Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Mimosas’

O primeiro adversário do Sport Lisboa e Benfica na sua caminhada para a fase de grupos da Liga dos Campeões é o maior clube turco a actuar fora de Istambul, o Trabzonspor. Ofuscado pela grandeza dos três gigantes da cidade que faz a fronteira entre a Europa e a Ásia, o clube de Trabzon, cidade nas margens do Mar Negro, é um dos históricos da Turquia, tendo conquistado seis campeonatos, oito taças e oito supertaças. Para além disso, participou inúmeras vezes nas competições da UEFA, tendo como melhor registo a participação nos oitavos de final da Taça UEFA em 1991/92 (eliminado pelos dinamarqueses do FC Copenhaga) e 1994/95 (eliminado pelos italianos da Lázio).

O Hüseyin Avni Aker é o Estádio do Trabzonspor

Quem é o Trabzonspor?

O Trabzonspor foi fundado em 1967 por fusão de dois clubes de Trabzon, o Idmangücü e o Idmanogagi. Esta união foi forçada pela Federação turca que, na altura, procurava criar uma Liga de futebol mais competitiva.

A Tempestade do Mar Negro (alcunha do clube) permaneceu na segunda divisão até à época 1973/74 quando venceu o campeonato secundário e foi promovido à primeira divisão turca.

A partir desse momento, o Trabzonspor viveu o momento mais alto da sua história, pois entre 1975 e 1984 foi campeão turco por seis vezes e, quando não venceu o campeonato, acabou na segunda posição. Foi uma época gloriosa em que a equipa teve jogadores do calibre de Senal Günes e Turgay Semircioglu e em que também conquistou três taças da Turquia.

Todavia, desde 1984, o Trabzonspor decaiu de rendimento e nunca mais voltou a ser campeão. Ainda assim, venceu cinco taças da Turquia e jogou inúmeras vezes nas competições europeias, mantendo-se como um dos quatro gigantes do campeonato turco. Na última temporada, o clube do Mar Negro esteve muito perto de conquistar o título nacional, mas perdeu-o no confronto directo com o Fenerbahçe (3-2 e 0-2) após ambas as equipas terem terminado o campeonato turco com 82 pontos.

Como joga?

A equipa do Trabzonspor é um conjunto tipicamente turco, ou seja, denota uma qualidade técnica razoável e é muito aguerrido, disputando cada bola como se a sua vida dependesse disso.

Em termos tácticos, a Tempestade do Mar Negro costuma alternar entre o 4x4x2 e o 4x3x3, sendo que normalmente é do meio-campo para a frente que se verificam mais alterações no onze.

Apesar de terem perdido jogadores muito importantes como o brasileiro Jajá Coelho e o internacional turco Umut Bulut, a equipa de Trabzon continua com um conjunto bastante forte, conseguindo ainda se reforçar com excelentes jogadores como o médio-ofensivo Halil Altintop, o trinco marfinense Didier Zokora e o avançado brasileiro Paulo Henrique.

No último jogo particular, o Trabzonspor empatou (1-1) com o Charleroi e apresentou a seguinte equipa: Bora; Celustka, Mustafa (Sezer, 79m), Aykut e Ferhat (Piotr Brozek, 46m); Mehmet Cakir, Colman (Zokora, 46m), Baris (Glowacki, 46m) e Sercan (Serkan, 46m); Pawel Brozek (Paulo Henrique, 46m) e Halil Altintop (Adrian, 68m).

Zokora com a camisola da Costa do Marfim

Quem é que o Benfica deve ter debaixo de olho? – Didier Zokora

O reforço mais sonante do vice-campeão da Turquia para esta temporada é claramente o médio-centro marfinense ex-Sevilha: Didier Zokora.

Nascido a 14 de Dezembro de 1980 em Abidjan, Costa do Marfim, Alain Didier Zokora-Déguy iniciou a sua carreira no Mimosas do seu país natal, tendo chegado ao campeonato belga e ao Genk em 1999. No Racing Genk permaneceu até 2004, tendo inclusivamente ganho o campeonato da Bélgica em 2001/02.

Após essa primeira experiência no futebol europeu, Zokora haveria de jogar duas épocas no St. Étienne, três no Tottenham e duas no Sevilha, tendo-se assumido sempre como uma peça fulcral em todos esses importantes clubes do Velho Continente até chegar, esta temporada, ao Trabzonspor.

Neste momento, com 30 anos, Zokora é um médio-centro muito experiente e de perfil defensivo, caracterizando-se pela raça e inteligência posicional que pautam o seu jogo. Importantíssimo nos equilíbrios defensivos da sua equipa, é um jogador apenas mediano em termos técnicos, arriscando pouco em termos de passe ou de drible e raramente festejando um golo.

Ainda assim, a sua função dentro de campo é mais destrutiva que construtiva e, assim, as suas limitações técnicas são pouco importantes para o principal objectivo do internacional marfinense dentro das quatro linhas que passa por equilibrar a sua equipa e contrariar os criativos do adversário.

No último jogo oficial com uma equipa turca (Galatasaray) o Benfica perdeu (0-2)

As hipóteses do Benfica

Apesar do Trabzonspor ser um adversário com qualidade, tenho a certeza que, em comparação com a equipa portuguesa, está uns bons furos abaixo em termos de qualidade colectiva e individual.

No entanto, não nos podemos esquecer que no último desafio que o Benfica fez com uma equipa turca a contar para as provas da UEFA (Taça UEFA 2008/09), saiu derrotado pelo Galatasaray (0-2), em pleno Estádio da Luz.

Assim sendo, o Benfica terá de encarar o desafio com profissionalismo e o seu sector recuado terá de estar mais próximo daquele que os encarnados esperam e anseiam para 2011/12, de forma a que não tenha dificuldades em superar este obstáculo turco e siga para o último degrau até à fase de grupos da “Champions League”.

