Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Vitoria de Guimaraes’

PM

O Vitória de P. Martins já está na Liga Europa

A fraca temporada que Portugal fez nas competições europeias em 2016/17, potenciada pelo facto de Sporting e Sporting de Braga terem estado muito abaixo das expectativas, faz com que o nosso país vá perder uma equipa nas competições europeias em 2018/19.

Ou seja, nessa temporada, teremos apenas duas equipas na Liga dos Campeões (uma na 3.ª pré-eliminatória e outra na fase de grupos) e outras três na Liga Europa (uma na fase de grupos, uma na 3ª pré-eliminatória e outra na 2.ª pré-eliminatória).

Este infortúnio, porém, poderá (e deverá) começar a ser revertido já na próxima época, uma vez que Portugal teve a “sorte” de (quase) tudo lhe correr no âmbito das equipas que se apuraram para as competições europeias, seja ao nível de quem se qualificou, como inclusivamente da fase da prova para a qual seguirão.

FC Porto no playoff seria teoricamente melhor para Portugal

Na Liga dos Campeões, por exemplo, seguem as três melhores equipas portuguesas (Benfica e FC Porto na fase de grupos e Sporting no playoff), sendo que o cenário apenas poderia melhorar caso os dragões fossem ao playoff ao invés dos leões. É que os azuis-e-brancos, com 98,866 de coeficiente, seriam garantidamente cabeças de série nessa fase da prova, algo que maximizaria a possibilidade de termos novamente três equipas na fase de grupos da Liga dos Campeões.

O Sporting, afinal, fruto de fracas campanhas europeias recentes, tem um coeficiente de apenas 36,866, números que só por milagre lhe permitirão chegar ao estatuto de cabeça de série no playoff e, como tal, diminuirão em muito as possibilidades dos leões ultrapassarem essa fase da prova.

Neste momento, e olhando para os potenciais adversários do Sporting, podemos vislumbrar equipas como o Sevilha, Nápoles ou Liverpool, sendo que só sendo cabeças de série é que os verde-e-brancos poderão escapar a estes emblemas. E para isso, é preciso que quatro equipas com melhor ranking sejam eliminadas na 3.ª pré-eliminatória, num cenário que, convenhamos, é bastante improvável.

Pontos de bónus na Champions são relevantes

Até há pouco tempo, e em termos de ranking UEFA, beneficiava-se muitas vezes de se jogar na Liga Europa ao invés da Liga dos Campeões. Afinal, a contagem dos pontos era semelhante e o grau de dificuldade dos mesmos era completamente diferente, sendo muito mais fácil robustecer o ranking nessa prova do que na Champions.

Consciente de que isso era algo injusto, a UEFA fez algumas modificações, sendo a mais relevante a atribuição de quatro pontos de bónus só pela passagem à fase de grupos da Liga dos Campeões, a que há de juntar outros cinco pela eventual passagem aos oitavos de final da prova. Assim sendo, uma equipa portuguesa que atinja os oitavos de final desta prova sabe que independentemente dos seus resultados irá sempre somar nove pontos para o seu ranking, algo que equivale a quatro vitórias e um empate.

Ou seja, uma equipa que se apure para os oitavos de final da Liga dos Campeões com, imaginemos, três vitórias e dois empates, irá somar 17 pontos para o ranking, enquanto uma equipa que ganhe o grupo da Liga Europa com seis vitórias e vença os dois jogos dos 16/final irá somar “apenas” 16 pontos. Nesse seguimento, e aliado ao factor financeiro, é agora unânime que existirá sempre o maior dos benefícios em jogar a Liga dos Campeões me detrimento da Liga Europa.

Quinto lugar do Sp. Braga é teoricamente positivo na UEFA

Tirando os “três grandes”, apenas uma equipa portuguesa tem um ranking UEFA relevante, mais concretamente o Sporting de Braga, emblema que até se superioriza ao Sporting nesse aspecto, acumulando um total de 37,366 pontos.

Nesse seguimento, acaba por ser positivo para Portugal que os bracarenses tenham caído para o quinto lugar, uma vez que, assim, levamos às pré-eliminatórias uma equipa que, garantidamente, será sempre cabeça de série num eventual caminho até à fase de grupos.

Ora, esse cenário é igualmente muito importante na segunda prova mais importante do futebol europeu, uma vez que, no playoff, já se vislumbram equipas muito fortes com o estatuto de cabeça de série, sendo exemplos o PSV, AC Milan, Marselha, Galatasaray, Zenit ou Real Sociedad, tudo equipas que entram logo na 3.ª pré-eliminatória.

