Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Iker Casillas’

Casillas é uma lenda que dispensa apresentações

Casillas é uma lenda que dispensa apresentações

Depois de muitos avanços e recuos, é certo que Iker Casillas será reforço do FC Porto para as próximas duas temporadas (mais uma de opção), naquela que será provavelmente a mais fantástica transferência da história do futebol português, com os azuis-e-brancos a recrutarem o nono futebolista mais internacional de sempre.

Trata-se, afinal, de um keeper nascido a 20 de Maio de 1981 em Móstoles, Espanha, e que até esta surpreendente transferência para o Dragão, jogou sempre no Real Madrid, somando, só ao nível do futebol sénior, 725 jogos oficiais pelo emblema merengue.

Quanto a títulos, e só a nível nacional, conquistou cinco Ligas Espanholas, duas Taças do Rei e quatro Supertaças. A nível internacional, destacam-se três Ligas dos Campeões, duas Supertaças Europeias, um Mundial de Clubes e uma Taça Intercontinental.

Uma lenda da “Roja”

Passando do seu currículo merengue para o âmbito da selecção espanhola, há que destacar que, na história do futebol espanhol, ninguém soma mais internacionalizações do Iker Casillas, existindo apenas oito futebolistas no planeta que jogaram mais jogos pela sua selecção, mais concretamente o egípcio Ahmed Hassan (184); o saudita Al-Deayea (178); o mexicano Cláudio Suárez (177); o egípcio Hossam Hassan (169); o equatoriano Ivan Hurtado (167); o letão Vitālijs Astafjevs (165); o norte-americano Cobi Jones (164); e o saudita Al-Khilaiwi (163).

Ora, com 162 internacionalizações, e sendo o único deste leque de jogadores que ainda está no activo, é certo que Iker Casillas ainda poderá ambicionar ser o mais internacional futebolista de sempre, esperando naturalmente o lendário “keeper” que esta transferência do futebol espanhol para o menos mediático futebol luso não o prejudique nesse desiderato.

Certo, de qualquer maneira, é que Iker Casillas já tem uma fantástica marca no desporto rei do seu país, sendo de destacar, para além do recorde de internacionalizações, o facto de ter contribuído de sobremaneira para as conquistas de dois Campeonatos da Europa e um Campeonato do Mundo.

Uma mais-valia inquestionável para o FC Porto

Tal como escrevi neste artigo, entendo que a contratação de Iker Casillas foi uma excelente adição ao FC Porto, isto tanto ao nível desportivo como financeiro, sendo que, no último caso, isso deve-se naturalmente às inúmeras portas que uma figura como o internacional espanhol poderá abrir no planeta para os dragões.

Quanto ao aspecto estritamente desportivo, será mais ao menos unânime que o FC Porto passará a ter o melhor guarda-redes do campeonato nacional, recrutando um keeper que se assume como um verdadeiro líder do sector recuado, oferecendo uma experiência e um “calo” dos grandes palcos que nem Helton poderia oferecer.

Elástico e fantástico no posicionamento entre os postes, o guarda-redes de 34 anos é igualmente um dos melhores shot stopper da história do futebol mundial, sendo ainda de destacar a sua competência no jogo de pés.

Como única principal lacuna, há que destacar a intranquilidade com que muitas vezes aborda os cruzamentos, ainda que esse factor certamente também se acentuou com a instabilidade que foi vivendo nos últimos anos de Real Madrid, esperando-se que, no bem mais tranquilo FC Porto, Iker Casillas seja capaz também de minimizar um pouco aquela que, ainda assim, sempre foi o seu calcanhar de Aquiles.

Read Full Post »

Casillas terá impacto gigantesco em Portugal

Casillas terá impacto gigantesco em Portugal

Aparentemente resolvidos os contratempos de última hora, parece que Iker Casillas irá mesmo reforçar o FC Porto nas próximas duas temporadas (mais uma de opção), estando imediatamente encontrada aquela que será certamente a transferência mais fantástica do defeso luso.

