Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Liga Europa’

FC_Lokomotiv_Moscow_logo.svgDepois do confronto de má memória diante do CSKA, que o atirou para fora da Liga dos Campeões, o Sporting prepara-se para defrontar nova equipa russa, e também moscovita, mais concretamente o Lokomotiv, conjunto que terminou a última liga local na sétima posição, tendo chegado a esta Liga Europa em virtude de ter conquistado a Taça da Rússia. Algo distante do valor do CSKA Moscovo, tanto ao nível de palmarés como de qualidade do próprio plantel, a verdade é que o emblema orientado por Igor Cherevchenko poderá causar muitos problemas aos leões se estes não estiverem concentrados e inspirados.

O bonito Lokomotiv Stadium

O bonito Lokomotiv Stadium

Quem é o Lokomotiv de Moscovo?

O FC Lokomotiv de Moscovo foi fundado em 1922 com a designação de Kazanka Moskovskaya-Kazanskaya Zh.D, mas haveria de mudar o seu nome para o actual em 1936, ano em que haveria de conquistar o seu primeiro título relevante, a Taça da União Soviética, num feito que haveria de repetir em 1957.

Certo, contudo, é que o Lokomotiv de Moscovo nunca foi um clube muito relevante nos tempos da URSS, sendo sintomático que nunca tenha conquistado o campeonato desse extinto país, tendo a sua melhor campanha surgido em 1959, quando foi vice-campeão.

Diferentes, contudo, têm sido os tempos mais recentes, após o desmantelamento da URSS, uma vez que o Lokomotiv de Moscovo já conquistou dois campeonatos russos; seis taças da Rússia e duas supertaças.

Relevantes têm sido igualmente algumas campanhas europeias, sendo de destacar a presença em duas meias-finais da extinta Taça das Taças, nomeadamente em 1997/98 e 1998/99.

Niasse é o goleador do Lokomotiv

Niasse é o goleador do Lokomotiv

Como joga o Lokomotiv de Moscovo?

A equipa do Lokomotiv de Moscovo costuma actuar num 4x2x3x1 bastante claro, sendo que o principal perigo surge em zonas ofensivas, nomeadamente através da dinâmica e magia do tridente que actua nas costas do possante e excelente finalizador, Niasse.

Afinal, a secundar esse terrível ponta de lança senegalês, costumam actuar os perigosíssimos extremos: Kasaev (mais pela esquerda) e Samedov (mais pela direita), que tanto sabem oferecer profundidade e verticalidade ao respectivo flanco, como conseguem assumir igualmente posições mais interiores quando necessário. Depois, na posição “dez”, muita atenção ao grande talento deste Lokomotiv, mais concretamente o prodigioso construtor de jogo Miranchuk, de apenas 19 anos, que tem tudo para ser um dos grandes craques russos num futuro muito próximo.

Mais atrás, surge o duplo-pivot: N’Dinga/Tarasov, composto por dois elementos que se preocupam quase em exclusivo por fechar os caminhos para a defesa da equipa russa, esta composta pelo quarteto: Shishkin (direita); Denisov (esquerda); Corluka e Pejcinovic (centrais). Aqui, na verdade, poderá estar o segredo de uma eventual vitória verde-e-branca, uma vez que os laterais costumam dar muito espaço nas suas costas e, também por isso, os dois centrais terão certamente dificuldades em lidar com a dinâmica e velocidade que terá de ser imposta pelo ataque leonino.

Por fim, há ainda que falar do guarda-redes do Lokomotiv, o brasileiro Guilherme, que tem como pontos fortes a sua elasticidade e qualidade entre os postes, mas que não é muito forte nas saídas aos cruzamentos, num perfil curiosamente parecido ao “keeper” do Sporting, Rui Patrício.

Miranchuk é um verdadeiro prodígio

Miranchuk é um verdadeiro prodígio

Quem é que o Sporting deve ter debaixo de olho? Miranchuk

Com apenas 19 anos de idade, Aleksei Miranchuk é claramente a grande figura deste Lokomotiv de Moscovo, estando a viver uma ascensão verdadeiramente meteórica, isto ao ponto de já somar 44 jogos (quatro golos) pelo emblema da capital russa e duas internacionalizações A (um golo).

