Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Lille’

Emerson era titular do campeão francês

Ao que tudo indica, um dos substitutos de Fábio Coentrão no lado esquerdo da defesa encarnada será um lateral-esquerdo brasileiro de boa qualidade técnica e que foi um dos esteios do Lille na conquista da Ligue 1 na temporada passada: Emerson.

Nascido a 23 de Fevereiro de 1986 em São Paulo, Brasil, Emerson da Conceição iniciou a sua carreira nas camadas jovens do modesto J. Malucelli, agora conhecido como Corinthians Paranaense. Nesse clube de Curitiba, Emerson haveria de se estrear no futebol profissional em 2006, destacando-se rapidamente e garantindo uma transferência para os franceses do Lille.

Peça fulcral do Lille nas três últimas épocas

Depois de duas temporadas em que pouco jogou no Lille, o defesa-esquerdo haveria de ganhar a titularidade em 2008/09, assumindo-se como um dos jogadores mais importantes do clube francês a partir dessa época.

De facto, entre 2008/09 e 2010/11, Emerson efectuou 74 jogos só a contar para a Ligue 1, sendo importantíssimo nas conquistas do campeonato francês e Taça de França na temporada passada.

Um puro defesa-esquerdo

Apesar de vir para a mesma posição de Fábio Coentrão, Emerson é um jogador completamente diferente, sendo muito mais um defesa-esquerdo que um lateral-esquerdo.

O brasileiro é um jogador com grande capacidade física, sendo muito difícil de bater em lances de um contra um e revelando um posicionamento defensivo de grande inteligência táctica. Para além disso, é um jogador com boa qualidade no jogo aéreo, podendo ajudar os centrais em situações de grande aperto defensivo.

Apesar de ter boa qualidade técnica, Emerson aventura-se pouco no ataque, preferindo privilegiar os equilíbrios defensivos da sua equipa e permitindo que o extremo-esquerdo tenha ordem quase exclusiva para atacar.

Em suma, um jogador quase antagónico a Fábio Coentrão, mas de qualidade indiscutível e que, por certo, será importantíssimo no Benfica 2011/12.

Anúncios

Read Full Post »

Dembelé deu trabalho aos defesas leoninos

Em dois jogos sem grande importância que não fosse a honra desportiva e os 120 mil euros em disputa, dragões e leões tiveram sortes diferentes nos seus duelos diante  adversários búlgaros. No Dragão, o FC Porto, mesmo com vários jogadores poupados, venceu o CSKA Sófia por 3-1 e terminou o Grupo L com impressionantes 16 pontos, ou seja, apenas concedeu um empate em seis jogos. Por outro lado, os verde-e-brancos, na neve de Sófia, não evitaram o desaire e perderam com o Levski (0-1). Este resultado, apesar de, aparentemente ser pouco importante, fez com que a Rússia se aproximasse de Portugal no Ranking UEFA, na luta pelo sexto lugar e consequente acesso de três equipas à “Champions” 2012/13.

FC Porto 3-1 CSKA Sófia

Mesmo poupando alguns jogadores, o FC Porto provou a força do seu plantel, vencendo, sem problemas, o CSKA Sófia (3-1) num jogo em que até podia ter goleado.

Na primeira parte, o golo de Otamendi (21′), na sequência de um canto, foi um magro pecúlio para o imenso domínio do FC Porto que não deu grandes hipóteses a um adversário muito modesto para estas andanças europeias.

Após o descanso, a equipa búlgara, ainda chegou ao empate, quando na sequência de um lançamento longo do seu guarda-redes, Delev (49′) empatou a partida.

No entanto, esse golo não abalou minimamente a equipa portuguesa que continuou a dominar totalmente o jogo, marcando dois tentos por Rúben Micael (54′) e James Rodríguez (90′) e vendo, inclusivamente, Falcao falhar um penalti.

Em suma, vitória tranquila de um FC Porto que provou, uma vez mais, que é muito mais do que apenas onze jogadores.

