Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Red Bull Salzburgo’

O último obstáculo verde-e-branco no sonho de chegar à final da Liga Europa é uma forte e dinâmica equipa basca que já teve o condão de ultrapassar equipas como o Manchester United ou o Schalke 04: Athletic Bilbau. Bandeira da comunidade basca (apenas podem actuar jogadores bascos, de origem basca ou formados desde cedo no escalões de formação do Athletic), “Los Leones” são um dos clubes com mais títulos em Espanha, sendo o quarto clube com mais ligas espanholas (oito) e o segundo com mais taças do rei (vinte e quatro). A nível europeu, todavia, o melhor que conseguiram foi uma final da Taça UEFA em 1976/77, feito que, espera-se, não voltem a repetir na actual temporada.

O San Mamés é um inferno

Quem é o Athletic Bilbau?

Fundado em 1898, o Athletic Bilbau é um clube com 114 anos de história e de títulos, tendo desde cedo se assumido como um dos grandes clubes de Espanha.

Desde que foi criado, o clube baseia a sua política na utilização exclusiva de jogadores bascos, sejam eles do País Basco, Navarra ou País Basco Francês, ainda que nos últimos tempos essa política tenha sido aligeirada e jogadores de origem basca mas de outros locais, assim como atletas não bascos mas formados desde muito cedo nas camadas jovens do Athletic também possam ser chamados à equipa principal.

Apesar dessa política restrita, o Athletic assumiu-se sempre como uma equipa que ombreava de igual para igual com os maiores de Espanha, tendo conquistado oito campeonatos domésticos e vinte e quatro taças do rei. Ainda assim, desde 1983/84, “Los Leones” nunca mais conseguiram conquistar um título, situação que também foi agravada com o advento da Lei Bosman e a proliferação de estrangeiros no seio da Liga Espanhola.

Tendo uma história rica em termos domésticos, o Athletic Bilbau, todavia, nunca conseguiu grandes feitos a nível europeu, sendo que a sua melhor campanha surgiu em 1976/77, quando alcançou a final da Taça UEFA, mas perdeu no duelo decisivo com a Juventus (2-1 e 0-1).

Bielsa é dos melhores treinadores do Mundo

Como joga?

Treinado pelo mago argentino Marcelo Bielsa, o Athletic Bilbau é uma equipa de grande qualidade individual e colectiva que, pelo seu estilo de jogo, é muitas vezes considerada uma espécie de pequeno barça.

Actuando num 4x3x3 pleno de mobilidade e criatividade, “Los Leones” são extremamente fortes do meio-campo para a frente, onde jogadores como o médio-ofensivo De Marcos, os extremos Susaeta e Muniain e o ponta de lança Llorente formam um quarteto de enorme qualidade atacante.

Mais atrás, a equipa basca tem menos qualidade individual, todavia, jogadores como o lateral-direito ofensivo Iraola e o trinco Javi Martinez (não pode jogar em Alvalade) também garantem talento ao conjunto de Bielsa.

Equipa sem medo de ter a bola e de assumir o jogo, é fortíssima nas transições, sendo assim um conjunto híbrido que tanto se sente à vontade numa estratégia de ataque continuado, como sabe ser letal em lances de contra-ataque.

Nesse seguimento estratégico e com essa ideologia de futebol de qualidade, o Athletic deverá aparecer em Alvalade com o seguinte onze: Gorka Iraizoz; Iraola, Ekiza, Amorebieta e Aurtenetxe; Iturraspe, Ander Herrera e De Marcos; Susaeta, Llorente e Muniain.

Fernando Llorente é um matador

Quem é que o Sporting deve ter debaixo de olho? Llorente

Aquele que talvez seja o jogador mais decisivo da equipa de Bilbau é um ponta de lança alto e possante que funciona como referência ofensiva do conjunto basco: Fernando Llorente.

Aos 27 anos, o avançado basco já soma 20 internacionalizações (7 golos) pela selecção espanhola e leva (quase) todo o seu percurso desportivo ao serviço do Athletic Bilbau, clube onde concretizou por 81 vezes em 232 jogos da liga espanhola.

