Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Ponta de Lança’

Uma imagem recorrente: Diomande a festejar um golo pelo Stabaek

Uma imagem recorrente: Diomande a festejar um golo

O actual segundo melhor marcador do principal campeonato norueguês é Adama Diomande, futebolista de 25 anos que vai evoluindo no Stabaek, vice-líder da prova, muito por culpa dos 15 golos do jovem atacante

Nascido a 14 de Fevereiro de 1990 em Oslo, Noruega, Adama Diomande passou pelas camadas jovens do Valerenga e do Lyn, tendo se estreado no futebol sénior precisamente neste último emblema, pelo qual somou uma partida oficial em 2009.

Posteriormente, passou pelo Skeid, da terceira divisão da Noruega, ainda que tenha sido em 2011, no segundo escalão, e ao serviço do Hødd, que teve a sua verdadeira temporada de explosão, ou não tivesse somado 17 golos em 31 jogos nessa mesma campanha.

Strømsgodset permitiu entrada na elite

Em 2012, todavia, o ponta de lança haveria de assegurar o bilhete para a carruagem da Tippeligaen, nomeadamente através do Strømsgodset, clube pelo qual haveria de somar 16 golos em 50 jogos, isto em dois anos com a camisola do “Godset”.

Perante esse relativo destaque, o internacional norueguês haveria de garantir uma transferência para o Dínamo Minsk, isto numa operação que haveria de se revelar nefasta para Adama Diomande, uma vez que este nunca se adaptou ao futebol bielorusso, tendo terminado a época de 2014 com apenas três golos apontados em 32 jogos.

Ora, perante este estado de coisas, o ponta de lança preferiu voltar ao ponto de partida, regressando então à Noruega, sendo claro que essa terá sido a melhor decisão que poderia ter tomado, uma vez que tem se assumido como um verdadeiro abono de família do seu novo clube, o Stabaek, emblema pelo qual soma 23 golos em 25 jogos oficiais.

Um atacante que permite diversas soluções

Adama Diomande, que é de etnia nigeriana, representa claramente o perfil do ponta de lança africano, uma vez que é rápido, tecnicista e muito móvel, sendo ainda de destacar a sua inteligência a lidar com a linha de fora de jogo e a sua excelente capacidade finalizadora, seja com os pés ou com a cabeça.

Não sendo um colosso (180 cm e 75 quilos), é ainda assim um ponta de lança que sabe usar o corpo nos confrontos com as defesas contrárias, percebendo-se que o muito físico futebol norueguês acabou por uma excelente escola para esse propósito, oferecendo-lhe clara embalagem para se destacar ainda mais em campeonatos não tão exigentes nesses parâmetros.

A evoluir, obviamente, existem ainda alguns aspectos importantíssimos, nomeadamente na sua tomada de decisão, uma vez que Adama Diomande exagera algumas vezes em iniciativas individuais insípidas, mas também na própria consistência das suas exibições (apaga-se inexplicavelmente por vezes).

De qualquer maneira, com um treinador que tenha a paciência necessária, poderá estar aqui um avançado para outros palcos, afigurando-se como um atleta ideal para jogar ao lado de uma referência mais posicional num qualquer esquema com dois pontas de lança.

Read Full Post »

Jiménez é uma aposta forte do Benfica para 2015/16

Jiménez é uma aposta forte do Benfica para 2015/16

O mais recente reforço do Benfica para a nova temporada é o internacional mexicano Raúl Jiménez, futebolista que começou a destacar-se no América do seu país natal, mas que chega à Luz oriundo dos espanhóis do Atlético de Madrid, clube que representou na temporada transacta.

Trata-se de um ponta de lança nascido a 5 de Maio de 1991 em Tepeji, México, e que é precisamente um produto das camadas jovens do América, emblema que representou entre 1998 e 2014, sendo que, nos últimos três desses anos, actuou ao nível da equipa sénior.

