Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Gornik Zabrze’

Depois de uma década de 60 em que o Górnik Zabrze conquistou seis campeonatos polacos e três Taças da Polónia, a consagração internacional surgiu com a fantástica campanha do clube de Zabrze na Taça das Taças (69/70), onde eliminou Olympiakos, Glasgow Rangers, Levski Sófia e AS Roma no caminho para a final diante do Manchester City. Nessa final, a equipa britânica foi mais forte e venceu por duas bolas a uma, todavia, o Górnik Zabrze, pelo magnífico percurso que fez nessa prova europeia, garantiu um lugar muito especial na história do futebol.

Esperou apenas nove anos pelo primeiro grande título

O Górnik Zabrze foi fundado em 1948, apenas três anos após a fronteira polaca ter avançado para oeste no culminar da Segunda Guerra Mundial. Apenas sete anos depois, a equipa havia de conseguir a promoção à primeira divisão, vencendo, no jogo de estreia, o Ruch Chorzów por 3-1.

Em 1957, o clube polaco haveria de conquistar o primeiro campeonato polaco, apoiado na classe da sua grande estrela: Ernst Pohl, repetindo a proeza em 1959 e 1961.

Anos de ouro garantiram pentacampeonato e presença em final europeia

Entre 1963 e 1967, o clube polaco conquistou o pentacampeonato, somando, nessa década de sessenta, seis campeonatos polacos e três Taças da Polónia.

No final da década, em 1969/70, o clube haveria de ter a melhor presença numa prova europeia da sua história, superando Olympiakos (2-2 e 5-0), Glasgow Rangers (3-1 e 3-1), Levski Sófia (2-3 e 2-1) e AS Roma (1-1 e 2-2) para chegar à final da Taça das Taças diante dos ingleses do Manchester City.

Nessa final, o City entrou mais forte e rapidamente vencia por 2-0, sendo que o golo de Oślizło, a meio da etapa complementar, apenas atenuou o desaire e não impediu que a taça viajasse até Inglaterra.

Nos dois anos seguintes, o Górnik Zabrze haveria de conquistar a dobradinha, todavia, essas duas épocas de sucesso acabariam por ser o canto do cisne dos anos dourados do clube polaco.

Sucesso só voltou no final dos anos 80

Entre 1973 e 1984, o clube de Zabrze não haveria de conquistar qualquer título, parecendo estar a cair no esquecimento. Todavia, na segunda metade da década de 80, a equipa polaca voltou a encontrar o caminho do sucesso, conquistando o tetracampeonato (85, 86, 87 e 88) e defrontando grandes equipas europeias como o Anderlecht, Bayern, Real Madrid e Juventus, ainda que tenha sido eliminado por todos esses colossos.

Após esses momentos de glória, a equipa polaca voltou a entrar numa fase de seca de títulos, tendo, inclusivamente, descido à segunda divisão no final da temporada 2008/09. Ainda assim, a triste travessia no segundo escalão apenas durou uma época e, esta temporada, o Górnik Zabrze já se encontra na Ekstraklasa, surgindo, actualmente, na sétima posição.

Read Full Post »


Makriev é um goleador

Perdido numa equipa modesta do campeonato israelita está um ponta de lança alto (1,91 metros), forte e com uma capacidade finalizadora muito interessante: Dimitar Makriev.

Nascido a 7 de Janeiro de 1984, Dimitar Ivanov Makriev foi criado nas escolas do Levski Sófia, pelo qual fez 254 golos no campeonato búlgaro de Juniores.

Surpreendentemente, em 2002, acabou por transferir-se para o arqui-rival do Levski, o CSKA Sófia, onde apenas esteve dois meses, pois o Inter de Milão, impressionado pelas suas exibições nos escalões de formação do Levski, não hesitou em adquiri-lo.

Ainda assim, nos “nerazzurri”, a carreira de Makriev não foi muito feliz, pois o internacional búlgaro não fez qualquer jogo, sendo sucessivamente emprestado a clubes como os suíços do Bellinzona (14 jogos, 4 golos), os polacos do Gornik Zabrze (22 jogos, 2 golos) e os suíços do FC Chiasso (18 jogos, 5 golos).

Após esses empréstimos pouco produtivos, o búlgaro desvinculou-se do Internazionale e assinou pelos franceses do Dijon, onde também não foi feliz, fazendo apenas três golos (13 jogos) na temporada 2005/06.