Levski 1-0 Sporting

Na neve de Sófia, o Sporting voltou a desiludir, acabando por não ser capaz de conseguir um resultado positivo diante do último classificado do Grupo C e que, na primeira volta, havia perdido cinco a zero em Alvalade.

Num jogo com poucos motivos de interesse, o Levski acabou por marcar o único golo do jogo em cima do intervalo e por intermédio de Mladenov, num lance em que Dembelé fez gato sapato de Nuno André Coelho.

Na segunda parte, os leões tentaram reagir à desvantagem, mas foram incapazes de ultrapassar a muito bem organizada linha defensiva do Levski que, assim, garantiu a pequena consolação de ter terminado invencível em casa neste Grupo C.

Com este desaire (0-1), os leões terminaram este agrupamento da Liga Europa com 12 pontos, mais quatro que o segundo, o Lille.

Read Full Post »

Polga foi decisivo na vitória 100 dos leões na Europa

Se os leões, em casa, diante do Lille, mostraram as garras, vencendo por 1-0 e conquistando o primeiro lugar no Grupo C da Liga Europa, os dragões, numa Viena coberta de neve, não se ficaram atrás, aquecendo os corações dos portistas com mais uma vitória (3-1) e consequente primeiro lugar no grupo L. Graças a este posicionamento, Sporting e FC Porto serão cabeças de série no sorteio dos 16/final, situação que, em teoria, será benéfico para as equipas portuguesas. Para além deste factor, estes excelentes resultados de leões e dragões, aliado às prestações de Benfica e Sp. Braga na Liga dos Campeões, já garantiram 9,400 pontos a Portugal, o que nos coloca em terceiro lugar no ranking UEFA referente a esta temporada e mantém-nos no sexto lugar do ranking UEFA referente às últimas cinco épocas. Se mantivermos este posicionamento até ao final desta temporada, conseguiremos colocar três equipas na Liga dos Campeões 2012/13.

Sporting 1-0 Lille

Em Alvalade, o Sporting não fez uma exibição de encher o olho, mas venceu, justamente, um Lille que também não mostrou muito em Lisboa.

Durante a primeira parte, os leões foram quase sempre a melhor equipa, ainda que tenham jogado de forma algo lenta e sem qualquer criatividade. Nesses primeiros quarenta e cinco minutos, o Sporting acabou por fazer um golo, por Anderson Polga (28′), ver um cabeceamento do mesmo Polga embater no poste e ser-lhe negado um claro penálti sobre Hélder Postiga. O Lille, que se pode queixar da ilegalidade do golo de Polga (Postiga tocou com a mão na bola antes desta chegar aos pés do central brasileiro), pouco fez durante o primeiro período, com excepção para alguns cabeceamentos perigosos de Túlio de Melo.

Na segunda parte, o Sporting, sabendo que o empate lhe garantia o apuramento, recuou linhas e convidou a equipa francesa a assumir o controlo do jogo. Durante esses segundos quarenta e cinco minutos, com maior ou menor dificuldade, os leões conseguiram suster os ímpetos do Lille e, assim, conquistar a vitória 100 em jogos das competições europeias.

Rapid Viena 1-3 FC Porto

Em Viena, a enfrentar um forte nevão e um campo a roçar o impraticável, o FC Porto voltou a mostrar o seu poderio e venceu o Rapid por 3-1, num jogo em que, injustamente, teve de esperar pelos últimos minutos para garantir o triunfo.

Entrando forte e parecendo imune às más condições atmosféricas, o FC Porto foi esbanjando oportunidades até que, aos 39 minutos, contra a corrente do jogo, Trimmel fez o 1-0 para os austríacos.

O FC Porto, porém, reagiu de pronto e, depois de Varela ter desperdiçado um golo feito, o inevitável Falcao (42′) não falhou uma oportunidade sozinho perante o guarda-redes local e repôs a igualdade no desafio.