Nascido a 17 de Outubro de 1995 em Slavyansk-na-Kubani, Rússia, o jovem craque iniciou o seu percurso no Olymp Slavyansk-na-Kubani e ainda passou pelas camadas jovens do Spartak de Moscovo, onde foi chumbado por não considerarem que reunia as condições físicas ideais para a alta-competição.

Essa decisão do Spartak acabou por ser a sorte do Lokomotiv de Moscovo, que recebeu o jogador em 2011 e, desde 2013, tem o visto brilhar na equipa principal, sempre pautando as suas exibições pela sua superior visão de jogo e excelente qualidade técnica.

Aliás, será imperioso que o Sporting vigie constantemente as movimentações de Aleksei Miranchuk, porque cedo irá perceber que a maior parte do jogo ofensivo do Lokomotiv de Moscovo passa, efectivamente, pelo pés de veludo desta jovem promessa.

ELQuais são as possibilidades do Sporting?

É indesmentível que o Sporting tem melhor equipa do que o Lokomotiv de Moscovo, ainda que seja igualmente um facto que as ausências de Ewerton, William Carvalho, João Mário e André Carrillo aproximam mais o valor de verde-e-brancos e russos.

Nesse seguimento, o Sporting terá de ser uma equipa muito competente e equilibrada para levar de vencido o seu adversário, sendo imperioso saber explorar algumas lacunas que o Lokomotiv de Moscovo apresenta na sua defesa e controlar sempre muito bem as movimentações de Niasse e do trio de criativos que actua nas suas costas.

Certo, de qualquer maneira, é que este jogo será muito importante para as ambições do Sporting nesta Liga Europa, sendo que qualquer resultado que não seja a vitória verde-e-branca poderá complicar imediatamente as contas leoninas num agrupamento que também tem um forte Besiktas.

Read Full Post »

247px-SC_Rheindorf_Altach.svgNuma fase tão embrionária das pré-eliminatórias da Liga Europa, não se pode dizer que o Vitória de Guimarães tenha tido propriamente sorte por apanhar o Altach, sendo certo que, de entre as outras possibilidades presentes no seu agrupamento, haveriam melhores alternativas como eram exemplos os vencedores dos duelos entre Slovan Bratislava (ESL) e UCD (IRL); FH (ISL) e Inter Baku (AZE); ou Jelgava (LET) e Rabotnicki (MAC). Ainda assim, e independentemente da sorte poder ter sorrido de outra forma aos vimaranenses, é inegável que o favoritismo para esta ronda será luso.

O Vitória jogará no Cashpoint Arena

O Vitória jogará no Cashpoint Arena

Quem é o Altach?

O SC Rheindorf Altach foi fundado a 26 de Dezembro de 1929, então como secção de futebol do Turnerbund Altach, tendo tido uma existência algo atribulada nas duas primeiras décadas. Em 1949, contudo, quando a secção de modalidades deixou de existir, a facção do futebol acabou por continuar o seu percurso de forma mais sustentada e de forma independente.

Ainda assim, foram necessários muitos anos para que o Altach chegasse à primeira divisão do futebol austríaco, feito apenas alcançado em 2006/07, isto depois de ter sido campeão do segundo escalão em 2005/06. Essa permanência no primeiro escalão, contudo, haveria de durar três temporadas, sendo que a descida acabou por surgir em 2008/09, com o Altach a permanecer mais cinco temporadas na segunda divisão, isto até ter sido novamente campeão em 2013/14.

Ora, na temporada passada, que marcou o regresso à Bundesliga austríaca, esperava-se uma batalha do Altach pela permanência, mas a verdade é que o emblema de Voralberg acabou por surpreender, terminando a prova numa fantástica terceira posição que lhe garantiu o apuramento para a 3.ª pré-eliminatória da Liga Europa.

Damir Canadi é o treinador do Altach

Damir Canadi é o treinador do Altach

Como joga?

Ainda sem jogos oficiais disputados em 2015/16, temos que nos centrar naquele que era o esquema táctico do técnico Damir Canadi na temporada transacta, sendo que esse passava preferencialmente por um 4x4x2 clássico, num futebol que privilegiava imenso as lateralizações, isto usando como flanqueadores preferenciais o líbio Tajouri (transferiu-se para o Áustria de Viena), o croata Kovacec (agora no Ulsan Hyundai), o camaronês Mahop e o austríaco Seeger. Já no eixo do meio-campo, o alemão Felix Roth sempre foi o elemento mais imaginativo e ofensivo, ficando as tarefas mais defensivas preferencialmente nas mãos do capitão Netzer.

