Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Tirsense’

Carlos Fonseca é um dos bons valores do campeonato

Apesar da má temporada que está a fazer o Feirense, existem bons valores em Santa Maria da Feira e que não podem ser ignorados. Um excelente exemplo, é o extremo-esquerdo Carlos Fonseca.

Nascido a 23 de Agosto de 1987 em Barcelos, Portugal, Carlos Manuel Costa Fernandes Fonseca iniciou a sua carreira profissional no Santa Maria, tendo chegado depois ao Tirsense na temporada 2008/09.

No clube de Santo Tirso, na II Divisão, esteve duas temporadas, marcando, no total, oito golos em 56 jogos e garantindo, no final de 2009/10, uma transferência para o Feirense.

Está no Feirense há duas temporadas 

Em Santa Maria da Feira, em 2010/11, fez 33 jogos em 2 golos e foi importantíssimo na boa campanha que levou o Feirense de regresso ao primeiro escalão.

Este ano, num plantel ainda mais forte com o intuito de alcançar a manutenção, Carlos Fonseca tem sido um jogador regularmente utilizado, somando 21 jogos (3 golos) pelo Feirense. Contudo, apesar das suas boas exibições e das boas actuações colectivas do Feirense, as coisas não têm corrido bem ao conjunto de Santa Maria da Feira que, neste momento, é último classificado.

Um extremo rápido e com qualidades finalizadoras

Carlos Fonseca é um extremo rápido e com boa técnica, que sabe se movimentar muito bem em zonas ofensivas, sabendo ir à linha ou efectuar diagonais para o centro consoante a ocasião.

Forte no um contra um e inteligente nas movimentações, o jovem português de 24 anos é um elemento que tanto se adapta a um 4x3x3 como avançado-esquerdo como a ala canhoto num 4x2x3x1, tendo qualidades suficientes para se adaptar às duas nuances tácticas.

Ainda na primeira época no principal escalão e com uma idade que ainda lhe permite evoluir exponencialmente, o extremo português deverá ser acompanhado de perto e, quiçá, merecer uma oportunidade num clube com outros pergaminhos num futuro próximo.

Read Full Post »

Ilídio Vale também teve boas individualidades

Apesar de Portugal se ter imposto principalmente pela sua qualidade colectiva, existem jogadores que se destacaram individualmente dos demais, levando-nos a acreditar que possam ter um maior futuro no Mundo do futebol, dadas as enormes capacidades que revelaram no campeonato mundial disputado na Colômbia. Nesse seguimento, escolhi oito jogadores portugueses que, na minha opinião, demonstraram mais qualidade e talento para que consigam superar a difícil transição para o futebol profissional. Esses jogadores são Mika, Cedric, Mário Rui, Roderick, Nuno Reis, Danilo, Caetano e Nélson Oliveira.

Mika é um guarda-redes elástico

Mika – Guarda-redes – 20 anos – Benfica

Com enorme envergadura (1,88 metros), Michael Simões dos Santos “Mika” tem tudo para vingar no futebol profissional, pois reune todas as qualidades para um jogador da sua posição.

Ao longo do campeonato do Mundo, Mika assumiu-se como um guarda-redes frio, seguro pelo ar e pelo chão, destacando-se pelos bons reflexos e maturidade de realce para alguém tão jovem.

Ainda assim, numa fase tão embrionária do seu crescimento futebolístico, talvez se justificasse o empréstimo a um clube onde pudesse jogar, do que se manter como terceiro guarda-redes do Benfica.

Cedric espera crescer na Briosa

Cédric Soares – Lateral-direito – 19 anos – Sporting (cedido à Académica)

Lançado precocemente na equipa principal do Sporting durante a época passada, Cedric Soares foi uma das boas surpresas neste campeonato do Mundo de sub-20.

Bom no processo ofensivo e nas transições defesa/ataque e ataque/defesa, o actual jogador da briosa é muito bom tecnicamente e nunca se retrai perante a oposição, mostrando ser raçudo e guerreiro o quanto baste.

Neste momento, cedido à Académica, terá todas as possibilidades para continuar a crescer como futebolista e tornar-se uma alternativa para o Sporting e para selecção nacional.

Mário Rui é um lateral-esquerdo talentoso

Mário Rui – Lateral-esquerdo – 20 anos – Parma (cedido ao Gubbio)

Apesar de muito jovem, Mário Rui já passou por Sporting, Benfica e Valência, estando agora ligado contratualmente ao Parma, ainda que tenha sido cedido ao modesto Gubbio da Série B italiana.