Marítimo pode sonhar

Quanto aos outros dois clubes portugueses presentes na Liga Europa, sabemos de antemão que o Vitória de Guimarães tem presença garantida na fase de grupos, num cenário bastante positivo para os vimaranenses (e para o ranking luso), que, em teoria, dificilmente seriam cabeças de série no playoff.

Com os mesmos 14,866 pontos de ranking encontra-se o Marítimo, sendo que a equipa madeirense, em teoria, será cabeça de série na 3.ª pré-eliminatória, o que lhe permitirá fugir aos “tubarões” que referenciei para o caso arsenalista.

No playoff, contudo, já não é expectável que o Marítimo consiga esse estatuto, ainda que os madeirenses não devam já se resignar com a fatalidade de terem de defrontar um cabeça de série nessa fase da prova. É que, se não houver grandes surpresas na Liga dos Campeões, será “apenas” necessário que sete equipas com melhor ranking que o Marítimo sejam eliminadas entre a 1.ª e 3.ª pré-eliminatória, algo que está muito longe de ser impossível.

Read Full Post »

O

O “Degolador” é um verdadeiro homem golo

Recente reforço do Vitória de Guimarães, trata-se de um dos jogadores que prometem ser uma das boas surpresas da próxima edição do campeonato nacional. Falamos do ponta de lança brasileiro, Henrique, futebolista mais conhecido por “Degolador”, isto pelo seu curioso festejo, simulando que corta a garganta.

Nascido a 15 de Setembro de 1989 em São Paulo, Brasil, José Henrique da Silva Dourado começou a sua carreira no União de São João, emblema paulista pelo qual somou sete golos em 29 jogos, isto entre 2010 e 2011. Posteriormente, iniciou um périplo com passagens pelo Santo André (2011), Cianorte (2011/12), Chapecoense (2012) e Mogi Mirim (2013).

Ora, em alguns destes modestos emblemas, o “Degolador” foi conseguindo mostrar os seus dotes goleadores, algo que acabou por valer-lhe um salto para o Santos, clube onde, contudo, não vingou, fazendo apenas quatro jogos em 2013, isto antes de rumar à Portuguesa.

Lusa foi passaporte para salto para o Palmeiras

Na mítica “Lusa”, Henrique recuperou o seu instinto goleador, tendo somado dez golos em 29 jogos, algo que lhe permitiu novo salto em 2014, desta feita para o Palmeiras, o clube onde haveria de saltar verdadeiramente para a ribalta.

Afinal, aí, beneficiando bastante da magia do chileno Valdivia, o “Degolador” foi um verdadeiro perigo à solta, somando no ano passado um total de 19 golos em 39 jogos, e sendo mesmo o segundo melhor marcador do Brasileirão com 16 golos apontados, apenas superado por Fred (18).

Ora, perante o brilho no “Palestra Itália”, o ponta de lança mudou novamente de ares em 2015, desta feita para o bicampeão Cruzeiro, emblema de Minas Gerais onde, todavia, não conseguiu impor-se, somando apenas 11 jogos (um golo) até ao momento, num estado de coisas que abriu espaço a que rumasse agora aos vimaranenses, por empréstimo.

Um homem golo

Henrique é o típico “nove” de área, ideal para um sistema com apenas um ponta de lança, que deverá ser novamente utilizado pelo Vitória de Guimarães em 2015/16, ainda que desta feita com uma referência muito superior a Alvez ou Tomané.

Não sendo rápido, especialmente móvel ou tecnicamente fantástico, o “Degolador” é, isso sim, um homem golo, sendo um finalizador de excelência, seja com o pé esquerdo ou com a cabeça, algo que ganha ainda maior impacto pelo facto de parecer ter um sexto sentido para perceber onde vai surgir o esférico.

Depois, com 1,86 metros e 80 quilos, o ponta de lança de 25 anos é também um jogador que segura muito bem a bola de costas para a baliza, tendo a capacidade de congelar o jogo até à chegada dos companheiros, algo sempre muito importante para equipas que tantas vezes privilegiam o contra-ataque como é o caso dos minhotos. Em suma, um verdadeiro reforço.


Read Full Post »

247px-SC_Rheindorf_Altach.svgNuma fase tão embrionária das pré-eliminatórias da Liga Europa, não se pode dizer que o Vitória de Guimarães tenha tido propriamente sorte por apanhar o Altach, sendo certo que, de entre as outras possibilidades presentes no seu agrupamento, haveriam melhores alternativas como eram exemplos os vencedores dos duelos entre Slovan Bratislava (ESL) e UCD (IRL); FH (ISL) e Inter Baku (AZE); ou Jelgava (LET) e Rabotnicki (MAC). Ainda assim, e independentemente da sorte poder ter sorrido de outra forma aos vimaranenses, é inegável que o favoritismo para esta ronda será luso.

