Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Rooney’


Defoe foi decisivo na reviravolta dos spurs

Com apenas seis pontos a separar as 6 primeiras equipas, o campeonato está ao rubro. No entanto isto deve-se mais ao demérito dos habituais candidatos que à competitividade da liga. Todas os favoritos esta época têm perdido, pode-se mesmo dizer com uma certa frequência, com equipas notoriamente inferiores. As casas de apostas é que beneficiam.

Comecemos pelo Arsenal, que perdeu com o Tottenham. Ora o Tottenham não se insere no grupo das equipas “notóriamente inferiores“, mas depois de estar a ganhar por 2-0 em casa e deixar que o adversário dê a volta, quando a vitória significaria o primeiro lugar, não é normal. Uma entrada de rompante por parte dos gunners valeu-lhes 2 golos em 30 minutos e os spurs, meios surpreendidos e totalmente subjugados. Na segunda parte, com a entrada do recuperado Jermaine Dafoe, tudo se inverteu. A produção ofensiva do Tottenham aumentou e a sorte também e com 3 golos sem resposta venceram em casa do Arsenal pela primeira vez em 17 anos.

Ancelotti parece estar a colecionar recordes negativos esta época da mesma forma que colecionou positivos na época passada. Há mais de 4 anos que o Chelsea não perdia dois jogos seguidos, todavia, com a derrota em Birmingham no passado fim-de-semana e a derrota caseira no anterior frente ao Sunderland, isso voltou a acontecer. Para piorar a situação, perdeu com equipas “notóriamente inferiores“. Pela positiva, esta última derrota foi injusta e só um Ben Folster inspirado e a defender tudo, em conjunto com muito azar causaram tal derrota. Já se começa a falar de o lugar de Ancelotti estar em perigo, afinal isto do futebol viver exclusivamente de resultados pode ser bastante ingrato.  No final, a derrota do Chelsea por 1-0 fez com que o Manchester o apanhasse. Os dois clubes partilham agora o primeiro lugar com os mesmos pontos.

Manchester United, Manchester City e Liverpool obteram três vitórias naturais e fáceis. Manchester United em casa contra o Wigan venceu e bem por 2-0. Dois destaques neste jogo: primeiro, para o regresso de Rooney. Depois da saga que começou com um amuo, passou por uma ameaça e acabou com uma renovação de contracto fazendo dele o jogador mais bem pago do mundo. Será que ele merece? Segundo destaque e este de grande importância, o United alcançou o Chelsea no primeiro posto passando tambem o Arsenal. De certeza que será um bom tónico para os tempos que se seguem.

Com Mancini e a sua equipa em altos e baixos de forma, esta vitória frente à equipa do antecessor do italiano era, por si só, embora ninguém o admitisse, um duelo particular. A jogar fora contra uma equipa tradicionalmente dificil, a vitória acabou por chegar naturalmente. Começaram cedo os citizens com um golo por Tevez logo aos 6 minutos e so terminaram aos 56 com o quarto. Depois relaxaram e permitiram ao Fulham o seu tento de honra. 1-4 foi o resultado final.

Do Liverpool o que dizer? Depois do pior começo de época em varias dezenas de anos, lá vão devagar mas com segurança, recuperando na tabela. O West Ham, que se encontra em último lugar, era a equipa ideal para testar este Liverpool sem Steven Gerrard. O capitão dos reds vai estar afastado dos relvados por um mês. Sabem quem preencheu o lugar? E razoalvelmente bem? Nem mais nem menos que Raúl Meireles, jogou finalmente na posição que mais gosta, ao centro. Uma primeira parte demolidora elevou o resultado a 3-0 com a uma segunda parte demasiado relaxada que deixou tudo igual à primeira. Quando já se faziam apostas em que o Liverpool ia descer de divisão esta época, eis que já se encontram a apenas 9 pontos dos primeiros. Não está nada mau, embora ainda aquém das ambições de um clube da sua grandeza.

