Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Lateral-esquerdo’

Madu tem um potencial impressionante

Madu tem um potencial impressionante

Mesmo contando nos seus quadros com Eliseu e Marçal, não é garantido que o Benfica não vá ainda ao mercado para a contratação de mais um lateral-esquerdo, sendo que o jornal “A Bola”, fazendo eco da imprensa holandesa, coloca hoje o jovem nigeriano Kingsley Madu, de 19 anos, na rota da Luz.

Trata-se de um futebolista nascido a 12 de Dezembro de 1995 na Nigéria e que cedo rumou ao futebol europeu, com destino à Eslováquia, isto para representar o Trencin, da primeira divisão daquele país da ex-Checoslováquia.

Aí, estreou-se profissionalmente em 2013/14, somando, até este momento, 32 jogos e dois golos, e tendo inclusivamente ajudado o Trencin a conquistar a dobradinha na temporada transacta.

Um verdadeiro diamante por lapidar

Antes de mais, há que referir que Kingsley Madu ainda tem muito que evoluir em termos tácticos e, até, da gestão do seu próprio esforço, uma vez que o nigeriano, para a posição que ocupa no terreno, deixa demasiado espaço nas suas costas, comete demasiados erros posicionais e ainda excede-se em demasia em correrias muitas vezes sem grande sentido.

Posto isto, há que admitir que este lateral-esquerdo tem tudo para ser um jogador de elite, apresentando inúmeras qualidades ofensivas, nomeadamente a sua explosividade e velocidade, que garantem grande profundidade ao seu flanco, assim como a capacidade de drible, qualidade no passe/cruzamento, e superior visão de jogo.

A nível defensivo, por outro lado, existem ainda os problemas que já foram referidos, ainda que o nigeriano de 19 anos tenha todas as valências para evoluir imenso neste aspecto, até porque a sua velocidade permite-lhe uma capacidade de recuperação fora de comum. Por fim, temos também de sublinhar a sua capacidade de desarme e competência no jogo aéreo, isto mesmo que meça apenas 1,75 metros.

Read Full Post »

Stéphane no Olhanense

No Atlético Clube de Portugal da Liga Orangina evolui um bom defesa-esquerdo oriundo das camadas jovens do FC Porto. Refiro-me, obviamente, a Stéphane.

Nascido a 1 de Novembro de 1989 em Bingerville, Costa do Marfim, Stéphane Agbre Dasse é, ainda assim, um internacional burquinês que chegou ao futebol português em 2006 para representar os júniores do FC Porto.

Entre 2008 e 2010, o jogador esteve emprestado ao Olhanense, mas se a primeira época, na Liga de Honra, foi positiva para o burquinês (30 jogos), a segunda, no escalão principal, não foi famosa, pois Stéphane apenas foi utilizado em seis jogos oficiais.

Atlético é o seu terceiro destino distinto por empréstimo do FC Porto

Assim sendo, foi sem surpresa que, na temporada passada, o jogador voltou a ser emprestado a um clube da Liga Orangina, neste caso o Penafiel, clube onde foi utilizado com relativa regularidade (17 jogos), mas sem ter explodido como os responsáveis azuis-e-brancos por certo esperariam.

Acreditando que o internacional pelo Burquina Faso precisa ainda de maior experiência competitiva, os responsáveis técnicos dos dragões voltaram a emprestar Stéphane nesta temporada, sendo que, desta feita, o destino foi o Atlético. No clube da Tapadinha, o burquinês assume-se como titular indiscutível e um dos bons valores do Atlético, somando vinte jogos e boas exibições individuais.

Lateral-esquerdo precisa de ganhar inteligência posicional

Stéphane é um jogador rápido e raçudo que defende com segurança e ataca com critério, podendo ser usado como defesa-esquerdo mais posicional e conservador ou, caso o treinador pretenda, funcionando como elemento de maior risco, avançando mais no terreno.

Um dos pontos fracos do jovem burquinês, todavia, é alguns momentos de desconcentração posicional que fazem com que Stéphane cometa erros graves no sector defensivo.

