Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Sporting’

Bradaric

Bradarić é internacional croata

A imprensa desportiva portuguesa tem dado conta do interesse do Sporting em atacar em força o mercado croata, sendo que um dos alvos que já foi referenciado por mais do que um meio de comunicação social é precisamente o médio-defensivo Filip Bradarić.

Criado na famosa escola de futebol do Hajduk Split, trata-se de um dos grandes destaques da equipa do Rijeka que acabou de surpreender a Europa ao conquistar o título croata e acabado com o domínio crónico do Dínamo de Zagreb nessa prova.

Aos 25 anos, estará com um bom nível de maturidade para dar o salto para um campeonato mais competitivo, ainda que naturalmente gere algumas dúvidas que tenha a capacidade se assumir como um substituto imediato de William Carvalho, isto, obviamente, se o internacional português abandonar Alvalade neste Verão.

Subiu todos os patamares

Filip Bradarić nasceu a 11 de Janeiro de 1992 em Split, Croácia, sendo um produto das escolas do Hajduk Split, emblema que representou entre 2003 e 2015, ainda que a sua estreia no futebol sénior se tenha dado no Primorac 1929, onde esteve por empréstimo entre 2011 e 2013.

Aí, somou um total de 55 jogos (oito golos), tendo representado o modesto clube na terceira e segunda divisão croata com grande destaque, ou não tivesse merecido o regresso ao Hajduk Split para a temporada 2013/14.

No histórico clube da Dalmácia, o “seis” haveria de actuar na época e meia seguinte, somando um total de 48 jogos (três golos) e merecendo uma transferência em Fevereiro de 2015 para o Rijeka, emblema que vivia uma ascensão interessante no futebol croata.

Um esteio do Rijeka

Filip Bradarić haveria de se tornar automaticamente num dos principais esteios do Rijeka, sendo titularíssimo desde que chegou à equipa orientada desde 2013 pelo esloveno Matjaž Kek.

Afinal, nas últimas duas épocas e meia, Filip Bradarić somou um total de 88 jogos e cinco golos, tendo sido fundamental no título croata conquistado pelo Rijeka na temporada que agora termina, assim como nos vice-campeonatos de 2015 e 2016.

Para além disso, o jovem de 25 anos conseguiu também chegar à selecção croata, pela qual soma duas internacionalizações e na qual se estreou num particular diante da Irlanda do Norte (3-0) a 15 de Novembro de 2016.

Mais “seis” que William

Filip Bradarić actuou a época transacta num duplo-pivot de meio campo na companhia de Josip Mišić, sendo que este último funcionava como box-to-box enquanto o ex-jogador do Hajduk Split actuava como “seis” puro.

Aí, admita-se, o seu perfil aproxima-se pouco de William Carvalho, pois Filip Bradarić é um trinco mais de contenção, actuando de forma mais posicional e conservadora, enquanto o internacional português gosta mais de ter a bola e dar profundidade ofensiva ao seu jogo.

Com bom pulmão, forte no jogo aéreo, inteligente na ocupação dos espaços e bom na recuperação, Filip Bradarić não deixa igualmente de ser competente com a bola nos pés, ainda que a transição ofensiva não seja o seu aspecto mais forte.

Pelas suas características, seria um jogador que até funcionaria melhor na companhia de um médio-centro com características mais ofensivas do que Adrien Silva, não surpreendendo que a sua eventual contratação prepare não só a saída de William Carvalho como também a do luso-francês.

Read Full Post »

PM

O Vitória de P. Martins já está na Liga Europa

A fraca temporada que Portugal fez nas competições europeias em 2016/17, potenciada pelo facto de Sporting e Sporting de Braga terem estado muito abaixo das expectativas, faz com que o nosso país vá perder uma equipa nas competições europeias em 2018/19.

Ou seja, nessa temporada, teremos apenas duas equipas na Liga dos Campeões (uma na 3.ª pré-eliminatória e outra na fase de grupos) e outras três na Liga Europa (uma na fase de grupos, uma na 3ª pré-eliminatória e outra na 2.ª pré-eliminatória).

Este infortúnio, porém, poderá (e deverá) começar a ser revertido já na próxima época, uma vez que Portugal teve a “sorte” de (quase) tudo lhe correr no âmbito das equipas que se apuraram para as competições europeias, seja ao nível de quem se qualificou, como inclusivamente da fase da prova para a qual seguirão.