Por último o destaque para a equipa sensação este ano, o Bolton. Recebeu e venceu facilmente o Newcastle, que tem vindo a fazer uma boa época tendo em conta que na temporada passada militava no escalão inferior. 5-1 é um resultado que fala por si. O Bolton está, para já, muito seguro nos lugares da Europa, em quinto lugar, e apenas a 6 pontos dos dois primeiros.

Anúncios

Read Full Post »


Fernando Torres foi decisivo no triunfo dos reds

Um dos destaques do passado fim-de-semana em Inglaterra vai para a vitória do Liverpool. Ainda que, para já, insuficiente para tirar a equipa dos lugares de despromoção, pode ser no entanto um primeiro tónico para a tão desejada recuparação. Coincidência ou não, este triunfo é acompanhado do regresso de Fernando Torres aos golos. O espanhol não marcava há sete jogos e contra o Blackburn conseguiu finalmente fazer o gosto ao pé.

Um dos destaques do passado fim-de-semana em Inglaterra vai para a vitória do Liverpool. Ainda que, para já, insuficiente para tirar a equipa dos lugares de despromoção, pode ser no entanto um primeiro tónico para a tão desejada recuparação. Coincidência ou não, este triunfo é acompanhado do regresso de Fernando Torres aos golos. O espanhol não marcava há sete jogos e contra o Blackburn conseguiu finalmente fazer o gosto ao pé.

Com uma primeira parte invulgarmente dominadora, somente a inspiração de Paul Robinson na baliza dos Rovers manteve o marcador a zero. Três minutos após o reatamento veio o momento que tanto se esperava em Anfield Road, Kyrgiakos na marcação de um canto cabeceia para o fundo da baliza adversária provocando a explosão de alegria em todo o estádio. Desta vez os homens do Liverpool dominaram, mas ainda tinham que sofre um pouco mais. Steven Gerrard com um golo na própria baliza empatou o encontro e só depois, após inumeras tentativas, Torres encontrou o caminho para o golo. Já se respira um pouco melhor em Liverpool.

O outro destaque vai para o jogo grande da jornada, Manchester City contra Arsenal. A expectativa era grande, os citizens estão a fazer um bom campeonato e seguiam isolados em segundo lugar, eram também favoritos nas previsões para o jogo. O Arsenal, que volta a ter algumas oscilações nas suas performances, perseguia os dois da frente mantendo a esperança do título.

O favoritismo do City esbateu-se logo no inicio da partida após a expulão do jovem Dedryck Boyata. No entanto os da casa não esmoreceram e Tevez deu muita trabalho à defesa dos Gunners. O Arsenal acabou por equilibrar a partida e mais tarde desiquilibrar-la para o seu lado. Nasri, Song e Bendtner foram os marcadores com Fabregas pelo meio a falhar uma grande penalidade. Um jogo muito emotivo digno do lugar que estas duas equipas ocupam, agora juntos em segundo com os mesmos pontos.

O outro candidato, que também atravessa uma crise de resultados, o Manchester United visitou o sempre dificil terreno do Stoke City. Com o espectro da novela de Wayne Rooney, apesar de já resolvida e com este ausente a comemorar o seu 25 aniversário, ainda a pairar sobre o clube de Old Trafford assim como ânsia de retomar o caminho das vitórias e as aspirações ao titulo, os homens de Sir Alex Ferguson apareceram um pouco nervosos.

Mas o jovem Hernandez encontra-se neste momento a marcar a diferença na ausência de Rooney. O Stoke dominou durante algum tempo mas sem conseguir incomodar Van der Sar e no contra golpe “El Chicharrito“ abriu o marcador. O Stoke reagiu bem mas sempre sem grande eficácia. As mudanças na equipa trouxeram mais vigor ofensivo e, a menos de 10 minutos do fim,
chegou o empate. Este filme já passou pela equipa de Nani demasiadas vezes nos últimos tempos, mas o endiabrado Hernandez consegiu, 4 minutos depois do empate, repor a vantagem e não mais o United a perdeu. Os de Manchester juntam-se assim ao Arsenal e Manchester City no segundo lugar.

