Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Atlético de Madrid’

Jiménez é uma aposta forte do Benfica para 2015/16

Jiménez é uma aposta forte do Benfica para 2015/16

O mais recente reforço do Benfica para a nova temporada é o internacional mexicano Raúl Jiménez, futebolista que começou a destacar-se no América do seu país natal, mas que chega à Luz oriundo dos espanhóis do Atlético de Madrid, clube que representou na temporada transacta.

Trata-se de um ponta de lança nascido a 5 de Maio de 1991 em Tepeji, México, e que é precisamente um produto das camadas jovens do América, emblema que representou entre 1998 e 2014, sendo que, nos últimos três desses anos, actuou ao nível da equipa sénior.

Aí, o possante atacante (190 cm, 80 kg) assumiu-se como uma excelente referência ofensiva, ou não tivesse somado 38 golos em 103 jogos oficiais, e conquistado inclusivamente uma transferência para o Atlético de Madrid a troco de 11 milhões de euros.

O salto para a capital espanhola, todavia, não correu particularmente bem ao internacional mexicano, que raramente conseguiu encontrar o seu espaço junto do onze do Atlético de Madrid, terminando a época de 2014/15 com apenas seis jogos como titular (mais 21 como suplente utilizado) e somente um golo apontado.

Tem potencial mas sentiu o salto para a Europa

Raúl Jiménez é o típico futebolista que temos de analisar através de duas vertentes, mais concretamente o seu valor actual e o seu valor potencial, sendo que o segundo é muito superior ao primeiro, em virtude do internacional mexicano ainda não parecer minimamente adaptado ao futebol do Velho Continente.

Afinal, o ponta de lança de 23 anos tem, realmente, tudo para ser um ponta de lança de grande qualidade no espectro do futebol mundial, uma vez que é fortíssimo fisicamente, algo que lhe permite ser muito forte nos duelos individuais e no jogo aéreo (é letal na finalização de cabeça), mas consegue aliar isso a uma técnica individual muito apreciável no passe, drible e finalização com o pé esquerdo, assim como a uma assinalável mobilidade.

O problema, contudo, é que Raúl Jiménez sentiu em demasia o salto do mais anárquico futebol mexicano para o mais intenso e evoluído futebol europeu, sendo que o ponta de lança, nos “colchoneros”, via-se muitas vezes facilmente engolido pelas organizações defensivas adversárias e com dificuldades extremas para se libertar dessas amarras.

Essa inadaptação, aliás, até prejudicou-o bastante no capítulo da decisão, sendo que era recorrente ver o ponta de lança a definir mal as jogadas, desperdiçando boas ocasiões para oferecer soluções interessantes para a sua equipa.

Certo, de qualquer maneira, é que o campeonato português é bem menos exigente que o espanhol, podendo então este passo atrás na carreira afigurar-se como a melhor decisão para um ponta de lança que, assim que se adaptar aos princípios do futebol europeu, tem tudo para ser um goleador de elite.

Anúncios

Read Full Post »

Manquillo poderá ser o sucessor de Maxi

Manquillo poderá ser o sucessor de Maxi na Luz

Apontado hoje pelo jornal “A Bola”, juntamente com Mayke e Mário Fernandes, como possível alvo do Benfica para o lado direito da defesa, Javier Manquillo é um futebolista que poderia claramente ser um interessante sucessor de Maxi Pereira, ainda que com características algo diferentes do internacional uruguaio.

Nascido a 5 de Maio de 1994 em Madrid, Espanha, Javier Manquillo Gaitán começou a sua carreira nas camadas jovens do Real Madrid, ainda que, aos 13 anos, tenha rumado ao arqui-rival Atlético de Madrid, emblema onde acabou o seu percurso juvenil.

Poucas oportunidades no “Atleti”

Na transição para o futebol sénior, o lateral-direito teve naturais dificuldades em afirmar-se na equipa principal do Atlético de Madrid, tendo somado apenas 17 jogos entre 2011/12 e 2013/14, ainda que tenha “compensado” com mais 42 jogos pela equipa B “colchonera”.

Nesse seguimento, foi com naturalidade que o internacional sub-21 espanhol acabou por mudar de ares no último Verão, rumando por empréstimo de duas temporadas ao Liverpool, histórico clube inglês onde encontrou mais espaço, ou não tivesse somado 20 encontros, ainda que pouco tenha jogado desde Janeiro.

Mais defesa do que lateral

Comecei por dizer que Javier Manquillo era uma interessante opção para o lado direito da defesa do Benfica, mas também ressalvei que era bem diferente de Maxi Pereira e isso deve-se ao facto do internacional sub-21 espanhol ser muito mais um defesa do que aquilo que chamamos agora de “lateral moderno”.

