Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Tianjin Teda’

Wilmar brilhou na Búlgaria

Wilmar brilhou na Búlgaria

Um dos jogadores que tem sido incessantemente apontado ao Sporting nos últimos dias é o ponta de lança colombiano Wilmar Jordán Jil, futebolista que actualmente milita no futebol chinês, mais concretamente no Tianjin Teda, emblema orientado pelo conceituado treinador holandês Arie Haan.

Trata-se de um atacante nascido a 17 de Outubro de 1990 em Medellín, Colômbia, mas que acabou por iniciar a sua carreira profissional na vizinha Venezuela, com a camisola do Monagas, emblema pelo qual somou 19 golos em 35 jogos da primeira divisão local em 2009/10.

Herói na Bulgária, sombra na Ásia

Esse impacto imediato acabou por valer a Wilmar Jordán um salto para o emergente campeonato sul-coreano, mas a verdade é que o colombiano acabou por não revelar o mesmo apetite goleador na K-League, somando, entre 2011 e 2012, 32 jogos e cinco golos pelo Gyeongnam e, no ano seguinte, apenas dois jogos pelo Seongnam.

Perante este estado de coisas, foi sem grande surpresa que o ponta de lança mudou radicalmente de ambiente no Verão de 2013, transferindo-se para o Litex, onde, até Fevereiro de 2015, foi claramente a grande figura do campeonato búlgaro, ou não tivesse somado um total de 35 golos em 64 jogos oficiais.

De moral novamente elevada pelo brilho obtido na Europa, Wilmar Jordán voltou a abraçar um projecto asiático, desta feita nos chineses do Tianjin Teda, clube que representa desde o momento em que abandonou o Litex e pelo qual não está a conhecer grande sorte, uma vez que soma apenas um golo em 11 jogos, dando a ideia que não se dá bem com os ares do Oriente.

Lembra Jimmy

Wilmar Jordán é um ponta de lança muito possante (1,80 metros, 82 quilos) e que por isso se revela como um verdadeiro terror para os defesas, que têm grandes dificuldades nos confrontos directos com o colombiano, que ainda para mais é muito efectivo em receber a bola das costas para a baliza e em rodar sobre os defesas.

Móvel e inteligente na forma como gere a linha de fora de jogo, o ponta de lança lembra, com as devidas (grandes) distâncias, o ex-internacional holandês Jimmy Floyd Hasselbaink, até porque é igualmente bom na hora de rematar à baliza, sendo dono de um poderoso e colocado remate de pé direito.

Os principais lacunas do colombiano, por outro lado, passam pela falta de velocidade e explosividade, assim como pelo facto de estar muito longe de ser tecnicamente evoluído, embora domine os aspectos básicos.

Conseguirá brilhar em Portugal?

Ainda assim, e mesmo que revele algumas qualidades, a verdade é que o colombiano ainda não se conseguiu impor longe de campeonatos de menor importância como o venezuelano e búlgaro, tendo perdido brilho em campeonatos como o sul-coreano e o chinês, que nem são especialmente poderosos.

Nesse seguimento, nada garante que Wilmar Jordán tenha condições de se impor imediatamente num clube como o Sporting e num campeonato como o português, sendo um eventual investimento verde-e-branco talvez apenas justificado pelo baixo custo de transferência (cerca de 700 mil euros) e pelos 24 anos do atleta ainda fazerem crer que haverá espaço para uma evolução clara junto de um “mago” como Jorge Jesus.

Read Full Post »

Yu Dabao nos tempos do Benfica

Muito antes da rábula do melhor jogador chinês da actualidade de Paulo Futre, que foi usada e abusada pela imprensa e pelos portugueses até à exaustão, já o Benfica tinha sido pioneiro na contratação de um promissor jogador desse enorme país asiático: Yu Dabao. Rotulado de jogador de grande talento, chegou aos juniores do Benfica na temporada 2006/07, mas nunca se impôs verdadeiramente nem nos encarnados, nem em todos os clubes ao qual foi emprestado pelas águias. Ainda assim, muito antes de Futre, ficou a tentativa do Benfica de contratar aquele poderia ser o jogador chinês mais promissor da sua geração.

Chegou ao Benfica no final da sua formação futebolística

Yu Dabao nasceu a 18 de Abril de 1988 em Quingdao, China, e começou a sua carreira futebolística no Qingdao Hainiu em 1997. Na China, ainda representou o Guangdong Mingfeng e o Qingdao Hailifeng, antes de se transferir para os juniores do Benfica durante a temporada 2006/07.

No Benfica, o ponta de lança chinês teve impacto imediato, fazendo um hat-trick e uma assistência na estreia diante do Portimonense em jogo a contar para o Nacional de Juniores. Na verdade, até final da temporada, Yu Dabao demonstrou ser um jogador bastante promissor, destacando-se pelo poder físico e boa capacidade de finalização.

Não se impôs em nenhum dos clubes aos quais foi emprestado

Na temporada seguinte, foi integrado no plantel principal dos encarnados, mas rapidamente foi emprestado ao Desportivo das Aves, onde, pouco jogou (9 jogos, 1 golo). Depois da experiência no clube da Liga de Honra, esteve emprestado ao Olivais e Moscavide em 2008/09 (12 jogos, 2 golos) e ao Mafra em 2009/10 (12 jogos, 3 golos), mas tal como no Desportivo das Aves, o sucesso do promissor ponta de lança chinês foi reduzido, como se pode perceber pelos números de utilização.

Regressou à China para relançar a carreira

Depois de concluído o seu vínculo contratual com o Benfica, Yu Dabao ainda esteve à experiência num clube da Major League Soccer norte-americana, o FC Dallas, todavia, acabou por não ficar no clube do Texas, optando por regressar ao futebol chinês.

No Tianjin Teda desde 2010, o ponta de lança chinês actualmente com 23 anos tem tentado relançar a sua carreira e assumir-se como o grande talento que chegou a prometer ser, todavia, atendendo aos números (22 jogos, 7 golos), parece que Yu Dabao nunca se vai assumir como o melhor jogador chinês da actualidade.

Read Full Post »