Último destaque para o empate do Tottenham frente ao Everton. Os Spurs que pareciam apostados em se tornarem na quarta melhor equipa inglesa parecem estar a perder essa aposta para o Manchester City, seguem em quinto lugar longe do fulgor da época passada.

Read Full Post »

 

Raúl Meireles tem tido um mau início de época

 

8 jogos, 1 vitória, 3 empates, 4 derrotas e 6 pontos, último classificado em conjunto com mais duas equipas, ninguém imaginaria que estamos a falar do Liverpool, mas é verdade. Uma equipa que aspira ser campeã está neste momento na luta pela manutenção e não se está a dar bem. Todos os problemas financeiros em que está envolvido também não ajudam. Muito mau para a equipa inglesa mais bem sucedida de sempre.

No passado fim-de-semana, no clássico da cidade dos Beatles, Everton e Liverpool defrontaram-se em Goodison Park. Os da casa dominaram, marcaram dois golos sem resposta e ganharam bem. Não há muito mais a dizer, a equipa de Raúl Meireles anda perdida e há muito a fazer para recuperar. Talvez agora com a venda do clube as coisas mudem. Os novos donos assistiram ao vivo a mais uma derrota e devem estar a pensar na gigante tarefa que agora enfrentam.

Outra equipa que não anda bem é o Manchester United. Mais um empate caseiro cortesia de Patrice Evra e Edwin Van Der Sar, parece demonstrar que a tranquilidade não mora em Old Trafford. Com o caso de Wayne Rooney a levar Sir Alex Fergusson a deixa-lo no banco, de tal forma que o seu descontentamento leva a rumores quanto a sua possível saída. Interessados não faltam, mas os adeptos não o querem ver partir. Levanta-se também de novo a polémica contra os donos do clube, os americanos Glazer.

Quanto ao jogo, Nani e Chicharrito materializaram a superioridade do Manchester na primeira parte. E para provar que no futebol nem sempre ganha quem merece, os dois golos oferecidos pelo defesa esquerdo e guarda-redes do Manchester, trouxeram uma total injustiça ao resultado. Apesar do West Brom ter esboçado uma reacção, não seria, em condições normais, suficiente para o que aconteceu. Manchester United começa a ver o titulo ficar fora do alcance.

Outra surpresa da última jornada foi no jogo em Villa Park, onde os locais defrontaram o Chelsea. A surpresa não foi só porque empataram, mas mais ainda porque não se marcou nenhum golo. Um jogo dividido e bem disputado, com oportunidades de parte a parte onde o resultado poderia ter caído para qualquer dos lados. Tal não se verificou, Aston Villa e Chelsea dividiram os pontos. Última nota de destaque, o regresso de Bosingwa à competição, só por 15 minutos a substituir Paulo Ferreira mas ele está de volta.

Meia surpresa em Blackpool. A equipa da, em tempos famosa, estação balnear inglesa continua a surpreender. São pequenos, “pobres“ e acabados de subir ao escalão principal. Nas apostas para a despromoção, estavam bem cotados mas estão a dar bem conta de si. Para já confortavelmente no meio da tabela e a jogar como ninguém esperava.

Jogaram com o Manchester City e só perderam por falta de sorte e com uma ajudinha do árbitro. Os homens de Mancini tiveram que suar muito para conquistar os 3 pontos. Os adeptos da casa ficaram com a sensação de injustiça mas satisfeitos pela forma como a sua equipa se bateu.

O Arsenal reavivou a luta pelo titulo ao vencer, com dificuldade (2-1), o Birmingham. A equipa de Alex McLeish está numa má posição, mas mostrou que não reflecte aquilo que são capazes de fazer. Bateram o pé aos Gunners, no Estádio dos Emirates, e quase traziam um ponto. O Tottenham também arrancou os 3 pontos a ferros em casa do Fulham. Viu-se a perder primeiro mas com custo deram a volta. O resultado foi o mesmo do Arsenal.

Com isto o topo da tabela tem os suspeitos habituais menos o Liverpool. O Manchester City está a confirmar as previsões e as expectativas ao encontrar-se isolado no segundo posto a 2 pontos do Chelsea e com mais 3 que Arsenal, Manchester United e Tottenham.

