Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Mladenov’

Dembelé deu trabalho aos defesas leoninos

Em dois jogos sem grande importância que não fosse a honra desportiva e os 120 mil euros em disputa, dragões e leões tiveram sortes diferentes nos seus duelos diante  adversários búlgaros. No Dragão, o FC Porto, mesmo com vários jogadores poupados, venceu o CSKA Sófia por 3-1 e terminou o Grupo L com impressionantes 16 pontos, ou seja, apenas concedeu um empate em seis jogos. Por outro lado, os verde-e-brancos, na neve de Sófia, não evitaram o desaire e perderam com o Levski (0-1). Este resultado, apesar de, aparentemente ser pouco importante, fez com que a Rússia se aproximasse de Portugal no Ranking UEFA, na luta pelo sexto lugar e consequente acesso de três equipas à “Champions” 2012/13.

FC Porto 3-1 CSKA Sófia

Mesmo poupando alguns jogadores, o FC Porto provou a força do seu plantel, vencendo, sem problemas, o CSKA Sófia (3-1) num jogo em que até podia ter goleado.

Na primeira parte, o golo de Otamendi (21′), na sequência de um canto, foi um magro pecúlio para o imenso domínio do FC Porto que não deu grandes hipóteses a um adversário muito modesto para estas andanças europeias.

Após o descanso, a equipa búlgara, ainda chegou ao empate, quando na sequência de um lançamento longo do seu guarda-redes, Delev (49′) empatou a partida.

No entanto, esse golo não abalou minimamente a equipa portuguesa que continuou a dominar totalmente o jogo, marcando dois tentos por Rúben Micael (54′) e James Rodríguez (90′) e vendo, inclusivamente, Falcao falhar um penalti.

Em suma, vitória tranquila de um FC Porto que provou, uma vez mais, que é muito mais do que apenas onze jogadores.

Levski 1-0 Sporting

Na neve de Sófia, o Sporting voltou a desiludir, acabando por não ser capaz de conseguir um resultado positivo diante do último classificado do Grupo C e que, na primeira volta, havia perdido cinco a zero em Alvalade.

Num jogo com poucos motivos de interesse, o Levski acabou por marcar o único golo do jogo em cima do intervalo e por intermédio de Mladenov, num lance em que Dembelé fez gato sapato de Nuno André Coelho.

Na segunda parte, os leões tentaram reagir à desvantagem, mas foram incapazes de ultrapassar a muito bem organizada linha defensiva do Levski que, assim, garantiu a pequena consolação de ter terminado invencível em casa neste Grupo C.

Com este desaire (0-1), os leões terminaram este agrupamento da Liga Europa com 12 pontos, mais quatro que o segundo, o Lille.

Anúncios

Read Full Post »

Mladenov era a estrela do Belenenses

Quando surgiu o sorteio da 1ª eliminatória da Taça UEFA referente à temporada 1988/89, é justo dizer que ninguém acreditaria na passagem do Belenenses. O seu adversário era, nem mais nem menos, que o detentor do troféu, que havia vencido, na temporada anterior, após eliminar equipas como o Áustria Viena, Spartak Moscovo, Dinamo Tiblissi, Verona, Werder Bremen e, na final, o Espanhol de Barcelona. Assim sendo, a primeira mão, a jogar na Alemanha, era tida como um passeio para os germânicos que, supostamente, iriam golear os azuis e resolver, desde logo, a eliminatória. Felizmente para os portugueses e, acima de tudo, para os adeptos do clube da cruz de cristo, não foi bem isso que se passou…

A primeira mão do duelo entre alemães e portugueses disputou-se no Ulrich-Haberland, em Leverkusen, e o Belenenses surpreendeu os alemães e o mundo com um golo da sua grande estrela, Mladenov, logo aos cinco minutos de jogo. Um golo madrugador, mas que foi defendido com unhas e dentes por uma equipa lisboeta que contava com jogadores como o referido internacional búlgaro, Adão, ou Jaime. Numa exibição plena de união e entreajuda, os azuis acabaram por segurar a vantagem mínima (0-1) até ao apito final e, assim, abriram excelentes perspectivas para o jogo da segunda mão.

No jogo decisivo, e apesar dos azuis jogarem em casa, o Bayer continuava a ser o favorito, quanto mais não fosse, porque havia conquistado a competição na ronda anterior. Foi um jogo sofrido, duro, mas o tempo foi passando com o nulo no marcador e, como tal, com a qualificação no bolso da equipa portuguesa. Todos os que enchiam o Estádio do Restelo (deve dar saudades ver o estádio assim…) já se encontravam felizes, mas, a quatro minutos do final, na sequência de um livre de Adão, surgiu o golo decisivo, um livre com alguma dose de sorte e grandes doses de querer que empurrou o Belenenses para a vitória (1-0) e para a passagem à segunda eliminatória da Taça UEFA.

Nessa 2ª ronda, infelizmente, os azuis foram incapazes de ultrapassar o Velez Mostar da antiga Jugoslávia (agora um clube da Bósnia), acabando eliminados no desempate por pontapés da marca da grande penalidade, após duplo nulo nos dois jogos entre as equipas. Ainda assim, ninguém tirou o orgulho aos belenenses por terem eliminado o detentor do troféu e, acima de tudo, por terem vergado uma das grandes equipas do futebol alemão a duas derrotas. Um momento mágico e que ficará, para sempre, na memória de todos os adeptos do futebol em Portugal.

Read Full Post »