FC Porto no playoff seria teoricamente melhor para Portugal

Na Liga dos Campeões, por exemplo, seguem as três melhores equipas portuguesas (Benfica e FC Porto na fase de grupos e Sporting no playoff), sendo que o cenário apenas poderia melhorar caso os dragões fossem ao playoff ao invés dos leões. É que os azuis-e-brancos, com 98,866 de coeficiente, seriam garantidamente cabeças de série nessa fase da prova, algo que maximizaria a possibilidade de termos novamente três equipas na fase de grupos da Liga dos Campeões.

O Sporting, afinal, fruto de fracas campanhas europeias recentes, tem um coeficiente de apenas 36,866, números que só por milagre lhe permitirão chegar ao estatuto de cabeça de série no playoff e, como tal, diminuirão em muito as possibilidades dos leões ultrapassarem essa fase da prova.

Neste momento, e olhando para os potenciais adversários do Sporting, podemos vislumbrar equipas como o Sevilha, Nápoles ou Liverpool, sendo que só sendo cabeças de série é que os verde-e-brancos poderão escapar a estes emblemas. E para isso, é preciso que quatro equipas com melhor ranking sejam eliminadas na 3.ª pré-eliminatória, num cenário que, convenhamos, é bastante improvável.

Pontos de bónus na Champions são relevantes

Até há pouco tempo, e em termos de ranking UEFA, beneficiava-se muitas vezes de se jogar na Liga Europa ao invés da Liga dos Campeões. Afinal, a contagem dos pontos era semelhante e o grau de dificuldade dos mesmos era completamente diferente, sendo muito mais fácil robustecer o ranking nessa prova do que na Champions.

Consciente de que isso era algo injusto, a UEFA fez algumas modificações, sendo a mais relevante a atribuição de quatro pontos de bónus só pela passagem à fase de grupos da Liga dos Campeões, a que há de juntar outros cinco pela eventual passagem aos oitavos de final da prova. Assim sendo, uma equipa portuguesa que atinja os oitavos de final desta prova sabe que independentemente dos seus resultados irá sempre somar nove pontos para o seu ranking, algo que equivale a quatro vitórias e um empate.

Ou seja, uma equipa que se apure para os oitavos de final da Liga dos Campeões com, imaginemos, três vitórias e dois empates, irá somar 17 pontos para o ranking, enquanto uma equipa que ganhe o grupo da Liga Europa com seis vitórias e vença os dois jogos dos 16/final irá somar “apenas” 16 pontos. Nesse seguimento, e aliado ao factor financeiro, é agora unânime que existirá sempre o maior dos benefícios em jogar a Liga dos Campeões me detrimento da Liga Europa.

Quinto lugar do Sp. Braga é teoricamente positivo na UEFA

Tirando os “três grandes”, apenas uma equipa portuguesa tem um ranking UEFA relevante, mais concretamente o Sporting de Braga, emblema que até se superioriza ao Sporting nesse aspecto, acumulando um total de 37,366 pontos.

Nesse seguimento, acaba por ser positivo para Portugal que os bracarenses tenham caído para o quinto lugar, uma vez que, assim, levamos às pré-eliminatórias uma equipa que, garantidamente, será sempre cabeça de série num eventual caminho até à fase de grupos.

Ora, esse cenário é igualmente muito importante na segunda prova mais importante do futebol europeu, uma vez que, no playoff, já se vislumbram equipas muito fortes com o estatuto de cabeça de série, sendo exemplos o PSV, AC Milan, Marselha, Galatasaray, Zenit ou Real Sociedad, tudo equipas que entram logo na 3.ª pré-eliminatória.

Marítimo pode sonhar

Quanto aos outros dois clubes portugueses presentes na Liga Europa, sabemos de antemão que o Vitória de Guimarães tem presença garantida na fase de grupos, num cenário bastante positivo para os vimaranenses (e para o ranking luso), que, em teoria, dificilmente seriam cabeças de série no playoff.

Com os mesmos 14,866 pontos de ranking encontra-se o Marítimo, sendo que a equipa madeirense, em teoria, será cabeça de série na 3.ª pré-eliminatória, o que lhe permitirá fugir aos “tubarões” que referenciei para o caso arsenalista.

