Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘RC Paris’

Cisowski brilhou no RC Paris

Um dos grandes goleadores de sempre do futebol gaulês foi um ponta de lança de origem polaca que se assumiu como grande matador ao serviço de clubes como o Metz e Racing Club de Paris: Thadée Cisowski. Três vezes melhor marcador da primeira divisão francesa e uma vez melhor marcador do segundo escalão, Cisowski era um goleador nato, que se movimentava muito bem entre os defesas e que se assumia como um verdadeiro oportunista na hora de atirar à baliza. Depois de se naturalizar francês, o Mundial 1958 podia ter sido o bonito palco da sua consagração internacional, todavia, as lesões já tinham deixado uma fatal marca no avançado-centro…

Destacou-se no Metz e explodiu no Racing Club de Paris

Thadée Cisowski nasceu a 16 de Fevereiro de 1927 em Lazki, Polónia, mas viajou para a França em 1947 para representar o Metz. Nesse clube, o atacante assumiu-se como grande goleador, marcando 69 golos em 119 jogos e tendo se consagrado melhor marcador da segunda divisão francesa em 1951 com 23 tentos.

Em 1952, transferiu-se para o Racing Club de Paris, clube que pagou a verba recorde de 13 milhões de francos para contar o seu concurso. Perante as pressão dos números envolvidos, Cisowski não tremeu, marcando 186 golos em 206 jogos pelo clube da capital francesa. No período em que representou o Racing (1952-1960), o avançado-centro foi três vezes melhor marcador do campeonato francês, mas nunca conquistou qualquer título colectivo de realce.

Lesões apressaram o final da carreira

Quando se transferiu para o Valenciennes em 1960, a carreira de Cisowski já estava em declínio devido às inúmeras lesões, tendo o atleta naturalizado francês falhado o Mundial 1958 devido a essa mesma situação.

Ainda assim, tanto no Valenciennes na época de 1960/61 (28 jogos, 9 golos), como no Nantes na temporada seguinte (19 jogos, 8 golos), o ponta de lança de origem polaca efectuou épocas dignas, terminando assim a sua carreira sem espectacular fulgor, mas com o respeito que o seu passado futebolístico exigia.

Anúncios

Read Full Post »

Em Viena, a 27 de Maio de 1987, um argelino de 28 anos ofereceu, com duas pinceladas de génio, a primeira Taça dos Campeões Europeus ao FC Porto. Um maravilhoso golo de calcanhar e uma inesquecível arrancada pelo flanco esquerdo, seguida de um cruzamento letal para golo de Juary, permitiram aos dragões vencerem o Bayern de Munique (2-1) e conquistarem a terceira Taça dos Campeões para Portugal. É por momentos como esse, que, quem gosta de futebol em geral, e os portistas em particular, jamais esquecerão Rabah Madjer.

O ponta de lança argelino chegou à Europa com 24 anos. Um ano depois de brilhar pela Argélia no Mundial 82, Madjer assinou pelo Racing Club Paris, onde esteve época e meia (50 jogos, 22 golos). Depois, jogou ainda meia época no Tours antes de assinar, no verão de 1985, pelo FC Porto.

Foi no clube português que passou os melhores anos da sua carreira. Esteve no FC Porto entre 1985 e 1991 (tirando meia época no Valência em 1988), onde ganhou três campeonatos, duas Taças de Portugal e a inesquecível Taça dos Campeões conquistada em 1987, no Prater, em Viena, após uma exibição individual espectacular.

Nesse jogo, Madjer e Futre destruiram completamente a defesa do Bayern, porém o argelino foi ainda mais decisivo que o extremo português, pois esteve nos dois momentos chave do jogo, que é como quem diz, nos dois golos. Madjer tornou-se, assim, no jogador mais importante dessa final que o FC Porto ganhou, por 2-1, à equipa bávara.

Durante o período em que esteve no FC Porto, Madjer espalhou magia por onde quer que passasse. Tratava-se de um avançado rápido, criativo, tecnicista e que marcava bastantes golos. O atleta que fez 108 jogos e 50 golos pelos dragões, só não conquistou outros palcos porque nasceu num pequeno país futebolístico.

Ainda assim, Madjer teve o orgulho de participar em dois mundiais (82 e 86) pela Argélia e de ser recordado como um dos melhores jogadores africanos de sempre.

Deixo-vos um vídeo com grandes momentos da carreira de Rabah Madjer, para perceberem melhor a sua enorme qualidade.

Read Full Post »