Aí, o possante atacante (190 cm, 80 kg) assumiu-se como uma excelente referência ofensiva, ou não tivesse somado 38 golos em 103 jogos oficiais, e conquistado inclusivamente uma transferência para o Atlético de Madrid a troco de 11 milhões de euros.

O salto para a capital espanhola, todavia, não correu particularmente bem ao internacional mexicano, que raramente conseguiu encontrar o seu espaço junto do onze do Atlético de Madrid, terminando a época de 2014/15 com apenas seis jogos como titular (mais 21 como suplente utilizado) e somente um golo apontado.

Tem potencial mas sentiu o salto para a Europa

Raúl Jiménez é o típico futebolista que temos de analisar através de duas vertentes, mais concretamente o seu valor actual e o seu valor potencial, sendo que o segundo é muito superior ao primeiro, em virtude do internacional mexicano ainda não parecer minimamente adaptado ao futebol do Velho Continente.

Afinal, o ponta de lança de 23 anos tem, realmente, tudo para ser um ponta de lança de grande qualidade no espectro do futebol mundial, uma vez que é fortíssimo fisicamente, algo que lhe permite ser muito forte nos duelos individuais e no jogo aéreo (é letal na finalização de cabeça), mas consegue aliar isso a uma técnica individual muito apreciável no passe, drible e finalização com o pé esquerdo, assim como a uma assinalável mobilidade.

O problema, contudo, é que Raúl Jiménez sentiu em demasia o salto do mais anárquico futebol mexicano para o mais intenso e evoluído futebol europeu, sendo que o ponta de lança, nos “colchoneros”, via-se muitas vezes facilmente engolido pelas organizações defensivas adversárias e com dificuldades extremas para se libertar dessas amarras.

Essa inadaptação, aliás, até prejudicou-o bastante no capítulo da decisão, sendo que era recorrente ver o ponta de lança a definir mal as jogadas, desperdiçando boas ocasiões para oferecer soluções interessantes para a sua equipa.

Certo, de qualquer maneira, é que o campeonato português é bem menos exigente que o espanhol, podendo então este passo atrás na carreira afigurar-se como a melhor decisão para um ponta de lança que, assim que se adaptar aos princípios do futebol europeu, tem tudo para ser um goleador de elite.

Read Full Post »

Pablo Osvaldo é internacional italiano

Pablo Osvaldo é internacional italiano

O substituto de Jackson Martínez no FC Porto será, ao que tudo indica, o internacional italiano Pablo Osvaldo, ponta de lança que actualmente se encontra livre, isto após ter representado o Boca Juniors por empréstimo do clube que era até agora o detentor do seu passe, o Southampton.

Apesar de ser internacional pela Itália, Pablo Daniel Osvaldo trata-se de um futebolista nascido a 12 de Janeiro de 1986 em Lanús, Argentina, e que começou a sua carreira sénior no Huracán, clube pelo qual somou 11 golos em 33 jogos em 2005.

Cedo, todavia, rumou ao futebol italiano, começando por disputar a Série B (segundo escalão) com a camisola da Atalanta (três jogos em 2005/06), isto antes de começar a ganhar destaque no Lecce, da mesma divisão, onde somou oito golos em 31 jogos em 2006/07.

Sem grande impacto nos primeiros passos na Série A

Na temporada seguinte, Pablo Osvaldo teve a oportunidade de actuar finalmente no principal escalão do “calcio”, a Série A, ainda que tenha tido dificuldades em impor-se, somando, em época e meia ao serviço da Fiorentina, seis golos em 38 jogos.

Em Janeiro de 2009, mudou novamente de ares, desta feita para o Bolonha, mas em um ano nesse outro clube italiano voltou a não assegurar o impacto desejado, ficando-se pelos três golos em 26 jogos e acabando por rumar ao Espanyol de Barcelona em Janeiro de 2010.

Na Catalunha, valha a verdade, e já com 24 anos, podemos admitir que assistimos finalmente à explosão na carreira de Pablo Osvaldo, com este a somar, em temporada e meia, 21 golos em 46 jogos, e garantindo inclusivamente o regresso à Série A e logo pela emblemática porta da Roma.