 

Read Full Post »

Campeã em 1966, em casa, a pátria do futebol tem tido imensas dificuldades para se impor por entre a elite do futebol mundial. Desde o ano que consagrou Eusébio, os ingleses têm somado desilusões atrás de desilusões e, por uma ocasião (EUA 94), ficaram, inclusivamente, fora do campeonato do mundo. Ainda assim, com, provavelmente, um dos melhores leques de atletas de que há memória e treinados por um dos melhores treinadores do mundo (Fábio Capello), a equipa dos três leões será, por certo, um dos principais candidatos ao título do certame sul-africano. Resta saber se atletas como Lampard, Gerrard ou Rooney, provam, no campo, a grandeza da actual selecção inglesa e empurram a equipa de sua majestade para o seu segundo título mundial…

A Qualificação

A classificação da selecção britânica para este campeonato do mundo foi uma demonstração de superioridade sobre todos os seus adversários.

A Inglaterra, integrada num grupo matreiro com as selecções da Ucrânia, Croácia, Bielorússia, Cazaquistão e Andorra, venceu nove jogos e apenas perdeu um (Ucrânia, fora, 0-1), quando já se encontrava classificada para o campeonato do mundo. 

Alguns resultados, como as goleadas diante da Croácia (4-1 e 5-1), provam, sem sombra de dúvida, a enorme qualidade que os ingleses demonstraram nesta fase de apuramento e que os levou a terminar o agrupamento com uma vantagem de seis pontos sobre o segundo classificado, a Ucrânia.

Grupo 6 – Classificação

  1. Inglaterra 27 pts
  2. Ucrânia 21 pts
  3. Croácia 20 pts
  4. Bielorússia 13 pts
  5. Cazaquistão 6 pts
  6. Andorra 0 pts

O que vale a selecção inglesa?

Em termos teóricos a Inglaterra é, claramente, uma das melhores equipas do campeonato do mundo. A selecção britânica tem um excelente leque de individualidades, mas, ao mesmo tempo, sabe jogar em equipa, sendo, que, nesse aspecto, os ingleses têm muito que agradecer ao seu técnico: Fábio Capello.

Se a baliza está entregue a um guarda-redes competente, mas longe de ser excepcional (Green), o quarteto defensivo é composto por quatro jogadores da fina flor do futebol mundial: John Terry e Rio Ferdinand como centrais; Ashley Cole e Glen Johnson como laterais.

Depois, no meio campo, a equipa deve jogar com Barry e Lampard como duplo pivot do meio campo, actuando, depois, Gerrard a ala esquerdo e o rapidíssimo e fantasista Theo Walcott como ala direito. Para além destes atletas, a equipa ainda conta com opções com o valor de Aaron Lennon, Wright-Phillips, Joe Cole ou Carrick.

Por fim, no ataque, a dupla escolhida por Fábio Capello deverá ser o avançado móvel: Rooney e, a actuar como ponta de lança mais fixo, Jermaine Defoe. Ainda assim, a selecção dos três leões tem ainda dois avançados de qualidade no banco: Crouch (que marca sempre muitos golos pela Inglaterra) e Heskey, um atacante poderoso e ideal para adversários frágeis fisicamente.

Depois, os britânicos, sempre que o adversário o permitir, poderão, inclusivamente, tirar Barry da equipa base, colocar Gerrard ao lado de Lampard e lançar, na ala esquerda, Joe Cole ou Wright Phillips, tornando a equipa mais ofensiva.

Integrada num agrupamento muito frágil, com Eslovénia, Argélia e Estados Unidos, é bastante provável que os ingleses terminem o Grupo C em primeiro e com vitórias em todos os jogos realizados.

