Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Lorient’

O poder físico de Ciani impressiona

O poder físico de Ciani impressiona

Um dos mais recentes reforços confirmados do Sporting foi o internacional francês Michäel Ciani, defesa-central que, nas últimas três temporadas, representou a Lazio de Roma, acabando agora por abandonar os italianos rumo a Alvalade, e a custo zero.

Trata-se de um futebolista nascido a 6 de Abril de 1984 em Clichy-sous-Bois, França, e que passou pelas camadas jovens do US Colombes e do Racing Paris, tendo sido precisamente neste emblema da capital gaulesa que se estreou profissionalmente, em 2001/02.

Em 2003/04, Ciani teve a sua primeira experiência no estrangeiro, ao serviço dos belgas do Charleroi, ainda que essa aventura tenha durado apenas uma época, com o defesa-central a somar 17 jogos (um golo) e a regressar no Verão seguinte ao seu país, para representar o Auxerre, ainda que apenas tenha actuado pela equipa de reservas desse emblema.

A explosão no Lorient

O momento de viragem na carreira de Michäel Ciani deu-se em 2005/06, quando o defesa-central transferiu-se para o Sedan, do segundo escalão do seu país, e assumiu-se como titular indiscutível, somando 37 jogos (três golos) e garantindo uma transferência para o Lorient no final da campanha.

Aí, finalmente a actuar na Ligue 1, o possante atleta não sentiu minimamente o peso do salto, assumindo-se imediatamente como a referência defensiva do clube bretão nas três épocas seguintes, somando 100 jogos (cinco golos) e abrindo espaço para novo salto na carreira, desta feita para o Bordéus, em 2009/10.

No Bordéus, fez três temporadas excelentes, somando um total de 105 jogos e 10 golos, e chegando inclusivamente à selecção francesa, onde actuou por apenas um jogo, diante da Espanha (0-2), em 2010.

Perdeu gás na Lazio

Ora, perante essa ascensão, clubes de outros países acabaram por ficar atentos a Ciani, futebolista que acabaria por transferir-se para a Lazio, já com a temporada de 2012/13 a decorrer.

Na Série A, todavia, o internacional francês jamais conseguiu a relevância dos tempos do Lorient e Bordéus, ainda que tenha conseguido somar 72 jogos oficiais e dois golos pela Lazio, em números que também foram prejudicados por uma grave lesão contraída na temporada transacta e que curiosamente até ajudou a motivar a contratação de Maurício por parte dos romanos.

Assim sendo, acabou por não surpreender que a Lazio não tenha renovado contrato com Michäel Ciani, abrindo espaço para que o experiente defesa-central pudesse rumar ao Sporting a custo zero neste Verão, isto com o intuito de ser provavelmente o líder da defesa leonina em 2015/16.

Um central imponente

Michäel Ciani é um defesa-central que, em linguagem popular, poderá ser chamado de “armário”, uma vez que mede 1,92 metros e pesa 89 quilos, algo que lhe permite ser fortíssimo pelo ar (defensiva e ofensivamente) e intratável nos duelos individuais corpo a corpo, onde é muito complicado de ser batido.

Muito experiente, o internacional francês conseguiu, com o passar das temporadas, evoluir bastante em termos posicionais, algo que lhe permite lidar melhor com a sua falta de explosão, lacuna que o torna pouco fiável quando confrontado com atacantes que tenham grande velocidade no arranque.

Já em termos técnicos, o internacional francês está longe de ser particularmente dotado, ainda que também não seja excessivamente fraco nesse aspecto, conseguindo cumprir nos capítulos mais elementares. Ainda assim, em termos de início da construção ofensiva, não será o jogador mais indicado para a função.

Read Full Post »

Guerreiro tem tudo para ser o futuro dono do lado esquerdo da selecção

Raphael Guerreiro destaca-se já há algum tempo

As boas exibições com a camisola da selecção nacional de sub-21 e, acima de tudo, o golo que marcou no seu segundo jogo pela selecção A e que valeu a vitória de Portugal, diante da Argentina (1-0), em Inglaterra, colocou Raphael Guerreiro nas bocas do Mundo, sendo que, de repente, todos se lembraram do luso-francês, falando-se inclusivamente de uma “ascensão meteórica”, como se o lateral-esquerdo estivesse perdido num escalão inferior de qualquer campeonato menor.