Viveu os melhores anos na capital italiana

Ora, foi precisamente em Roma que o ponta de lança viveu os seus dois anos mais gloriosos, chegando à selecção italiana e somando um total de 28 golos em 57 jogos entre 2011 e 2013, algo que motivou um investimento de 15 milhões de euros do Southampton na sua contratação.

A verdade, contudo, é que a mudança para a Premier League acabou por não ser uma boa decisão na carreira do internacional italiano, com este a somar apenas três golos em 13 jogos pelos “saints” e a iniciar um périplo de empréstimos.

Afinal, na última temporada e meia, Pablo Osvaldo foi cedido a Juventus (18 jogos, três golos em 2013/14); Inter de Milão (18 jogos, sete golos em 2014/15) e Boca Juniors (15 jogos, sete golos em 2015), numa caminhada que, ao que tudo indica, terminará agora com o ingresso no FC Porto.

Mais móvel do que Jackson

Futebolista problemático, visto como um autêntico “enfant terrible” do futebol mundial, a verdade é que Pablo Osvaldo, se colocar esse feitio de parte, tem tudo para ser um reforço de luxo para o FC Porto, isto ainda que não se possa ver o internacional italiano como um verdadeiro sucessor de Jackson Martínez.

Afinal, sendo um “nove” tal como o internacional colombiano, Pablo Osvaldo é um ponta de lança de maior mobilidade, caindo com maior facilidade nas alas e conseguindo adaptar-se com maior facilidade a um sistema 4x4x2 do que “Cha Cha Cha”.

Tecnicamente apurado e inteligente na forma como se movimenta em zonas ofensivas e combina com os colegas, o futebolista de 29 anos é ainda um futebolista possante e forte nos duelos individuais, sendo ainda fundamental valorizar a sua capacidade finalizadora, seja ela com os pés ou com a cabeça. Em suma, uma excelente opção para um 4x3x3 móvel ou mesmo para dar oportunidade a Lopetegui de apostar igualmente num 4x4x2 com o italo-argentino e Aboubakar no eixo.


Read Full Post »

Seferovic tem talento

Seferovic tem talento

É certo e sabido que o FC Porto ainda precisa de assegurar um substituto para Jackson Martínez neste mercado de Verão, surgindo agora, através do jornal “A Bola”, um potencial alvo suíço para essa posição, mais concretamente Haris Seferovic, actual jogador dos alemães do Eintracht Frankfurt.

Trata-se de um ponta de lança nascido a 22 de Fevereiro de 1992 em Sursee, Suíça, ainda que seja de origem bósnia, tendo passado pelas camadas jovens do Sursee, Lucerna e Grasshoppers, isto antes de se estrear profissionalmente por este último emblema, em 2009.

No gigante de Zurique, haveria de somar apenas três jogos, isto antes de saltar para Fiorentina, clube onde, contudo, nunca se conseguiu impor verdadeiramente, somando apenas 12 jogos e um golo, isto entre 2010 e 2013.

Empréstimos mantiveram-no activo

Ainda assim, nesta fase em que esteve vinculado ao emblema de Florença, o internacional suíço foi conseguindo somar minutos em empréstimos a outros clubes, sendo exemplos o Neuchatel Xamax (14 jogos e dois golos em 2011/12); o Lecce (cinco jogos em 2011/12) e o Novara (18 jogos, 10 golos em 2012/13).

Em 2013/14, contudo, mudou-se em definitivo para a Real Sociedad, emblema basco onde até jogou com regularidade, mas onde não conseguiu apresentar uma veia goleadora acentuada, uma vez que apontou apenas quatro golos em 39 jogos oficiais.

Sem surpresa, mudou novamente de ares na última temporada, transferindo-se para o Eintracht Frankfurt, clube germânico onde foi peça fundamental, somando 11 golos e oito assistências em 34 jogos oficiais e, aparentemente, conquistando o interesse de vários grandes clubes do Velho Continente, sendo um deles precisamente o FC Porto.

