Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Liga Sueca’

Bahoui merece melhor palco que a liga sueca

Bahoui merece melhor palco que a liga sueca

Um dos mais fascinantes elementos da nova geração de futebolistas suecos é Nabil Bahoui, extremo-esquerdo que vai evoluindo no AIK Solna, um dos mais emblemáticos clubes daquele país escandinavo, e já merece o salto para um campeonato de outra nomeada.

Trata-se de um atleta que nasceu a 5 de Fevereiro de 1991, em Estocolmo, Suécia, filho de pais marroquinos, tendo passado pelas camadas jovens do Mälarhöjdens IK, IK Tellus, Hammarby IF e IF Brommapojkarna. Neste último clube, haveria de se estrear profissionalmente em 2008 e permanecido até 2012, ainda que, pelo meio, tenha vivido empréstimos a modestos emblemas como o Gröndals IK, Vasby United e Akropolis IF.

Explosão em 2012

A época em que Nabil Bahoui explodiu definitivamente com a camisola do IF Brommapojkarna foi precisamente a última, de 2012, quando foi peça fundamental na subida desse emblema à primeira divisão sueca, isto depois de ter somado 15 golos em 28 jogos.

Esse excelente desempenho, aliás, permitiu ao extremo-esquerdo o salto para o primodivisionário AIK, clube que representa desde 2013, e assumindo-se sempre como uma das principais figuras. Afinal, até ao momento, Bahaoui já soma 73 jogos e 30 golos pelo emblema de Estocolmo e chegou inclusivamente à selecção sueca.

Falso-extremo de qualidade

Nabil Bahoui é preferencialmente um extremo-esquerdo, ainda que também possa actuar no flanco oposto ou mesmo no eixo como avançado de suporte. Ainda assim, quando actua a partir dos flancos, prioriza as diagonais para o centro, até porque o seu perfil está longe daquele que costumamos encontrar num qualquer “extremo puro”.

Afinal, o internacional sueco destaca-se pela sua potência física (188 cm e 78 kg), explosividade e qualidade técnica, sendo especialmente perigoso em lances de um contra um e na capacidade de fazer movimentos interiores para criar desequilíbrios em zonas centrais.

De sublinhar, também, a excelente visão de jogo de Bahoui, que é fortíssimo no último passe, e também a finalização, sendo que a sua meia distância é excelente, seja em lances de bola parada ou corrida.


Read Full Post »

Gerndt festeja golo pelo HIF

No FC Utrecht da Liga Holandesa, actua um avançado sueco com grande talento e sentido de baliza que se sagrou o melhor marcador do campeonato do seu país em 2010: Alexander Gerndt.

Nascido a 14 de Julho de 1986 em Visby, Suécia, Alexander Gerndt iniciou a sua carreira futebolística no modesto Visby IF, onde, entre 2004 e 2006, apontou nove golos em trinta e nove partidas. Essas boas exibições ao serviço do clube da ilha de Gotland valeram-lhe uma transferência para o bem mais conhecido AIK Estocolmo, onde, contudo, não se conseguiu impor, não conseguindo fazer qualquer tento nos cinco jogos que efectuou pela equipa da capital sueca.

Demorou a explodir no Gefle 

Ao não se impor no AIK, o clube de Estocolmo preferiu emprestá-lo ao modesto IK Sirius, que representou com sucesso durante a primeira metade da temporada de 2008, marcando seis golos em catorze jogos.

Essas exibições valeram-lhe uma transferência na abertura de transferências do Verão de 2008 para o Gefle, onde pouco brilhou durante a primeira época e meia, não marcando mais que três golos.

Contudo, a época de 2010 haveria de ser uma temporada de transição para o atacante sueco, pois este haveria de fazer uma campanha de sonho. De facto, durante a primeira metade da época, Gerndt marcou oito golos em catorze jogos pelo Gefle, tendo, a meio da temporada, trocado essa equipa por outro clube mais emblemático do futebol sueco, o Helsingborgs.

Ano de luxo no Helsingborgs valeu-lhe transferência para a Eredivisie

No clube conhecido pelas iniciais de HIF, haveria de marcar 12 golos em 15 jogos até final da temporada de 2010, sagrando-se melhor marcador do campeonato sueco (20 golos) e jogador do ano dessa mesma liga.

Em 2011, haveria de continuar numa toada exibicional muito elevada e, assim, os responsáveis do clube sueco perceberam que seria impossível segurar o internacional sueco.

Assim sendo, no último Verão, Gerndt transferiu-se para os holandeses do FC Utrecht, onde ainda procura se assumir como o goleador de créditos firmados que deixou a sua Suécia natal, pois ainda só marcou um golo em nove partidas.