A verdade é que Raphael Guerreiro actua em clubes dos principais escalões do futebol gaulês desde 2012/13, sendo que, nessa temporada, o jovem de 20 anos (faz 21 a 22 de Dezembro) foi titular indiscutível do Caen, da Ligue 2, somando 41 jogos (um golo). Já na época passada, na ainda mais mediatizada Ligue 1, Raphael Guerreiro foi novamente uma peça fundamental, neste caso do Lorient, somando 34 jogos pelo clube bretão, onde, aliás, continua a ser titular indiscutível em 2014/15, com 13 jogos (um golo).

Entretanto, enquanto se dava esta ascensão não tão meteórica como querem dar a entender, os principais clubes portugueses continuavam pouco atentos, preferindo monitorizar jovens em paragens mais distantes e que, como se sabe, nem sempre se impõem.

No caso do Benfica, por exemplo, o caso é ainda mais curioso, isto pela dificuldade que o clube português tem tido com esta posição em específico e lembrando os inúmeros “flops” que chegaram nas últimas temporadas, nos quais Bruno Cortez e Loris Benito são os exemplos mais recentes, com o internacional suíço, contratado este Verão, a ser inclusivamente preterido na ausência do habitual titular Eliseu por André Almeida, um jogador que joga adaptado à função.

Ora, parece que agora, com o luso-francês a encontrar-se nas bocas do Mundo, a SAD encarnada, segundo o “Correio da Manhã”, decidiu finalmente avançar pelo jovem luso-francês, ele que até já assumiu o seu desejo de, um dia, representar o Benfica.

O problema, contudo, é que um jogador que poderia ter chegado no último Verão por cerca de quatro milhões de euros, estará agora avaliado em 10 milhões de euros, sendo que, além dessa cotação elevada, há ainda que ressalvar o interesse crescente de inúmeros clubes de nomeada, atraídos pela mediatização do par de jogos que o lateral-esquerdo fez pela “Equipa das Quinas”.

Assim sendo, por ter “acordado tarde”, será previsível que o Benfica tenha perdido, em definitivo, a possibilidade de contratar aquele que tem tudo para ser o futuro dono do lado esquerdo da selecção nacional e que, neste momento, apenas terá Fábio Coentrão na sua frente. Uma lição, afinal, para a estrutura encarnada, que não pode ser apenas audaz quando avança por alvos na América do Sul e na Europa de Leste.

Read Full Post »

Emeghara (1º plano) a jogar pela Suíça

Nos gauleses do Lorient actua um veloz avançado helvético de origem nigeriana e que se começa a assumir como um dos grandes valores do futebol suíço: Innocent Emeghara.

Nascido a 27 de Maio de 1989 em Lagos, Nigéria, Innocent Emeghara esteve nas camadas jovens do Toss e do Winterthur, antes de chegar à equipa secundária do FC Zurique em 2006.

Nos três anos seguintes, o atacante suíço desenvolveu o seu futebol na equipa B do FC Zurique, tendo marcado 16 golos em 47 jogos. Ainda assim, apesar dos números interessantes, o ponta de lança acabou por mudar de ares em 2009, tendo regressado ao Winterthur.

Explodiu no Winterthur e consolidou-se no Grasshoppers

No clube da “Challenge League” (segundo escalão suíço), Emeghara brilhou, tendo marcado 17 golos em 28 jogos e ganhando o direito de se transferir, no início da temporada transacta, para o Grasshoppers. Nos “gafanhotos”, também não desiludiu quem apostou nele, apontando nove golos em 33 jogos e conseguindo, inclusivamente, chegar à selecção principal da Suíça.