Na frente de ataque, a referência foi sempre o veterano Hannes Aigner (34 anos), futebolista que marcou 13 golos na temporada transacta e cuja experiência e capacidade finalizadora foram sempre aspectos temidos pelos adversários que o defrontaram na Áustria. Ao seu lado, foram alternando vários jogadores, sendo que na parte final da época foi Darko Bodul (actualmente sem clube) o jogador que mais vezes o acompanhou.

Por fim, no sector recuado, a baliza alternou entre Kobras e Lukse, sendo que o quarteto defensivo mais vezes utilizado foi composto pelos centrais: OrtizZwischenbrugger e pelos laterais: Schreiner (esquerda) e Lienhart (direita).

Aigner oferece experiência e golos

Aigner oferece experiência e golos

Quem é que o Vitória de Guimarães deve ter debaixo de olho? Hannes Aigner

A principal referência ofensiva do Altach certamente que continuará a ser este austríaco nascido a 16 de Março de 1981 em Schwaz, ponta de lança que tem a experiência acumulada de passagens pelo Wacker Tirol (89 jogos, 16 golos), Áustria Viena (72 jogos, 14 golos), SC Wiener Neustadt (88 jogos, 39 golos) e LASK Linz (34 jogos, 15 golos).

Afinal, desde que chegou ao Altach, em 2012/13, tem sido peça fundamental na nova ascensão deste clube austríaco, sendo que já soma um total de 57 tentos em 98 jogos oficiais.

Longe de ser um prodígio técnico ou propriamente rápido, Hannes Aigner destaca-se pela sua ampla mobilidade em zonas ofensivas, apresentando depois um excelente faro de golo, sendo efectivo na finalização com a cabeça (onde é especialmente letal) ou com o pé direito. Em suma, um perigo à solta que terá de ser devidamente vigiado pelos vimaranenses.

ELAs possibilidades do Vitória de Guimarães

Antes de mais, temos de ter em conta que esta eliminatória diante do Vitória de Guimarães apresentar-se-á como a estreia europeia do Altach, algo que coloca o emblema austríaco numa posição de clara inferioridade perante um emblema luso com grande traquejo europeu.

Depois, e mesmo que esta equipa austríaca tenha de facto excelentes jogadores nos seus quadros como Aigner, Roth, Mahop ou Ortiz, a verdade é que o Altach não deixa de ser inferior colectivamente e individualmente ao conjunto português, que perdeu alguns elementos importantes como André André, mas está a saber-se reforçar.

Assim sendo, penso que, com maior ou menor dificuldade, o conjunto vimaranense irá conseguir ultrapassar este obstáculo e seguir para o playoff da Liga Europa. Mas, obviamente, terá de haver o máximo respeito por este conjunto austriaco.

Read Full Post »

CFBVSCTerminado o campeonato nacional, as contas referentes aos clubes portugueses estão todas concluídas. O Sporting de Braga está automaticamente apurado para a fase de grupos, onde garantidamente será cabeça de série, enquanto que o Vitória de Guimarães e o Belenenses terão de ultrapassar duas pré-eliminatórias para fazerem companhia aos arsenalistas.

Ainda assim, se ambos terão de ultrapassar dois adversários para atingirem a fase de grupos da Liga Europa e o sempre apetecível prémio de 1,3 milhões de euros, a verdade é que a perspectiva de ambos é completamente diferente.

Afinal, os vimaranenses, com um coeficiente de 17.776 pontos, terão a garantia de serem cabeças de série na 3.ª pré-eliminatória e playoff, enquanto os azuis do Restelo, com um coeficiente de 12.276 pontos, apenas serão garantidamente cabeças de série na 3.ª pré-eliminatória, precisando de uma improvável conjugação de resultados nas eliminatórias anteriores para repetirem o feito na ronda seguinte.