Avançado temível nas bolas paradas

Alexander Gerndt é um avançado que joga preferencialmente no centro do ataque, mas também pode ser adaptado ao lado direito do ataque sem qualquer problema. Em termos tácticos, é ideal para jogar no centro num 4x4x2, mas talvez se adapte melhor a falso extremo se o esquema preferencial for o 4x3x3 ou o 4x2x3x1.

Rápido, bom tecnicamente e muito inteligente nas movimentações, é um ponta de lança que se desmarca muito bem e aparece com facilidade na zona de tiro, onde prima pela frieza e pela potência do seu pontapé.

Outra característica do internacional sueco é a qualidade nos lances de bola parada, pois é um exímio marcador de livres, tanto em jeito como em força, tornando-se uma clara mais valia nesse capítulo específico do jogo.

Para além de tudo isto, trata-se de um jogador muito trabalhador e raçudo, o que faz do avançado de 25 anos num elemento que encaixava na perfeição no plantel de um clube português de ambições europeias.

Read Full Post »

Depois de afastar um clube islandês (FH), o Nacional terá de voltar ao norte da Europa e superar os suecos do Hacken para manter vivo o sonho de chegar à fase de grupos da Liga Europa. Apesar de apenas se ter qualificado via prémio fair-play (foi oitavo no campeonato sueco transacto), o Hacken já superou os luxemburgueses do Kaerjeng e os finlandeses do Honka nesta prova, preparando-se agora para tentar surpreender a turma portuguesa, provavelmente fazendo valer o facto do campeonato sueco já ir a meio e, como tal, o seu ritmo competitivo ser naturalmente superior ao dos madeirenses.

O Hacken actua no Rambergsvallen

Quem é o Hacken?

O Hacken é um clube de Gotemburgo que foi fundado em 1940, mas apenas chegou ao Allsvenskan (principal campeonato sueco) na temporada de 1983, ainda que nessa época tenha descido imediatamente, pois foi último.

Depois de passar o resto da década de 80 na segunda divisão, o Hacken iniciou a década de 90 em grande, não pelo regresso à primeira divisão, mas pelo momento mais alto da sua história, que passou pela presença na final da Taça da Suécia de 1989/90, ainda que tenha perdido esse duelo (0-3) com o Djurgardens.

Em 1993, a equipa de Gotemburgo voltou ao primeiro escalão, mas desceria após duas épocas no Allsvenskan, tendo se assumido como uma equipa “yo-yo” até aos dias de hoje, nunca se mantendo muito tempo na principal divisão sueca.

Ainda assim, o Hacken parece estar a estabilizar-se nos últimos anos e desde 2009 que se encontra no Allsvenskan, tendo conquistado o oitavo lugar em 2010 e encontrando-se neste momento em sexto após dezoito jornadas disputadas no actual campeonato.

Os adeptos do Hacken tentarão ser o 12º jogador

Como joga?

O Hacken é uma equipa escandinava e isso pode fazer com que se pense que se trata de um conjunto rudimentar em termos técnicos, algo que é algo distante da verdade, pois a equipa conta com diversos elementos de outras paragens que lhe dão um toque refinado no trato com a bola.

De facto, jogadores como o médio nigeriano John Chibuike ou o avançado congolês René Makondele dão alguma imprevisibilidade a uma equipa de processos simples, mas bastante arrumada em termos tácticos.

Para além disso, e aqui obedecendo à regra dos clubes escandinavos, trata-se de uma equipa muito forte no jogo aéreo, destacando-se nesse aspecto o ponta de lança sueco Mathias Ranégie que mede uns impressionantes 196 centímetros.

Esta noite, o onze provável dos suecos para o jogo diante do Nacional deverá ser esquematizado em 4x3x3 e qualquer coisa como: Kallqvist; Ostberg, Söderberg, Frolund e Elvby; Chibuike, Nystrom e Arkivuo; Chatto, Makondele e Ranegie.

Ranégie é um ponta de lança muito forte pelo ar

Quem é que o Nacional deve ter debaixo de olho? – Mathias Ranégie

Uma das principais fontes de perigo da equipa sueca é um ponta de lança gigante (1,96 metros) e com apetência para o golo: Mathias Ranégie.

Nascido a 14 de Junho de 1984 em Gotemburgo, Mathias Ranégie destacou-se apenas em 2006, quando marcou 25 golos em 22 jogos pelo modesto Lärje/Angered e garantiu uma transferência para o IFK Gotemburgo.

Todavia, não foi feliz no gigante de Gotemburgo e, entre 2007 e 2008, apenas marcou um golo, acabando por mudar de clube sem trocar de cidade em 2009, quando se transferiu para o Hacken.

Essa mudança acabou por fazer bem ao avançado sueco que marcou seis golos na primeira temporada ao serviço do Hacken, doze na época de 2010 e já leva treze na actual temporada, assumindo-se como uma das razões pelas quais o clube de Gotemburgo vai perdendo o estatuto de clube “yo-yo”.