Jogador com 1,95 metros, trata-se, naturalmente, de um jogador com forte presença na área, sendo muito difícil de marcar e que em cada duas ocasiões que lhe chegam aos pés ou à cabeça, factura pelo menos uma.

Ainda assim, caso o seu marcador directo esteja atento na marcação e não deixe que o esférico chegue em condições ao poderoso avançado basco, este não reúne características que lhe permitam contornar essa situação, acabando por desaparecer um pouco do jogo. Para bem do Sporting, esperemos que assim aconteça.

Como chegou às semi-finais?

Playoff: Athletic Bilbau vs Trabzonspor (TUR) 0-0, não se realizando a segunda mão, pois o Trabzonspor foi repescado para a “Champions”

Fase de grupos:

  • Athletic Bilbau vs PSG (FRA) 2-0 e 2-4
  • Athletic Bilbau vs Red Bull Salzburgo (AUT) 2-2 e 1-0
  • Athletic Bilbau vs Slovan Bratislava (ESL) 2-1 e 2-1

Classificação:

  1. Athletic Bilbau 13 pontos
  2. Red Bull Salzburgo (AUT) 10 pts
  3. PSG (FRA) 10 pts
  4. Slovan Bratislava (ESL) 1 pt

16/Final: Athletic Bilbau (ESP) vs Lokomotiv Moscovo (RUS) 1-0 e 1-2

8/Final: Athletic Bilbau vs Manchester United (ING) 2-1 e 3-2

4/Final: Athletic Bilbau vs Schalke 04 (ALE) 2-2 e 4-2

As possibilidades do Sporting Clube de Portugal

O último obstáculo para o Sporting chegar à final da Liga Europa é um osso duro de roer, mas o grande Sporting que eliminou o Manchester City e Metalist terá condições mais que suficientes para superar uma equipa que, apesar da excelente campanha europeia, se encontra apenas na sétima posição da Liga Espanhola e a quarenta!! pontos do líder Real Madrid.

Será, no entanto, necessário manietar a linha de construção ofensiva do Athletic composta por jogadores como Muniain e De Marcos, mas, também, anular o forte ponta de lança internacional espanhol Llorente. Depois, se os leões aliarem esse factor à exploração da mais frágil linha defensiva, nomeadamente o lateral-esquerdo Aurtenetxe, tudo poderá estar alinhado para vermos os verde-e-brancos na final de Bucareste.

Read Full Post »

Apesar da maioria dos portugueses tratarem esta equipa ucraniana com certo desdém, o certo é que só um Sporting ao seu melhor nível será capaz de ultrapassar este Metalist Kharkiv. Com um plantel recheado de estrelas sul-americanas como Cristian Villagra, Taison, José Ernesto Sosa, Cleiton Xavier ou Sebastián Blanco, o clube de Kharkiv está a reduzir bastante a outrora gritante diferença de qualidade perante os gigantes ucranianos: Dínamo Kiev e Shakhtar Donetsk, sendo a extraordinária campanha que está a fazer na Liga Europa um perfeito exemplo do poderio do próximo obstáculo europeu dos leões.

O bonito "Metalist Stadium"

Quem é o Metalist Kharkiv?

Fundado em 1925, o Metalist Kharkiv apenas chegou ao primeiro escalão do futebol soviético em 1960, tendo depois passado por um difícil período que o fez voltar aos escalões secundários da URSS.

Em 1982, o clube ucraniano voltou à primeira divisão, tendo, desta feita, se mantido por lá até à dissolução da União Soviética e conseguindo, inclusivamente, o seu único título importante de toda a sua história: uma Taça da URSS conquistada em 1988, após vitória na final diante do Torpedo Moscovo (2-0).

