Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Internacional’

Schelotto é internacional italiano

Schelotto é internacional italiano

Actualmente sem clube, o extremo Matias Ezequiel Schelotto tem sido falado como potencial reforço de Sporting e Benfica, ele que, aos 26 anos, já apresenta algum cartel, nomeadamente o de ser internacional A pela Itália e de já ter representado vários emblemas históricos transalpinos, como o Inter de Milão, o Parma ou a Atalanta.

Ainda assim, e mesmo que a sua carreira tenha sido passada quase toda em Itália, a verdade é que Ezequiel Schelotto nasceu a 23 de Maio de 1989 na Argentina, país onde envergou as cores do Velez Sarsfield e do Banfield, isto ainda nas camadas jovens.

2008, todavia, foi o ano da viagem para Itália, país onde começou por representar o Cesena entre 2008/09 e 2010/11, numa viagem marcada pela ascensão do terceiro ao primeiro escalão e pela realização de 66 partidas oficiais (oito golos).

Atalanta, Inter e muitos empréstimos pelo meio

Na temporada de 2010/11, contudo, Ezequiel Schelotto já representava o Cesena por empréstimo da Atalanta, sendo que o futebolista de origem argentina nem sequer haveria de terminar essa sua época de estreia na Série A nos “Cavallucci Marini”, acabando por ser cedido no Catania (14 jogos, um golo) na segunda metade dessa campanha.

Ora, a Atalanta, que havia contratado o internacional italiano no Verão de 2010, apenas o veria representar efectivamente o clube a partir de 2011/12, temporada que marcou o regresso do clube de Bérgamo à Série A, sendo que Schelotto haveria de criar um grande impacto nesse período, somando um total de 56 jogos (dois golos) e conseguindo mesmo o salto para o Inter de Milão.

Aos “nerazzurri”, aliás, esteve vinculado até ao último Verão, ainda que nem sempre os tenha representado, somando apenas um total de 13 jogos (um golo) e acabando nesse mesmo período por acumular cedências a emblemas como o Sassuolo (12 jogos, um golo – 2013/14); Parma (16 jogos, quatro golos – 2013/14); e Chievo (29 jogos – 2014/15).

Uma locomotiva que não é um prodígio técnico

Ezequiel Schelotto é um futebolista que actua preferencialmente como extremo-direito, tendo como principais valências a sua velocidade, explosividade e capacidade física, sendo acima de tudo um jogador especialmente perigoso quando embalado de trás e com espaço para progredir no terreno.

Apenas mediano em termos técnicos, tem por isso algumas dificuldades em criar desequilíbrios se não tiver esse mesmo espaço, parecendo mais indicado para explorar situações de contra-ataque, algo que já lhe mereceu o rótulo de não ser um “extremo de equipa grande”.

Nesse seguimento, talvez fosse como um lateral-direito de perfil ofensivo que talvez tivesse mais condições de vingar num emblema como o Benfica ou o Sporting, até porque à sua velocidade e envergadura física (1,87 metros, 81 quilos) há que acrescentar a natural inteligência táctica de quem actuou tantos anos no “calcio”.


Read Full Post »

AstanaAo contrário do que sucedeu na temporada passada e que haveria de vir a revelar-se fatal nas ambições europeias dos encarnados, a verdade é que o Benfica não se pode queixar muito do sorteio referente à fase de grupos da Liga dos Campeões, tendo merecido inclusivamente a presença no agrupamento de um clube que deverá garantir, no mínimo, o apuramento das águias para os dezasseis avos de final da Liga Europa, mais concretamente o emblema cazaque do Astana, claramente o elo mais fraco deste Grupo C.

O bonito e moderno Astana Arena

O bonito e moderno Astana Arena

Quem é o Astana?

O FC Astana é um clube extremamente jovem, ou não tivesse sido fundado em 2009, isto após uma fusão entre dois clubes de Almaty, mais concretamente o FC Alma-Ata e o FC Megasport, sendo que a sua primeira designação foi de FC Lokomotiv Astana, tendo em 2011 deixado cair o termo “Lokomotiv” e ficado apenas como FC Astana.