O Onze Base

O onze base dos ingleses será composto por Robert Green (West Ham) na baliza; Um quarteto defensivo com Ashley Cole (Chelsea), na esquerda, Glen Johnson (Liverpool), na direita, e a dupla de centrais: John Terry (Chelsea) e Rio Ferdinand (Manchester United); Depois, um meio campo com Barry (Manchester City) e Lampard (Chelsea) como duplo-pivot do meio campo, sendo o jogador do Chelsea mais ofensivo e a dupla de alas: Gerrard (Liverpool), à esquerda, funcionando mais como interior e Walcott (Arsenal), à direita, funcionando como extremo no puro sentido da palavra; Por fim, na frente, o atacante móvel que dispensa apresentações: Rooney (Manchester United) e o finalizador: Jermaine Defoe (Tottenham).

Classificação – Previsão “A Outra Visão”

A Inglaterra foi feliz por, na primeira fase, defrontar dois adversários frágeis (Argélia e Eslovénia) e um adversário um pouco mais forte (Estados Unidos), mas que, ainda assim, está bem longe do valor da selecção dos três leões.

Assim sendo, é previsível que a fase de grupos seja um passeio para os ingleses e que estes ganhem todos os jogos, conquistando, tranquilamente, o primeiro lugar do agrupamento.

Calendário – Grupo C (Mundial 2010)

  • 12 de Junho: Inglaterra vs EUA
  • 18 de Junho: Inglaterra vs Argélia
  • 23 de Junho: Inglaterra vs Eslovénia

Read Full Post »

O Chelsea deslocou-se a Manchester e venceu o United por 2-1, passando, assim, para a liderança da Liga Inglesa. Os londrinos têm agora mais dois pontos que a equipa de Alex Ferguson e três que o Arsenal (3º); Em Espanha, por sua vez, tudo na mesma, com o Real Madrid a vencer em Santander (2-0) e o Barça a esmagar, em casa, o Athletic Bilbau (4-1). Assim sendo, madrilenos e catalães continuam colados na liderança; Por fim, em Itália, os três da frente venceram e continuam separados por três pontos. O Inter (1º) venceu, em casa, o Bolonha (3-0), a Roma (2º) venceu, em Bari, por uma bola a zero e o Milan venceu, em Cagliari, por três bolas a duas.

 

Liga Inglesa – Chelsea vence Manchester United e sobe ao primeiro lugar

A cinco jornadas do final da Premier League, o Chelsea deslocou-se a Old Trafford e venceu, com justiça, o Manchester United por duas bolas a uma. A equipa londrina cedo tomou as rédeas do jogo e aproveitou a ausência da grande estrela do United (Rooney) para desequilibrar a balança a seu favor. Joe Cole (20′) e Drogba (79′) colocaram mesmo o Chelsea a vencer por duas bolas a zero, antes de Macheda (81′) reduzir para o colectivo de Manchester e fazer o 1-2 final. Com este resultado, o Chelsea tem agora dois pontos de avanço sobre o Manchester United. Por outro lado, o Arsenal (3º) venceu, em casa, o Wolverhampton com um golo de Bendtner aos quatro minutos de descontos e relançou-se na luta pelo título, pois está a apenas três pontos dos londrinos.

Liga Espanhola – Real Madrid e Barça só sabem ganhar

Os  líderes do campeonato espanhol continuam a passear superioridade na La Liga e voltaram a vencer este fim de semana. O Real Madrid foi a Santander e venceu o Racing por 2-0 com golos de Ronaldo e Higuaín, enquanto o Barcelona recebeu e venceu o Ath. Bilbau por 4-1. Assim sendo, madrilenos e catalães continuam colados na liderança, com o Real Madrid a ter vantagem no goal-average. O terceiro classificado, o Valência, está a longínquos 21 pontos de diferença.

Liga Italiana – Inter, Roma e Milan deixam tudo na mesma

Na Série A, a jornada 32 não foi fértil em surpresas. O Inter, líder do campeonato, recebeu o Bolonha e venceu com grande facilidade por 3-0. Motta (2) e Balotelli fizeram os golos dos interistas. Por outro lado, a Roma (2º) passou o teste de Bari (1-0) com um golo de Vucinic (19′) e mantém-se a um ponto da equipa de Mourinho. Por fim, num jogo louco, o Milan (3º) venceu o Cagliari, na Sardenha, por 3-2. Tratou-se de um jogo muito equilibrado com o Milan a marcar sempre primeiro e o Cagliari a empatar a seguir, todavia, a equipa de Leonardo, após o 3-2, soube segurar a vantagem e manter-se a apenas três pontos do Inter de Milão.