Contudo, pelas suas características que dispõe, e caso consiga se tornar um jogador mais “concentrado” do ponto de vista táctico, estou certo que o burquinês tem futebol mais que suficiente para actuar no principal escalão do futebol português.

Read Full Post »

A melhor época de Igor Pita foi em Aveiro

No Belenenses da Liga Orangina actua um defesa-esquerdo com capacidade para evoluir no Mundo do futebol caso lhe dêem oportunidades: Igor Pita.

Nascido a 31 de Maio de 1989 na Camacha, Madeira, Carlos Igor Silveira Pita é um produto das camadas jovens do Nacional da Madeira, tendo se estreado profissionalmente em 2007/08, quando efectuou dois jogos oficiais pelo Nacional.

Na temporada seguinte, o lateral-esquerdo foi utilizado em dez partidas, mas acabou por abandonar a equipa madeirense no final da época, transferindo-se para o Beira-Mar. Na equipa aveirense, fez uma espectacular época de 2009/10, efectuando 33 jogos e sendo quase sempre titular na equipa que haveria de garantir a subida ao principal escalão do futebol português nessa temporada.

Não teve sucesso nem em Chipre nem no Marítimo

2010/11 foi uma temporada que começou em Chipre para Igor Pita, pois o lateral-esquerdo transferiu-se para o Doxa Katokopia. No clube cipriota, o defesa madeirense não se impôs e, a meio da época, voltou a mudar de ares, transferindo-se para o Marítimo.

No regresso à Madeira também não foi feliz, sendo apenas utilizado na equipa B do Marítimo, sendo natural que no final da época tenha abandonado a equipa insular e se transferido por empréstimo para o continente e para o Belenenses.

Na equipa lisboeta, o lateral-esquerdo não tem sido titular indiscutível (tem dez jogos realizados), mas sempre que foi utilizado demonstrou grande competência, destacando-se a exibição sóbria e segura que fez em Alvalade em jogo da Taça de Portugal.

Lateral-esquerdo sério e competente

Igor Pita é um lateral-esquerdo de 1,84 metros que se destaca pelo bom pulmão, velocidade e segurança e competência no processo defensivo da equipa que defende.

Ofensivamente, é um jogador que sabe subir no flanco sendo incisivo e inteligente na forma como o faz, pois nunca coloca em causa a segurança defensiva quando sobe no terreno.

Neste momento, com 22 anos, trata-se de um jovem jogaodr português com condições para evoluir no futebol português, até porque actua numa posição onde, normalmente, existe muita escassez de valores nacionais.

Read Full Post »

L. Pimenta é um produto das escolas do Benfica

No Atlético actua uma jovem promessa lusitana criada nas escolas do Sport Lisboa e Benfica e que, por certo, almejará regressar um dia ao ninho da águia: Leandro Pimenta.

Nascido a 9 de Julho de 1990 em Albufeira, Leandro António Coelho Pimenta é um produto das escolas do Sport Lisboa e Benfica, tendo brilhado nas camadas jovens encarnadas como médio polivalente que tanto podia jogar numa posição mais defensiva, como a interior-esquerdo ou, inclusivamente, médio ofensivo.

Numa espiral de empréstimos

Em 2009/10, na transição para futebolista sénior, Leandro Pimenta foi emprestado ao Beira-Mar, então na Liga de Honra. No clube aveirense, porém, o médio português não se conseguiu impor, terminando a temporada com apenas 533 minutos realizados em todas as competições oficiais.

Na temporada seguinte, Leandro Pimenta foi emprestado ao Fátima, mas voltou a não ser feliz, não se assumindo como titular no clube que acabou por descer à II divisão nacional no final da época.

Na actual época, foi a vez do jovem português ser emprestado ao Atlético e, aí, finalmente Leandro Pimenta se assumiu como titular absoluto, somando 11 jogos como titular pelo clube da Tapadinha e sendo, claramente, uma das peças fundamentais de uma equipa que se assume como uma surpreendente candidata à subida ao primeiro escalão.