Desde a sua génese, este clube da capital cazaque tem se esforçado para assumir um papel de destaque no futebol deste país encaixado entre a Europa e a Ásia, começando por contratar alguns jogadores de renome como o ex-internacionais russos: Titov e Tikhonov e crescendo muito rapidamente nas provas locais, onde conquistou a Taça do Cazaquistão em 2010 e 2012, a Supertaça em 2012 e 2015 e a Liga em 2014.

Ora, esse primeiro título nacional obtido no ano passado permitiu ao FC Astana assegurar a primeira participação na Liga dos Campeões em 2015/16, sendo que esta presença tem sido de pleno sucesso, uma vez que a equipa cazaque conseguiu voar até à fase de grupos, isto após eliminar sucessivamente os eslovenos do Maribor (0-1 e 3-1); os finlandeses do HJK Helsínquia (0-0 e 4-3); e os cipriotas do Apoel Nicósia (1-0 e 1-1).

Os jogadores do Astana festejam o apuramento para a fase de grupos da

Os jogadores do Astana festejam o apuramento para a fase de grupos da “Champions”

Como joga o Astana?

Pegando naquilo que foram a generalidade das partidas do FC Astana nesta fase preliminar da “Champions”, podemos dizer que o emblema cazaque privilegia o 4x2x3x1, isto com um ataque desconcertante e com um duplo-pivot onde estão talvez os dois mais fascinantes futebolistas do elenco: o sérvio Maksimovic e o colombiano Roger Cañas.

O Kairat é dono de um ataque muito móvel, composto pelo médio-ofensivo Zhukov, que consegue aliar muito bem o excelente trabalho de construção ofensiva a um bom índice de trabalho defensivo; o extremo-esquerdo Kéthévoama, dono de uma grande velocidade e capacidade de desequilíbrio; e os atacantes: Nursebayev, finalizador que joga preferencialmente na posição “nove” mas também cai na direita, e o ala-direito Dzholchiyev, que faz a movimentação exactamente oposta, num contexto de claro falso-extremo.

O duplo-pivot, ainda assim, e tal como reforcei ao início, é a zona do terreno onde habitam os elementos mais fascinantes do elenco, especialmente o jovem sérvio Maksimovic, futebolista que se sagrou recentemente campeão do Mundo de sub-20 e que sabe aliar a capacidade de equilibrar defensivamente a equipa, com um excelente início de construção ofensiva, mas também o colombiano Cañas, futebolista que também alinha no mesmo diapasão do sérvio, sendo muito inteligente na forma como ocupa os espaços defensivos, mas nunca deixando de avançar de forma confiante no terreno assim que a oportunidade o permite. Aliás, tanto Maksimovic como Cañas marcam golos com regularidade, numa prova viva da importância ofensiva da dupla.

Menos emblemático e cintilante, por outro lado, apresenta-se a defesa do FC Astana, que tem sido composta pelo guarda-redes: Nenad Eric, e o quarteto: Ilic (lateral-direito), Shomko (lateral-esquerdo), e Anicic e Postnikov (defesas-centrais). Ainda assim, há que destacar a grande experiência do internacional esloveno Ilic, futebolista de 32 anos com muitos jogos pela sua selecção e que oferece grande competência e fiabilidade no flanco direito da defesa do FC Astana.

Maksimovic é já uma certeza do futebol sérvio

Maksimovic é já uma certeza do futebol sérvio

Quem é que o Benfica deverá ter debaixo de olho? Nemanja Maksimovic

O internacional sérvio do FC Astana é claramente o elemento mais valioso do FC Astana, isto tanto ao nível do valor de mercado do internacional sub-20 sérvio, assim como da própria importância que este assume no meio-campo do emblema do Cazaquistão.