Liga Alemã – Bayern vence em Schalke e volta à liderança da Bundesliga

O Bayern venceu em Schalke, num jogo intenso, por duas bolas a uma e regressou à liderança da Liga Alemã. Ribery e Muller colocaram os bávaros a vencer por 2-0 e, apesar do Schalke ainda ter reduzido por Kuranyi, a vitória da equipa de Munique nunca foi posta em causa. Assim sendo, o Bayern lidera novamente o campeonato, agora com um ponto de avanço sobre o Schalke 04. Já o Leverkusen (3º) parece estar fora da corrida, pois perdeu em Frankfurt (2-3) e encontra-se, agora, a seis pontos do líder.

Liga Francesa – Bordéus perdeu liderança na Ligue 1

O Bordéus perdeu surpreendentemente em casa, diante do Nancy (1-2) e caiu para o quarto lugar da Liga Francesa. Contudo, o trio da frente composto por Lyon (venceu em Rennes por 2-1), Montpellier (empatou, em casa, com o Monaco a zero) e Auxerre (recebeu e empatou com o PSG a um golo) têm apenas mais um ponto e mais dois jogos que o Bordéus. Na luta pelo título está ainda o Marselha, que venceu o Lens (1-0), em casa, com um golo de Brandão. Os marselheses estão exactamente na mesma situação que o Bordéus, pois estão a um ponto do trio da frente e têm menos dois jogos disputados.

Liga Holandesa – Twente mantém a vantagem sobre Ajax e PSV

O Twente foi a Venlo e venceu por 2-0, estando cada vez mais perto do título. Quando faltam apenas quatro jornadas para o final da Eredivisie, a equipa de Enschede mantem quatro pontos de avanço sobre o Ajax (ganhou 1-o, fora, ao Den Haag) e cinco sobre o PSV, que ganhou, em Tilburg, ao Willem II, igualmente por uma bola a zero.

Read Full Post »

Um hat-trick de Lionel Messi manteve o Barça colado ao Real Madrid no topo da Liga Espanhola. A equipa catalã venceu em Saragoça (4-2), enquanto os madrilenos também não vacilaram e venceram, em casa, o Sporting de Gijón (3-1); Em Itália, o Inter de Mourinho voltou a desiludir, pois não foi além de um empate em Palermo (1-1), todavia, continua líder, pois o Milan, em casa, não fez melhor (empatou 1-1 com o Nápoles); Na Premier League, o Manchester United venceu, em Old Trafford, o Liverpool por duas bolas a uma e continua líder isolado.

Liga Espanhola – Barcelona e Real Madrid continuam colados na liderança

Começam a faltar adjectivos para caracterizar a excelente época do argentino Messi. Esta jornada, o jogador a quem já comparam a Maradona fez mais três golos e foi o principal responsável pela vitória do Barcelona, em Saragoça, por quatro bolas a duas. Neste jogo, a equipa catalã foi sempre superior e venceu com justiça um adversário que luta pela manutenção na La Liga. Por outro lado, no Santiago Bernabéu, o Real Madrid venceu o Sp. Gijón por três bolas a uma. Ainda assim, os madrilenos ainda passaram por um susto, pois aos 53 minutos, Barral colocou os asturianos na frente. Todavia, golos de Van der Vaart, Xabi Alonso e Higuaín deram a volta ao marcador. Na La Liga, Real Madrid e Barça estão sozinhos na frente com 68 pontos, mas os madrilenos têm vantagem no goal average. O terceiro, Valência, está a 18 pontos…

Liga Italiana – Milan não aproveita novo deslize interista

Na jornada 29, o Inter voltou a perder pontos, pois não foi além de um empate, na Sicília, diante do Palermo (1-1). A equipa de Mourinho ainda saiu na frente com um golo de Diego Milito (10′ g.p.), mas, apenas 15 minutos depois, Cavani empatou. No entanto, o Milan falhou o assalto à liderança da Série A, pois, em casa, também não foi além de um empate com o Nápoles (1-1). Assim sendo, o grande vencedor da ronda foi a AS Roma, que venceu a Udinese, em casa, por quatro bolas a duas (golos de Vucinic (3) e Toni) e está agora a apenas quatro pontos do líder Inter e a três pontos do Milan (2º).