No passado defeso, o avançado de origem nigeriana voltou a dar um salto na sua carreira, pois trocou o Grasshoppers e o campeonato suíço pelo Lorient da Ligue 1. No clube francês, neste início de época, ainda está em fase de adaptação, somando dois tentos em quatro jogos.

Ponta de lança que faz da velocidade a sua maior arma

Innocent Emeghara é um atacante de apenas 1,70 metros e esse baixo centro de gravidade permite-lhe rápidas mudanças de velocidade e dribles estonteantes.

Extremamente veloz, tanto com a bola nos pés como na forma como se desmarca, o internacional suíço é também letal na hora de atirar à baliza, sabendo procurar os espaços vazios para concretizar e parecendo, muitas vezes, ter o dom de adivinhar onde o esférico vai surgir.

Pelas suas características, é o jogador ideal para actuar ao lado de um jogador mais possante num 4x4x2 de ataque continuado, ou ao lado de outro jogador das mesmas características num esquema mais virado para o contra-ataque. No entanto, devido à sua velocidade estonteante e capacidade de drible, também pode jogar encostado a um dos flancos num esquema 4x3x3.

Neste momento, com apenas 22 anos, será sempre um jogador que vos aconselho a procurar num jogo do Lorient ou, quiçá, da selecção suíça.

Read Full Post »

Em 1982, a Argélia escandalizava o Mundo após vencer a República Federal da Alemanha por duas bolas a uma. Jogadores como Madjer ou Assad tornavam-se conhecidos do grande público e percebeu-se que, pela primeira vez, uma equipa magrebina podia passar à segunda fase do Mundial. Contudo, após perderem com a Áustria, acabaram eliminados após uma estranha vitória germânica diante dos austríacos por uma bola a zero. Nesse jogo, ambas as equipas não forçaram, pois sabiam que aquele resultado apurava as duas para a 2ª fase. Assim, a Argélia despediu-se do campeonato do mundo, mas o perfume daquele futebol perdurou até hoje, à espera que, um dia, volte a renascer. Veremos se esse dia chegará, este ano, na África do Sul…

A Qualificação

A Argélia teve uma caminhada muito difícil para a África do Sul. Na 2º Fase, integrada no Grupo 6, a Argélia sofreu bastante para se impor a Gâmbia e Senegal, superando esses dois rivais por apenas um ponto.

Depois, na 3ª Fase, num grupo com Egipto, Zâmbia e Ruanda, os argelinos chegaram ao último jogo (no campo do Egipto) a precisarem de perder por menos de dois golos para se apurarem para o campeonato do mundo. No entanto, nesse desafio, acabaram por sofrer o 2-0 no minuto 95, ficando as duas selecções norte-africanas empatadas em diferença de golos e confronto directo.

Assim sendo, argelinos e egípcios tiveram de fazer um desempate, no Sudão, para decidir quem iria ao Mundial. Aí, os argelinos foram mais felizes, vencendo por 1-0 (golo de Yahia) e apurando-se para o Mundial sul-africano.

2ª Fase: Grupo 6 – Classificação

  1. Argélia 10 pts
  2. Gâmbia 9 pts
  3. Senegal 9 pts
  4. Libéria 3 pts

3ª Fase: Grupo C – Classificação

  1. Argélia 13 pts
  2. Egipto 13 pts
  3. Zâmbia 5 pts
  4. Ruanda 2 pts

Playoff

Argélia 1-0 Egipto

O que vale a selecção argelina?

A equipa esteve bem na última Taça de África, onde alcançou as meias finais e tem alguns elementos de qualidade como o médio-ala Matmour e o trinco Yebda. Ainda assim, integrada num grupo com Inglaterra, Estados Unidos e Eslovénia, a Argélia parece ser a selecção mais frágil do agrupamento.

A equipa magrebina costuma jogar num esquema de 3-4-3, com três centrais competentes (Bougherra-Halliche-Yahia), mas que podem ter dificuldades diante de selecções com avançados rápidos e fortes no um contra um. Apesar de terem sofrido poucos golos na fase de qualificação (8 em 12 jogos), irão, no Mundial, encontrar um nível de exigência muito maior e, como não são centrais muito rápidos, poderão criar um grave problema à selecção argelina.