Afinal, o foco do jovem de 21 anos não está em dar grande profundidade ofensiva ao seu flanco, mas, essencialmente, em defender a sua posição, sendo que Manquillo se destaca pelo inteligente e superior posicionamento, qualidade no desarme e antecipação, e eficácia no jogo aéreo.

Com bom pulmão e alguma força física, o jogador ainda contratualmente ligado ao Atlético de Madrid arrisca-se pouco em missões ofensivas, preferindo quase sempre libertar-se rapidamente da bola e deixar o processo ofensivo para um colega mais habilitado para tal. Será, aliás, aí que o jovem espanhol terá de evoluir mais, até porque um clube com o Benfica exigirá sempre um lateral-direito com um mínimo de apetência atacante.


Read Full Post »

André Moreira é uma promessa lusa

André Moreira é uma promessa lusa

Portugal foi esta madrugada eliminado do Mundial de sub-20, isto depois de ter sido derrotado pelo Brasil (0-0 e 1-3 g.p.) nos quartos de final da prova, mas é inegável que inúmeros jogadores da “Equipa das Quinas” deixaram uma excelente imagem na Nova Zelândia, sendo André Moreira um desses exemplos.

Afinal, totalista nos cinco jogos da selecção nacional de sub-20 na competição, o jovem “keeper” provou com exibições de grande nível o porquê de já pertencer aos quadros do Atlético de Madrid.

Formado no Ribeirão

André Campos Moreira nasceu a 2 de Dezembro de 1995 em Ribeirão, tendo sido formado precisamente no clube com o mesmo nome, que representou entre 2005 e 2014.

A 29 de Dezembro de 2013, acabado de fazer 18 anos, estreou-se no futebol sénior, tendo mesmo efectuado 16 jogos pelo Ribeirão no Campeonato Nacional de Seniores 2013/14 e merecido, no final da época, a contratação por parte do Atlético de Madrid.

Ainda não jogou pelo “Atleti”

Apesar dessa surpreendente contratação, a verdade é que André Moreira ainda não se estreou oficialmente pelos “colchoneros”, tendo acabado cedido ao Moreirense na temporada transacta.

Nesse clube primodivisionário, contudo, o jovem “keeper” de 19 anos acabou por não conseguir encontrar igualmente o seu espaço, limitando-se a somar dois jogos na Taça da Liga.

Sóbrio e seguro

André Moreira é um guarda-redes que privilegia a eficácia à espectacularidade, não sendo propício a defesas muito vistosas, algo que, valha a verdade, apenas prejudicará o trabalho dos fotógrafos.

Apresentando um excelente posicionamento entre os postes, André Moreira destaca-se pela elasticidade e por ser um excelente shot stopper, sendo ainda de destacar o seu apreciável jogo de pés e eficácia na saída aos cruzamentos.

Depois, com apenas 19 anos, é de realçar igualmente a elevada maturidade que já apresenta, não havendo dúvidas que estamos perante um guarda-redes de gigantesco potencial.

Read Full Post »

Salvio regressou ao Benfica

Já na época passada, Jorge Jesus fez de tudo para contar Salvio, ainda que não tenha tido sucesso nesse objectivo. Todavia, neste defeso, o desejo do treinador encarnado foi ouvido na cúpula benfiquista, sendo que as águias abriram bastante os cordões à bolsa (pagaram 13,5 milhões de euros) para contarem com um internacional argentino que esperam que seja uma das principais fontes de desequilíbrio ofensivo em 2012/13.

Eduardo Antonio “Toto” Salvio nasceu a 13 de Julho de 1990 em Avellaneda, Argentina, sendo um produto das escolas do Lanús, clube argentino pelo qual o extremo se estreou profissionalmente em 2008/09, marcando 9 golos em 31 jogos.

Na temporada seguinte, Salvio ainda começou no Lanús (16 jogos, 4 golos), todavia, a meio da época, mudou-se para o Atlético de Madrid, clube onde haveria de marcar 2 golos em 21 jogos, ajudando na conquista da Liga Europa.

Apesar dos números interessantes nos madrilenos, Salvio acabou emprestado ao Benfica em 2010/11, tendo sido uma das figuras com 10 golos em 39 jogos. Esse bom registo fez com que os encarnados quisessem ficar com o internacional argentino, todavia, a equipa portuguesa não conseguiu chegar a acordo com os colchoneros e Salvio regressou ao Atlético de Madrid.

No clube da capital espanhola, Salvio voltou a ser utilizado com muita regularidade, marcando 8 golos em 49 jogos e sendo importante em nova conquista da Liga Europa por parte do Atlético de Madrid. Ainda assim, neste defeso, os números do Benfica convenceram o Atlético de Madrid e o internacional argentino transferiu-se para o Benfica por 13,5 milhões de euros.

Como joga?