Médio polivalente que também pode jogar como lateral

Leandro Pimenta é preferencialmente um médio-centro, que tanto pode jogar numa posição mais defensiva como em sectores mais ofensivos do relvado, demonstrando ter boa técnica individual, interessante visão de jogo e um posicionamento no terreno de jogo de grande qualidade.

Para além disso, a sua polivalência também lhe permite actuar como interior-esquerdo e, inclusivamente, a lateral-esquerdo, assumindo-se sempre como um jogador muito seguro, generoso e que sabe cumprir com aquilo que o treinador lhe pede.

Neste momento, com 21 anos, e a viver a primeira temporada sénior como titular absoluto, Leandro Pimenta aproxima-se finalmente do grande sonho de, um dia, poder vestir a camisola principal do Sport Lisboa e Benfica.

Read Full Post »

Insúa com a camisola do Sporting

Uma das lacunas mais apontadas ao Sporting neste início de temporada residia no lado esquerdo da defesa, mas pode-se dizer que o Sporting soube suprimi-la com a contratação de um lateral-esquerdo de grande qualidade individual: Insúa.

Nascido a 7 de Janeiro de 1989, Emiliano Adrián Insúa Zapata iniciou a sua carreira nas camadas jovens do Boca Juniors, mas, com apenas 18 anos, transferiu-se para o histórico Liverpool.

No clube inglês, esteve entre 2007 e 2011, ainda que apenas tenha sido titular durante a época de 2009/10, quando foi um dos mais utilizados dos “reds” e se pensou que tinha garantido o lugar de lateral-esquerdo do Liverpool para as temporadas seguintes.

Sem sucesso no futebol turco

Surpreendentemente, e depois de ter estado perto da Fiorentina, o internacional argentino acabou emprestado ao Galatasaray, onde passou a época transacta, mas sem se impor verdadeiramente, pois apenas fez 16 jogos pelo clube turco.

Assim sendo, no actual defeso, o lateral-esquerdo argentino acabou por regressar ao Liverpool, mas, sem espaço no clube inglês, acabou por se transferir de forma definitiva para o Sporting, onde se espera que se imponha como o dono do lado canhoto da defesa verde-e-branca.

lateral-esquerdo de elevado pendor ofensivo

Emiliano Insúa é um lateral-esquerdo de perfil ofensivo, que gosta de subir no terreno e criar desequilíbrios no processo ofensivo da sua equipa. Veloz, raçudo, bom tecnicamente e com uma excelente capacidade para cruzar para a área, é o puro lateral ofensivo que, por essa característica bastante atacante do seu futebol, obriga a que um dos médios-centro compense várias vezes a suas arrancadas.

Por esse motivo, e tendo em conta que no Sporting deverá ter João Pereira (também ele um lateral muito ofensivo) no outro flanco, será necessário que os leões tenham muita atenção na forma como os elementos do meio-campo vão compensar a possibilidade dos leões actuarem com dois laterais de perfil atacante.

Read Full Post »

Mangala vai deixar saudades no Standard

A viver e a jogar futebol na Bélgica desde os cinco anos encontra-se um defesa-central francês de enorme qualidade e que também poderá reforçar o FC Porto: Eliaquim Mangala.

Nascido a 13 de Fevereiro de 1991 em Colombes, França, Eliaquim Magala cedo viajou para a Bélgica, onde representou clubes de menor dimensão até se transferir para o Standard de Liège na temporada 2007/08.

No clube da Valónia, estreou-se na equipa sénior na temporada seguinte, tendo chegado à titularidade  em 2009/10 para nunca mais a perder. Neste momento, com apenas 20 anos de idade, já soma 77 jogos (2 golos) pelo Standard de Liège, sendo claramente um dos elementos mais importantes do plantel.