Nesse seguimento, enquanto o Vitória de Guimarães terá como adversários potenciais no playoff equipas como o Sheriff (Moldávia), Zarja (Ucrânia), Asteras Tripolis (Grécia), Omónia de Nicósia (Chipre) ou Atromitos (Grécia), o Belenenses poderá ver-se obrigado a defrontar clubes como o Borussia Dortmund (Alemanha), Athletic de Bilbau (Espanha), AZ Alkmaar (Holanda), Dínamo de Moscovo (Rússia) ou Sampdória (Itália).

Assim sendo, será sempre necessário colocar as expectativas de sucesso destes dois clubes lusos em patamares completamente diferentes, devendo o Belenenses precisar de um verdadeiro momento de superação para chegar à fase de grupos da Liga Europa.

Read Full Post »

Sérgio Conceição precisa inverter rapidamente o ciclo negro do Sp. Braga

Sérgio Conceição precisa inverter rapidamente o ciclo negro do Sp. Braga

O Sporting de Braga está a passar por um mau momento na Liga Portuguesa, estando a adiar constantemente a obtenção matemática do quarto lugar, classificação que lhe permitirá atingir automaticamente a fase de grupos da Liga Europa 2015/16.

Para essa quebra abrupta dos arsenalistas, muito se culpabiliza a final da Taça de Portugal, falando-se que os jogadores do emblema bracarense já só pensarão no Jamor, não conseguindo manter o foco nos jogos do campeonato nacional, mas a verdade é que a matemática prova que a queda da equipa orientada por Sérgio Conceição já vem de trás.

Afinal, se recuarmos à 23.ª jornada, um mês e uma semana antes da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, percebemos que o Sporting de Braga, nessa fase, somava 46 pontos, encontrando-se, por exemplo, a apenas um ponto do Sporting (3.º) (curiosamente outro clube do qual os jogadores têm sido igualmente acusados de estarem a tirar o pé do acelerador em jogos da Liga).

Certo é que, nove jornadas depois, as diferenças entre leões e bracarenses são avassaladoras, com o Sporting a somar 23 pontos (sete vitórias e dois empates) nesse período e o Sporting de Braga a ficar-se pelos nove (duas vitórias, três empates e quatro derrotas).

Perante este cenário, os arsenalistas passaram a ficar a 15 longínquos pontos do Sporting, mas, mais preocupante que isso, com apenas mais cinco pontos que o Vitória de Guimarães (5.º), que até pode ficar somente a dois se vencer hoje o Nacional na Choupana.

Afinal, é inegável que a quebra de resultados começou bem antes do Sporting de Braga saber que ia disputar a final da Taça de Portugal, uma vez que os arsenalistas perderam oito pontos nos quatro jogos anteriores à primeira mão do duplo confronto com o Rio Ave e mais cinco nos três jogos antes da segunda mão.

Nesse seguimento, e não ignorando que existirá naturalmente a possibilidade do Jamor estar a rondar a cabeça dos jogadores do Sporting de Braga, é certo que o mau momento não passará apenas e só por esse factor, sendo crucial que Sérgio Conceição consiga inverter este ciclo rapidamente, sob pena do clube minhoto acabar mesmo por ser ultrapassado pelo arqui-rival Vitória de Guimarães, em algo que iria ferir bastante o seu ego e deixaria o acesso à fase de grupos da Liga Europa e consequente encaixe de 1,3 milhões de euros dependente de um triunfo diante do Sporting na final da Taça de Portugal.

Read Full Post »

O trio que comanda o leão

Inácio, Bruno de Carvalho e Marco Silva deverão estar preparados para um cenário sem Champions

A vitória do Sporting Clube de Portugal no Caldeirão dos Barreiros, aliada à derrota do Sporting Clube de Braga, na Luz, diante do Sport Lisboa e Benfica, deixou os leões com sete pontos de avanço no terceiro lugar do campeonato nacional e, dessa maneira, mais perto de alcançarem o objectivo mínimo do playoff de acesso à Liga dos Campeões da próxima temporada.

Ainda assim, há que ter a consciência de que esse mesmo terceiro lugar e consequente acesso ao último obstáculo de acesso à “Champions” está longe de poder ser visto com os mesmos olhos que os portistas o viram em 2014/15 e acabou, efectivamente, por redundar no apuramento azul-e-branco para a prova milionária, fruto de dupla vitória sobre o Lille (1-0 e 2-0).