Alto mas móvel

Haris Seferovic é um ponta de lança que impressiona automaticamente pela sua dimensão física, uma vez que mede cerca de 1,90 metros e é possante, sendo forte nos confrontos individuais e no desgaste que provoca nas defesas contrárias.

Curiosamente, o internacional suíço consegue aliar essas características a uma acentuada mobilidade, não sendo um “nove” de ficar parado no eixo ofensivo, conseguindo, ao invés, cair em ambos os flancos sempre que necessário, isto numa movimentação que muitas vezes abre espaços ao meio para a entrada dos companheiros.

Por fim, há ainda que realçar a boa qualidade técnica de Seferovic, isto tanto no capítulo do drible, passe e finalização, ainda que me pareça que o helvético terá de ganhar um pouco mais de killer instinct para atingir um outro patamar de excelência. Aos 23 anos, ainda assim, terá tempo para essa evolução.

Read Full Post »

O

O “Degolador” é um verdadeiro homem golo

Recente reforço do Vitória de Guimarães, trata-se de um dos jogadores que prometem ser uma das boas surpresas da próxima edição do campeonato nacional. Falamos do ponta de lança brasileiro, Henrique, futebolista mais conhecido por “Degolador”, isto pelo seu curioso festejo, simulando que corta a garganta.

Nascido a 15 de Setembro de 1989 em São Paulo, Brasil, José Henrique da Silva Dourado começou a sua carreira no União de São João, emblema paulista pelo qual somou sete golos em 29 jogos, isto entre 2010 e 2011. Posteriormente, iniciou um périplo com passagens pelo Santo André (2011), Cianorte (2011/12), Chapecoense (2012) e Mogi Mirim (2013).

Ora, em alguns destes modestos emblemas, o “Degolador” foi conseguindo mostrar os seus dotes goleadores, algo que acabou por valer-lhe um salto para o Santos, clube onde, contudo, não vingou, fazendo apenas quatro jogos em 2013, isto antes de rumar à Portuguesa.

Lusa foi passaporte para salto para o Palmeiras

Na mítica “Lusa”, Henrique recuperou o seu instinto goleador, tendo somado dez golos em 29 jogos, algo que lhe permitiu novo salto em 2014, desta feita para o Palmeiras, o clube onde haveria de saltar verdadeiramente para a ribalta.

Afinal, aí, beneficiando bastante da magia do chileno Valdivia, o “Degolador” foi um verdadeiro perigo à solta, somando no ano passado um total de 19 golos em 39 jogos, e sendo mesmo o segundo melhor marcador do Brasileirão com 16 golos apontados, apenas superado por Fred (18).

Ora, perante o brilho no “Palestra Itália”, o ponta de lança mudou novamente de ares em 2015, desta feita para o bicampeão Cruzeiro, emblema de Minas Gerais onde, todavia, não conseguiu impor-se, somando apenas 11 jogos (um golo) até ao momento, num estado de coisas que abriu espaço a que rumasse agora aos vimaranenses, por empréstimo.

Um homem golo

Henrique é o típico “nove” de área, ideal para um sistema com apenas um ponta de lança, que deverá ser novamente utilizado pelo Vitória de Guimarães em 2015/16, ainda que desta feita com uma referência muito superior a Alvez ou Tomané.

Não sendo rápido, especialmente móvel ou tecnicamente fantástico, o “Degolador” é, isso sim, um homem golo, sendo um finalizador de excelência, seja com o pé esquerdo ou com a cabeça, algo que ganha ainda maior impacto pelo facto de parecer ter um sexto sentido para perceber onde vai surgir o esférico.

Depois, com 1,86 metros e 80 quilos, o ponta de lança de 25 anos é também um jogador que segura muito bem a bola de costas para a baliza, tendo a capacidade de congelar o jogo até à chegada dos companheiros, algo sempre muito importante para equipas que tantas vezes privilegiam o contra-ataque como é o caso dos minhotos. Em suma, um verdadeiro reforço.