Por outro lado, o meio campo é, provavelmente, o ponto mais forte da equipa magrebina. Costumam jogar com um duplo pivot (Yebda-Mansouri) que sabe defender e atacar com a mesma qualidade e, também, com dois alas muito rápidos: Belhadj (à esquerda) e Matmour (à direita). Os dois alas são muito criativos, criando bastantes situações de desequilíbrios e, principalmente no caso de Belhadj, também defendem muito bem, dando alguma segurança defensiva à Argélia.

Por fim, no ataque, as raposas do deserto apresentam dois jogadores plenos de mobilidade: Djebbour (avançado esquerdo) e Ziani (avançado direito)  e, também, um ponta de lança finalizador: Ghezzal. Apesar de tanto Djebbour como Ziani jogarem nas alas, veremos provavelmente o avançado esquerdo mais no apoio a Ghezzal e Ziani a funcionar, muitas vezes, como quinto elemento do meio campo, transformando o esquema argelino em 3-5-2.

Globalmente os argelinos têm uma equipa de alguma qualidade, todavia, o seu esquema bastante ofensivo, a fragilidade dos centrais no jogo pelo chão e alguma indisciplina táctica deverão condenar os magrebinos ao último lugar do Grupo C.

O Onze Base

A equipa argelina deve, tal como foi dito anteriormente, apresentar um esquema em 3-4-3 com Gaouaoui (ASO Chief) na baliza; Bougherra (Rangers), Halliche (Nacional) e Yahia (Bochum) na defesa; Yebda (Portsmouth) e Mansouri (Lorient) como duplo pivot, Belhadj (Portsmouth) como ala esquerdo, Matmour (Borussia M’Gladbach) como ala direito; e três avançados: Djebbour (AEK), Ghezzal (Siena) e Ziani (Wolfsburgo).

Classificação – Previsão “A Outra Visão”

Aparentemente, os argelinos deverão ser favoritos a ocuparem o último lugar do Grupo C. No entanto, se o seleccionador Rabah Saadane conseguir limar algumas arestas e tornar as raposas do deserto um pouco mais matreiras, poderão surpreender eslovenos e, quiçá, até os norte-americanos. Ainda assim, a possibilidade disso acontecer é muito reduzida

 Calendário – Grupo C (Mundial 2010)

  •  13 de Junho – Argélia vs Eslovénia 
  •  18 de Junho – Argélia vs Inglaterra 
  •  23 de Junho – Argélia vs EUA

Read Full Post »

A festa do título nerazzurri

O Inter de Milão de Mourinho e o Barcelona de Pep Guardiola conquistaram, este fim de semana, os títulos de Itália e Espanha, respectivamente. Os nerazzurri foram ao recinto do despromovido Siena e venceram por 1-0 graças a um golo do inevitável Diego Milito; enquanto os azulgrana venceram, em casa, o Valladolid, por 4-0 com golos de Messi (2), Pedro e Prieto (p.b.). Estes resultados deixaram os perseguidores: AS Roma e Real Madrid em segundo lugar e, pior que isso, sem quaisquer títulos conquistados esta época.Liga Italiana – Mourinho faz a dobradinha

Liga Italiana – Mourinho faz a dobradinha

Depois da conquista da Taça de Itália, o Inter tinha as contas do título bastante simplificadas, pois bastava-lhe ganhar ao Siena, em casa, para vencer a Série A. A correr por fora encontrava-se a Roma, que tinha de vencer em Verona, o Chievo, e esperar que os nerazzurri tropeçassem.

Apesar das dificuldades, os romanos ainda foram campeões virtuais durante algum tempo, que foi o tempo que durou desde que a Roma abriu o activo em Verona (golo de Vucinic aos 39′) e o Inter se manteve empatado em Siena.

Nessa altura, o Inter falhou golos atrás de golos e chegou-se a temer o pior para os pupilos de José Mourinho. No entanto, aos 59 minutos, Milito fez o golo do título.