Afinal, o Futebol Clube do Porto, em função do seu estatuto de oitava equipa com melhor ranking da UEFA, conseguiu alcançar esse mesmo playoff como cabeça de série, tendo como adversários possíveis nessa ronda os franceses do Lille (que lhe viriam a cair em sorte), os espanhóis do Athletic de Bilbau, os turcos do Besiktas, os dinamarqueses do FC Copenhaga e os belgas do Standard de Liège.

Ora, esse panorama simpático dificilmente se repetirá para o Sporting, que, lembre-se, fez uma miserável campanha europeia em 2012/13 e nem sequer esteve presente nas provas da UEFA na temporada seguinte, algo que prejudicou acentuadamente o seu ranking e o impede de ser cabeça de série no playoff de acesso à Liga dos Campeões.

Aliás, se os campeonatos europeus terminassem hoje, e só para terem ideia do cenário que se depararia aos leões, há que sublinhar que os adversários possíveis seriam nada mais nada menos que o Manchester United (Inglaterra), Atlético de Madrid (Espanha), Bayer Leverkusen (Alemanha), Shakhtar Donetsk (Ucrânia) e Nápoles (Itália), algo que naturalmente complicará, e muito, nova participação do Sporting na Liga Milionária.

Ainda assim, isto não é a mesma coisa que dizer que o terceiro lugar não tem grande valor, por que o tem, quanto mais não seja financeiro, uma vez que o playoff garante um encaixe imediato de 2,1 milhões de euros e, no mínimo, mais 1,3 milhões de euros do acesso directo à fase de grupos da Liga Europa. Depois existirão ainda as receitas de bilheteira que poderão vir associadas à presença de uma grande equipa europeia em Alvalade.

De qualquer maneira, numa fase de reestruturação financeira, e com o Sporting ainda a pagar pelos (muitos) erros do passado, há que ter em conta a perspectiva mais pessimista (que aqui se confunde com realismo) e preparar orçamentalmente a próxima temporada sempre com o cenário da Liga Europa e dos naturalmente menos avultados prémios financeiros dessa prova da UEFA.

Read Full Post »

Lior Refaelov é um talento do FC Brugge

No futebol belga actua um médio-ofensivo israelita de enorme talento individual e que se tem revelado como uma peça bastante importante do FC Brugge desde 2011/12: Lior Refaelov.

Nascido a 26 de Abril de 1986 em Or Akiva, Israel, Lior Refaelov é um produto das escolas do Maccabi Haifa, tendo se estreado a nível sénior pelo clube israelita em 2004.

No Maccabi Haifa, haveria de permanecer até 2011, tendo efectuado 161 jogos (30 golos) e conquistado três campeonatos de Israel e uma taça israelita, antes de se transferir para a Bélgica em 2011.

A actuar no FC Brugge desde essa data, o médio-ofensivo já soma 35 jogos (9 golos) e assume-se, cada vez mais, como peça fundamental do conjunto belga, tanto a nível interno como na Liga Europa.

Como joga?

Lior Refaelov é um médio-ofensivo de grande talento e mobilidade, que actua preferencialmente atrás do ponta de lança, mas tem a capacidade de deambular por todo o terreno para criar desequilíbrios.

Rápido e tecnicamente evoluído, trata-se de um jogador muito forte num um contra um, sendo muito difícil de parar, pois é perigosíssimo tanto quando embalado como no capítulo do drible curto.

Para além disso, como actua bem perto da área adversária, o internacional israelita tem muitas oportunidades para alvejar a baliza adversária e, aí, mostra-se um jogador frio e eficaz, assumindo-se como um finalizador nato.

Em suma, trata-se de um grande talento de 26 anos que convido-os a procurar num dos próximos duelos do FC Brugge com o Marítimo a contar para a Liga Europa.

Read Full Post »

Costuma-se dizer que o bater das asas de uma borboleta num extremo do globo terrestre pode provocar uma tormenta no extremo completamente oposto e essa teoria pode se aplicar a inúmeras coisas na vida. O Marítimo, por exemplo, estava condenado a não ser cabeça de série no playoff da Liga Europa e a lista de possíveis adversários era extensa e pouco apetecível, contudo, a oito minutos do final do Anorthosis-Dila Gori, com os georgianos a vencer 3-0, dá-se uma invasão de campo por parte dos adeptos cipriotas e o jogo foi interrompido. Essa interrupção evitou que, a tempo do sorteio, se confirmasse o inevitável, ou seja, o Dila Gori como clube apurado para o playoff e, assim, a dupla Anorthosis/Dila Gori apareceu no sorteio como cabeça de série, ficando ambos com o maior coeficiente, o dos cipriotas. Na verdade, esse factor tornou a dupla (Na verdade, todos sabiam que seria o Dila Gori o adversário…) o principal rebuçado para os não cabeças de série, mas podia essa sorte sair a um clube português? Podia… E saiu ao que mais precisava, o Marítimo.

