Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Odense’

O primeiro obstáculo europeu do Vitória de Guimarães na caminhada para chegar à fase de grupos da Liga Europa é uma equipa dinamarquesa da qual o público português terá uma leve memória, pois defrontou o Sporting na Taça UEFA (2001/02), tendo na altura sido vergada a duas derrotas com os leões (0-3 e 2-3) e consequente eliminação da prova. Clube com apenas doze anos e ainda sem nenhum título importante, o FC Midtjylland tem sofrido injecções financeiras para quebrar a hegemonia dos dois principais clubes dinamarqueses (FC Copenhaga e Brondby), mas é bem notório que ainda terá um longo caminho a percorrer.

O FC Midtjylland actua no MCH Arena

Quem é o FC Midtjylland?

O FC Midtjylland foi fundado a 2 de Fevereiro de 1999 como resultado da fusão do Ikast FS e do Herning Fremad e chegou à primeira divisão dinamarquesa em 2000/01, tendo garantido logo um quarto lugar na estreia na competição.

Até este momento, os “lobos” já foram vice-campeões dinamarqueses por duas vezes (2006/07 e 2007/08) e estiveram presentes em quatro finais da Taça da Dinamarca, mas nunca conseguiram conquistar qualquer título.

Na temporada passada, o FC Midtjylland terminou o principal campeonato da Dinamarca na quarta posição, atrás de FC Copenhaga, Odense e Brondby.

Em termos europeus, a equipa dinamarquesa está na sua sexta participação nas provas da UEFA, sendo que a sua melhor campanha foi em 2002/03, quando atingiu a segunda eliminatória da Taça UEFA, caindo, nessa altura, aos pés do Anderlecht (1-3 e 0-3).

O plantel do FC Midtjylland

Como joga?

Como quase todas as equipas escandinavas, o FC Midtjylland actua preferencialmente em 4x4x2, sendo uma equipa bastante forte fisicamente e habitualmente perigosa nas bolas paradas.

Ainda assim, já é uma equipa com um nível técnico bastante razoável, dispondo de vários jogadores africanos para o ataque como Nworun, Igboun ou Izunna Uzochukwu, que garantem ao FC Midtjylland um bom nível de imaginação e improvisação.

No último jogo que efectuou (venceu os galeses do TNS por 5-2), o FC Midtjylland apresentou o seguinte onze: Kasper Jensen; Ipsa, Sivebaek (Izunna, 69′), Lauridsen e Juelsgard; Borring, Jakob Poulsen (Kasper Hansen, 46′), Albaek e Danny Olsen; Nworun e Igboun (Hvilsom, 46′).

Jakob Poulsen tem 17 internacionalizações

Quem é que o Vitória deve ter debaixo de olho? – Jakob Poulsen

O jogador de maior renome do plantel do FC Midtjylland é claramente o médio-centro que representou a Dinamarca no Mundial 2010: Jakob Poulsen.

Nascido a 7 de Julho de 1983, em Varde, Dinamarca, Jakob Bendix Uhd Poulsen iniciou a sua carreira no Esbjerg, onde permaneceu entre 2002 e 2006, efectuando 107 jogos e marcando 19 golos.

Essas boas exibições valeram-lhe uma transferência para o futebol holandês e para o Heerenveen, onde o internacional dinamarquês permaneceu durante dois anos e meio, mas onde nunca se assumiu como titular absoluto, preferindo regressar à Dinamarca no Verão de 2008.

Desde que regressou ao país natal, esteve duas temporadas no Aarhus, antes de se transferir para o Midtjylland logo após a sua participação no Mundial 2010 ao serviço da Dinamarca.

Jogador de grande polivalência (pode jogar como defesa-central, médio-centro, médio-direito ou até “dez”), é no miolo do meio-campo que Jakob Poulsen se sente melhor. Com bom pulmão, inteligência posicional, excelente capacidade recuperadora, boa qualidade de passe e frieza na finalização, trata-se de um médio todo o terreno a que o Vitória de Guimarães deverá dar a máxima atenção.

As possibilidades do Vitória de Guimarães

Em condições normais, o quinto classificado do campeonato português é sempre favorito perante o quarto do campeonato dinamarquês, contudo, há que ter atenção a algumas condicionantes que equilibram este confronto entre o Vitória de Guimarães e o FC Midtjylland.

Primeiro, o campeonato dinamarquês já iniciou e, para além disso, o FC Midtjylland já efectuou dois jogos europeus diante dos galeses do TNS, o que lhe garante uma superior capacidade física e óbvio ritmo competitivo.

Por outro lado, os primeiros ensaios do Vitória de Guimarães não foram animadores (derrotas com Rio Ave e Desportivo das Aves), o que também pode não ser positivo em termos anímicos para os minhotos.

Ainda assim, estou convicto que os vimaranenses têm todas as condições de superarem este obstáculo e seguirem, por direito próprio, para o playoff de acesso à fase de grupos.