Actuando numa posição onde Portugal é historicamente fraco (Fábio Coentrão é uma das felizes excepções…), Mário Rui surpreendeu pela velocidade e pela capacidade como sobre no terreno com a bola controlada, sendo muito efectivo tanto no capítulo do cruzamento, como, inclusivamente, na finalização.

O seu empréstimo a um modesto clube da Série B poderá ajudá-lo na adaptação ao difícil calcio e a permitir-lhe evoluir de forma decisiva em termos tácticos.

Roderick é uma aposta de futuro dos encarnados

Roderick – Defesa-central – 20 anos – Benfica (cedido ao Servette)

Outra das confirmações portuguesas neste campeonato do Mundo de sub-20 foi Roderick Miranda, um defesa-central que pouco jogou na última temporada ao serviço do Benfica, mas que acaba de ser cedido ao Servette para que possa actuar com maior regularidade.

Defesa-central alto (1,91 metros) e possante, é muito bom no jogo aéreo, mas também é extremamente competente pelo chão, assumindo-se como um jogador rigoroso e eficaz na abordagem aos lances, raramente perdendo a calma ou o posicionamento no terreno de jogo.

Agora, nesta temporada no campeonato suíço, veremos como o defesa-central evolui e se já conseguirá garantir um lugar no plantel encarnado para 2012/13.

Nuno Reis tem brilhado em Brugge

Nuno Reis – Defesa-central – 20 anos – Sporting (cedido ao Cercle Brugge)

A seguir a Nélson Oliveira, Nuno Reis foi claramente o jogador que mais me entusiasmou ao longo do campeonato do Mundo, demonstrando qualidades que o podem elevar a um patamar elevadíssimo no contexto futebolístico luso.

Jogador sóbrio, seguro e eficaz, trata-se de um defesa-central que parece estar sempre no sítio certo para o desarme ou para dobrar um colega, assumindo-se ainda como um líder natural e revelando enormes qualidades técnicas para subir com a bola controlada sempre que para isso tenha chances.

Titular indiscutível do Cercle Brugge em 2010/11, volta nesta temporada ao clube belga para continuar o seu crescimento futebolístico e preparar-se para o inevitável, que é como quem diz, a titularidade no Sporting Clube de Portugal.

Danilo espera vingar em Itália

Danilo Pereira – Médio-defensivo – 19 anos – Parma

Uma das razões para Portugal ter aguentado seis jogos sem sofrer qualquer golo foi um médio-defensivo de origem guineense e que surpreendeu bastante na Colômbia: Danilo Pereira.

Guerreiro incansável na luta do miolo, Danilo não é um jogador muito refinado em termos técnicos, mas assume-se de elevada importância pela enorme envergadura física, eficaz capacidade de desarme e pela forma como ajuda os centrais no processo defensivo e tapa todos os caminhos para a área.

Ligado contratualmente ao Parma, terá poucas hipóteses de jogar nos “gialloblu” e precisará  de ser emprestado a um clube onde possa jogar com regularidade e continuar a evoluir futebolísticamente, pois sabemos que esta fase é fulcral no crescimento de qualquer atleta.

Caetano é um poço de talento

Caetano – Extremo-esquerdo – 20 anos – Paços de Ferreira

Um dos poucos poços de criatividade da equipa nacional na Colômbia residiu na capacidade técnica de um jogador que tem futebol nos genes (o pai actuou inúmeros anos no Tirsense e chegou a ser internacional A) e se assumiu como um extremo desconcertante: Caetano.

Rápido, tecnicamente muito evoluído e com grande objectividade em todas suas movimentações, Caetano foi uma pincelada de classe numa equipa maioritariamente operária, dando mesmo a ideia que poderia e deveria ter sido ainda mais utilizado do que foi ao longo do Mundial.

Pérola do Paços de Ferreira, está no clube certo para continuar a sua ascensão no futebol português, sendo provável que dê um salto para um clube de outra envergadura daqui a uma ou duas épocas.

Nélson Oliveira poderá ser o futuro “nove” luso

Nélson Oliveira – Ponta de lança – 20 anos – Benfica

O ponta de lança da equipa das quinas sagrou-se com toda a justiça o segundo melhor jogador do campeonato do Mundo, prémio mais que merecido para um jogador que, por vezes, parecia lutar contra o Mundo e mesmo assim conseguia fazer o que pretendia, tal como é exemplo o golo que marcou ao Brasil.

Abandonado entre os centrais adversários durante todo o Mundial, Nélson Oliveira nunca cedeu às dificuldades, tornando-se, ao invés, num pesadelo para os adversários, que não sabiam como parar um avançado possante (1,86 metros) mas que também reúne inúmeras qualidades técnicas e de finalização.