No playoff, contudo, já não é expectável que o Marítimo consiga esse estatuto, ainda que os madeirenses não devam já se resignar com a fatalidade de terem de defrontar um cabeça de série nessa fase da prova. É que, se não houver grandes surpresas na Liga dos Campeões, será “apenas” necessário que sete equipas com melhor ranking que o Marítimo sejam eliminadas entre a 1.ª e 3.ª pré-eliminatória, algo que está muito longe de ser impossível.

Read Full Post »

Schulz

Schulz é um lateral ofensivo

Se há posição em que parece unânime que o Sporting terá de reforçar é a de lateral-esquerdo, sendo inúmeros os futebolistas que têm vindo a ser apontados ao emblema verde-e-branco como são exemplos: Insúa e Fábio Coentrão.

Hoje, contudo, vem da Alemanha outro possível alvo para o flanco canhoto do leão, mais concretamente Nico Schulz, jovem de 24 anos que vem evoluindo no Borussia de Mönchegladbach, isto depois de ter sido formado no Hertha de Berlim.

Trata-se, aliás, de um futebolista que parece preencher os requisitos de Jorge Jesus para a posição, uma vez que é forte fisicamente (1,80 metros e 78 quilos) e tem grande perfil ofensivo, ou não jogasse muitas vezes como médio/ala ou até extremo-esquerdo.

Criado em Berlim

Nico Schulz nasceu a 1 de Abril de 1993 em Berlim, Alemanha, sendo um produto das escolas do Hertha, emblema que representa desde os sete anos e no qual se estreou ao nível sénior a 14 de Agosto de 2010, isto em duelo da Taça da Alemanha diante do SC Pfullendorf (2-0).

Desde essa data e até ao Verão de 2015, o jovem que soma 50 internacionalizações (seis golos) pelas selecções jovens germânicas haveria de contabilizar um total de 98 jogos (dois golos e oito assistências) pela equipa principal do Hertha de Berlim, tendo ainda somado 24 partidas pela equipa secundária.

No Verão de 2015, contudo, Nico Schulz haveria de mudar-se para o Borussia de Mönchegladbach, numa mudança que o jovem alemão esperava ser positiva para a sua carreira, mas que, até agora, tem sido marcada pelo infortúnio.

Afinal, o lateral fez uma rotura do ligamento cruzado do joelho esquerdo logo em Outubro desse ano, perdendo todo o resto da temporada 2015/16 e fazendo-o nunca mais recuperar a importância que outrora teve em Berlim. Na campanha que agora termina, somou apenas 15 jogos (seis como titular), tendo estado sempre na sombra de Wendt.

Muito ofensivo

Nico Schulz é um lateral-esquerdo de perfil ofensivo, destacando-se pela profundidade que dá ao seu flanco, fruto da sua velocidade, pulmão, boa qualidade técnica, e capacidade de passe e cruzamento.

Estas características, aliás, fazem com que tenha sido algumas vezes utilizado como ala ou extremo-esquerdo, ainda que a sua posição ideal seja a de lateral, principalmente num esquema de três centrais, algo que, contudo, dificilmente encontrará em Alvalade com Jorge Jesus.

Forte fisicamente, denota boa inteligência posicional e é eficaz no capítulo da recuperação e do desarme, características que o tornam competente no capítulo defensivo, ainda que a sua vocação ofensiva faça com que os extremos caiam algumas vezes nas suas costas, numa situação que deverá ser corrigida.

Inegável é que, pela sua qualidade intrínseca, Nico Schulz é superior a todos os jogadores que o Sporting tem neste momento para a posição de lateral-esquerdo, ainda que seja igualmente relevante perceber se a terrível lesão que teve há quase dois anos deixou mazelas. Certo é que, caso esteja a 100%, o internacional sub-21 alemão será sempre um bom reforço para os verde-e-brancos.

 

Read Full Post »

Adam Maher

Adam Maher apontará a Alvalade?

Numa fase em que vão crescendo os rumores de possíveis saídas de peso no meio-campo do Sporting, é com alguma naturalidade que os verde-e-brancos vão sondando o mercado na busca de alternativas, sendo que Adam Maher, do PSV, parece ser um dos alvos referenciados.

Box-to-box de perfil ofensivo, o internacional holandês vem de duas temporadas de menor fulgor, situação que pode fazer deste o melhor timing para que os leões assegurem um grande talento por um preço bastante em conta.

Afinal, até há não muito tempo, Adam Maher era um jogador colocado na órbita de grandes colossos do futebol mundial, num bom cartão de visita das qualidades de um jogador que, aos 23 anos, está muito a tempo de reerguer a sua carreira para os patamares de excelência que eram expectáveis.