Na segunda metade, parecendo satisfeitos com a igualdade, os azuis-e-brancos recuaram ligeiramente e o jogo tornou-se menos interessante do que nos primeiros quarenta e cinco minutos. Ainda assim, após a entrada de Belluschi, o FC Porto voltou a assumir as rédeas do jogo e, após um aviso de Guarín (79′), Falcao (86′) colocou o FC Porto em vantagem no marcador.

Até final, ainda houve tempo para o 3-1, novamente da autoria do avançado colombiano que, assim, completou o hat-trick. Com esta vitória, o FC Porto garantiu, tal como o Sporting, a liderança no seu agrupamento.

Read Full Post »

Moutinho tem sido um dos esteios do FC Porto

A jornada cinco correu extremamente bem aos portistas que acabaram por beneficiar de uma combinação de resultados que coloca o melhor classificado dos mais directos rivais a incríveis sete pontos de distância. Cumprindo com a sempre difícil missão de vencerem na Choupana (2-0), os dragões beneficiaram do empate dos bracarenses na deslocação a Paços de Ferreira (2-2) e do triunfo dos encarnados sobre o Sporting por duas bolas a zero. Assim sendo, a equipa que, neste momento, está mais próxima dos azuis e brancos é o V. Guimarães, que venceu o U. Leiria (1-0) e encontra-se a quatro pontos do FC Porto.

Belluschi esteve muito bem com o Nacional

Nacional 0-2 FC Porto

A equipa portista deslocou-se a um campo tradicionalmente difícil, mas acabou por triunfar num jogo em que aliou a sua superior capacidade técnica e táctica a uma excelente capacidade de aproveitamento do erro do adversário.

Num jogo que se iniciou bastante equilibrado, os azuis e brancos, aos 22 minutos, colocaram-se em vantagem, graças a um duplo erro de João Aurélio que, em primeira instância, colocou a mão à bola nas imediações da área e, depois, foi infeliz na sequência do livre de Belluschi, acabando por fazer autogolo.

A partir da vantagem, o FC Porto começou a gerir o encontro, mas sempre com o controlo do mesmo, jogando com os timings da partida e sabendo sempre o que fazer no terreno. Assim sendo, parecia que os azuis e brancos apenas esperavam outro erro dos madeirenses para darem a machadada fatal no Nacional e, valha a verdade, foi exactamente isso que aconteceu, ainda que apenas à segunda tentativa.

Isto porque em cima do intervalo, Falcao falhou um penalti a castigar falta de Tomasevic sobre Varela, num lance que podemos caracterizar como uma espécie de “match point” desperdiçado pelos azuis e brancos.

Contudo, este FC Porto continua a insistir em não se abater pelos momentos infelizes e, assim, manteve os equilíbrios e soube esperar por outro erro do adversário que acabou por surgir no minuto 56, quando após erro de Stojanovic, Varela correspondeu, de cabeça, a cruzamento de Hulk.

Após o 2-0, o jogo ficou invariavelmente decidido e, até ao apito final, foi mesmo o FC Porto que esteve mais perto de ampliar a vantagem no marcador, ainda que o resultado acabasse por não sofrer mais alterações, terminando numa justíssima vitória dos azuis e brancos por duas bolas a zero.

Braga não segurou vantagem diante do Paços

P. Ferreira 2-2 Sp. Braga

Este Sporting de Braga não está a passar por uma boa fase e esta deslocação a Paços de Ferreira foi a prova clara e inequívoca dessa situação.

Num jogo em que os bracarenses entraram praticamente a ganhar, graças a um golo de Moisés (10′) na sequência de um canto milimétrico de Luís Aguiar, nunca se vislumbrou a segurança e a tranquilidade que costuma pautar as exibições dos arsenalistas desde a temporada passada.

Na verdade, durante grande parte da primeira parte, o Sp. Braga passou por vários calafrios, ainda que a ineficácia local tenha permitido aos arsenalistas irem para o intervalo em vantagem no marcador.