O Marítimo jogará no Estádio Tengiz Burjanadze

Quem é o Dila Gori?

Fundado em 1949, o Dila Gori é um clube com pouca história, mesmo no modesto contexto do futebol georgiano, tendo como único título importante a conquista da Taça da Geórgia em 2011/12, troféu, que, valha a verdade, é o que permitiu que este conjunto participasse agora nas competições europeus.

Desde a fundação do campeonato georgiano, o Dila Gori participou maioritariamente na primeira divisão, mas as suas classificações foram sempre modestas, sendo que o clube disputou mesmo a segunda divisão em 2001/02, 2008/09 e 2010/11 e a terceira em 2009/10.

Curiosamente, a melhor classificação de sempre do clube georgiano surgiu mesmo na temporada transacta (5º lugar) e apareceu num ano de regresso do Dila Gori à primeira divisão, depois de uma subida vertiginosa da terceira divisão ao principal escalão em apenas duas épocas.

Temur Shalamberidze é o treinador do Dila Gori

Como joga?

Os comandados de Temur Shalamberidze actuam normalmente em 4x2x3x1 e, não sendo uma equipa com grande qualidade técnica, são fortes nas transições ofensivas rápidas, sabendo jogar a toda a largura do terreno e em velocidade.

Depois, como é tradicional nestas equipas da ex-URSS, trata-se de um conjunto com grande alma e raça, nunca dando um lance por perdido e nunca virando a cara à luta.

Como principais elementos, destaca-se o seguríssimo guarda-redes croata Skender, o experiente e líder da defesa Salukvadze e o goleador Vatsadze.

Nesse seguimento, o Dila Gori deverá jogar com o seguinte onze, escalado em 4x2x3x1: Skender; Shashiashvili, Salukvadze, Oniani e Kvirkvelia; Bechvaia e Grigalashvili; Guruli, Kakhelishvili e Gvalia; Vatsadze.

Vatsadze é o goleador dos georgianos

Quem é que o Marítimo deve ter debaixo de olho? Vatsadze

Um dos melhores elementos do Dila Gori é o seu ponta de lança Mate Vatsadze, um atacante de 23 anos que brilhou nos quatro primeiros jogos do Dila Gori nesta Liga Europa, marcando cinco golos.

Produto das escolas do Dínamo Tblissi pelo qual marcou 21 golos em 53 jogos pela equipa secundária e 42 tentos em 96 partidas pelo principal conjunto, Vatsadze passou depois, em 2011/12, por um clube russo, o FC Volga, mas não teve grande sucesso, regressando em 2012 à Geórgia para representar o Dila Gori.

No Dila Gori, o ponta de lança já leva 17 golos em 20 jogos, assumindo-se como grande estrela da sua equipa, pela velocidade, inteligência na desmarcação e excelente capacidade finalizadora. Muito móvel e esperto nas movimentações, trata-se, claramente, de um jogador que o Marítimo deve vigiar de perto.

Como chegou ao playoff?

2ª pré-eliminatória: AGF (Dinamarca) 1-2/1-3 Dila Gori

3ª pré-eliminatória: Dila Gori 0-1/3-0 Anorthosis (Chipre)

As possibilidades do Club Sport Marítimo

Num confronto entre o quinto classificado do campeonato português e a equipa que se classificou na mesma posição no campeonato georgiano, é óbvio que o Marítimo tem de se assumir como favorito, pois tem melhor equipa, melhores individualidades e, acima de tudo, maior experiência internacional.

Ainda assim, apesar do favoritismo dos madeirenses ser claro, é necessário que o Marítimo encare este desafio com seriedade, pois, AGF e Anorthosis também eram claramente favoritos a eliminarem este Dila Gori. 

Read Full Post »

Older Posts »