Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Panathinaikos’

Kaltsas promete ser um belo reforço para o Panathinaikos

Kaltsas será um belo reforço para o Panathinaikos

Uma das principais revelações da edição 2014/15 do principal campeonato grego é claramente o ala/extremo-direito Nikos Kaltsas, jovem de 25 anos que já leva 13 golos pelo modesto Veria e que já tem transferência garantida para o Panathinaikos em 2015/16.

Nascido a 3 de Maio de 1990 em Veria, Grécia, Nikos Kaltsas é um produto das escolas do clube da sua cidade natal, emblema que representa em termos profissionais desde 2008, somando um total de 159 jogos 32 golos.

Impressionante, ainda assim, são os números do internacional sub-21 grego em 2014/15, uma vez que para além dos 12 golos apontados pelo Veria, há ainda que realçar as oito assistências acumuladas pelo talentoso extremo.

Gosta de aparecer em zonas de finalização

Apesar de também poder actuar no flanco oposto ou mesmo a “dez”, Nikos Kaltsas atinge a plenitude das suas capacidades encostado ao flanco direito do ataque, destacando-se pela velocidade, qualidade técnica e capacidade finalizadora, algo que também é visível na marcação de livres, onde é exímio.

Aliás, consciente de que é eficaz na hora de atirar à baliza, o jovem helénico procura aparecer em zonas de definição, procurando os movimentos interiores e sabendo-se antecipar à defensiva contrária para responder a cruzamentos que surjam do flanco oposto.

Igualmente raçudo e lutador, Nikos Kaltsas é, afinal, um jogador que promete ajudar o Panathinaikos na sua luta incessante por terminar com o domínio do Olympiakos no futebol grego, sendo também previsível que este importante passo na carreira lhe abra as portas da principal selecção helénica, que, recorde-se, está a passar um momento desportivo muito complicado.

Read Full Post »

Mavrias é um talento do Panathinaikos

No Panathinaikos da Superliga da Grécia actua um dos mais promissores jogadores helénicos da actualidade, o médio-ofensivo de 18 anos: Charalampos Mavrias.

Nascido a 21 de Fevereiro de 1994 em Zakynthos, Grécia, Charalampos Mavrias encontra-se na Academia do Panathinaikos desde os 12 anos, tendo passado todas as etapas de formação até se estrear na equipa principal do mítico PAO em 2010/11, temporada onde efectuou 7 jogos.

Na temporada seguinte, Jesualdo Ferreira não se deixou intimidar pela tenra idade da pérola helénica e deu-lhe bastante tempo de utilização, tendo o grego efectuado 24 jogos e um golo.

Essas boas exibições fizeram de Mavrias um jogador essencial, somando o grego três golos em 14 jogos pelo Panathinaikos e tendo, inclusivamente, se estreado na selecção grega, diante da Lituânia a 11 de Setembro.

Veloz e tecnicista

“Charis” Mavrias é um internacional grego que pode actuar tanto a “dez” como a ala-direito, mostrando-se veloz, inteligente em termos tácticos, tecnicista e raçudo.

Com excelente visão de jogo, é conveniente que se privilegie a sua utilização como médio-ofensivo central, ao invés de encostado à ala-direita, ainda que o jovem de 18 anos também seja bastante efectivo encostado à linha.

Para além disso, trata-se de um jogador com um excelente pulmão e uma grande intensidade de jogo, lutando sempre até ao limite das suas forças pela bola.

Em suma, trata-se de um grande talento que interessa descobrir num jogo do Panathinaikos ou, quiçá, da selecção grega.

Read Full Post »

Uma equipa que nunca falhou um campeonato do mundo e que, para além disso, já conquistou cinco títulos mundiais, nunca pode ser riscada dos candidatos à vitória final. Os brasileiros continuam com a fantasia de sempre, mas, desde a chegada de Dunga, apoiaram-se num pragmatismo que lhes ajudou a conquistar tanto a Copa América como a Taça das Confederações. Para além disso, a fase de apuramento para o Mundial 2010 foi um autêntico passeio para os canarinhos que até se deram ao luxo de abrandar o ritmo nos últimos jogos. Assim sendo, mesmo com a polémica da não inclusão de Ronaldinho, este Brasil volta a um campeonato do mundo com o lema de sempre: ser campeão.