Nessa fase, a Roma já vencia por 2-0 e o Inter sabia que não poderia conceder o golo do empate. Assim sendo, a equipa de Milão continuou a carregar sobre o Siena para fazer o segundo golo, ainda que, sem sucesso.

No entanto, apesar de não terem conseguido esse golo da tranquilidade, os nerazzurri mantiveram as suas redes invioláveis e, assim, conquistaram o título da Série A, o quinto consecutivo.

A equipa de Mourinho poderá, ainda, conquistar a “tripla” esta temporada, pois, depois de ter vencido a Taça e a Série A, ainda pode vencer a “Champions League” caso vença, na final, os alemães do Bayern Munique.

Dados finais da Liga Italiana:

Campeão: Inter

Qualificados para a Liga dos Campeões: Inter, Roma, Milan, Sampdória

Qualificados para a Liga Europa: Palermo, Nápoles, Juventus

Descem à Série B: Atalanta, Siena, Livorno

Liga Espanhola – Barça conquistou bicampeonato

O Barça sabia que lhe bastava vencer o Valladolid, em casa, para conquistar o título espanhol e esperava-se que os catalães entrassem ao ataque para resolverem rapidamente o jogo.

No entanto, o Barcelona, nos primeiros minutos, ainda sofreu alguns sustos, principalmente por intermédio do angolano Manucho e ainda pairou no ar a possibilidade de uma surpresa. Porém, aos 27 minutos, o Barça abriu o activo após autogolo de Prieto e o jogo sofreu uma viragem radical.

Os azulgrana acalmaram e começaram a dominar o jogo, chegando rapidamente ao segundo golo por Pedro (31′). A partir desse momento, o jogo passou a ter sentido único e, até final, os catalães ainda iriam fazer mais dois golos da autoria do melhor marcador da Liga Espanhola, Lionel Messi.

Apesar da vitória gorda por 4-0, os catalães nem precisavam de ter vencido, pois, em Málaga, o Real Madrid, desinspirado, não foi além de um empate (1-1). Assim sendo, pelo segundo ano consecutivo, o Barça venceu o campeonato e o Real Madrid terminou na segunda posição.

Dados finais da Liga Espanhola

Campeão: Barcelona

Qualificados para a Liga dos Campeões: Barcelona, Real Madrid, Valência e Sevilha

Qualificados para a Liga Europa: Atl. Madrid, Maiorca e Getafe

Descem à 2ª Liga: Valladolid, Tenerife e Xerez

Liga Francesa – Lyon e Auxerre asseguram acesso à Liga dos Campeões

Com o título entregue ao Marselha, restava, na Ligue 1, a emoção da luta pelo acesso à Liga Milionária.

A equipa do Lille partia para a última jornada em segundo lugar e com tudo para conquistar o acesso à “Champions”, contudo, na deslocação a Lorient, acabou por perder 2-1 e por acabar a Ligue 1 em… quarto lugar.

Ricardo Costa (33′) ainda colocou o Lille em vantagem, todavia, Kevin Gameiro (37′) e Jouffre (66′) marcaram para o Lorient e colocaram “Les Dogues” fora da Liga dos Campeões.

Aproveitaram o desaire, as equipas do Lyon e Auxerre, que, assim, irão jogar a “Champions” na próxima temporada. O Olympique de Lyon venceu o Le Mans, em casa, por 2-0 e acabou em segundo lugar; enquanto o Auxerre venceu em Sochaux (2-1) e terminou na terceira posição.

Dados finais da Liga Francesa:

Campeão: Marselha

Qualificados para a Liga dos Campeões: Marselha, Lyon e Auxerre

Qualificados para a Liga Europa: Lille, Montpellier e PSG

Descem à Ligue 2: Le Mans, Boulogne e Grenoble

Read Full Post »

O Barcelona não foi além de um nulo no desafio, fora, diante do Espanhol. Este resultado, aliado ao triunfo do Real Madrid, em casa, diante do Valência, por 2-0, diminiu a vantagem catalã, em relação aos madrilenos, para apenas um ponto; Em Itália, a Roma venceu o derbi romano por duas bolas a uma e manteve o ponto de vantagem sobre o Inter (recebeu e venceu a Juventus por 2-0); Na Premier League, o líder Chelsea perdeu na deslocação ao campo do Tottenham (1-2) e o  Manchester United (venceu o derby de Manchester por 1-0) está agora a apenas um ponto.