Após o descanso, a eficácia voltou a premiar o Braga que chegaria ao 0-2 na sequência de um lance em que o uruguaio Luís Aguiar demonstrou toda a sua classe, marcando um golo de excelente nível num remate de primeira e sem deixar cair a bola no relvado.

Apesar da tremideira evidenciada até ali, pensou-se que a vantagem de dois golos acalmasse o Braga, mas foi puro engano, pois a equipa recuou em demasia e começou a garantir demasiados espaços ao Paços de Ferreira, convidando a equipa local a acercar-se com perigo da baliza de Felipe.

Assim sendo, foi sem surpresa que, aos 69 minutos, Baiano fez o 1-2, na sequência de um excelente remate. Esse golo animou ainda mais os castores, que iam somando oportunidades para empatar, apenas esbarrando na ineficácia e na boa exibição do guarda-redes Filipe.

Ainda assim, no último acto do desafio, Cohene, na sequência de um canto de Maykon, fez o 2-2, garantindo a divisão de pontos e alguma justiça no marcador.

Cardozo foi o herói do derby

Benfica 2-0 Sporting

Num duelo em que estava obrigado a ganhar devido à precária situação em que se em encontrava na tabela classificativa, o Benfica acabou por não vacilar, vencendo os leões por 2-0, num jogo que foi bem mais simples do que se poderia esperar.

Os encarnados entraram bem e foram somando lances de bola parada nas imediações da grande-área leonina. Sabendo-se do poder do Benfica nas bolas paradas e, ao mesmo tempo, da fragilidade leonina nesse aspecto do jogo, foi sem surpresa que, aos 13 minutos, Cardozo, na sequência de um canto de Aimar, fez o 1-0.

A perder, o Sporting tentou reagir, chamando a si as despesas do jogo. Todavia, apesar de ter mais posse de bola, a equipa verde e branca foi sempre muito passiva e careceu de intensidade ofensiva, sendo incapaz de colocar a baliza de Roberto em perigo até ao intervalo.

Após o descanso, o filme do jogo estava destinado a ser uma cópia fiel do final da primeira metade, até porque o Benfica parecia confortável na expectativa, tal era a incapacidade leonina de esboçar uma movimentação ofensiva que fosse capaz de levar algum perigo à baliza de Roberto.

No entanto, aos 49 minutos, Saviola combinou com o Cardozo e o paraguaio, num remate de primeira e de belo efeito, fez um golo de belo efeito, colocando o Benfica a vencer por 2-0 e ainda mais confortável no jogo.

A partir daqui, o Sporting finalmente foi capaz de se libertar um pouco das amarras que quase sempre o prenderam no relvado da Luz. Ainda assim, e até final da partida, apenas por uma vez esteve perto de reduzir as distâncias, quando Liedson, após bom trabalho individual, atirou a centímetros da baliza encarnada.

Em suma, vitória justíssima do Benfica que parece em crescendo de forma, perante um Sporting que insiste em alternar boas exibições como a de Brondby e a de Lille com jogos muito fracos como este no Estádio da Luz.

Nos outros duelos da jornada, destaque para os triunfos de V. Guimarães (1-0 ao Leiria) e Olhanense (2-0 ao Portimonense) que continuam invictos no campeonato. Os outros resultados da jornada foram o Beira-Mar 1 Marítimo 1, o Rio Ave 2 Académica 2 e o Naval 0 V. Setúbal 0.