A Qualificação

Nunca ninguém sequer questiona a possibilidade de o Brasil não se apurar para o campeonato do mundo, todavia, desta vez a facilidade dos canarinhos em se apurarem tem de ser destacada.

Obviamente integrados na zona sul-americana de classificação, os canarinhos fizeram uma bela campanha que teve como pontos altos a vitória na Argentina (3-1) e Uruguai (4-0).

A facilidade de apuramento foi tão notória que, nos últimos jogos, o Brasil abrandou o ritmo e deu-se ao luxo de perder no campo da Bolívia (1-2) e empatar, em casa, com a Venezuela (0-0).

Assim sendo, é com a moral em alta devido à superioridade patenteada na fase de qualificação que os brasileiros chegam à África do Sul para disputarem o campeonato do mundo.

Zona sul-americana – Classificação

  1. Brasil 34 pts
  2. Chile 33 pts
  3. Paraguai 33 pts
  4. Argentina 28 pts
  5. Uruguai 24 pts
  6. Equador 23 pts
  7. Colômbia 23 pts
  8. Venezuela 22 pts
  9. Bolívia 15 pts
  10. Peru 13 pts

O que vale a selecção brasileira?

Só o nome Brasil impõe, imediatamente, respeito, todavia, na realidade, os canarinhos são muito mais que os simples pentacampeões mundiais. A equipa canarinha assegura uma importante mistura de talento puro com jogadores tacticamente evoluídos e experientes, sendo uma equipa forte e com todas as condições para assegurar o hexacampeonato.

Habitualmente o sector mais frágil do Brasil, desta vez a baliza é um dos pontos fortes da selecção canarinha graças à presença de Júlio César. O guarda-redes do Inter dispensa apresentações e é a garantia que não deverá ser por aí que o Brasil irá ter problemas neste campeonato do mundo.

Por outro lado, o quarteto defensivo também tem uma qualidade acima da média. Se a dupla de centrais: Juan-Lúcio é garantia de experiência e segurança no sector recuado, os laterais: Michel Bastos (à esquerda) e Maicon (à direita) são a garantia de qualidade tanto a defender como a atacar. Estes dois jogadores terão, na verdade, que ter um grande pulmão, pois na ausência de extremos, o Brasil depende muito deles para o flanqueamento do seu futebol.

Depois, no meio campo, o Brasil deverá utilizar um duplo pivot composto por dois médios defensivos: Gilberto Silva-Felipe Melo, dois jogadores com a obrigação de darem equilíbrio táctico a uma equipa com laterais de tracção ofensiva. Por outro lado, os alas deverão ser Kaká (à esquerda) e Ramires (à direita), dois jogadores que apesar de partirem dos flancos deverão fazer constantemente diagonais para o centro. No entanto, se o jogador do Benfica será um elemento que servirá, preferencialmente, para o equilíbrio táctico do onze, o jogador do Real Madrid irá funcionar como desequilibrador, aparecendo diversas vezes como número dez e organizador do jogo canarinho.

Por fim, no ataque, o Brasil deverá optar pela dupla: Robinho-Luís Fabiano. Neste esquema, Robinho será um avançado vagabundo que irá aparecer tanto nos flancos de forma a compensar a ausência de extremos, como na frente de ataque para combinar com o outro atacante ou finalizar. Por outro lado, o avançado do Sevilha será um finalizador puro que servirá de referência ofensiva, ainda que, pelas suas características, também tenha alguma mobilidade no ataque.

O Onze Base

Actuando em 4-4-2, o Brasil deverá, assim, utilizar Júlio César (Inter) na baliza; Michel Bastos (Lyon), Juan (Roma), Lúcio (Inter) e Maicon (Inter); Gilberto Silva (Panathinaikos), Felipe Melo (Juventus), Kaká (Real Madrid) e Ramires (Benfica) no meio campo; Robinho (Santos) e Luís Fabiano (Sevilha) no ataque.

Classificação – Previsão “A Outra Visão”

Integrado num grupo com Portugal, Costa do Marfim e Coreia do Norte, o Brasil é o principal candidato ao primeiro lugar do agrupamento. Não sendo um grupo fácil, os brasileiros, pela sua experiência e talento, deverão se superiorizar aos seus adversários com naturalidade.