O Vitória jogará no Cashpoint Arena

O Vitória jogará no Cashpoint Arena

Quem é o Altach?

O SC Rheindorf Altach foi fundado a 26 de Dezembro de 1929, então como secção de futebol do Turnerbund Altach, tendo tido uma existência algo atribulada nas duas primeiras décadas. Em 1949, contudo, quando a secção de modalidades deixou de existir, a facção do futebol acabou por continuar o seu percurso de forma mais sustentada e de forma independente.

Ainda assim, foram necessários muitos anos para que o Altach chegasse à primeira divisão do futebol austríaco, feito apenas alcançado em 2006/07, isto depois de ter sido campeão do segundo escalão em 2005/06. Essa permanência no primeiro escalão, contudo, haveria de durar três temporadas, sendo que a descida acabou por surgir em 2008/09, com o Altach a permanecer mais cinco temporadas na segunda divisão, isto até ter sido novamente campeão em 2013/14.

Ora, na temporada passada, que marcou o regresso à Bundesliga austríaca, esperava-se uma batalha do Altach pela permanência, mas a verdade é que o emblema de Voralberg acabou por surpreender, terminando a prova numa fantástica terceira posição que lhe garantiu o apuramento para a 3.ª pré-eliminatória da Liga Europa.

Damir Canadi é o treinador do Altach

Damir Canadi é o treinador do Altach

Como joga?

Ainda sem jogos oficiais disputados em 2015/16, temos que nos centrar naquele que era o esquema táctico do técnico Damir Canadi na temporada transacta, sendo que esse passava preferencialmente por um 4x4x2 clássico, num futebol que privilegiava imenso as lateralizações, isto usando como flanqueadores preferenciais o líbio Tajouri (transferiu-se para o Áustria de Viena), o croata Kovacec (agora no Ulsan Hyundai), o camaronês Mahop e o austríaco Seeger. Já no eixo do meio-campo, o alemão Felix Roth sempre foi o elemento mais imaginativo e ofensivo, ficando as tarefas mais defensivas preferencialmente nas mãos do capitão Netzer.

Na frente de ataque, a referência foi sempre o veterano Hannes Aigner (34 anos), futebolista que marcou 13 golos na temporada transacta e cuja experiência e capacidade finalizadora foram sempre aspectos temidos pelos adversários que o defrontaram na Áustria. Ao seu lado, foram alternando vários jogadores, sendo que na parte final da época foi Darko Bodul (actualmente sem clube) o jogador que mais vezes o acompanhou.

Por fim, no sector recuado, a baliza alternou entre Kobras e Lukse, sendo que o quarteto defensivo mais vezes utilizado foi composto pelos centrais: OrtizZwischenbrugger e pelos laterais: Schreiner (esquerda) e Lienhart (direita).

Aigner oferece experiência e golos

Aigner oferece experiência e golos

Quem é que o Vitória de Guimarães deve ter debaixo de olho? Hannes Aigner

A principal referência ofensiva do Altach certamente que continuará a ser este austríaco nascido a 16 de Março de 1981 em Schwaz, ponta de lança que tem a experiência acumulada de passagens pelo Wacker Tirol (89 jogos, 16 golos), Áustria Viena (72 jogos, 14 golos), SC Wiener Neustadt (88 jogos, 39 golos) e LASK Linz (34 jogos, 15 golos).

Afinal, desde que chegou ao Altach, em 2012/13, tem sido peça fundamental na nova ascensão deste clube austríaco, sendo que já soma um total de 57 tentos em 98 jogos oficiais.

Longe de ser um prodígio técnico ou propriamente rápido, Hannes Aigner destaca-se pela sua ampla mobilidade em zonas ofensivas, apresentando depois um excelente faro de golo, sendo efectivo na finalização com a cabeça (onde é especialmente letal) ou com o pé direito. Em suma, um perigo à solta que terá de ser devidamente vigiado pelos vimaranenses.

ELAs possibilidades do Vitória de Guimarães

Antes de mais, temos de ter em conta que esta eliminatória diante do Vitória de Guimarães apresentar-se-á como a estreia europeia do Altach, algo que coloca o emblema austríaco numa posição de clara inferioridade perante um emblema luso com grande traquejo europeu.