Produto das escolas do AZ

Adam Maher nasceu a 20 de Julho de 1993 em Ait Izzou, Marrocos, ainda que cedo tenha rumado à Holanda, país que, aliás, representa desde as camadas jovens, já somando um total de cinco jogos pela selecção A da “laranja”.

Ao nível clubístico, o médio-ofensivo começou a sua carreira nos modestos SV Diemen e AVV Zeeburgia, ainda que tenha chegado muito cedo ao AZ Alkmaar, emblema onde terminou o seu percurso juvenil e se estreou ao nível sénior com 17 anos, isto num duelo da Liga Europa diante do BATE (3-0) e onde até marcou um golo.

Com uma ascensão meteórica, rapidamente se tornou numa referência do AZ Alkmaar, tendo somado, entre as temporadas de 2011/12 e 2012/13, um total de 91 jogos, 22 golos e 17 assistências.

Foi perdendo gás no PSV

Perante o gigantesco impacto que ia conhecendo no meio-campo do AZ, foi com naturalidade que começou a ser apontado a inúmeros gigantes do futebol europeu, ainda que se tenha transferido para bem perto, uma vez que haveria de rumar ao PSV, em 2013, por cerca de oito milhões de euros.

No emblema de Eindhoven, haveria de ser muito importante nas duas primeiras temporadas, nas quais somou um total de 83 jogos e 13 golos. Em 2015/16, contudo, perdeu bastante espaço no seio do PSV, terminando essa campanha com “apenas” 20 jogos (três golos), tendo inclusivamente feito seis jogos pela equipa de sub-21.

Ora, essa quebra de importância terá feito com que Adam Maher não tenha dito que não a uma mudança de ares, tendo sido nos turcos do Osmanlispor que foi evoluindo esta época. Aí, por empréstimo do PSV, soma 37 jogos (dois golos, três assistência) em números que reflectem alguma recuperação, mas ainda estão muito distantes da glória do passado recente.

Mais ofensivo que Adrien

Adam Maher é preferencialmente um médio-ofensivo (o vulgo “dez”), destacando-se pela elegância, inteligência posicional, evoluída qualidade técnica, boa capacidade de passe (curta e longa distância) e finalização, e uma extraordinária visão de jogo.

Fisicamente não é muito forte (1,74 metros, 75 quilos), mas compensa esse factor com uma excelente ocupação de espaços. Raçudo, é um bom recuperador de bolas e muito importante na primeira zona de pressão, isto mesmo quando joga a “dez”.

Essas características, aliás, também o colocam perfeitamente habilitado a fazer a posição de box-to-box, sendo certamente aí que Jorge Jesus o utilizará caso o internacional holandês rume mesmo a Alvalade.

Nessa posição, e em comparação com actual titular Adrien Silva, é inegável que Adam Maher iria oferecer muito mais em termos ofensivos, uma vez que as rotinas de médio-ofensivo o aproximam muito mais dos avançados do que o que acontece com o internacional português. Ao nível defensivo, todavia, o jovem de 23 anos certamente ganharia muito mais a jogar na companhia de um “seis” de perfil mais conservador (Danilo seria feito à medida, por exemplo) do que ao lado de William Carvalho.

Read Full Post »

mattheus-oliveira-1494927297487_v2_900x506

Mattheus é um talentoso médio-ofensivo

Mattheus Oliveira é o curioso caso de um futebolista que se tornou conhecido ainda recém-nascido, fruto de um célebre festejo do seu pai, Bebeto, após ter marcado um golo à Holanda (3-2) em jogo dos quartos de final do Mundial 94.

Inegável, contudo, é que ser filho de alguém que marcou de forma tão acentuada o futebol brasileiro e mundial acabou por se revelar igualmente uma herança pesada para o médio-ofensivo, que desde cedo teve de lidar constantemente com a exagerada pressão de quem insiste em traçar paralelismos com Bebeto.

O jovem de 22 anos, ainda assim, tem sabido construir o seu percurso com critério, conseguindo agora um importante salto para um dos maiores clubes portugueses, afigurando-se o Sporting como o palco ideal para que Mattheus Oliveira consiga finalmente escrever uma história com nome próprio e se afaste, definitivamente, do sempre ingrato rótulo do “filho de Bebeto”.