Read Full Post »

Moisés e Braga por terra após mais um golo sofrido

O percurso dos clubes portugueses nas provas da UEFA continua bastante bom e a prova disso é que, neste momento, Portugal lidera o ranking UEFA desta temporada com 5.200 pontos. Essa situação faz com que no combinado dos cinco últimos anos estejamos num sexto lugar que, a ser mantido até ao final da época, colocará Portugal com três equipas na Liga dos Campeões 2012/13. Nesta última ronda europeia, tirando o desastre bracarense (goleados no terreno do Arsenal por seis a zero), tudo correu pelo melhor, com o Benfica a vencer o Hapoel Telavive (2-0) na Luz, o FC Porto a vencer o Rapid Viena (3-0) no Dragão e o Sporting, mesmo com uma equipa de segunda linha, a vencer no sempre complicado terreno do Lille (2-1).

Benfica 2-0 Hapoel Telavive

Como se esperava, não foi fácil a estreia encarnada na Liga dos Campeões desta temporada. No Estádio da Luz, diante de uma aguerrida equipa israelita, o Benfica começou mesmo por beneficiar da não marcação de um penalti sobre Schechter, com o resultado a zero. Ainda assim, a equipa encarnada nunca se desuniu e soube ser paciente, acabando por embalar numa exibição segura e que resultou numa vitória justíssima por 2-0, graças aos golos de Luisão (21′) e Cardozo (67′).

Arsenal 6-0 Sp. Braga

O desastre dos bracarenses na sua estreia oficial na fase de grupos da “Champions” foi algo que, para quem está habituado a ver o Braga jogar, carece de explicação simples. Os arsenalistas entraram muito nervosos no jogo e pareceram nunca se adaptar às rápidas trocas de bola da equipa inglesa, uma das melhores da Europa nesse aspecto. Assim sendo, o avolumar do resultado acabou por ser uma consequência lógica desse factor, terminando o duelo com uma vitória do Arsenal por seis bolas a zero, graças aos golos de Fábregas (9′ e 53′), Arshavin (30′), Chamakh (33′) e Carlos Vela (69′ e 84′). Um resultado pesado, mas que acabou por ser justo, tal a superioridade da equipa londrina.

Lille 1-2 Sporting

Com a deslocação à Luz no horizonte, os leões preferiram usar uma equipa de segunda linha em França, talvez por entenderem que, neste acessível grupo da Liga Europa, uma derrota em Lille seria facilmente recuperável. Curiosamente, numa equipa com vários estreantes como Torsoglieri e Diogo Salomão e com alguns jogadores com poucos minutos como Zapater, o Sporting soube fazer uma exibição segura em que, na primeira parte, o contra-ataque foi letal, resultando nos golos de Vukcevic (11′) e Postiga (34′) e que, na segunda metade, foi de grande segurança defensiva, apenas resultando num golo sofrido (Frau, aos 57 minutos), num lance em que Tiago teve algumas culpas. Assim sendo, mesmo com uma espécie de equipa B, os leões entraram da melhor forma na Liga Europa e abriram excelentes prespectivas, tando de alcançarem o apuramento como de vencerem este agrupamento.

FC Porto 3-0 Rapid Viena

A equipa portista não teve qualquer dificuldade de vencer o frágil Rapid Viena na sua estreia na fase de grupos da Liga Europa. Diante de uma equipa que havia surpreendido o Aston Villa no playoff de acesso a esta competição, o FC Porto não deu quaisquer veleidades e acabou por alcançar uma vitória gorda, mas que até peca por escassa, tal a superioridade evidenciada pelos dragões durante todo o encontro. Rolando (26′), Falcão (65′) e Rúben Micael (77′) fizeram os golos de uma justíssima e seguríssima vitória azul e branca.

Read Full Post »

Postiga é arma dos leões para o jogo com as águias

Águias e leões defrontam-se, na Luz, num jogo de grande importância, pois ambas estão absolutamente proibidas de perder pontos, sob pena de se afastarem ainda mais do líder FC Porto. A nove pontos dos dragões e a jogar em casa, o Benfica terá ainda mais obrigação de vencer que os verde e brancos, todavia, os cinco pontos que afastam o Sporting da liderança, também não deixam os leões descansados. Ainda nesta jornada, destaque para a deslocação do FC Porto à Choupana, numa partida em que os azuis e brancos irão procurar manter a invencibilidade na Liga Zon Sagres.