Desde que a Ucrânia se separou da URSS, o Metalist integrou-se naturalmente na pirâmide futebolística daquele país da Europa de leste, nunca tendo, contudo, conquistado qualquer título ucraniano. Ainda assim, o recente investimento de Oleksandr Yaroslavsky, (um dos donos de um dos mais importantes bancos da Ucrânia) fez com que o clube de Kharkiv começasse a aproximar-se de Shakhtar e Dínamo Kiev, tornando-se presença assídua nas competições europeias e tendo terminado os últimos cinco campeonatos ucranianos na terceira posição.

Myron Markevych é o treinador do Metalist

Como joga?

O Metalist é uma equipa sediada na Ucrânia, todavia, de ucraniano apenas tem o nome. Com inúmeros jogadores sul-americanos e um sistema táctico 4x2x3x1 que privilegia a criatividade e a fantasia, o conjunto de Kharkiv seria facilmente confundido com uma qualquer equipa que disputa a Taça dos Libertadores.

Perigosíssimo nas transições defesa/ataque, o Metalist é uma equipa matreira que gosta de oferecer o comando do jogo ao adversário para depois ser letal em lances de contra-ataque, apoiando aí o seu jogo no elevado índice criativo dos muitos sul-americanos que tem ao seu dispor.

Hoje, em Alvalade, o Metalist deverá se apoiar nesses princípios tácticos e estratégicos, surgindo no relvado com o seguinte onze: Dišljenković; Gueye, Pshenychnykh, Torsiglieri e Villagra; Sosa e Torres; Taison, Cleiton Xavier e Blanco; Devych.

Cleiton Xavier é um desequilibrador

Quem é que o Sporting deve ter debaixo de olho? Cleiton Xavier

No meio de um conjunto bastante talentoso, salta à vista um  médio-ofensivo brasileiro de grande qualidade e que até podia ter se transferido para o Sporting: Cleiton Xavier.

De facto, aquando da transferência de Tinga para o Brasil, o Sporting teve a possibilidade de escolher entre Cleiton e Marcelo Labarthe, tendo acabado por optar pelo segundo com o (in)sucesso que se sabe.

Neste momento, com 29 anos, o antigo jogador do Internacional e do Palmeiras é o cérebro de todas as acções ofensivas do Metalist, destacando-se pela elevada qualidade técnica, superior visão de jogo e enorme qualidade nos lances de bola parada.

Como tal, um dos primeiros passos a dar pelos verde-e-brancos na tentativa de passar esta eliminatória europeia deverá passar por anular as qualidades deste excelente médio-ofensivo brasileiro.

Como chegou aos 4/final?

Playoff: Metalist Kharkiv vs Sochaux (FRA) 0-0 e 4-0

Fase de grupos:

  • Metalist Kharkic vs AZ Alkmaar (HOL) 1-1 e 1-1
  • Metalist Kharkiv vs Áustria Viena (AUT) 4-1 e 2-1
  • Metalist Kharkiv vs Malmö (SUE) 3-1 e 4-1

Classificação:

  1. Metalist Kharkiv 14 pontos
  2. AZ Alkmaar (HOL) 8 pontos
  3. Áustria Viena (AUT) 8 pontos
  4. Malmö (SUE) 1 ponto

16/Final: Metalist Kharkiv vs Red Bull Salzburg (AUT) 4-0 e 4-1

8/Final: Metalist Kharkiv vs Olympiakos (GRE) 0-1 e 2-1

As possibilidades do Sporting Clube de Portugal

O Metalist não tem obviamente a qualidade do Manchester City, todavia, só um Sporting ao seu melhor nível conseguirá afastar uma equipa ucraniana que, lembre-se, tem um orçamento muito superior à equipa verde-e-branca.

Ainda assim o Sporting, pela sua maior experiência internacional, pela embalagem motivacional que conseguiu por ter afastado o Manchester City e pela qualidade do seu plantel terá boas condições de seguir para as meias-finais da Liga Europa, devendo, para isso, encarar o Metalist com o máximo respeito e muita, muita concentração.