Juventus e Real Madrid estiveram interessados

Mattheus de Andrade Gama de Oliveira nasceu a 7 de Julho de 1994 no Rio de Janeiro, Brasil, sendo um produto das escolas do Flamengo, emblema carioca onde foi evoluindo durante todo o seu percurso no futebol juvenil e pelo qual se estreou no futebol sénior, com apenas 17 anos, num duelo diante do Olaria.

Destaque das camadas jovens do Flamengo e com um percurso interessante nas selecções jovens do Brasil, foi então sem surpresa que o médio-ofensivo foi ganhando algumas oportunidades na equipa principal do “rubro-negro”, tendo feito 12 jogos oficiais em 2012.

Essa ascensão de Mattheus, aliás, levou grandes clubes europeus a sondá-lo, com a imprensa brasileira a chegar a ligá-lo ao interesse de gigantes como a Juventus (que terá estado mesmo perto de contratá-lo) e Real Madrid. A verdade, contudo, é que o jovem talento foi perdendo espaço no Flamengo, somando apenas mais oito jogos oficiais durante a época de 2014.

Estoril foi importante passo atrás

Sentindo que estava a estagnar no Flamengo, Mattheus Oliveira acedeu a mudar de ares, sendo que não se transferiu apenas de clube, mas igualmente de país, ou não tivesse rumado a Portugal e ao Estoril.

Ao clube canarinho, chegou em Janeiro de 2015, a título de empréstimo, ainda que essa transferência se tenha tornado definitiva um ano e meio depois, naquilo que se assumiu como a consequência lógica do seu excelente impacto no nosso campeonato.

Afinal, em dois anos e meio, o internacional sub-20 brasileiro somou um total de 60 jogos (seis golos, 12 assistências) pelo Estoril, destacando-se tanto na função de médio-ofensivo, médio-centro ou extremo.

Leão recebe um diamante para lapidar

É inegável que o Sporting contratou alguém que ainda deverá ser catalogado de “projecto de futebolista de topo”, mas é igualmente inegável que o que não falta é potencial para que Mattheus Oliveira se afigure como um excelente reforço para os verde-e-brancos.

Com um pé-esquerdo absolutamente fantástico, o jovem de 22 anos destaca-se pela excelente capacidade de passe (é fortíssimo no último passe), qualidade nas bolas paradas, visão de jogo e inteligência nas movimentações, sendo feito à medida para a posição “dez”.

Também podendo actuar como extremo (preferencialmente à direita, onde pode ser especialmente perigoso nas diagonais para o centro), o esquerdino deverá, todavia, encontrar maiores oportunidades no Sporting como alternativa a Adrien Silva na posição “oito”, curiosamente uma função que vem desempenhando nos últimos jogos que fez na Amoreira.

Aí, e mesmo que seja inclusivamente superior ao internacional português naquilo que pode oferecer ao processo ofensivo, a verdade é que o brasileiro terá ainda de evoluir no que toca ao momento defensivo, nomeadamente ao nível da intensidade de jogo, capacidade de recuperação e posicionamento. Ou seja, será necessário algum trabalho de laboratório antes que Mattheus Oliveira se possa assumir como um “oito” à imagem de Jorge Jesus.

Read Full Post »

Piccini

Piccini é reforço do Sporting para 2017/18

Depois do defesa-central André Pinto (ex-Sp. Braga), surgiu a oficialização do segundo reforço do Sporting para 2017/18, tratando-se este do internacional sub-21 italiano, Cristiano Piccini, lateral-direito que vinha evoluindo no país vizinho, mais concretamente no Betis.

Nascido a 26 de Setembro de 1992 em Florença, Itália, Cristiano Piccini iniciou o seu percurso futebolístico ao serviço do modesto Sporting Arno, ainda que tenha chegado à bem mais emblemática Fiorentina com apenas dez anos de idade.

No clube toscano, o lateral-direito haveria de concluir o seu processo formativo, chegando inclusivamente a estrear-se na Serie A em 2010/11, com apenas 18 anos, quando foi suplente utilizado numa vitória diante do Cagliari (1-0).

Vários empréstimos em Itália

Muito jovem, foi sem surpresa que Cristiano Piccini não encontrou espaço na Fiorentina, tendo naturalmente iniciado um périplo de cedências por outros clubes italianos, claramente mais modestos.