Calendário – Grupo G (Mundial 2010)

  • 15 de Junho: Brasil vs Coreia do Norte
  • 20 de Junho: Brasil vs Costa do Marfim
  • 25 de Junho: Brasil vs Portugal

Read Full Post »

Os helénicos apenas participaram num campeonato do mundo (Estados Unidos 1994). Nessa altura, a equipa grega qualificou-se em primeiro lugar num grupo onde estava a Rússia e a Hungria e tinham jogadores como Saravakos, Nioplias e Apostolakis. Com a confiança em alta, viajaram até à América do Norte para defrontarem, na primeira fase, Nigéria, Argentina e Bulgária. Nesse campeonato do mundo ficaram conhecidos como a equipa do 4-4-2, não por terem jogado nessa táctica, mas porque perderam com a Argentina por quatro a zero, com a Bulgária por quatro a zero e com a Nigéria por dois a zero, regressando, rapidamente a casa. Agora, dezasseis anos mais tarde, regressam a um campeonato do mundo e voltam a encontrar a Argentina e a Nigéria no grupo. Todavia, o Euro 2004 provou que os gregos já não são os santos de outrora e, assim, o “4-4-2” dificilmente se irá repetir.

A Qualificação

Inserida no grupo 2 da zona europeia com Suíça, Letónia, Israel, Luxemburgo e Moldávia, percebeu-se, desde o início, que os helénicos iriam disputar o primeiro lugar com a selecção helvética.

Nesta qualificação, os gregos não foram surpreendidos nos jogos com os adversários mais frágeis, pois diante de Letónia, Israel, Luxemburgo e Moldávia, venceram seis jogos e apenas empataram dois (Israel, fora, 1-1; e Moldávia, fora, 1-1).

No entanto, diante da Suíça, a equipa grega foi incapaz de fazer um ponto que fosse, perdendo os dois jogos. Assim sendo, a equipa helénica acabou na segunda posição do agrupamento e foi obrigada a disputar um playoff, diante da Ucrânia, para ir à África do Sul.

Na primeira mão desse duelo decisivo, os gregos, em casa, não foram além de um empate a zero e pensou-se que dificilmente se apurariam em Kiev.

Contudo, na Ucrânia, aos 31 minutos, Samaras isolou Salpingidis e o atacante do Panathinaikos, à saída do guarda-redes ucraniano, não perdoou e colocou a Grécia pela segunda vez na sua história, num campeonato do mundo de futebol.

Grupo 2 – Classificação

  1. Suíça 21 pts
  2. Grécia 20 pts
  3. Letónia 17 pts
  4. Israel 16 pts
  5. Luxemburgo 5 pts
  6. Moldávia 3 pts

Playoff

Grécia 0-0 Ucrânia / Ucrânia 0-1 Grécia

O que vale a selecção grega?

A equipa helénica não tem grandes valores individuais e joga um futebol conservador num esquema táctico: 4-2-1-3.

A defesa é algo frágil e, por isso, o seleccionador Rehhagel costuma colocar Vyntra, um central, à direita, para que muitas vezes possa servir como terceiro central. Na verdade, o único jogador do quarteto defensivo que consegue entrar na manobra ofensiva é o lateral esquerdo Spyropoulos.

Por outro lado, o meio campo é composto por dois trincos: Tziolis e Katsouranis e o médio ofensivo Karagounis. Trata-se, assim, de um meio campo sólido, que preenche muito bem os espaços e sabe defender ou atacar conforme a necessidade. Aqui, o antigo jogador do Benfica, Kostas Katsouranis é fundamental, pois demonstra toda a sua inteligência na forma como sabe fazer a união entre Tziolis e Karagounis, impedindo que haja um fosso entre a defesa e o ataque helénico.

Por fim, no ataque, reside o grande poder do futebol grego. Curiosamente, Otto Rehhagel costuma alinhar com três pontas de lança: Samaras, Charisteas e Gekas, sendo que Samaras (à esquerda) e Charisteas (à direita) jogam como extremos. Esta atitude leva a que os gregos sejam muito fortes nas bolas paradas e que levem vantagem em jogos diante de equipas mais frágeis fisicamente. No entanto, os vencedores do Euro 2004 têm no banco o avançado rápido Salpingidis e o extremo que é uma grande promessa do futebol grego: Ninis, para jogos em que é necessário um futebol um pouco mais criativo.