Com 1,96 metros, o internacional sueco trata-se do puro ponta de lança posicional que não prima pela técnica apurada ou pela grande mobilidade, mas que é muito perigoso na zona de tiro. Denotando um sentido de baliza apurado e naturalmente forte no jogo aéreo, trata-se de um jogador com o qual o Nacional terá de se preocupar bastante.

As possibilidades do Nacional

O Nacional é superior ao Hacken tanto em termos colectivos como individuais, ainda que as diferenças entre os dois conjuntos não sejam abismais.

No entanto, o clube sueco tem a vantagem de estar no auge da sua temporada competitiva, situação que aproxima ainda mais os dois conjuntos e dificulta a vida à equipa portuguesa, que ainda só fez dois jogos oficiais em 2011/12.

Ainda assim, tendo em conta que se defrontam o quinto classificado do anterior campeonato português e o oitavo do campeonato sueco transacto, acredito que o Nacional irá superar este obstáculo e seguir para o playoff da Liga Europa.

Read Full Post »

Farnerud num Sporting-Benfica

Pontus Farnerud não é aquele tipo de jogador que rapidamente encontramos defeitos, sendo que o seu principal problema é exactamente o facto de não ter nenhuma qualidade que se destaque. No seu futebol simples, sem arriscar e sem qualquer rasgo, ia fazendo desesperar os adeptos leoninos que sempre tiveram dificuldade em perceber como um dia o Sporting resolveu contratá-lo. Durante dois anos, o médio ainda fez 35 jogos pelos verde-e-brancos em todas as competições oficiais, contudo, pela palidez das suas exibições, duvido que algum adepto leonino se lembre verdadeiramente de algum.

Chegou à Ligue 1, depois de se destacar no Landskrona

Pontus Farnerud nasceu a 4 de Junho de 1980 em Helsingborg, Suécia, tendo iniciado a sua carreira bastante cedo, pois em 1996, aos 16 anos, já era elemento importante do Landskrona. Neste clube sueco, haveria de permanecer nas duas épocas seguintes, contabilizando 14 golos em 55 jogos, antes de, em 1998, com apenas 18 anos, se ter transferido para os franceses do Mónaco.

Aos monegascos  chegou rotulado de grande promessa do futebol europeu, todavia, a esperada explosão nunca aconteceu. Entre 1998 e 2005, Farnerud ainda fez 94 jogos (5 golos) pelo Mónaco, mas nunca se assumiu como titular indiscutível, tendo, dessa forma, saído para o Estrasburgo em 2005/06.

No “Le Racing”, onde já tinha actuado, por empréstimo do Mónaco em 2003/04,  actuou ao lado do irmão Alexander e foi finalmente titular indiscutível, todavia, o sucesso individual não foi acompanhado de sucesso desportivo, pois o Estrasburgo acabou por descer de divisão no final da temporada.

Duas épocas pálidas em Alvalade

Não pretendendo disputar o segundo escalão do futebol francês, Pontus Farnerud transferiu-se para Portugal e para o Sporting, onde permaneceu durante as temporadas de 2006/07 e 2007/08.  Durante esse período, o internacional sueco foi várias vezes utilizado, sendo muitas vezes elogiado pela sua inteligência táctica e capacidade de sacrifício, no entanto, nunca conquistou os adeptos verde-e-brancos que achavam que o escandinavo passava constantemente ao lado dos jogos.

Assim sendo, após duas temporadas e trinta e cinco desafios disputados, Pontus Farnerud deixou o Sporting, transferindo-se para os noruegueses do Stabaek, clube que ainda representa neste momento.

Desde que chegou à Noruega, Farnerud assumiu-se como peça importante do Stabaek, somando 63 jogos (7 golos) pelos norugueses e tendo sido peça importante na conquista do título em 2008.

Read Full Post »


Noring com um prémio individual

No Trelleborgs do principal escalão do futebol sueco actua um guarda-redes muito promissor e que pode ser um dos grandes talentos suecos na posição: Viktor Noring.

Nascido a 3 de Fevereiro de 1991 em Malmö, Viktor Noring iniciou a sua carreira nas camadas jovens do Husie IF, tendo passado para o Trelleborgs em 2005, clube onde se mantém até hoje.

Na equipa principal do Trelleborgs desde 2009, ou seja, desde os 18 anos, tem se assumido como uma peça muito importante do clube sueco, tendo já realizado 37 jogos pelo Trelleborgs

Internacional sub-21 por duas vezes (estreou-se numa vitória por 2-0 diante Portugal), também já foi chamado à equipa principal da Suécia, ainda que não tenha jogado qualquer minuto.