Read Full Post »

Depois de ter regressado à Ligue 1 em 2000, após um duro percurso de três temporadas no segundo escalão do futebol francês, o Lille tem conseguido cimentar-se como um dos bons clubes franceses da actualidade, conseguindo ficar seis vezes do quinto lugar para cima e participando por três vezes na Liga dos Campeões. Apesar da retoma, o Lille continua longe dos tempos de glória vividos nas décadas de 40 e 50, quando a equipa do norte de França conquistou 2 campeonatos e cinco taças de França, sendo, neste momento, uma equipa de qualidade, mas que se mantém abaixo de gigantes gauleses como o Marselha, Bordéus ou Lyon.

Quem é o Lille

O Lille foi fundado em 1944, resultado da fusão entre o SC Fives e Olympique Lillois, tendo sucesso imediato, pois, na primeira vez que participou no campeonato francês de futebol (1945/46), sagrou-se campeão nacional. Nesse mesmo ano, conquistou, igualmente, a Taça de França e iniciou um percurso que, durante cerca de dez anos, transformou o Lille num dos maiores clubes gauleses, pois, entre 1946 e 1954, a equipa do norte de França conquistou 2 campeonatos (46 e 54) e cinco taças de França (46, 47, 48, 53 e 54).

No entanto, se o sucesso surgiu rapidamente, o declínio também não se fez esperar, com a equipa, após o último título nacional, a entrar num rápido declínio que teve como ponto mais negro a descida à terceira divisão e, em 1969, o abandono do estatuto de clube profissional.

Em 1970, a equipa regressou à segunda divisão e recuperou o estatuto de clube profissional, mas, apesar das melhorias financeiras, a equipa manteve-se com resultados modestos, transformando-se, primeiro, num clube que mais parecia um elevador entre a primeira e segunda divisão e, posteriormente, num clube estável no primeiro escalão, mas que apenas somava classificações modestas.

Posteriormente, em 1997, a equipa voltou a descer à Ligue 2, permanecendo lá por três temporadas, contudo, em 2000, quando o Lille regressou ao primeiro escalão, conseguiu cimentar-se e atingir boas classificações, terminando a maior parte dos campeonatos do quinto lugar para cima. Na década de 2000, o Lille também foi capaz de se estrear na Liga dos Campeões, participando por três vezes na mais importante prova de clubes da UEFA.

O ano passado, o Lille terminou o campeonato francês na quarta posição e qualificou-se para a fase de grupos da Liga Europa após afastar os romenos do Vaslui (0-0 e 2-0).

Como joga

O Lille costuma actuar num 4-3-3 de perfil ofensivo, que explora a grande velocidade das suas duas grandes estrelas: os extremos Gervinho e Eden Hazard.

Apesar de ser muito perigosa no ataque, a equipa gaulesa também é bastante segura na defesa, onde conta com o guarda-redes internacional francês Landreau e dois centrais muito altos e fortes: Rozehnal e Rami. No meio-campo, o Lille conta com três jogadores que garantem grande solidez táctica que são o trinco Mavuba e dois box to box de grande qualidade e disciplina táctica: Balmont e Cabaye.

Assim sendo, graças a grande segurança que a defesa e o meio-campo asseguram, o Lille garante enorme liberdade aos dois extremos (Gervinho e Hazard), dois jogadores de enorme talento, sendo que o belga é um ala de perfil mais puro, que procura a linha e os lances de um contra um e o marfinense, ao invés, é um jogador que gosta de forçar as diagonais para o centro, de forma a encontrar espaço para o remate ou para a combinação com o perigoso e móvel goleador francês: Pierre-Alain Frau.

Em príncipio, esta será a equipa que o Lille irá apresentar, hoje, para o duelo com os verde e brancos:

Gervinho é um avançado perigoso

Quem é que os leões devem ter debaixo de olho – Gervinho

O polivalente avançado de 23 anos é, claramente, um dos grandes destaques deste Lille, sendo um jogador que alia a velocidade à criatividade para colocar em sentido as defesas contrárias.

Criado nas escolas de dois clubes do seu país (Mimosas e Tomoudi), Gervinho entrou na Europa, em 2004, pela porta do Beveren, onde se destacou pela sua velocidade e imprevisibilidade. Após 61 jogos e 13 golos pelo clube belga, o internacional marfinense mudou-se, em 2007, para o Le Mans da liga francesa, onde, durante duas temporadas, assumiu-se como um avançado versátil e de grande intensidade competitiva.

Desde 2009, encontra-se no Lille, onde tem refinado todas as suas qualidades e variado entre a posição de extremo ou de segundo avançado. No clube do norte de França, Gervinho efectuou 32 jogos e marcou 13 golos, o que dá uma média muito interessante de quase um golo a cada dois jogos. No entanto, o internacional marfinense não se resume, simplesmente, aos golos que marca, sendo também um excelente jogador de equipa que sabe criar espaços e combina muito bem com o ponta de lança.

Em suma, trata-se de um jogador de grande qualidade que terá de merecer a máxima atenção da equipa técnica leonina.

As hipóteses leoninas

Em termos de plantel, pensamos que Sporting e Lille têm equipas muito semelhantes em termos de qualidade individual e colectiva.

Assim sendo, serão, por certo, dois duelos muito equilibrados e que vão exigir enorme concentração por parte das duas equipas intervenientes. Depois, a equipa que conseguir ter maior sangue frio e frieza competitiva irá, por certo, conseguir os melhores resultados e, aí, esperamos que a equipa mais concentrada seja o Sporting Clube de Portugal.

Read Full Post »