Um central possante mas de boa qualidade técnica

Mangala é um defesa-central alto e forte (1,87 metros), sendo bastante efectivo no jogo aéreo. Apesar disso, consegue reunir outro tipo de qualidades não tão usuais para um jogador da sua envergadura, pois é rápido tanto em termos de velocidade pura como de reacção e muito bom tecnicamente.

Defesa-central por vocação, também pode actuar como lateral-esquerdo, pois, curiosamente, foi nessa posição que iniciou a carreira. Ainda assim, o francês é muito mais efectivo no centro da defesa, sendo que a deslocação para o flanco canhoto apenas deve ser colocada em causa em casos de extrema necessidade.

Por todas as qualidades enunciadas, pela sua inteligência táctica e pela enorme margem de progressão que este jovem de 30 anos tem, penso que seria um reforço de luxo para o plantel azul-e-branco.

Read Full Post »

Lino tem sido peça chave no PAOK

Foi uma das contratações mais estranhas do FC Porto. Após uma boa época na Académica, percebeu-se que Lino até era um jogador com talento, todavia, já tinha 30 anos, sendo pouco provável que, nessa idade, tivesse uma oportunidade para jogar num grande clube português. No entanto, de forma bastante surpreendente, o FC Porto acabou por avançar para a sua contratação para a época 2007/08, deixando o lateral-esquerdo no plantel por temporada e meia, onde Lino efectuou 23 jogos (apenas nove para o campeonato) e ficou conhecido entre os adeptos pelo pouco carinhoso de “Pinolino”.

Actuou em vários clubes brasileiros antes de chegar a Portugal

Dorvalino Alves Maciel “Lino” nasceu a 1 de Junho de 1977 em São Paulo e iniciou a sua carreira no Corinthians em 1997. Após essa experiência, iniciou um périplo por vários clubes brasileiros como o São Caetano, Figueirense, São Paulo, Bahia, Fluminense e Juventude, nunca ficando mais do que um ano seguido em qualquer um desses clubes.

Ainda assim, principalmente no Figueirense, São Paulo, Bahia e Fluminense, o lateral-esquerdo conseguiu actuar com regularidade e assumir-se como um lateral/ala-esquerdo de boa qualidade individual.

Chegou à Académica no defeso de 2006/07 e ao FC Porto na época seguinte

Após quase uma década a jogar no futebol profissional brasileiro, Lino, aos 29 anos, conheceu a primeira experiência europeia, assinando pela Académica de Coimbra. Nos estudantes fez uma extraordinária época em termos individuais, marcando cinco golos em 33 jogos e ajudando a briosa a garantir a manutenção no principal escalão do futebol nacional.

Apesar da boa temporada, tratava-se de um jogador de 30 anos e, por certo, poucos esperaram a surpreendente mudança para o FC Porto, que o acolheu no defeso de 2007/08. No Dragão, todavia, cedo se percebeu que seria uma contratação de pouco sucesso, pois o jogador pouco jogou para o campeonato e, quando actuou, foi sempre muito criticado, sendo que em época e meia apenas viveu um momento de alguma glória, quando marcou um golo (o seu único no FC Porto) ao Fenerbahçe, num jogo em que os portistas venceram os turcos (3-1) para a “Champions”.

Tornou-se peça fundamental do PAOK

Assim sendo, e já com a pouco carinhosa alcunha de “Pinolino”, o brasileiro haveria de deixar o Dragão no início de 2009, mudando-se de armas e bagagens para a Grécia e para o PAOK Salónica.

No histórico clube da Macedónia (A região grega, não confundir com o país a norte…), Lino assumiu-se como peça importantíssima do onze, somando 94 jogos (7 golos) em todas as competições que o PAOK disputou durante as últimas duas épocas e meia.

Neste momento, já com 34 anos, e ainda no activo no clube de Salónica, percebe-se que não seria o reforço ideal para aquele FC Porto que, em tempos, decidiu contratá-lo, mas também não merecia a alcunha de “Pinolino” que alguns azuis-e-brancos teimaram em colar-lhe.

Read Full Post »

Older Posts »