Nacional-FC Porto

A equipa portista tem atropelado todos os adversários que lhe aparecem à frente com maior ou menor dificuldade, sendo que a última vítima foi o Rapid Viena, derrotado, no Dragão, por três bolas a zero. Desta feita, na Choupana, o FC Porto pretenderá manter a senda vitoriosa diante de uma equipa que iniciou o campeonato de forma demolidadora (2 vitórias, uma delas diante do Benfica), mas que logo baixou o nível, perdendo nas duas últimas jornadas.

P. Ferreira-Braga

O Sp. Braga entrou muito bem nesta temporada, com vitórias seguras no campeonato e eliminatórias europeias impressionantes diante de equipas como o Celtic e Sevilha.  No entanto, nos últimos dois jogos, os bracarenses perderam gás e se, no Dragão, ainda fizeram um jogo de qualidade, perdendo apenas pela margem mínima, no duelo em Londres foram claramente esmagados pelo Arsenal, sofrendo uma goleada pesadíssima (0-6). Agora, no campo do invicto Paços de Ferreira, caberá aos bracarenses provarem que os últimos dois desaires foram apenas acidentes de percurso.

Benfica-Sporting

Quem diria que o Benfica, na viragem para a quinta jornada, apenas teria três pontos conquistados e já se encontrasse a nove pontos do líder FC Porto? Por certo, poucas pessoas, mas, neste momento, o Benfica não pode lamentar os pontos perdidos e a sua única hipótese é procurar a recuperação, jornada a jornada e com vitórias. No entanto, nesta ronda, os encarnados defrontam um Sporting motivadíssimo pela vitória em Lille (2-1) e, também, com necessidade de triunfar na Luz, pois também já se encontra a perigosos cinco pontos do FC Porto.

Nos outros jogos da ronda, destaque para o V. Guimarães-U. Leiria, um jogo que o segundo classificado isolado da Liga ZON Sagres defronta, em casa, uma sempre complicada equipa leiriense. A jornada cinco concluí-se com o Olhanense-Portimonense, Rio Ave-Académica, Naval-V. Setúbal e Beira Mar-Marítimo.


Read Full Post »

Depois de ter regressado à Ligue 1 em 2000, após um duro percurso de três temporadas no segundo escalão do futebol francês, o Lille tem conseguido cimentar-se como um dos bons clubes franceses da actualidade, conseguindo ficar seis vezes do quinto lugar para cima e participando por três vezes na Liga dos Campeões. Apesar da retoma, o Lille continua longe dos tempos de glória vividos nas décadas de 40 e 50, quando a equipa do norte de França conquistou 2 campeonatos e cinco taças de França, sendo, neste momento, uma equipa de qualidade, mas que se mantém abaixo de gigantes gauleses como o Marselha, Bordéus ou Lyon.

Quem é o Lille

O Lille foi fundado em 1944, resultado da fusão entre o SC Fives e Olympique Lillois, tendo sucesso imediato, pois, na primeira vez que participou no campeonato francês de futebol (1945/46), sagrou-se campeão nacional. Nesse mesmo ano, conquistou, igualmente, a Taça de França e iniciou um percurso que, durante cerca de dez anos, transformou o Lille num dos maiores clubes gauleses, pois, entre 1946 e 1954, a equipa do norte de França conquistou 2 campeonatos (46 e 54) e cinco taças de França (46, 47, 48, 53 e 54).

No entanto, se o sucesso surgiu rapidamente, o declínio também não se fez esperar, com a equipa, após o último título nacional, a entrar num rápido declínio que teve como ponto mais negro a descida à terceira divisão e, em 1969, o abandono do estatuto de clube profissional.