Read Full Post »

Wilmar brilhou na Búlgaria

Wilmar brilhou na Búlgaria

Um dos jogadores que tem sido incessantemente apontado ao Sporting nos últimos dias é o ponta de lança colombiano Wilmar Jordán Jil, futebolista que actualmente milita no futebol chinês, mais concretamente no Tianjin Teda, emblema orientado pelo conceituado treinador holandês Arie Haan.

Trata-se de um atacante nascido a 17 de Outubro de 1990 em Medellín, Colômbia, mas que acabou por iniciar a sua carreira profissional na vizinha Venezuela, com a camisola do Monagas, emblema pelo qual somou 19 golos em 35 jogos da primeira divisão local em 2009/10.

Herói na Bulgária, sombra na Ásia

Esse impacto imediato acabou por valer a Wilmar Jordán um salto para o emergente campeonato sul-coreano, mas a verdade é que o colombiano acabou por não revelar o mesmo apetite goleador na K-League, somando, entre 2011 e 2012, 32 jogos e cinco golos pelo Gyeongnam e, no ano seguinte, apenas dois jogos pelo Seongnam.

Perante este estado de coisas, foi sem grande surpresa que o ponta de lança mudou radicalmente de ambiente no Verão de 2013, transferindo-se para o Litex, onde, até Fevereiro de 2015, foi claramente a grande figura do campeonato búlgaro, ou não tivesse somado um total de 35 golos em 64 jogos oficiais.

De moral novamente elevada pelo brilho obtido na Europa, Wilmar Jordán voltou a abraçar um projecto asiático, desta feita nos chineses do Tianjin Teda, clube que representa desde o momento em que abandonou o Litex e pelo qual não está a conhecer grande sorte, uma vez que soma apenas um golo em 11 jogos, dando a ideia que não se dá bem com os ares do Oriente.

Lembra Jimmy

Wilmar Jordán é um ponta de lança muito possante (1,80 metros, 82 quilos) e que por isso se revela como um verdadeiro terror para os defesas, que têm grandes dificuldades nos confrontos directos com o colombiano, que ainda para mais é muito efectivo em receber a bola das costas para a baliza e em rodar sobre os defesas.

Móvel e inteligente na forma como gere a linha de fora de jogo, o ponta de lança lembra, com as devidas (grandes) distâncias, o ex-internacional holandês Jimmy Floyd Hasselbaink, até porque é igualmente bom na hora de rematar à baliza, sendo dono de um poderoso e colocado remate de pé direito.

Os principais lacunas do colombiano, por outro lado, passam pela falta de velocidade e explosividade, assim como pelo facto de estar muito longe de ser tecnicamente evoluído, embora domine os aspectos básicos.

Conseguirá brilhar em Portugal?

Ainda assim, e mesmo que revele algumas qualidades, a verdade é que o colombiano ainda não se conseguiu impor longe de campeonatos de menor importância como o venezuelano e búlgaro, tendo perdido brilho em campeonatos como o sul-coreano e o chinês, que nem são especialmente poderosos.

Nesse seguimento, nada garante que Wilmar Jordán tenha condições de se impor imediatamente num clube como o Sporting e num campeonato como o português, sendo um eventual investimento verde-e-branco talvez apenas justificado pelo baixo custo de transferência (cerca de 700 mil euros) e pelos 24 anos do atleta ainda fazerem crer que haverá espaço para uma evolução clara junto de um “mago” como Jorge Jesus.

Read Full Post »

O

O “Terrorista” é um ponta de lança de topo

Depois de ter caído por terra a possibilidade do regresso de Ricky van Wolfswinkel a Alvalade, a imprensa desportiva lusa começa a insistir na ideia de que o novo alvo do Sporting para o eixo do ataque passará pelo internacional grego Kostantinos “Kostas” Mitroglou, futebolista vinculado contratualmente aos ingleses do Fulham.

