Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘João Tomás’

Valdés foi decisivo em Leiria

Quase nem se deu por ele e é certo que ainda continua a longínquos dez pontos do líder FC Porto (venceu em Coimbra, nesta jornada, por 1-0), mas o certo é que o Sporting, com duas vitórias consecutivas, alcançou o terceiro lugar no campeonato. Nesta jornada, num jogo em que podiam ter goleado, os leões acabaram por ser perdulários e terem de sofrer até ao fim para conquistarem uma magra vitória diante do U. Leiria (2-1). Nesta nona jornada, destaque, também, para a quinta vitória consecutiva das águias (2-0 na Luz ao Paços de Ferreira) e para a terceira derrota dos bracarenses (0-2 diante do Rio Ave), um resultado que, em caso de vitória do Guimarães, os pode empurrar para um inesperado sexto lugar na Liga Zon Sagres.

Académica 0-1 FC Porto

Num duelo patrocinado por uma intensa chuva que transformou o relvado em algo de quase impraticável, o FC Porto manteve a senda vitoriosa, ao ultrapassar a Académica por uma bola a zero.

Numa primeira parte em que foram inteligentes, frios e calculistas, os dragões conseguiram colocar-se em vantagem graças a um enorme golo de Silvestre Varela (42′) num remate à meia volta. Nesses primeiros quarenta e cinco minutos, o campo quase parecia uma piscina, mas o FC Porto foi a equipa que mais procurou a baliza contrária e, assim, chegou ao descanso com o prémio da vantagem mínima.

Após o intervalo, a equipa portista continuou a controlar o jogo, mas, desta feita, perdeu frieza em relação à primeira metade. Na verdade, os azuis e brancos perderam mesmo algumas soberanas oportunidades, com destaque para uma grande penalidade desperdiçada por João Moutinho (75′).

Assim sendo, os portistas foram obrigados a sofrer nos últimos momentos, assistindo, inclusivamente, a uma bola a embater na trave da baliza de Helton. Ainda assim, os pupilos de Villas Boas souberam  aguentar o assédio da equipa de Coimbra e assegurarem a oitava vitória no campeonato, mantendo o Benfica a uma distância de sete pontos.

Benfica 2-0 Paços de Ferreira

Os encarnados conquistaram a quinta vitória consecutiva no campeonato após superiorizarem-se, em casa, ao Paços de Ferreira (2-0) num jogo marcado por um enorme golo de Pablo Aimar.

Curiosamente, o Benfica até entrou lento e pachorrento no desafio, permitindo, inclusivamente, que os visitantes fossem criando algum perigo, sempre superiormente rechaçado pelo guarda-redes Roberto.

Ainda assim, depois dos avisos pacenses, Pablo Aimar decidiu pegar na bola, passar por uma legião de defesas vistiantes e, ainda de longe, desferir um pontapé forte e indefensável que só parou no fundo das redes do Paços. Estavam decorridos catorze minutos e, contra a corrente do jogo, o Benfica colocava-se em vantagem.

A partir do golo, o filme do jogo sofreu uma viragem e, a partir deste momento, o Benfica passou a ser dono e senhor do desafio, criando e desperdiçando oportunidades, contudo, o segundo golo não surgiu e, assim, o Paços voltou a ganhar confiança, terminando a primeira metade a pressionar os encarnados.

Este filme inesperado (superiorização do Paços em pleno Estádio da Luz) manteve-se no início da segunda metade, todavia, o Benfica aguentou bem o assédio pacense e, aos 65 minutos, Kardec descansou as águias, após marcar uma grande penalidade que castigou falta sobre Fábio Coentrão.

A perder 2-0, o Paços de Ferreira baixou os braços e, assim, o jogo teve sentido único até final, apenas não se avolumando mais o resultado para os encarnados, porque a frente de ataque do Benfica esteve incrivelmente perdulária nos momentos finais.

Com esta vitória, o Benfica mantém-se a sete pontos do líder FC Porto.

U. Leiria 1-2 Sporting

O Sporting está a crescer e, ontem, voltou a demonstrar isso mesmo após vencer a União de Leiria (2-1), num jogo em que até podia ter goleado.

Numa primeira parte globalmente equilibrada, o Sporting colocou-se em vantagem com um grande pormenor técnico de Jaime Valdés (14′), que matou a bola no peito e rematou sem deixar cair o esférico para o fundo da baliza leiriense.

A perder, a U. Leiria reagiu bem e acabou por chegar à igualdade num lance em que a defesa leonina teve muitas culpas, pois Panandetiguiri passou por uma legião de leões sem que ninguém lhe tirasse a bola e, depois, serviu Carlão para este repor a igualdade. Estavam decorridos 22 minutos no Municipal de Leiria.

Com o jogo empatado e a partida equilibrada, seria necessário um momento de grande inspiração para quebrar o marasmo e foi exactamente isso que aconteceu. Aos 41 minutos, descaído para o flanco esquerdo e ainda fora da grande área, Valdés fez um magnífico remate cruzado e marcou o segundo golo da noite, provando que, talvez, seja homem para jogar nas costas do atacante e não num dos flancos. O Sporting chegava assim ao descanso em vantagem (2-1).

Nos segundos quarenta e cinco minutos o jogo foi totalmente dominado pelos leões que, inclusivamente, falharam golos que podiam ter levado à goleada. De todos os lances desperdiçados pelos verde e brancos, destaque para um cabeceamento de Vukcevic salvo, sobre a linha, por… Hélder Postiga.

