. Fórlan ainda reduziu, mas não conseguiu impedir a derrota do Atl. Madrid (2-3). Por outro lado, em Maiorca, o Barça sofreu, mas Ibrahimovic resolveu, marcando o único golo da vitória do Barça (1-0). Madrilenos e catalães continuam, assim, colados na liderança da La Liga.

Liga Inglesa – Manchester United e Chelsea goleam

As duas equipas da frente da Premier League não deram qualquer hipótese aos seus adversários nos jogos da Jornada 32. O líder Manchester United deslocou-se a Bolton e venceu por quatro bolas a zero, enquanto o Chelsea, inspirado por um poker de Lampard, venceu, em casa, o Aston Villa por sete bolas a uma. Assim sendo, o Manchester United continua a liderar o campeonato com mais um ponto que o Chelsea (2º) e quatro que o Arsenal (3º), que, em Birmingham, não foi além de um empate a uma bola.

Liga Alemã – Estugarda vence em Munique e Schalke 04 é novo líder

O Schalke 04 venceu em Leverkusen (2-0) e beneficiou do desaire caseiro do Bayern diante do Estugarda (1-2) para se colocar na liderança da Bundesliga. O agora líder do campeonato alemão beneficiou do grande momento de forma do internacional alemão Kuranyi que bisou. Assim sendo, o Schalke 04 tem agora mais dois pontos que o Bayern (2º) e cinco que o Leverkusen (3º).

Outras Ligas – Bordéus continua líder da Ligue 1 mesmo sem jogar

Na Ligue 1, Montpellier perdeu (1-4) em Lille e o Auxerre empatou em Monaco (0-0). Assim sendo, o Bordéus, que tem menos dois jogos, continua na liderança com os mesmos pontos de Montpellier e Auxerre; Na Holanda, o Twente ganhou três a zero ao Sparta de Roterdão e continua com mais quatro pontos que o Ajax (venceu o Groningen por 3-0) e cinco que o PSV (venceu em Venlo por 4-2); Na Grécia o PAOK perdeu em Larissa (1-2) e ficou definitivamente afastado do título. O campeonato grego deverá, assim, ser ganho pelo Panathinaikos que venceu, fora, o Atromitos (3-0) e, a duas jornadas do fim, está a um empate do título.

Read Full Post »