Um guarda-redes completo

Viktor Noring é um guarda-redes que ocupa muito bem os postes, denotando excelentes reflexos e uma inata capacidade de se sair aos pés dos avançados.

Seguro nos cruzamentos e liderando bem a linha defensiva, é um guarda-redes que transmite uma enorme segurança ao sector recuado, sendo, aos 20 anos, uma enorme promessa do futebol sueco e europeu.

Read Full Post »


Wendt com a camisola do FC Copenhaga

Falado como possível reforço do Sporting e, também do Benfica, Oscar Wendt é um dos grandes talentos do futebol escandinavo, actuando num dos gigantes dessa zona geográfica, os dinamarqueses do FC Copenhaga.

Nascido a 24 de Outubro de 1985 em Skövde, Suécia, Oscar Wendt cumpriu o seu percurso como jogador juvenil no IFK Skövde da sua terra natal, tendo se transferido para o IFK Gotemburgo em 2003.

No histórico clube que conta com duas taças UEFA no seu reportório, Wendt foi actuando pouco nas épocas de 2003 (9 jogos em todas as competições) e 2004 (14 jogos em todas as competições), apenas se assumindo como titular em 2005 (43 jogos, 3 golos) e na primeira metade da temporada 2006 (25 jogos, 1 golo).

A meio da época de 2006, o lateral-esquerdo sueco transferiu-se para o FC Copenhaga, que se preparava para iniciar o campeonato dinamarquês de 2006/07. Nesse clube da capital da Dinamarca, Oscar Wendt rapidamente se assumiu como uma peça fundamental do quarteto defensivo, sendo o dono absoluto do lado esquerdo do sector recuado e somando, até hoje, 129 jogos e cinco golos ao serviço do actual campeão dinamarquês.

Lateral seguro a defender e com grande qualidade no capítulo do cruzamento

Internacional sueco por 14 ocasiões, Oscar Wendt é um lateral-esquerdo de boa estampa física, que sabe defender o seu flanco e ajudar os centrais quando a bola é cruzada para o coração da área. Muito bom em termos posicionais, trata-se de um lateral que sobe muito bem pelo flanco canhoto, sendo evoluído tecnicamente e exímio a fazer cruzamentos para a área adversária, seja em lances de bola corrida ou de bola parada.

Pelas suas características, tanto pode funcionar como lateral ofensivo ou como defesa-esquerdo puro, dependendo pura e simplesmente das intenções do treinador, pois o internacional sueco irá actuar em ambas as situações com a mesma qualidade e entrega ao jogo.

Com 25 anos e grande experiência internacional por actuar tanto na selecção sueca como na Liga dos Campeões, Oscar Wendt será, certamente, um excelente reforço para o clube português que avançar para a sua contratação.

Read Full Post »


Nordfeldt é uma promessa do futebol sueco

No campeonato sueco, mais concretamente no IF Brommapojkarna, actua um guarda-redes que é uma grande promessa do futebol daquele país escandinavo: Kristoffer Nordfeldt.

Nascido a 23 de Junho de 1989, Kristoffer Nordfeldt é um produto das escolas do IF Brommapojkarna (também conhecido por BP), tendo sido integrado na principal equipa desse clube sueco em 2006, ainda que só tenha participado num encontro oficial do Brommapojkarna em 2008.

Titular desde 2008

Nessa temporada, o internacional sub-21 pela Suécia efectuou 29 jogos pelo clube escandinavo, tendo ajudado o IF Brommapojkarna a subir à primeira divisão sueca. De facto, nesse ano de 2008, Nordfeldt foi crucial na campanha no Superettan, sofrendo apenas 27 golos.

Em 2009, o IF Brommapojkarna estava de volta ao Allsvenskan e Nordfeldt era o dono da baliza do clube sueco, tendo efectuado 21 jogos e ajudado o BP a alcançar um tranquilo décimo-segundo lugar na tabela.

No entanto, no ano seguinte, a época não correu tão bem ao IF Brommapojkarna, com o clube sueco a terminar a temporada na última posição da tabela e a descer de divisão. Ainda assim, uma vez mais, Nordfeldt foi um dos mais utilizados da equipa, apenas falhando alguns jogos por lesão.

Grande promessa do futebol sueco

Kristoffer Nordfeldt é o actual dono da baliza da selecção sueca de sub-21, assumindo-se como um guarda-redes muito seguro e promissor.

Com 1,90 metros, trata-se de um guarda-redes que é imperial no jogo aéreo, ainda que também demonstre boa ocupação da baliza e elasticidade q.b.

Pretendido por clubes como o Ajax, Sampdória, Heerenveen ou Borússia de M’Gladbach, dificilmente se manterá muito mais tempo neste modesto clube sueco.

Read Full Post »

Older Posts »