Depois, e mesmo que esta equipa austríaca tenha de facto excelentes jogadores nos seus quadros como Aigner, Roth, Mahop ou Ortiz, a verdade é que o Altach não deixa de ser inferior colectivamente e individualmente ao conjunto português, que perdeu alguns elementos importantes como André André, mas está a saber-se reforçar.

Assim sendo, penso que, com maior ou menor dificuldade, o conjunto vimaranense irá conseguir ultrapassar este obstáculo e seguir para o playoff da Liga Europa. Mas, obviamente, terá de haver o máximo respeito por este conjunto austriaco.

Read Full Post »

Bernard estará na mira do Benfica

Bernard estará na mira do Benfica

Uma das revelações da edição 2014/15 do campeonato nacional foi claramente o médio-ofensivo ganês Bernard Mensah, figura preponderante no quinto lugar e consequente apuramento para a Liga Europa do Vitória de Guimarães.

Aliás, esse excelente desempenho do jovem de 20 anos até já o está a colocar na rota de uma grande transferência, sublinhando hoje o jornal “A Bola” que Bernard Mensah poderá vir a reforçar o Benfica, clube que é agora orientado pelo seu ex-treinador, Rui Vitória.

Crescimento no Minho

Bernard Mensah nasceu a 17 de Outubro de 1994, em Acra, Gana, tendo representado o Feyenoord Acra, do seu país natal, antes de rumar a Portugal e ao Vitória de Guimarães em 2012. Nos vimaranenses, começou por representar os juniores, saltando posteriormente para o futebol sénior, pela porta da equipa B, em 2013/14.

Essa, aliás, foi uma excelente temporada para Bernard Mensah, que somou 26 jogos e nove golos no Campeonato Nacional de Seniores, contribuindo de forma decisiva para a subida do Vitória de Guimarães B à Segunda Liga e para a sua própria promoção à equipa principal dos vimaranenses.

Impacto imediato na equipa principal

Um salto do Campeonato Nacional de Seniores para a Primeira Liga é sempre acentuado, mas a verdade é que o ganês não sentiu minimamente o impacto do escalão principal, tendo arrancado para uma temporada de 2014/15 em que foi mesmo uma das principais figuras do Vitória de Guimarães.

Ao todo, Bernard Mensah somou 34 jogos oficiais e cinco golos pelos vimaranenses, num percurso em que acumulou algumas exibições de gala e assumiu-se como o maestro do meio-campo ofensivo.

Diamante que ainda precisa de lapidação

Bernard Mensah é um médio-ofensivo central que se destaca pela sua velocidade, visão de jogo e qualidade técnica e de passe, características que o transformam, automaticamente, num verdadeiro desbloqueador e desequilibrador no último terço.

Apesar dessa tracção ofensiva, o jovem africano mostra igualmente generosidade dentro do terreno de jogo, jamais se furtando de ajudar nas missões defensivas, sendo usual vermos o criativo a pressionar e a somar desarmes ao longo das partidas.

Certo, de qualquer maneira, é que, aos 20 anos, Bernard Mensah ainda terá algumas arestas para limar, sendo necessário que atinja uma maior consistência nas suas exibições, uma vez que ainda tem alguma indesejável tendência para alternar grandes exibições com duelos menos conseguidos.

Read Full Post »

CFBVSCTerminado o campeonato nacional, as contas referentes aos clubes portugueses estão todas concluídas. O Sporting de Braga está automaticamente apurado para a fase de grupos, onde garantidamente será cabeça de série, enquanto que o Vitória de Guimarães e o Belenenses terão de ultrapassar duas pré-eliminatórias para fazerem companhia aos arsenalistas.

Ainda assim, se ambos terão de ultrapassar dois adversários para atingirem a fase de grupos da Liga Europa e o sempre apetecível prémio de 1,3 milhões de euros, a verdade é que a perspectiva de ambos é completamente diferente.

Afinal, os vimaranenses, com um coeficiente de 17.776 pontos, terão a garantia de serem cabeças de série na 3.ª pré-eliminatória e playoff, enquanto os azuis do Restelo, com um coeficiente de 12.276 pontos, apenas serão garantidamente cabeças de série na 3.ª pré-eliminatória, precisando de uma improvável conjugação de resultados nas eliminatórias anteriores para repetirem o feito na ronda seguinte.

Nesse seguimento, enquanto o Vitória de Guimarães terá como adversários potenciais no playoff equipas como o Sheriff (Moldávia), Zarja (Ucrânia), Asteras Tripolis (Grécia), Omónia de Nicósia (Chipre) ou Atromitos (Grécia), o Belenenses poderá ver-se obrigado a defrontar clubes como o Borussia Dortmund (Alemanha), Athletic de Bilbau (Espanha), AZ Alkmaar (Holanda), Dínamo de Moscovo (Rússia) ou Sampdória (Itália).