Salvio é um extremo de grande talento individual, que actua preferencialmente sobre o flanco direito, mostrando velocidade, boa técnica individual e um extraordinário sentido de baliza.

Partindo da ala, o argentino não é um elemento que funcione como extremo de “ir à linha cruzar”, movimentando-se constantemente em diagonais que o aproximem da zona de tiro.

Inteligente em termos tácticos e resistente em termos físicos, trata-se de um elemento forte no um contra um e que cria inúmeras dificuldades aos defesas contrários, sendo muito difícil de parar.

Apesar do valor alto pago pelo Benfica, trata-se, claramente, de um excelente reforço encarnado para aumentar a qualidade do plantel em 2012/13.

Read Full Post »

Elias é internacional canarinho

O reforço mais caro da história do Sporting Clube de Portugal é um médio-centro internacional brasileiro de grande pulmão e boa qualidade técnica que, a espaços, faz lembrar o ex-jogador do Benfica, Ramires. Falo, obviamente, de Elias.

Nascido a 16 de Maio de 1985 em São Paulo, Brasil, Elias Mendes Trindade fez todo o seu percurso como jogador juvenil no Palmeiras, ainda que nunca tenha envergado a camisola do clube paulista como sénior.

Após abandonar o Palmeiras, iniciou a sua carreira profissional em 2005, no Náutico, tendo passado depois pelo São Bento, Juventus (São Paulo) e Ponte Preta. As boas exibições realizadas, nomeadamente no Ponte Preta onde foi vice-campeão paulista em 2008, valeram-lhe a transferência para o Corinthians.

O novo reforço leonino deixou saudades no Timão

Um ídolo da torcida no Corinthians

Elias permaneceu no Timão entre 2008 e o final de 2010, tendo realizado 160 jogos (58 golos) pelo clube paulista e sendo visto como um dos grandes ídolos dos exigentes adeptos do gigante brasileiro. No Corinthians, o internacional brasileiro ajudou o clube a regressar à primeira divisão logo em 2008, e foi peça fundamental nas conquistas do campeonato paulista e da Taça do Brasil no ano de 2009.

Essa ascensão meteórica ao serviço do Timão, valeu a Elias a chegada a internacional brasileiro e, também, uma transferência para o Atlético de Madrid a meio da temporada 2010/11. Contudo, no clube madrileno, Elias nunca confirmou na totalidade o que demonstrou ao serviço do Corinthians, transferindo-se neste defeso para o Sporting por 8,8 milhões de euros.

Elias já é sócio do Sporting

Um guerreiro com boa técnica

Elias é um médio-centro de enorme pulmão, daqueles que não param um segundo em constantes transições defesa/ataque e ataque/defesa e actua sempre no limite das suas forças.

Rápido, inteligente em termos tácticos e com boa técnica, é ideal para funcionar como elemento mais ofensivo de um duplo-pivot, ainda que também funcione muito bem como interior-direito ou mesmo médio-direito.

Com uma boa meia-distância e aparecendo muitas vezes em zona de tiro, é jogador para ajudar a resolver os problemas de finalização do Sporting, até porque o internacional brasileiro costuma terminar as temporadas com uma excelente média de golos.

Em suma, um reforço muito caro, mas que, pelas suas características, poderá ser bastante útil para a equipa leonina nesta temporada de 2011/12.

Read Full Post »

Diego Capel é internacional pela "Roja"

Ao que tudo indica, o extremo-esquerdo desequilibrador que deverá fechar o plantel leonino é o talentoso internacional espanhol do Sevilha: Diego Capel.

Nascido a 16 de Fevereiro de 1988, em Albox, Almería, Diego Capel Trinidad teve uma breve passagem pelas camadas jovens do Barcelona, mas foi no Sevilha que cresceu e desenvolveu o seu futebol de grande qualidade técnica e capacidade desequilibradora.

No clube andaluz, estreou-se na equipa sénior em 2004/05, com apenas 16 anos, jogando três minutos numa vitória (2-1) diante do Atlético de Madrid, contudo, apenas se assumiu como titular do Sevilha na temporada 2007/08, efectuando 33 jogos e três golos nessa época.

Viveu a melhor época no Sevilha em 2008/09

Em 2008/09, o internacional espanhol haveria de viver o seu melhor ano ao serviço dos andaluzes, pois fez 41 jogos (três golos) e parecia que Diego Capel iria se assumir como uma das grandes estrelas do Sevilha para as temporadas seguintes, todavia, não foi isso que aconteceu.

A chegada de Diego Perotti aos andaluzes reduziu o espaço de Diego Capel e o internacional espanhol foi perdendo influência no Sevilha, ficando-se pelos 29 jogos (4 golos) em 2009/10 e as 17 partidas em 2010/11.

Assim sendo, é provavelmente com agrado que o extremo-esquerdo vê esta possível mudança de ares para o Sporting como forma de relançar a sua carreira.