Prometendo um impacto ainda superior aquele que foi protagonizado pelas contratações de jogadores como Peter Schmeichel (pelo Sporting) ou Pablo Aimar (pelo Benfica), Iker Casillas é uma das principais figuras do actual espectro do futebol mundial, com um currículo que fala por si, ou não somasse, só a nível internacional, três Liga dos Campeões, duas Supertaças Europeias, uma Taça Intercontinental e um Mundial de Clubes pelo Real Madrid; assim como dois Campeonatos da Europa e um Campeonato do Mundo pela selecção espanhola.

Claro que todo este currículo e experiência de quem acumula 725 jogos oficiais pelo Real Madrid e 162 encontros pela selecção espanhola terá um preço avultado para o FC Porto, sublinhando-se que os vice-campeões nacionais terão de suportar uma elevada fatia do actual vencimento de Iker Casillas, algo na ordem dos 10 milhões de euros brutos/ano.

À primeira vista, é natural que todos pensemos que se trata de um salário proibitivo para as finanças de um clube da dimensão dos azuis-e-brancos, mas mais do que pensarmos apenas nos custos de uma contratação como a do lendário guarda-redes, também temos de nos centrar nos muitos benefícios desportivos e, acima de tudo, financeiros que este poderá trazer consigo.

É que para além de se tornar automaticamente no melhor guarda-redes a jogar na Liga, daqueles que, como se costuma dizer, garantem pontos, Iker Casillas também vai abrir muitas portas ao FC Porto, não só no país vizinho, que se verá “obrigado” a olhar com outros olhos para a Liga Portuguesa, como para o resto do planeta, que certamente pretenderá seguir com atenção os passos do internacional espanhol pelo nosso país.

Isso, aliás, poderá até facilitar ao FC Porto a possibilidade de assegurar um generoso patrocínio para as suas camisolas (sem esquecer outros tipos de sponsorização) , assim como abrir espaço a valiosas digressões internacionais e/ou participação em torneios financeiramente muito atractivos.

Iker Casillas é, afinal, um daqueles futebolistas que costumamos dizer que se paga a si próprio, podendo inclusivamente servir de boleia para a própria Liga Portuguesa, que não poderá ignorar a iminente chegada do internacional espanhol como veículo importantíssimo para o processo de internacionalização do nosso campeonato, algo em que, valha a verdade, está ainda num estado bastante distante do desejável.

Por tudo isto, faz-me imensa confusão que se coloque tanto o foco no custo de Iker Casillas e haja o profundo desejo de classificar esta possível contratação quase como gestão danosa do FC Porto. Entretanto, o mesmo clube português comprou um jogador de qualidade, é certo, mas de mediatismo quase nulo e para uma posição onde até tem muitos e bons valores. Falo, obviamente, de Imbula, que custou 20 milhões de euros, que ocupará o espaço de promessas lusas, e que não está a merecer metade da indignação generalizada.

Read Full Post »

A Espanha já participou em doze campeonatos do mundo, todavia, o melhor que conseguiu foi um quarto lugar há exactamente 60 anos (Mundial 1950). Normalmente, os castelhanos esperam sempre muito da sua selecção, mas esta costuma, invariavelmente, falhar nos momentos chave, todavia, todos acreditam que será diferente desta vez. A Espanha tem, por certo, uma das melhores equipas da sua história (talvez a melhor), é campeã da Europa e fez uma fase de qualificação em que, em dez jogos, venceu dez. Assim sendo, todos entendem que, se a Espanha não ganhar desta vez, jamais o fará…

A Qualificação

Integrada no grupo 5, que até não era dos mais fáceis (Bósnia, Turquia, Bélgica, Arménia e Estónia), a Espanha fez uma fase de apuramento completamente imaculada, vencendo todos os jogos e deixando o segundo classificado (Bósnia) a onze pontos.