Read Full Post »

Marc Janko é um goleador e um vencedor nato

A caminho do FC Porto está um ponta de lança matador de nacionalidade austríaca que, por certo, será um excelente reforço dos dragões para a segunda metade da época: Marc Janko.

Nascido a 25 de Junho de 1983 em Viena, Áustria, Marc Janko iniciou a sua carreira no Admira Wacker, clube que representou desde as camadas jovens até aos primeiros passos no futebol sénior.

Em 2005, todavia, o internacional austríaco haveria de se transferir para o Red Bull Salzburgo, clube onde iria explodir definitivamente no contexto futebolístico europeu. De facto, no clube da cidade onde nasceu Mozart, Janko haveria de permanecer até 2010, marcando 81 golos em 112 jogos, destacando-se a temporada de 2008/09, quando fez 40 golos em 36 partidas.

Não perdeu o faro goleador na Holanda

No defeso de 2010/11, já com três campeonatos austríacos no bolso, Marc Janko preferiu mudar de ares e abraçar uma outra experiência no futebol europeu, transferindo-se para a Holanda e para o FC Twente.

No clube de Enschede, o internacional austríaco haveria de continuar um avançado prolífico, tendo marcado 34 golos nos 65 jogos que disputou na última época e meia, sendo figura de proa da equipa do FC Twente que, na temporada passada, conquistou a Taça da Holanda.

Puro ponta de lança de último toque

Marc Janko é um avançado internacional austríaco (24 jogos, 9 golos) de 1,96 metros de altura e que tem como principal predicado ser um finalizador nato que está sempre no sítio certo para facturar.

Não sendo rápido e tendo uma técnica apenas mediana, o ponta de lança compensa essas lacunas por ser um jogador com uma noção perfeita de onde se deve movimentar para depois aparecer em zona privilegiada para a finalização, fazendo-o de forma fria e objectiva.

Goleador nato, trata-se de um avançado-centro letal, sendo eficaz tanto com os pés como com a cabeça e ideal para um esquema 4x3x3, onde a equipa não viva obcecada em jogar para o austríaco, mas procure-o muitas vezes como referência e destino do futebol ofensivo.

Read Full Post »

Ivan Santini a festejar mais um golo

No Zadar do campeonato croata actua um ponta de lança com capacidade para voos muito mais altos no contexto futebolístico europeu: Ivan Santini.

Nascido a 21 de Maio de 1989, Ivan Santini iniciou o seu percurso futebolístico nas camadas jovens do Zadar, tendo passado depois pelo Inter Zapresic e pelos austríacos do Red Bull Salzburgo ainda como jogador juvenil.

Em 2008/09, estreou-se profissionalmente pelos germânicos do Ingolstadt FC, clube onde, contudo, apenas fez 6 jogos, não marcando qualquer golo, tendo regressado à Croácia na temporada seguinte.

De volta ao país natal, Ivan Santini também regressou ao clube onde iniciou o seu percurso: Zadar, encontrando-se lá desde o Verão de 2009. No clube croata, o atacante já efectuou 26 golos em 63 jogos, assumindo-se como a principal fonte de tentos do modesto Zadar.

“Matador” com grande faro de golo

Ivan Santini é um atacante que faz da área o seu habitat natural, procurando sempre as melhores zonas para finalizar com a sua natural eficácia.

Com 1,89 metros, o ponta de lança croata é naturalmente perigoso no jogo aéreo, ainda que também seja bastante eficaz a finalizar com os pés, destacando-se também pela frieza na marcação de castigos máximos.

Móvel e felino na arte da desmarcação, o atacante de 22 anos é um jogador ideal para actuar sozinho num 4x3x3, ainda que também encaixe na perfeição ao lado de um avançado mais móvel em qualquer variação do 4x4x2.

Ainda muito jovem, trata-se de um diamante que precisa de um salto para um clube de um campeonato mais competitivo para que possa ser devidamente lapidado. Um avançado barato e que encaixaria na perfeição num clube “europeu” português como o Marítimo ou o V. Guimarães.

Read Full Post »