Ainda assim, há que destacar que o lateral-direito foi sempre subindo um degrau evolutivo à passagem de cada temporada, surgindo em 2011/12 na Lega Pro (terceiro escalão), ao serviço do Carrarrese (32 jogos, um golo), isto antes de saltar para o Spezia (Serie B) na época seguinte, onde fez 30 jogos.

Em 2013/14, deu-se enfim o regresso ao principal escalão do futebol italiano, desta feita num empréstimo ao modesto Livorno, clube onde Cristiano Piccini haveria de somar 21 jogos, numa campanha que redundaria num último lugar na Série A e na natural descida de divisão.

Três anos na Andaluzia

Continuando a não contar para a Fiorentina, o jovem futebolista toscano haveria de aproveitar o Verão de 2014 para mudar não só de clube como de país, rumando a Espanha e ao Bétis, novamente por empréstimo do conjunto “viola”.

Na Andaluzia, a sua primeira temporada seria marcada por variadas lesões, situação que levou o lateral-direito a fazer apenas 15 jogos oficiais numa época que haveria de redundar na conquista da Segunda Liga espanhola por parte do Betis e no consequente regresso ao principal escalão.

Aí, Cristiano Piccini haveria de somar 39 jogos entre 2015 e 2017, sendo ainda necessário acrescentes mais quatro jogos para a Taça do Rei. Estes números, contudo, podiam ser muito melhores, não fosse o italiano ter sofrido mais um conjunto de lesões, sendo a mais grave a sofrida a 16 de Janeiro de 2016, quando fez uma rotura de ligamentos no joelho direito, maleita que o afastou dos relvados por seis meses.

Superior a Schelotto

É certo que Cristiano Piccini termina esta sua passagem por Sevilha sob um coro de críticas dos adeptos do Betis e, inclusivamente, como suplente do jovem Rafa Navarro, mas a verdade é que o italiano chegou a ter a cotação bastante em alta no país vizinho.

Aliás, basta pensar que, apesar de ter feito apenas 15 jogos oficiais em 2014/15, isso não impediu que o Betis tenha avançado para a sua aquisição definitiva por 1,5 milhões de euros, numa prova clara de que o lateral-direito mostrou imediatas qualidades nos (poucos) jogos que fez na sempre difícil Segunda Liga espanhola.

As lesões, afinal, têm sido o maior travão à ascensão de um futebolista que é muito forte no processo ofensivo, fruto da sua rapidez e boa qualidade técnica, talentos que permitem que seja forte no um contra um, competente a cruzar e dê bastante profundidade pelo seu flanco.

Defensivamente, e ainda que seja claramente superior ao seu futuro colega Schelotto, é certo que o jovem de 24 anos ainda terá que evoluir um pouco, uma vez que comete por vezes graves erros posicionais, algo que lhe causou alguns dissabores no Betis e que inclusivamente foram fulcrais para a sua queda de graça entre a afición verdiblanca.

Read Full Post »

FC_Lokomotiv_Moscow_logo.svgDepois do confronto de má memória diante do CSKA, que o atirou para fora da Liga dos Campeões, o Sporting prepara-se para defrontar nova equipa russa, e também moscovita, mais concretamente o Lokomotiv, conjunto que terminou a última liga local na sétima posição, tendo chegado a esta Liga Europa em virtude de ter conquistado a Taça da Rússia. Algo distante do valor do CSKA Moscovo, tanto ao nível de palmarés como de qualidade do próprio plantel, a verdade é que o emblema orientado por Igor Cherevchenko poderá causar muitos problemas aos leões se estes não estiverem concentrados e inspirados.

O bonito Lokomotiv Stadium

O bonito Lokomotiv Stadium

Quem é o Lokomotiv de Moscovo?

O FC Lokomotiv de Moscovo foi fundado em 1922 com a designação de Kazanka Moskovskaya-Kazanskaya Zh.D, mas haveria de mudar o seu nome para o actual em 1936, ano em que haveria de conquistar o seu primeiro título relevante, a Taça da União Soviética, num feito que haveria de repetir em 1957.

Certo, contudo, é que o Lokomotiv de Moscovo nunca foi um clube muito relevante nos tempos da URSS, sendo sintomático que nunca tenha conquistado o campeonato desse extinto país, tendo a sua melhor campanha surgido em 1959, quando foi vice-campeão.

Diferentes, contudo, têm sido os tempos mais recentes, após o desmantelamento da URSS, uma vez que o Lokomotiv de Moscovo já conquistou dois campeonatos russos; seis taças da Rússia e duas supertaças.