Liga Inglesa – Manchester United vence Liverpool e continua líder

Os “Red Devils” receberam o Liverpool e até começaram mal, pois, logo aos cinco minutos, Torres abriu o activo para a equipa da cidade dos Beatles. Todavia, o Manchester United voltou a demonstrar toda a sua força e Rooney (12′) e Ji-Sung Park (60′) deram a vitória à equipa de Alex Ferguson por 2-1. Por outro lado, o Arsenal continua na perseguição ao líder, pois, em casa, venceu tranquilamente o West Ham (2-0). Quem desiludiu foi o Chelsea que não foi além de um empate em Blackburn (1-1). Assim sendo, o Manchester United continua na liderança da Premier League com mais dois pontos que o Arsenal (2º) e quatro que o Chelsea (3º). Os “blues”, todavia, têm menos um desafio.

Liga Francesa – Em França a Ligue 1 continua ao rubro

Na Ligue 1, os três da frente venceram todos. O Bordéus (1º) venceu o Lille por 3-1 com golos de Ciani, Jussiê e Gourcuff; o Montpellier (2º) venceu com dificuldade o Valenciennes, em casa, por 2-1; e o Auxerre (3º) precisou de um golo de Pedretti, já nos descontos, para levar de vencido o Le Mans (2-1). Quem também continua a sonhar com o título é o Marselha que, em casa, venceu o Lyon por 2-1. Assim sendo, a Liga Francesa continua explosiva, pois o Bordéus (-1 jogo) lidera com os mesmos pontos do Montpellier e apenas mais um ponto que o Auxerre. O Marselha (-1 jogo), por sua vez, é quarto a três pontos do líder.

Outras Ligas – Bayern surpreendido em Frankfurt

O Bayern Munique foi surpreendentemente derrotado em Frankfurt (1-2), mas continua líder na Bundesliga. Os bávaros têm agora apenas um ponto de vantagem sobre o Schalke 04 (2º), que empatou 2-2 em Hamburgo e mantêm os três de avanço diante do Leverkusen (3º) que perdeu em Dortmund (0-3); Na Holanda, por outro lado, o Twente empatou com o PSV (1-1) em Eindhoven, mas continua lider isolado da Eredivisie. A equipa que foi eliminada pelo Sporting na Champions lidera com quatro pontos de avanço sobre o Ajax (2º) e cinco sobre o PSV (3º); Por fim, na Grécia, o PAOK continua a má fase e perdeu, em casa, com o AEK (0-1). A equipa de Salónica caiu, assim, para terceira, pois o Olympiakos venceu na casa do líder Panathinaikos por 1-0. O PAO lidera agora com quatro pontos de avanço do Olympiakos (2º) e cinco do PAOK de Fernando Santos. 

Read Full Post »

O Milan sofreu bastante, mas um golo de Seedorf nos descontos permitiu à equipa de Leonardo vencer o Chievo e aproximar-se do Inter na Serie A, pois a equipa de Mourinho foi surpreendentemente derrotada em Catania (1-3). A vantagem do Inter é agora de apenas um ponto; Em Espanha, Real Madrid e Barça continuam com os mesmos pontos no topo da La Liga. Os madrilenos venceram em Valladolid (4-1) e os catalães receberam e venceram o Valência por 3-0; Por sua vez, na Premier League, o Manchester United venceu o Fulham (3-0) e continua na liderança do campeonato com dois pontos de avanço sobre o Chelsea que, contudo, tem menos um encontro.