Read Full Post »

Estávamos a 24 de Abril de 1991, no minuto 89, da meia-final da Taça UEFA entre Roma e Brondby, num encontro disputado no Olímpico de Roma e o resultado saldava-se num 1-1, que, após o 0-0 da Dinamarca, colocava o Brondby na final da Taça UEFA (se passasse ia defrontar o Inter na final). Tudo corria bem e os escandinavos já faziam a festa quando o inevitável Rudi Völler fez o 2-1 e colocou a equipa romana na final prova europeia. Foi a ocasião em que os dinamarqueses estiveram mais perto de uma competição europeia em toda a sua história e, curiosamente, sabem quem é que o Internazionale eliminou na outra meia-final? Sim, foi o Sporting Clube de Portugal…

Quem é o Brondby

O Brondby foi fundado em 1964, começando na sexta divisão do futebol dinamarquês e demorou algum tempo a subir na escala futebolística daquele país escandinavo, pois apenas chegou à segunda divisão em 1977 e à primeira divisão no final da temporada de 1981.

No entanto, a partir de meados dos anos 80, a equipa escandinava, onde actuaram, nessa década, jogadores como Michael Laudrup e Peter Schmeichel, começou a conquistar bastantes títulos e a afirmar-se como a grande potência do futebol dinamarquês. Para terem uma ideia, o Brondby, nas décadas de 80 e 90, conquistou oito campeonatos da Dinamarca, três Taças da Dinamarca, 3 Supertaças e esteve presente nos quartos de final da Taça dos Campeões (1986/87) e nas meias-finais da Taça UEFA (1990/91).

Depois deste período de algum domínio no futebol dinamarquês, o Brondby, a partir da década de 2000, começou a contar com o crescimento do FC Copenhaga que passou a ser o grande dominador daquele campeonato escandinavo. Assim sendo, foi sem surpresa que o Brondby, desde 2000, apenas conquistou três campeonatos (o último foi em 2004/05), três Taças da Dinamarca e 2 Supertaças.

Na temporada transacta, o Brondby terminou o campeonato na terceira posição, atrás do campeão: FC Copenhaga e do vice-campeão: OB Odense.

Como joga

Ao contrário do anterior adversário do Sporting (FC Nordsjaelland) que tinha um sistema e uma atitude perante o jogo pouco “escandinava”, o Brondby é uma equipa de perfil tipicamente viking, ainda que, como costuma ser normal nas equipas da Dinamarca, não seja uma equipa totalmente “tosca”.

O Brondby actua num 4-4-1-1, tendo, como única nuance a um 4-4-2 clássico, a colocação do seu jogador de maior renome: o internacional sueco Alexander Farnerud, nas costas do ponta de lança, que deve ser o perigoso gambiano Jallow.

De resto, trata-se de uma equipa muito organizada, que raramente tem erros posicionais, mas que não prima muito pelo talento individual. Tem dois centrais muito competentes (Bischoff-Von Schlebrugge), um lateral direito muito ofensivo e que poderá provocar problemas a Evaldo (Wass) e um extremo esquerdo com grande qualidade e que até já jogou no Ajax (Khron-Dehli).

Em princípio, hoje, no Alvalade XXI, o Brondby deve apresentar o seguinte onze:

Jallow é um atacante perigoso

Quem é que os leões devem ter debaixo de olho – Jallow

O internacional gambiano é, por certo, um dos jogadores mais interessantes deste Brondby e, pelas suas características (1,85 metros e forte fisicamente), pode ser especialmente perigoso para a defesa leonina.

Jallow, de apenas 21 anos, iniciou a sua carreira aos 15 anos, no Wallidan do seu país natal. No entanto, o seu talento precoce era tão notório que, cerca de um ano depois, o gambiano assinou pelo Al-Ain dos Emirados Árabes Unidos.

Apesar de muito jovem, Ousman Jallow soube crescer no clube árabe, tendo, ainda, passado uma temporada (2006/07) no Raja Casablanca por empréstimo, numa etapa muito importante do seu crescimento como futebolista.

Depois desse empréstimo ao clube marroquino, o gambiano assumiu-se, definitivamente, como titular do Al-Ain e, provavelmente, no mais importante dos jogadores daquele clube dos Emirados Árabes Unidos. Assim sendo, foi sem surpresa que clubes como o Chelsea e o Arsenal se interessaram pelo seu concurso, ainda que, por problemas com o visto de trabalho, tornou-se impossível a sua saída para Inglaterra.

Aproveitou o Brondby que o contratou e não se arrependeu, pois desde 2008, o internacional gambiano assumiu-se como um excelente ponta de lança, muito rápido, forte e oportuno, que sabe finalizar, mas, ao mesmo tempo, servir os colegas. Ainda muito jovem, Jallow já fez 49 jogos (14 golos) pelo clube viking e é um jogador cada vez mais adulto e inteligente.

Um jogador muito interessante e que Paulo Sérgio deve saber como parar nesta eliminatória europeia.

As hipóteses leoninas

Como Paulo Sérgio disse, o Sporting é favorito para esta partida. Pela sua história, experiência europeia e soluções do plantel, os leões são superiores ao Brondby e disso não existe qualquer dúvida.

No entanto, o Sporting tem sentido muitas dificuldades neste início de época como se viu diante do FC Nordsjaelland e do P. Ferreira e este Brondby, sendo superior a qualquer um destes dois adversários, será, por certo, uma equipa bem complicada para uns verde e brancos em crescimento.

Assim sendo, terá de surgir um Sporting muito concentrado e sem lacunas na finalização para que o Brondby seja ultrapassado e a fase de grupos da Liga Europa seja uma certeza.

Read Full Post »