Extremo-esquerdo rápido e desequilibrador

Se ainda existem extremos de perfil clássico, verticais, tecnicistas e desequilibradores, que gostam de jogar colados à linha e dar profundidade ofensiva à sua equipa, então Diego Capel é um dos mais perfeitos exemplos.

Não é jogador de marcar muitos golos, mas não se pode dizer que é completamente divorciado da baliza contrária, destacando-se também pela evoluída capacidade de passe e a cruzar para a área.

Rápido, tecnicista e muito vertical, o internacional espanhol (duas ocasiões) é perfeito para jogar num esquema 4x2x3x1 ou 4x3x3 como ala/extremo-esquerdo, podendo também jogar no mesmo flanco num 4x4x2 losango, desde que o atleta que actue no lado oposto tenha uma inteligência táctica acima da média, sendo Izmailov o jogador ideal para isso no Sporting.

A concretizar-se a transferência, trata-se de um reforço de luxo para o renovado e ambicioso plantel dos leões de Alvalade.

Read Full Post »

Paulinho Cascavel era um goleador

Na temporada de 1986/87, o Vitória de Guimarães escreveu uma das páginas mais bonitas da sua história ao efectuar a sua melhor participação de sempre na Taça UEFA. O grande Vitória da altura, treinado por Marinho Peres e com jogadores como Jesus, N’ Dinga, Ademir e Paulinho Cascavel eliminou Sparta Praga, Atlético de Madrid e FC Groningen, num percurso genial que apenas foi parado nos quartos de final pelos frios germânicos do Borussia Mönchengladbach. Apesar de não terem chegado à final, curiosamente ganha pelo IFK Gotemburgo da Suécia, os vimaranenses vão recordar, para sempre, esta magnífica campanha europeia.

1ª Eliminatória: Sparta Praga 1-1 V. Guimarães/V. Guimarães 2-1 Sparta Praga

O Vitória de Guimarães não teve propriamente sorte no sorteio da primeira eliminatória da Taça UEFA, saindo-lhe em sorte o sempre complicado Sparta Praga, da extinta Checoslováquia.  Depois de uma igualdade na primeira eliminatória, em Praga (1-1), a equipa de Guimarães, na segunda mão, viu-se mesmo a perder (0-1), até aparecer o génio de Paulinho Cascavel que, com dois golos, deu a volta ao marcador, garantindo o triunfo (2-1) e consequente apuramento para a segunda eliminatória da Taça UEFA.

2ª Eliminatória: V. Guimarães 2-0 Atl. Madrid/Atl. Madrid 1-0 V. Guimarães

Na segunda ronda da competição, a sorte foi ainda mais madrasta para os vimaranenses que, nessa ocasião, tiveram de discutir o apuramento com o poderoso Atlético de Madrid. Na primeira mão, a jogar em casa, o Guimarães não fez um grande jogo, mas beneficiou de golos de Paulinho Cascavel e Roldão para vencer por 2-0. Depois,  no Vicente Calderón, o Vitória sofreu bastante, tendo, inclusivamente, visto Jesus defender um penalti da equipa espanhola. Todavia, a equipa portuguesa soube resistir e acabou por perder apenas pela margem mínima (0-1), garantindo, assim, a passagem à terceira eliminatória.

3ª Eliminatória: FC Groningen 1-0 V. Guimarães/V. Guimarães 3-0 FC Groningen

O terceiro obstáculo para a equipa minhota foi a equipa holandesa do FC Groningen, um conjunto que, apesar de ter bastante qualidade, parecia estar ao alcance do Guimarães. Na primeira mão, na Holanda, o Vitória perdeu (1-0) num encontro em que se confirmou a ideia de que o FC Groningen era perfeitamente ultrapassável. De facto, na segunda mão, o Vitória não só se apurou para os quartos de final como o fez com imenso estilo, derrotando a equipa holandesa por 3-0, graças a golos de Nascimento, N’ Dinga e do inevitável Paulinho Cascavel.

Quartos de final: B. M’gladbach 3-0 V. Guimarães/V. Guimarães 2-2 B. M’gladbach

Previam-se grandes dificuldades para o Vitória para este duelo com os alemães do Borussia Mönchengladbach e, na verdade, assim foi, pois a equipa germânica acabou por resultar no fim do percurso minhoto na competição. A primeira mão, na Alemanha, que o Vitória perdeu, copiosamente, por 3-0, acabou por ser decisiva, pois tirou praticamente todas as hipóteses da equipa portuguesa recuperar no segundo duelo. De facto, nessa segunda mão, o V. Guimarães não foi além de um empate a duas bolas, acabando eliminado da prova europeia e terminando, assim, uma prestação que entrou para a história da equipa minhota.

Read Full Post »

Older Posts »