No rescaldo da experiência gaulesa, Makriev transferiu-se para os eslovenos do Maribor, permanecendo durante a temporada 2006/07 e a primeira metade da temporada 2007/08 e onde, finalmente, voltou a assumir-se como o grande talento dos tempos do Levski, marcando 23 golos em 48 jogos.

No início de 2008, trocou o Maribor pelo FC Ashdod, onde permanece até hoje. Nesse modesto clube israelita, já leva 52 golos em 112 jogos, assumindo-se como um ponta de lança muito oportuno e que, apesar da elevada estatura, é capaz de tratar a bola com bastante qualidade.

Adaptando-se bem a ser o único ponta de lança em 4-3-3, mas também a jogar ao lado de um avançado mais móvel em 4-4-2, é capaz de finalizar com o pé esquerdo, direito ou com a cabeça, sendo, muito provavelmente, o “pinheiro” que o Sporting procura, sem sucesso, há meia temporada.

Essas grandes exibições pelo FC Ashdod já permitiram que Makriev chegasse à selecção búlgara (4 jogos, 1 golo) e prevê-se que o ponta de lança de 26 anos se transfira, rapidamente, para um clube de maior nomeada. Sinceramente, penso que encaixaria que nem uma luva no plantel de Paulo Sérgio.

Read Full Post »

Mielcarski (2º em cima) na equipa do FC Porto (1998/99)

Chegou ao FC Porto no defeso de 1995/96 para reforçar a frente de ataque e ser um alternativa mais poderosa fisicamente a Domingos Paciência. Permaneceu nos dragões durante quatro temporadas e, apesar de não se poder dizer que se tratava de um péssimo ponta de lança, ficou bem abaixo das expectativas dos responsáveis azuis e brancos, não passando dos oito golos em quarenta e um jogos pelos dragões.

Grzegorz Mielcarski nasceu a 19 de Março de 1971 em Chełmno, na Polónia, começando a dar nas vistas, aos 18 anos, no Olimpia Poznań. Nesse clube, permaneceu durante três temporadas e meia (1989-92), destacando-se pela regularidade e pela capacidade goleadora, pois fez 28 golos em 88 jogos.

No início de 1993, transferiu-se para a Suíça e para o Servette, contudo, em Genebra, não se ambientou e a sua aventura helvética terminou seis meses depois, com Mielcarski a regressar à Polónia e, desta feita, ao Gornik Zabrze.

No clube de Zabrze permaneceu por apenas uma temporada (1993/94) e com números interessantes (23 jogos, 8 golos), regressando, na época seguinte, ao Olimpia Poznań, onde iniciou a época de 1994/95.

A meio da temporada, o gigante polaco Widzew Łódź interessou-se no concurso de Mielcarski e o avançado polaco terminou a época no clube de Łódź em grande estilo, marcando sete golos em dezassete partidas.

Estas boas exibições no campeonato polaco, aliadas ao facto de Mielcarski ter sido medalha de prata nos Jogos Olímpicos de 1992 em Barcelona (curiosamente ao lado de Juskowiak), despertaram o interesse do FC Porto que, na altura, entendia que o polaco podia ser o jogar ideal para partidas em que fosse necessário maior poder físico no coração da área.

Durante quatro temporadas, o internacional polaco foi  pouco utilizado nos dragões. Jogador útil, que marcava alguns golos de vez em quando, nunca se assumiu, ainda assim, como um grande reforço, acabando por fazer apenas 41 jogos e oito golos ao longo do tempo em que esteve no FC Porto.

Após sair dos azuis e brancos, esteve a época de 1999/2000, em Espanha, no Salamanca (19 jogos, 2 golos), regressando, em 2000/01, à Polónia, para vestir a camisola do Pogoń Szczecin (20 jogos, 9 golos).

Posteriormente, esteve ainda, sem brilho, no AEK Atenas, terminando a sua carreira, em 2002/03, ao serviço dos polacos do Amica Wronki.

Um percurso longo e com muitas peripécias, que nunca confirmou as boas indicações que o atacante deu no início da sua carreira, mas que ainda lhe permitiu jogar pelo FC Porto e garantir dez internacionalizações pela Polónia.

Read Full Post »