Resultados como a goleada na Bósnia (5-2) e na recepção à Bélgica (5-0) são a prova da força da “Roja”, que chega, assim, ao campeonato do mundo, como um dos principais candidatos à vitória final.

Grupo 5 – Classificação

  1. Espanha 30 pts 
  2. Bósnia-Herzgovina 19 pts
  3. Turquia 15 pts
  4. Bélgica 10 pts
  5. Estónia 8 pts
  6. Arménia 4 pts

O que vale a selecção espanhola?

A equipa de Vicente del Bosque é muito forte em termos colectivos e individuais, tendo talento em todos os sectores do terreno. Além disso, não contam apenas com um onze, pois os suplentes também são de uma qualidade quase ao nível dos titulares da “Roja”.

Um bom exemplo é a baliza, que será defendida pelo excepcional: Iker Casillas, mas que tem como suplentes, nomes como Pepe Reina e Victor Valdés.

Depois, o quarteto defensivo deverá ser composto por uma excelente dupla de centrais: Piqué-Puyol. Uma dupla que se completa, pois Puyol é muito bom pelo chão, autêntica carraça para os avançados contrários, mas, sendo baixo, conta com Piqué para mandar nas alturas e garantir a segurança no jogo aéreo dos castelhanos. Por outro lado, nas laterais, deverão aparecer Capdevilla (à esquerda) e Sérgio Ramos (à direita). São dois elementos muito competentes a defender, principalmente o jogador do Real Madrid, que sabe encostar aos centrais sempre que necessário (trata-se de um central de origem), mas também são muito bons a subirem no flanco, nomeadamente Capdevilla que, muitas vezes, aparece na frente quase como um extremo.

Apesar de todos os sectores serem de grande qualidade, o meio campo é, sem dúvida, o ponto mais forte da “Roja”, roçando mesmo a perfeição. A equipa deverá jogar em losango, com Busquets a aparecer no vértice defensivo, pois trata-se de um jogador de grande inteligência táctica e que equilibra todo o jogo dos espanhóis. Depois, nas alas, deverão aparecer David Silva (à esquerda) e Iniesta (à direita). Dois atletas com dupla função, pois terão de procurar ganhar a linha, mas, também terão de saber ser interiores sempre que necessário. Por fim, no vértice ofensivo, deverá aparecer Xavi, um jogador que dispensa apresentações por todo o talento, inteligência e criatividade que dá ao jogo. No banco, a Espanha ainda conta com nomes como Xabi Alonso, Fábregas ou Jesus Navas que dão ideia do poderio da “Roja”

Chegando ao ataque, não diminuímos de qualidade, pois a dupla de ataque é composta por dois elementos móveis, raçudos, que não descanso aos defesas e que, acima de tudo, não perdoam na hora de atirarem à baliza: Fernando Torres e David Villa. Um poder de fogo que todos esperam que dê muitos golos à Espanha durante o Mundial 2010.

O Onze Base

Actuando em 4-4-2 losango, a Espanha deverá apresentar Iker Casillas (Real Madrid) na baliza; Capdevilla (Villarreal), Piqué (Barcelona), Puyol (Barcelona) e Sérgio Ramos (Real Madrid) na defesa; Busquets (Barcelona), David Silva (Valência), Iniesta (Barcelona) e Xavi (Barcelona) no meio campo; Fernando Torres (Liverpool) e David Villa (Barcelona) no ataque.

Classificação – Previsão “A Outra Visão”

Pela enorme qualidade da selecção espanhola, um grupo composto por Chile, Suíça e Honduras não lhes deve causar grande mossa. A “Roja” deverá passar o agrupamento com relativa facilidade e o seu verdadeiro campeonato do mundo apenas deve começar nos oitavos de final da prova.

Calendário – Grupo H (Mundial 2010)

  • 16 de Junho: Espanha vs Suíça
  • 21 de Junho: Espanha vs Honduras 
  • 25 de Junho: Espanha vs Chile
  • Read Full Post »