Relevantes têm sido igualmente algumas campanhas europeias, sendo de destacar a presença em duas meias-finais da extinta Taça das Taças, nomeadamente em 1997/98 e 1998/99.

Niasse é o goleador do Lokomotiv

Niasse é o goleador do Lokomotiv

Como joga o Lokomotiv de Moscovo?

A equipa do Lokomotiv de Moscovo costuma actuar num 4x2x3x1 bastante claro, sendo que o principal perigo surge em zonas ofensivas, nomeadamente através da dinâmica e magia do tridente que actua nas costas do possante e excelente finalizador, Niasse.

Afinal, a secundar esse terrível ponta de lança senegalês, costumam actuar os perigosíssimos extremos: Kasaev (mais pela esquerda) e Samedov (mais pela direita), que tanto sabem oferecer profundidade e verticalidade ao respectivo flanco, como conseguem assumir igualmente posições mais interiores quando necessário. Depois, na posição “dez”, muita atenção ao grande talento deste Lokomotiv, mais concretamente o prodigioso construtor de jogo Miranchuk, de apenas 19 anos, que tem tudo para ser um dos grandes craques russos num futuro muito próximo.

Mais atrás, surge o duplo-pivot: N’Dinga/Tarasov, composto por dois elementos que se preocupam quase em exclusivo por fechar os caminhos para a defesa da equipa russa, esta composta pelo quarteto: Shishkin (direita); Denisov (esquerda); Corluka e Pejcinovic (centrais). Aqui, na verdade, poderá estar o segredo de uma eventual vitória verde-e-branca, uma vez que os laterais costumam dar muito espaço nas suas costas e, também por isso, os dois centrais terão certamente dificuldades em lidar com a dinâmica e velocidade que terá de ser imposta pelo ataque leonino.

Por fim, há ainda que falar do guarda-redes do Lokomotiv, o brasileiro Guilherme, que tem como pontos fortes a sua elasticidade e qualidade entre os postes, mas que não é muito forte nas saídas aos cruzamentos, num perfil curiosamente parecido ao “keeper” do Sporting, Rui Patrício.

Miranchuk é um verdadeiro prodígio

Miranchuk é um verdadeiro prodígio

Quem é que o Sporting deve ter debaixo de olho? Miranchuk

Com apenas 19 anos de idade, Aleksei Miranchuk é claramente a grande figura deste Lokomotiv de Moscovo, estando a viver uma ascensão verdadeiramente meteórica, isto ao ponto de já somar 44 jogos (quatro golos) pelo emblema da capital russa e duas internacionalizações A (um golo).

Nascido a 17 de Outubro de 1995 em Slavyansk-na-Kubani, Rússia, o jovem craque iniciou o seu percurso no Olymp Slavyansk-na-Kubani e ainda passou pelas camadas jovens do Spartak de Moscovo, onde foi chumbado por não considerarem que reunia as condições físicas ideais para a alta-competição.

Essa decisão do Spartak acabou por ser a sorte do Lokomotiv de Moscovo, que recebeu o jogador em 2011 e, desde 2013, tem o visto brilhar na equipa principal, sempre pautando as suas exibições pela sua superior visão de jogo e excelente qualidade técnica.

Aliás, será imperioso que o Sporting vigie constantemente as movimentações de Aleksei Miranchuk, porque cedo irá perceber que a maior parte do jogo ofensivo do Lokomotiv de Moscovo passa, efectivamente, pelo pés de veludo desta jovem promessa.

ELQuais são as possibilidades do Sporting?

É indesmentível que o Sporting tem melhor equipa do que o Lokomotiv de Moscovo, ainda que seja igualmente um facto que as ausências de Ewerton, William Carvalho, João Mário e André Carrillo aproximam mais o valor de verde-e-brancos e russos.

Nesse seguimento, o Sporting terá de ser uma equipa muito competente e equilibrada para levar de vencido o seu adversário, sendo imperioso saber explorar algumas lacunas que o Lokomotiv de Moscovo apresenta na sua defesa e controlar sempre muito bem as movimentações de Niasse e do trio de criativos que actua nas suas costas.

Certo, de qualquer maneira, é que este jogo será muito importante para as ambições do Sporting nesta Liga Europa, sendo que qualquer resultado que não seja a vitória verde-e-branca poderá complicar imediatamente as contas leoninas num agrupamento que também tem um forte Besiktas.

Read Full Post »

Older Posts »