Liga Italiana – Golaço de Seedorf coloca Milan a um ponto do Inter

A partida diante do Chievo caminhava para o seu final e Inzaghi, sozinho, já tinha falhado duas ou três excelentes oportunidades de golo. Pensava-se que a estrelinha de Mourinho iria mais uma vez funcionar quando Clarence Seedorf, descaído para o lado direito, desfere um daqueles remates cruzados indefensáveis e dá a vitória ao AC Milan por uma bola a zero.  Este resultado colocou pressão na equipa de Mourinho porque, em Catania, o Internazionale voltou a mostrar que não está numa grande fase da época e, após estar a ganhar, permitiu a reacção do Catania, acabando copiosamente derrotado por três bolas a uma. Assim, o Inter continua líder, todavia, diminiu a vantagem para o Milan (2º) para apenas um ponto e para a terceira classificada Roma (empatou em Livorno 3-3) para apenas seis pontos.

Liga Espanhola – Messi e Higuaín fazem hat-tricks e deixam tudo na mesma no topo da La Liga

Em Valladolid, o Real Madrid não teve dificuldades para vencer a equipa local por quatro bolas a uma num jogo muito durinho. A equipa madrilena foi sempre superior e viu Higuaín (por três vezes) e Cristiano Ronaldo marcarem os golos que mantêm os merengues no topo da tabela classificativa. Por outro lado, em Nou Camp, o Barcelona também não vacilou e venceu sem dificuldade o Valência com três tentos de Messi. Assim sendo, os madrilenos continuam na liderança, apesar de terem exactamente os mesmos pontos do segundo classificado: Barcelona.

Liga Inglesa – Bis de Rooney ajuda “Red Devils” a manterem a liderança

O Manchester United recebeu e venceu o Fulham por três bolas a zero num desafio que voltou a demonstrar o excelente momento de forma de Wayne Rooney. O internacional inglês fez mais uma excelente exibição coroada com dois golos (o outro tento do jogo foi de Berbatov) e, assim, manteve os “Red Devils” no topo da Premier League. Por outro lado, o Chelsea (2º) também não perdoou e venceu, em casa, o West-Ham por 4-1. Já o terceiro classificado, Arsenal, venceu o Hull City por duas bolas a uma, num jogo em que teve de sofrer muito, porque o golo da vitória (marcado por Bendtner) só surgiu ao terceiro minuto de descontos. Assim sendo, o M. United continua no topo da tabela com mais dois pontos que Chelsea e Arsenal, todavia, os “Blues” têm menos um jogo disputado.

Liga Francesa – Golo de Paulo Machado impede vitória do Marselha

Na Ligue 1, o Marselha deslocou-se a Toulouse e não foi além do empate a uma bola. Tratou-se de um jogo muito equilibrado e os marselheses até saíram na frente com um golo de Brandão, todavia, Paulo Machado acabaria por empatar a partida e frustrar a aproximação do Marselha ao topo da Liga. Contudo, Bórdéus (1º) e Montpellier (2º) também não aproveitaram o deslize, pois empataram em Monaco (0-0) e, em casa, diante do Auxerre (1-1) respectivamente. Assim sendo, o Bordéus, que tem menos um jogo, continua líder com os mesmos pontos do Montpellier, mais um que o Auxerre (3º), mais dois que Lille (4º) e Lyon (5º) e mais três que o sexto classificado Marselha, que também tem menos um jogo. A Ligue 1 continua, desta forma, ao rubro.

Outras Ligas – Bayern vence Friburgo e mantém a liderança da Bundesliga

Na Alemanha nada de novo, o Bayern venceu, em casa, o Friburgo (2-1) e continua no topo do campeonato. Os Bávaros têm mais dois pontos que o segundo Schalke (venceu o Estugarda, em casa, por dois a um) e mais três que o Leverkusen, que venceu o Hamburgo em casa (4-2) e é terceiro classificado;  Por fim, na Grécia, desilusão para o PAOK de Fernando Santos que perdeu o derbi de Salónica diante do Aris (0-2). Este resultado, coloca agora a águia bicéfala a cinco pontos do líder Panathinaikos, que venceu, fora, o Asteras Tripolis por uma bola a zero.

Read Full Post »