Ainda assim, o mais importante (a vitória e os três pontos) foi conseguido e, assim, o Sporting subiu à terceira posição do campeonato.

Rio Ave 2-0 Sp. Braga

A história do jogo entre vilacondenses e bracarenses teve na expulsão de Moisés (27′) o seu capítulo principal. Reduzidos a dez e com um penalti contra, a vida dos arsenalistas não se previa nada fácil e, na verdade, não foi.

Curiosamente, Felipe ainda defendeu o penalti de João Tomás, mantendo, ao menos, o equilíbrio no resultado, todavia, a inferioridade numérica sentiu-se e os bracarenses foram sempre incapazes de discutir o resultado.

Assim sendo, a única dúvida seria descobrir se o Braga iria, ao menos, suster a pressão vilacondense e, assim, segurar um precioso ponto. O tempo foi passando e os arsenalistas foram-se aguentando com maior ou menor dificuldade até que, aos 71 minutos, Zé Gomes, com um remate cruzado, fez o 1-0 para o Rio Ave.

A perder, o Braga ainda se lançou ao ataque em desespero, mas o melhor que conseguiu foi um remate de Elderson (82′) ao poste. Pouco depois, João Tomás fez o segundo golo do Rio Ave e colocou um ponto final no desafio, que terminaria, assim, com uma vitória dos vilacondenses por 2-0.

Com este desaire, o Sp. Braga caiu para a quinta posição, podendo, inclusivamente, descer ao sexto lugar, caso o V. Guimarães vença, esta noite, o Portimonense.

Nos outros jogos da nona ronda, destaque para o empate do Marítimo em Olhão (1-1) que demonstra a retoma madeirense e para os triunfos caseiros de Nacional (1-0 ao V. Setúbal) e Beira-Mar (3-1 à Naval). A jornada só se conclui hoje com o V. Guimarães-Portimonense.

Anúncios

Read Full Post »

Adeptos do Rio Ave esperam uma época feliz

Prevê-se uma época difícil para o Rio Ave, sendo que a manutenção no escalão principal do futebol português não será uma tarefa fácil de alcançar pelos vilacondenses. Ainda assim, penso que, globalmente, o Rio Ave tem um plantel que lhe permite jogar num 4-2-3-1 sólido na defesa, que saberá como deter os ataques contrários e, posteriormente, ser letal no contra-ataque, principalmente se utilizar uma linha de atacantes rápidos e móveis como, de seguida, irei propor. Assim sendo, irei explanar aquele que, na minha opinião, é o onze que oferece maiores garantias para ser a base do Rio Ave para a época 2010/11.



Na baliza vilacondense apostava em Mário Felgueiras, um guarda-redes seguro e que, já esta temporada, provou a sua qualidade a actuar pelo Sp. Braga nos duelos europeus diante do Celtic. Trata-se de um guarda-redes que oferece todas as garantias e, certamente, valerá alguns pontos no final da temporada.

Depois, no quarteto recuado, utilizaria dois laterais muito competentes a defender e cuja função passaria por darem total liberdade ofensiva a Fábio Felício e Bruno Gama. Experientes e muito inteligentes tacticamente, Milhazes e Zé Gomes fariam, por certo, essa tarefa na perfeição. Por outro lado, no centro da defesa, Gaspar, jogador experiente e que nunca vira a cara à luta, seria o central de marcação, enquanto Ricardo Chaves, com rotinas de médio-defensivo, seria um jogador ideal para as dobras e, sempre que possível, para sair a jogar com a bola controlada.

No centro do meio campo, utilizaria um duplo-pivot que teria dupla função, pois o pulmão de ambos os atletas assim o permite. Neste esquema, Vítor Gomes e Bruno China iriam funcionar como trinco e box to box, mas, num conceito moderno, iriam trocar de posição, ao longo do jogo. Essa situação, além de baralhar marcações, permitia que ambos os atletas gerissem bem o esforço, podendo encher o meio campo vilacondense durante mais tempo e de forma mais eficaz.

A criatividade do conjunto verde e branco estaria, no entanto, assente nos dois desequilibradores das alas. Fábio Felício (à esquerda) e Bruno Gama (à direita), beneficiariam da tracção defensiva dos laterais e da inteligência táctica dos médios centro, para terem liberdade total no processo ofensivo, sendo, assim um constante perigo para as defesas contrárias e, ao mesmo tempo, impedindo que os laterais adversários pudessem subir e criar desequilíbrios para a defensiva vilacondense.

Por fim, no ataque, jogaria com dois elementos, sendo que Saulo, funcionaria como um falso número 10, pois, na verdade, ele seria um avançado-centro que partiria de trás, para, em velocidade, ter mais espaço para criar dificuldades nas defensivas contrárias e servir o ponta de lança ou, inclusivamente, arranjar espaço para ele próprio finalizar. Na frente dele, como ponta de lança fixo, jogaria com Cícero, um jogador muito forte físicamente e alto, mas igualmente móvel e com capacidade técnica para não ser simplesmente um “target man”. No banco, teríamos ainda João Tomás, um jogador que poderia substituir ou Cícero, numa prespectiva de simples refresco do sector ofensivo ou, num prisma mais dedicado ao futebol directo, tirando Saulo e colocando o ex-benfiquista ao lado de Cícero, numa dupla que, em jogo aéreo, seria, por certo, letal.

Na minha opinião, com este onze base, o Rio Ave iria ser uma equipa muito matreira e, por certo, iria garantir a manutenção na Liga Zon Sagres.

Read Full Post »