Integrada no Grupo B com Argentina, Nigéria e Coreia do Sul, não deverá ter hipóteses diante dos sul-americanos, todavia, deverá disputar o segundo lugar com africanos e asiáticos. No entanto, terá de saber aliar a rigidez táctica do seu futebol (principalmente diante da Nigéria) com a sua capacidade física (os sul-coreanos dão se mal com adversários fortes fisicamente) para se apurar para os oitavos de final.

O Onze Base

A equipa grega deve jogar com Chalkias (PAOK) na baliza; um quarteto defensivo composto por Spyropoulos (Panathinaikos), à esquerda, Vyntra, à direita (Panathinaikos), e a dupla de centrais: Kyrgiakos (Liverpool) e Moras (Bolonha); no miolo deverá jogar o trio: Tziolis (Siena), Katsouranis (Panathinaikos) e Karagounis (Panathinaikos); enquanto na frente jogarão Samaras (Celtic), à esquerda, Charisteas (Nuremberga), à direita, e Gekas (Hertha) no centro.

Classificação – Previsão “A Outra Visão”

A equipa grega deverá disputar o segundo lugar com nigerianos e sul-coreanos e deverá ter alguma dificuldade para garantir o apuramento para os oitavos de final. Os helénicos são inferiores, em termos técnicos, aos nigerianos e, em relação aos sul-coreanos, estão, nesse aspecto, ao mesmo nível.

No entanto, os pupilos de Rehhagel são muito mais evoluídos em termos tácticos do que esses adversários e, assim, mesmo que o primeiro lugar seja uma utopia (A Argentina deve consegui-lo sem problemas), o segundo lugar poderá ser uma realidade.

Calendário – Grupo B (Mundial 2010)

  • 12 de Junho: Grécia vs Coreia do Sul
  • 17 de Junho: Grécia vs Nigéria
  • 23 de Junho: Grécia vs Argentina

Read Full Post »

O Barcelona venceu, no Santiago Bernabéu, o Real Madrid por 2-0 e ficou mais perto do bicampeonato. Os catalães, com esta vitória, têm agora três pontos de avanço e vantagem no confronto directo sobre os madrilenos; Em Itália, a Roma é a nova líder da Série A, após vencer, em casa, a Atalanta por 2-1 e beneficiar do empate do Inter em Florença (2-2). Os romanos têm agora um ponto de vantagem sobre o Internazionale e quatro sobre o Milan que não foi além de um empate caseiro com o Catania (2-2); Em Inglaterra, o Chelsea, mesmo sem jogar, continua líder, pois o Manchester United não foi além de um empate, a zeros, diante do Blackburn. Os londrinos têm apenas um ponto de vantagem sobre os “red devils”, mas têm menos um jogo que a equipa de Alex Ferguson.

Liga Espanhola – Barcelona vence R. Madrid e é líder isolado

Considerado por grande parte da imprensa espanhola como o jogo do século, o Real Madrid-Barcelona terminou com a vitória dos catalães por duas bolas a zero. O Barça foi superior do princípio ao fim e venceu com toda a justiça  com golos de Lionel Messi e Pedro. Esta resultou mostrou, uma vez mais, a superioridade da Escola do Barça sobre os muitos milhões habitualmente gastos pelo Real Madrid. O Barcelona tem agora caminho aberto para o título, pois tem três pontos de avanço e ainda vantagem no confronto directo sobre os madrilenos, quando faltam sete jornadas para o final da La Liga.

Liga Italiana – Roma sobe à liderança da Série A

A AS Roma venceu a Atalanta por duas bolas a uma com golos de Vucinic e Cassetti (Tiribocchi marcou para a equipa de Bérgamo) e subiu à liderança do campeonato italiano. Os romanos, para isso, beneficiaram de mais um tropeção do Inter que, desta vez, não foi além de um empate em Florença (2-2) num jogo que os interistas não souberam segurar a vantagem depois de estarem a vencer por duas bolas a uma. Assim sendo, a AS Roma lidera a Série A com mais um ponto que o Internazionale e quatro que o Milan que também não passa por uma boa fase, pois, desta feita, tropeçou, em casa, com o Catania (2-2).