Assim sendo, será sempre necessário colocar as expectativas de sucesso destes dois clubes lusos em patamares completamente diferentes, devendo o Belenenses precisar de um verdadeiro momento de superação para chegar à fase de grupos da Liga Europa.

Read Full Post »

João Afonso estará a ser seguido pelo Sporting

João Afonso estará a ser seguido pelo Sporting

Mora em Guimarães uma das revelações da edição 2014/15 da Liga Portuguesa e um dos jogadores de quem se diz estar a ser alvo de observações do Sporting rumo a um potencial avanço na reabertura de mercado, em Janeiro. Falamos do defesa-central João Afonso.

Nascido a 28 de Maio de 1990 em Castelo Branco, João Ricardo Silva Afonso iniciou a sua carreira futebolística no Bairro do Valongo (1999 a 2004), passando depois para o Desportivo de Castelo Branco (2004 a 2007) e, posteriormente, para o Benfica de Castelo Branco (2007 a 2014), clube onde explodiu essencialmente na última temporada (2013/14), onde, ao longo de 34 jogos (um golo), foi um dos esteios de uma equipa albicastrense que ficou muito próxima de subir à Liga de Honra (perdeu no playoff de subida com o Vitória de Guimarães B).

Aliás, talvez tenha sido mesmo esse duplo confronto diante da equipa secundária dos vimaranenses que terá convencido em definitivo os “conquistadores” a avançarem para a sua contratação neste Verão, sendo que João Afonso rapidamente se adaptou a uma realidade competitiva superior, assumindo-se como peça fundamental no eixo defensivo do Vitória de Guimarães, onde soma 10 jogos e dois golos.

Como joga?

Com 188 cm e 80 kg, é sem surpresa que João Afonso é muito forte no jogo aéreo (seja ofensivo como defensivo) e eficaz nos duelos individuais, sendo também relevante lembrar que o jovem de 24 anos é muito eficaz na marcação homem a homem, raramente tendo desconcentrações nesse capítulo.

Não sendo um prodígio de técnica, é um jogador com alguma competência a sair com a bola controlada, ainda que se sinta mais à vontade a jogar ao lado de um colega mais móvel e que domine melhor esse aspecto específico.

Inteligente em termos posicionais e na gestão do espaço, é também por isso que consegue compensar o facto de não ser propriamente rápido, ainda que seja notório que tem mais problemas em lidar com atacantes mais rápidos e móveis do que com pontas de lança mais posicionais.

Read Full Post »

Ivan Santini a festejar mais um golo

No Zadar do campeonato croata actua um ponta de lança com capacidade para voos muito mais altos no contexto futebolístico europeu: Ivan Santini.

Nascido a 21 de Maio de 1989, Ivan Santini iniciou o seu percurso futebolístico nas camadas jovens do Zadar, tendo passado depois pelo Inter Zapresic e pelos austríacos do Red Bull Salzburgo ainda como jogador juvenil.

Em 2008/09, estreou-se profissionalmente pelos germânicos do Ingolstadt FC, clube onde, contudo, apenas fez 6 jogos, não marcando qualquer golo, tendo regressado à Croácia na temporada seguinte.

De volta ao país natal, Ivan Santini também regressou ao clube onde iniciou o seu percurso: Zadar, encontrando-se lá desde o Verão de 2009. No clube croata, o atacante já efectuou 26 golos em 63 jogos, assumindo-se como a principal fonte de tentos do modesto Zadar.

“Matador” com grande faro de golo

Ivan Santini é um atacante que faz da área o seu habitat natural, procurando sempre as melhores zonas para finalizar com a sua natural eficácia.

Com 1,89 metros, o ponta de lança croata é naturalmente perigoso no jogo aéreo, ainda que também seja bastante eficaz a finalizar com os pés, destacando-se também pela frieza na marcação de castigos máximos.

Móvel e felino na arte da desmarcação, o atacante de 22 anos é um jogador ideal para actuar sozinho num 4x3x3, ainda que também encaixe na perfeição ao lado de um avançado mais móvel em qualquer variação do 4x4x2.

Ainda muito jovem, trata-se de um diamante que precisa de um salto para um clube de um campeonato mais competitivo para que possa ser devidamente lapidado. Um avançado barato e que encaixaria na perfeição num clube “europeu” português como o Marítimo ou o V. Guimarães.

Read Full Post »

Older Posts »