Trata-se de um ponta de lança nascido a 12 de Março de 1988 em Kavala, Grécia, mas que cedo rumou com os pais à Alemanha, tendo mesmo evoluído nas camadas jovens de inúmeros clubes germânicos como o SV Neukirchen, o TuS Preussen Vluyn, o Duisburgo e o Borussia de Mönchegladbach.

Neste último clube, aliás, haveria de se estrear profissionalmente em 2005, mas pela porta da equipa de reservas, sendo que o verdadeiro salto na sua carreira deu-se em 2007/08, quando rumou ao seu país natal para representar o gigante Olympiakos.

Ascensão com algumas peripécias

A chegada ao Pireu não garantiu a Kostas Mitroglou uma ascensão meteórica, sendo que o internacional grego, no conjunto das duas primeiras temporadas, somou 10 golos em 33 jogos, apenas tendo claro impacto em 2009/10, quando terminou a campanha com 14 golos em 45 jogos.

Em 2010/11, contudo, com a chegada ao Olympiakos do técnico Ernesto Valverde, Kostas Mitroglou perdeu espaço perante a concorrência de Marko Pantelic e Kevin Mirallas, sendo que o ponta de lança somaria apenas um golo em 10 jogos, isto antes de seguir em Janeiro para o Panionios, por empréstimo.

Nesse clube de Atenas, em seis meses, o internacional grego conseguiria facturar oito golos em 11 jogos, sendo que na época seguinte, no também ateniense Atromitos, e novamente por empréstimo, haveria de alcançar os 19 tentos em 39 jogos.

Regresso em grande ao Olympiakos

Após o excelente percurso de Mitroglou no Panionios/Atromitos e já depois de Ernesto Valverde ter sido substituído por Leonardo Jardim no comando técnico do Olympiakos, o internacional grego regressou ao Pireu em 2012/13, sendo que esse retorno foi em grande, ou não tivesse somado 20 golos em 42 jogos.

Já na temporada seguinte, iniciada novamente no Olympiakos, Kostas Mitroglou seguia com fantásticos 17 golos em 19 jogos, quando, em Janeiro de 2014, acabou por transferir-se para os ingleses do Fulham por 16 milhões de euros, onde terminaria a temporada de 2013/14 com apenas três jogos realizados, isto fruto de lesões e problemas físicos.

Outro problema para Mitroglou nesta ida para a Inglaterra é que o Fulham acabou por descer ao “Championship”, algo que acabou por motivar o seu regresso ao Olympiakos, em 2014/15, mas por empréstimo, sendo que o internacional helénico voltou a mostrar que se dá muito bem no seu habitat natural, ou não tivesse voltado a mostrar grande veia goleadora, somando 19 golos em 33 jogos.

Um upgrade a Slimani

Kostas Mitroglou, conhecido pela “carinhosa” alcunha de “Terrorista”, é um verdadeiro target man, ou seja, uma referência na área que funciona como um farol pelo qual acaba naturalmente por se centrar o jogo ofensivo das equipas por onde tem actuado.

Afinal, trata-se de um “nove” com 188 cm e 86 kg, algo que transforma o ponta de lança de 27 anos em alguém muito desgastante para os defesas, que se vêem com grandes dificuldades nos duelos individuais com o internacional grego e ainda têm de lidar com o seu poderoso e letal jogo aéreo.

Igualmente lutador e raçudo, Kostas Mitroglou é um jogador com o qual temos tendência a traçar imediatamente comparações com Islam Slimani, ainda que o helénico acabe por superiorizar-se ao argelino quando a análise evolui para aspectos como a eficácia e a técnica individual, uma vez que, aí, o “Terrorista” apresenta recursos que não estão ao alcance de “Super-Slim”.

Ambidextro, o atacante grego é absolutamente letal no capítulo da finalização, sendo que a sua apurada técnica individual permite-lhe também ser muito perigoso nas combinações com os colegas de equipa e na fácil adaptação a todo o tipo de esquemas ofensivos, sejam eles com um ou com dois pontas de lança, ou num espectro de futebol mais directo ou apoiado.


Read Full Post »

Older Posts »