Liga Inglesa – Chelsea continua líder mesmo sem jogar

O Chelsea só joga hoje diante do Bolton, todavia, a jornada 34 já lhe deu uma alegria, que passou pelo empate do Manchester United em Blackburn (0-0), num jogo muito desinspirado dos “red devils”. Agora, os “blues” têm um ponto de avanço sobre o M. United e três sobre o Arsenal (também joga hoje, fora, com o Tottenham), todavia, ambas as equipas londrinas têm menos um jogo que o conjunto treinado por Alex Ferguson.

Liga Alemã – Bayern apenas empata mas aumenta vantagem sobre o Schalke 04

O Bayern até esteve a vencer em Leverkusen, graças a um tento de Robben, porém, um golo de Vidal, garantiu ao Bayer um empate a uma bola. Ainda assim, a equipa de Munique aumentou para dois pontos a vantagem sobre o Schalke 04, pois o segundo classificado deslocou-se a Hannover e foi copiosamente derrotado por quatro bolas a duas. Assim sendo, a quatro jornadas do fim da Bundesliga, o Bayern têm 60 pontos, o Schalke 04 (2º) tem 58 e o Bayer Leverkusen (3º) tem 54.

Outras Ligas – Panathinaikos conquista campeonato grego.

O Panathinaikos recebeu e venceu sem dificuldade o Iraklis por duas bolas a zero (golos de Cissé e Ninis), conquistando o vigésimo título grego da sua história. Este resultado tornou inútil a vitória do Olympiakos no campo do Panthrakikos (2-0); Em França, o Marselha recebeu e goleou o Nice por quatro bolas a uma e lídera a Ligue 1 com dois pontos de avanço e menos um jogo que o Auxerre (2º), que venceu em Nancy (1-0); Por fim, na Holanda, o Twente recebeu e venceu o Heerenveen (2-0), mantendo a vantagem de  quatro pontos em relação ao Ajax (2º), que esmagou o VVV Venlo por sete bolas a zero.

Read Full Post »

A AS Roma venceu o Inter no Olímpico de Roma e colocou-se a apenas um ponto da equipa de Mourinho na Liga Italiana. A equipa interista continua, assim, a demonstrar não estar a passar um grande momento de forma; Em Espanha, Real Madrid e Barça continuam colados na liderança. Os madrilenos venceram, em casa, o Atl. Madrid por três bolas a duas, enquanto os catalães venceram, fora, o Maiorca (1-0); Na Premier League, o Manchester United goleou em Bolton (4-0) e continua com um ponto de vantagem sobre o Chelsea que esmagou, em casa, o Aston Villa (7-1).

Liga Italiana – AS Roma vence Inter e coloca Série A ao rubro

O Inter deslocou-se ao Olímpico de Roma com quatro pontos de vantagem sobre os romanos e esperava, pelo menos, manter a diferença. Infelizmente para a equipa de Mourinho o jogo não lhes correu da melhor forma e acabaram derrotados (1-2) num jogo repleto de brindes e em que Lúcio não esteve particularmente bem. De Rossi (16′) abriu o activo para a Roma; Milito (66′) ainda empatou, mas Luca Toni (73′) deu a vitória à equipa da capital. Por outro lado, o Milan podia ficar igualmente a um ponto do Inter caso vencesse a Lázio, em casa. Todavia, a equipa de Leonardo acabou por empatar (1-1) e ficou, assim, em terceiro a três pontos do Internazionale.

Liga Espanhola – Real Madrid e Barça não vacilam

O derbi de Madrid era muito mais importante para o Real que para o Atlético. Ainda assim, esperava-se que os comandados de Quique Flores proporcionassem uma noite difícil à equipa de Cristiano Ronaldo e assim foi. Aos 10 minutos, Reyes colocou mesmo o Atlético em vantagem e pensou-se que pudesse ser a primeira vitória da equipa de Simão sobre o Real em onze anos. Porém, o Real Madrid soube dar a volta e passou de 0-1 para 3-1 com golos de Xabi Alonso, Arbeloa e Higuaín. Fórlan ainda reduziu, mas não conseguiu impedir a derrota do Atl. Madrid (2-3). Por outro lado, em Maiorca, o Barça sofreu, mas Ibrahimovic resolveu, marcando o único golo da vitória do Barça (1-0). Madrilenos e catalães continuam, assim, colados na liderança da La Liga.