Neste momento, após os empréstimos ao Rio Ave e Paços de Ferreira, terá a sua prova de fogo ao serviço da equipa sénior do Benfica, todavia, nesta fase, já ninguém duvida que o destino do avançado-centro será o sucesso ao serviço das águias e da equipa principal portuguesa.

Read Full Post »

Pinga era um jogador genial

Muito antes de aparecer Cristiano Ronaldo, Figo, Futre, ou até Eusébio, jogou no FC Porto um atacante que primava pela genialidade, elevada técnica e poder de remate: Pinga. Chegado aos dragões após os ter humilhado, ao serviço do Marítimo, num jogo em que os madeirenses bateram os portistas por 7-1, Pinga fez uma carreira de excelente nível no FC Porto, conquistando, ao todo, 21 títulos nacionais e tornando-se num dos “Diabos do meio-dia”, alcunha atribuída a ele em conjunto com Valdemar Mota e Acácio Mesquita, após terem ajudado os dragões a vencerem o First Viena, considerado o grande clube europeu da época. Como disse, um dia, Cândido de Oliveira a “A Bola”: “foi um jogador fulgurantíssimo, verdadeiramente genial. Talvez o maior talento do nosso futebol. Tudo nele era prodigioso, um verdadeiro artista”.

Artur de Sousa “Pinga” nasceu a 30 de Setembro de 1909, no Funchal e começou a jogar no Marítimo, onde deu nas vistas, principalmente após a grande exibição que fez numa vitória do Marítimo sobre o FC Porto por sete bolas a uma, em jogo do Campeonato de Portugal.

Em 1930, chegou ao FC Porto, a troco de 500 escudos pagos por baixo da mesa. Aliás, para manter as aparências, Pinga fingia trabalhar na fábrica de Sebastião Ferreira Mendes, que, pouco depois, se tornaria presidente.

Nos dragões, venceu dois campeonatos de Portugal (1931/32 e 1936/37), foi campeão da Liga em 1934/35 e venceu o campeonato nacional da primeira divisão em 1938/39 e 1939/40, chegando a receber 1500 escudos por mês, uma fortuna para a época.

Jogador de grande capacidade técnica e com um poder de remate fora do comum, Pinga fez, em toda a sua carreira e nos únicos dois clubes em que jogou (Marítimo e FC Porto), 394 golos em 400 jogos. Na selecção, numa altura em que os jogos internacionais escasseavam, Pinga fez 9 golos em 21 partidas, o que, para a época, era bastante relevante.

Depois de se retirar, Pinga ainda foi treinador de futebol, tendo, como momento mais alto da sua carreira, a eliminação do Sporting da Taça de Portugal ao serviço do modesto Tirsense.

A ex-estrela do FC Porto acabou por falecer em 1963, quando ainda estava ligado ao desporto-rei, como treinador das camadas jovens dos dragões.

Read Full Post »

Sempre gostei da Taça de Portugal. Sempre gostei de ver aquelas equipas do escalão secundário a ombrearem com os grandes clubes e, por vezes, até a derrubá-los, ganhando um lugar eterno na história do futebol português.
Desde sempre, a prova rainha do futebol nacional foi, também, a mais democrática. Clubes como o V. Setúbal, Braga, Leixões, Académica e Beira-Mar “aproveitaram-na” para escrevem o seu nome no livro de conquistas do futebol português. A Taça teve, na verdade, sempre esse condão. Uma fuga à monotonia das conquistas, um fugaz combate à ditadura que os três grandes sempre assumiram no nosso desporto rei.
Todos lembramos clubes como o Gondomar, o Tirsense ou o Atlético com um enorme sorriso. Todos ansiamos por saber quem poderá ser o novo tomba gigantes, o novo nome que nos garante que o futebol não é, nunca foi, nem nunca será uma ciência exacta e continuará sempre a ter essa magia.
Hoje têm início os oitavos de final e, curiosamente, o Mafra até vai a Alvalade…

Oitavos de Final (Taça de Portugal 2009/10)

Hoje:
Camacha (II) vs Pinhalnovense (II) 15h
Nacional vs Paços de Ferreira 16h
Aliados (II) vs Naval 16h
Rio Ave vs V. Guimarães 19h
Freamunde (LH) vs Sp. Braga 19:30h
Belenenses vs FC Porto 20:45h
Sporting vs Mafra (II) 21h

Domingo:
D. Chaves (LH) vs Beira-Mar (LH)

Read Full Post »