Em 1970, a equipa regressou à segunda divisão e recuperou o estatuto de clube profissional, mas, apesar das melhorias financeiras, a equipa manteve-se com resultados modestos, transformando-se, primeiro, num clube que mais parecia um elevador entre a primeira e segunda divisão e, posteriormente, num clube estável no primeiro escalão, mas que apenas somava classificações modestas.

Posteriormente, em 1997, a equipa voltou a descer à Ligue 2, permanecendo lá por três temporadas, contudo, em 2000, quando o Lille regressou ao primeiro escalão, conseguiu cimentar-se e atingir boas classificações, terminando a maior parte dos campeonatos do quinto lugar para cima. Na década de 2000, o Lille também foi capaz de se estrear na Liga dos Campeões, participando por três vezes na mais importante prova de clubes da UEFA.

O ano passado, o Lille terminou o campeonato francês na quarta posição e qualificou-se para a fase de grupos da Liga Europa após afastar os romenos do Vaslui (0-0 e 2-0).

Como joga

O Lille costuma actuar num 4-3-3 de perfil ofensivo, que explora a grande velocidade das suas duas grandes estrelas: os extremos Gervinho e Eden Hazard.

Apesar de ser muito perigosa no ataque, a equipa gaulesa também é bastante segura na defesa, onde conta com o guarda-redes internacional francês Landreau e dois centrais muito altos e fortes: Rozehnal e Rami. No meio-campo, o Lille conta com três jogadores que garantem grande solidez táctica que são o trinco Mavuba e dois box to box de grande qualidade e disciplina táctica: Balmont e Cabaye.

Assim sendo, graças a grande segurança que a defesa e o meio-campo asseguram, o Lille garante enorme liberdade aos dois extremos (Gervinho e Hazard), dois jogadores de enorme talento, sendo que o belga é um ala de perfil mais puro, que procura a linha e os lances de um contra um e o marfinense, ao invés, é um jogador que gosta de forçar as diagonais para o centro, de forma a encontrar espaço para o remate ou para a combinação com o perigoso e móvel goleador francês: Pierre-Alain Frau.

Em príncipio, esta será a equipa que o Lille irá apresentar, hoje, para o duelo com os verde e brancos:

Gervinho é um avançado perigoso

Quem é que os leões devem ter debaixo de olho – Gervinho

O polivalente avançado de 23 anos é, claramente, um dos grandes destaques deste Lille, sendo um jogador que alia a velocidade à criatividade para colocar em sentido as defesas contrárias.

Criado nas escolas de dois clubes do seu país (Mimosas e Tomoudi), Gervinho entrou na Europa, em 2004, pela porta do Beveren, onde se destacou pela sua velocidade e imprevisibilidade. Após 61 jogos e 13 golos pelo clube belga, o internacional marfinense mudou-se, em 2007, para o Le Mans da liga francesa, onde, durante duas temporadas, assumiu-se como um avançado versátil e de grande intensidade competitiva.

Desde 2009, encontra-se no Lille, onde tem refinado todas as suas qualidades e variado entre a posição de extremo ou de segundo avançado. No clube do norte de França, Gervinho efectuou 32 jogos e marcou 13 golos, o que dá uma média muito interessante de quase um golo a cada dois jogos. No entanto, o internacional marfinense não se resume, simplesmente, aos golos que marca, sendo também um excelente jogador de equipa que sabe criar espaços e combina muito bem com o ponta de lança.

Em suma, trata-se de um jogador de grande qualidade que terá de merecer a máxima atenção da equipa técnica leonina.

As hipóteses leoninas

Em termos de plantel, pensamos que Sporting e Lille têm equipas muito semelhantes em termos de qualidade individual e colectiva.

Assim sendo, serão, por certo, dois duelos muito equilibrados e que vão exigir enorme concentração por parte das duas equipas intervenientes. Depois, a equipa que conseguir ter maior sangue frio e frieza competitiva irá, por certo, conseguir os melhores resultados e, aí, esperamos que a equipa mais concentrada seja o Sporting Clube de Portugal.

Read Full Post »

Older Posts »