Liga Espanhola – Barcelona perde margem de erro

Após a vitória diante do Real Madrid, os catalães sabiam que se podiam dar ao luxo de empatarem ou perderem um jogo que seriam campeões na mesma. Contudo, o Barça não esperava esgotar essa margem de erro logo ao primeiro obstáculo, ou seja, no derbi catalão com o Espanhol. Foi um jogo extremamente desinspirado do Barcelona que nunca se conseguiu superiorizar ao seu adversário e acabou com uma unidade menos no relvado. Por outro lado, quem não vacilou foi o Real Madrid que recebeu o Valência e venceu por 2-0, num jogo em que demonstrou ser sempre superior. Higuaín e Ronaldo fizeram os golos que colocam os madrilenos a apenas um golo do Barça e deixam a La Liga ao rubro.

Liga Italiana – Roma mantém liderança e Milan despede-se do título

A Roma até começou mal o derbi romano, pois, aos 15 minutos, Rocchi abriu o activo para a Lazio. O eterno rival da Roma continuou mais forte e Floccari ainda falhou um penálti. Contudo, na segunda parte, os pupilos de Ranieri encheram-se de brio e deram a volta ao marcador com um bis de Vucinic. Com este resultado, a AS Roma manteve a liderança com um ponto de vantagem sobre o Inter (2º), que venceu, com toda a justiça, em casa, a Juventus (2-0) com golos de Maicon e Eto’o. Fora da luta pelo título está o Milan que deslocou-se a Génova, perdeu com a Sampdória (1-2) e está agora a sete pontos da Roma.

Liga Inglesa – Chelsea perde em White Hart Lane e relança Premier League

Os “blues” tinham um difícil teste no campo do Tottenham e acabaram por chumbá-lo. No White Hart Lane, os “spurs” foram sempre superiores e, ainda na primeira parte, chegaram ao 2-0 com golos de Defoe e Bale. Na segunda metade, o Chelsea reagiu mas só fez um golo, mesmo ao cair do pano, por Lampard. Com esta derrota (1-2), os londrinos ficaram com apenas um ponto de vantagem sobre o segundo classificado Manchester United, que venceu o derbi de Manchester diante do City, com um golo no último minuto de Scholes. Por outro lado, o Arsenal perdeu em Wigan (2-3) e despediu-se definitivamente da luta pelo título inglês.

Liga Alemã – Bayern esmaga Hannover e mantém Schalke 04 a dois pontos

O líder do campeonato alemão recebeu o Hannover e não fez por menos, pois ganhou 7-0. Robben (3), Olic (2) e Müller (2) fizeram os golos da goleada bávara. Por outro lado, o Schalke também não vacilou e venceu, em casa, o Borussia de Monchegladbach por três bolas a uma. Com estes resultados, o Bayern mantém a liderança da Bundesliga com mais dois pontos que o segundo classificado Schalke 04.

Outras Ligas – Anderlecht sagrou-se campeão belga

O Anderlecht venceu em Brugge por 2-1 com golos de Van Damme e Suarez e conquistou o campeonato belga com quatro jornadas de avanço; Por outro lado, em França, o Marselha ganhou em Boulogne (2-1) e tem agora cinco pontos de avanço sobre o segundo classificado Auxerre, que venceu o Lorient, em casa, por 4-1; Por fim, na Holanda, o campeonato continua ao rubro, pois, a uma jornada do fim, Twente e Ajax continuam seperados por um ponto. O Twente venceu, em casa, o Feyenoord (2-0) e o Ajax goleou, também em casa, o Heracles por 4-0. Emoção até ao fim na Eredivisie.

Read Full Post »