Trata-se de um futebolista nascido a 26 de Janeiro de 1995 em Banja Koviljača, Sérvia, sendo um produto das escolas do Estrela Vermelha de Belgrado, isto apesar da sua estreia profissional ter sido feita na Eslovénia, com a camisola do Domzale, em 2013.

Aí, até meados de 2015, somou 30 jogos e quatro golos, isto antes de se mudar para o FC Astana, clube que representa desde 7 de Fevereiro, acumulando um total de 24 partidas e seis golos.

Inteligente em termos posicionais e forte fisicamente (189 cm e 81 quilos), o sérvio é muito forte no jogo aéreo, sendo ainda poderoso nos confrontos individuais, onde sabe aplicar o seu corpo em seu benefício. Depois, fruto de uma técnica apreciável e boa capacidade de passe, é competente na forma como inicia o processo ofensivo do FC Astana, alternando essa função com o seu inseparável companheiro Cañas.

CLQuais são as perspectivas do Benfica?

Apesar de ser improvável que o FC Astana entregue de mão beijada os seis pontos ao Benfica, é igualmente inegável que este emblema do Cazaquistão está a anos de luz da qualidade da equipa portuguesa, ou não fosse talvez o mais frágil clube presente nesta edição 2015/16 da Liga dos Campeões.

Nesse seguimento, acredito que o clube da Luz terá todas as condições para somar os seis pontos em disputa com o FC Astana, isto mesmo acreditando que a partida do Cazaquistão, tanto pela viagem como pelo próprio ambiente que os encarnados irão encontrar, poderá apresentar algumas dificuldades ao Benfica.

Certo, de qualquer maneira, é que a chave para um eventual apuramento dos encarnados para os oitavos de final da Liga dos Campeões poderá estar mesmo neste duplo-confronto com o FC Astana, uma vez que se prevê um duelo titânico para a qualificação com os turcos do Galatasaray e, nesse tête-à-tête, a perda de pontos com o clube cazaque pode ser a “morte do artista”.

Read Full Post »

Giuliano apresentado no Dnipro

Na liga ucraniana, mais concretamente no Dnipro, actua um médio-ofensivo brasileiro de boa qualidade técnica e interessante sentido de baliza: Giuliano.

Nascido a 31 de Maio de 1990 em Curitiba, Brasil, Giuliano Victor de Paula iniciou a sua carreira em 2007 no Paraná, onde se destacou como o melhor jogador da segunda divisão do campeonato brasileiro.

Essas boas exibições haveriam de lhe valer uma transferência para o Internacional de Porto Alegre em 2009 e, no clube gaúcho, o médio-ofensivo não desiludiu, pois marcou 21 golos em 102 jogos e foi peça importantíssima nas conquistas do campeonato gaúcho em 2009 e da Taça dos Libertadores em 2010.

Desde Janeiro deste ano, o médio criativo encontra-se na Ucrânia, onde apesar de já ter feito algumas boas exibições, ainda está claramente em período de adaptação.

Médio-ofensivo criativo e com sentido de baliza

Giuliano é um jogador que gosta de actuar nas costas do ponta de lança, naquilo a que usualmente chamamos de “dez”, ainda que tenha um sentido de baliza um pouco mais evoluído que o normal.

Além de rápido, tecnicamente evoluído e com boa visão de jogo, trata-se de um jogador com boa mobilidade, sabendo deambular pelo sector ofensivo na procura de espaços para criar ou finalizar uma jogada ofensiva.

Não sendo propriamente forte fisicamente (1,72 metros e 68 quilos), também não é daqueles jogadores que desiste ou cai ao primeiro toque, sabendo esquivar-se dos choques e tornando-se muito difícil de marcar pelos defesas contrários.

Neste momento, com 21 anos e já internacional brasileiro, trata-se de um jogador de enorme futuro e que, por certo, após a adaptação total ao clube de Dnipropetrovsk, irá transferir-se para um clube de maiores pergaminhos.

Read Full Post »