Liga Inglesa – Manchester United e Chelsea goleam

As duas equipas da frente da Premier League não deram qualquer hipótese aos seus adversários nos jogos da Jornada 32. O líder Manchester United deslocou-se a Bolton e venceu por quatro bolas a zero, enquanto o Chelsea, inspirado por um poker de Lampard, venceu, em casa, o Aston Villa por sete bolas a uma. Assim sendo, o Manchester United continua a liderar o campeonato com mais um ponto que o Chelsea (2º) e quatro que o Arsenal (3º), que, em Birmingham, não foi além de um empate a uma bola.

Liga Alemã – Estugarda vence em Munique e Schalke 04 é novo líder

O Schalke 04 venceu em Leverkusen (2-0) e beneficiou do desaire caseiro do Bayern diante do Estugarda (1-2) para se colocar na liderança da Bundesliga. O agora líder do campeonato alemão beneficiou do grande momento de forma do internacional alemão Kuranyi que bisou. Assim sendo, o Schalke 04 tem agora mais dois pontos que o Bayern (2º) e cinco que o Leverkusen (3º).

Outras Ligas – Bordéus continua líder da Ligue 1 mesmo sem jogar

Na Ligue 1, Montpellier perdeu (1-4) em Lille e o Auxerre empatou em Monaco (0-0). Assim sendo, o Bordéus, que tem menos dois jogos, continua na liderança com os mesmos pontos de Montpellier e Auxerre; Na Holanda, o Twente ganhou três a zero ao Sparta de Roterdão e continua com mais quatro pontos que o Ajax (venceu o Groningen por 3-0) e cinco que o PSV (venceu em Venlo por 4-2); Na Grécia o PAOK perdeu em Larissa (1-2) e ficou definitivamente afastado do título. O campeonato grego deverá, assim, ser ganho pelo Panathinaikos que venceu, fora, o Atromitos (3-0) e, a duas jornadas do fim, está a um empate do título.

Read Full Post »

Os dinamarqueses nunca o vão esquecer e, provavelmente, Sarganis também não vai esquecer aquela partida em Copenhaga a 15 de Outubro de 1980. Nesse encontro, Nikos Sarganis fez, possivelmente, a melhor exibição de um guarda-redes de sempre e ajudou a preservar uma vitória da Grécia, diante da Dinamarca, por uma bola a zero. Após esse jogo, a imprensa dinamarquesa apelidou o grego de “Fantasma” devido à sua omnipresença e a capacidade de defender as bolas mais impossíveis. Uma alcunha que perdurou e que é fiel à enorme qualidade de Sarganis.

 

O guarda-redes grego iniciou a carreira no pequeníssimo Ilisiakos, mas rapidamente saltou para o Kastoria. Neste clube, ganhou, surpreendentemente, a Taça da Grécia em 80 e saltou para o gigante Olympiakos, onde ganhou três campeonatos e começou a construir a sua lenda. Sarganis era um guarda-redes rápido, agil como um gato, parecia estar sempre em todo o lado, fazendo da baliza minúscula.

Surpreendentemente, em 1985, haveria de trocar o clube de Pireu pelo arqui-rival Panathinaikos, onde, em cinco temporadas, venceu mais dois campeonatos e continuou a demonstrar toda a sua qualidade. Neste clube, destaque para em 88 ter marcado o penálti decisivo na final da Taça da Grécia diante do…Olympiakos.

Nos anos em que jogou nesses dois gigantes, Sarganis tornou-se num jogador fundamental na selecção grega, pela qual obteve 58 internacionalizações.

A seguir a actuar no Panathinaikos, ainda esteve no Athinaikos e no PAOK, mas os seus tempos de glória já estavam distantes. Todavia, ainda há quem diga que, no Parken, em Copenhaga, a sua presença ainda se faz sentir…

 

Vejam os melhores momentos de Sarganis

Read Full Post »

Older Posts »